sexta-feira, 24 de outubro de 2014

TAG: Os 5 livros que...


Não sei se essa TAG tem um nome ou não, por isso deixei assim no título. A Maju Raz, aqui do blog, me marcou nessa "brincadeira" no Facebook e eu resolvi responder por aqui. 
5 livros que quer muito ler:
Cem anos de solidão - Gabriel García Márquez

A playlist da minha vida - Leila Salles

Proposta Inconveniente - Patricia Cabot
As esganadas - Jô Soares
About a boy - Nick Hornby
5 livros que não tem e queria ter:
Se só me restasse uma hora de vida - Roger-Pol Droit
Segunda Chance - James Paterson
Antologia Poética de Fernando Pessoa
Eleanor & Park - Rainbow Rowell 
Fangirl - Rainbow Rowell
5 livros que leu por último:
Amy and Roger's Epic Detour - Morgan Matson
Para onde ela foi - Gayle Forman 
Como eu era antes de você - Jojo Moyes
Primavera eterna - Paula Abreu
Encontrada - Carina Rissi
5 blog (pessoas) pra fazer o mesmo

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

RESENHA: "Manual do mundo", de Alfredro Luis Mateus e Iberê Thenório

Por Maju Raz

Título: Manual do Mundo
Editora: Sextante
Ano: 2014
Páginas: 240

Sinopse: Diversão + educação. Essa foi a fórmula que o jornalista Iberê Thenório usou para criar um dos maiores canais de educação do YouTube. Com mais de 2 milhões de inscritos e 300 milhões de visualizações, o Manual do Mundo é uma série de mais de 600 vídeos que ensinam de tudo: desde dobrar uma camiseta em dois segundos até fazer um barco caseiro de papelão que leva quatro pessoas. Neste livro, escrito com o químico Alfredo Luis Mateus, foram selecionados os experimentos científicos mais divertidos e, ao mesmo tempo, simples de serem feitos em casa – muitos deles ainda inéditos no Manual do Mundo. Cabo de guerra sem corda. Pintura sem tinta. Caixa acústica sem eletricidade. Parece esquisito? Essas e outras experiências vão mostrar que é possível fazer muita coisa legal com materiais que estão escondidos na sua casa e que poderiam acabar indo para o lixo. Você vai tatuar frutas, usar uma lâmpada que não ilumina, moldar e reciclar plástico, soltar foguetes e experimentar com ímãs e reações químicas. Vai aprender a transformar um celular em projetor e em microscópio. Encontrará projetos para fazer coisas úteis, geringonças, jogos, mágicas para mostrar para os amigos. Vai fazer arte de um jeito diferente e se divertir na cozinha. Tudo isso com instruções passo a passo e muitas fotos explicando direitinho como se faz. E como sempre no Manual do Mundo, além de mostrar como construir, você encontra a explicação do que acontece, de um jeito bem fácil de entender. 

Esse livro já está sendo bem cobiçado aqui em casa. Primeiro que minha mãe tem medo de me dar coisas para fazer experimentos, sim, sou véia de guerra já, mas mesmo assim as pessoas tem medo da Maju desastrada (hehehehe) e segundo que meu irmão é um quase químico e quis testar algumas coisas.

Eu particularmente achei a ideia do livro muito massa! Tem vários elementos que servem pro dia a dia e outros para presentear alguém , passar o tempo e saber o funcionamento das coisas.

Adorei as explicações e ilustrações. O livro é dividido em dez partes que vai de acordo com os materiais que você usará nas experiências:

-Sublimes movimentos;
-Densidade épica;
-Água surpreendente;
-Admiráveis reações químicas;
-Fantásticos plásticos;
-Magnetismo inesperado;
-Eletricidade notável;
-Luz visionária;
-Som inspirado;
-Fenomenais arranjos moleculares.




É bem simples de se fazer tudo e os materiais são encontrados facilmente.

Fui tentar fazer uma geleca, mas não li direito e fiz errado (viu a preocupação da minha mãe agora?), então #Fail. Aí tinha acabado a água boricada e não pude refazer pra mostrar pra vocês L

Mas vou deixar aqui o meu fail pra vocês rirem.

video


Outra coisa que quero muito fazer e que ainda vou fazer pra mostrar pra vocês é transformar o celular em projetor. Sim! Isso é possível! Assim que meu celular chegar da assistência técnica (ô sorte!) eu faço e posto.




Um dos autores, Iberê, tem um canal no youtube chamado Manual do Mundo onde encontramos mais experimentos e novidades – dobrar camisetas em segundos, desenhar em bananas, química escolar aplicada etc. Clique aqui para acessar. 


O Globo titulou o autor deste livro o ‘Beakman brasileiro’. Em entrevista ao site Iberê disse "que a “intenção do canal é fazer com que as crianças e jovens adolescentes se apaixonem pela ciência assim como ele se apaixonou, na época em que brincava de alquimista na garagem do pai em Piedade, no interior de São Paulo. Quero despertar nos pequenos o interesse pelo lado divertido da química e da física, pelos efeitos mágicos dos experimentos. E, ao longo do tempo, essas crianças podem passar a fazer conexões com o dia a dia, com o que aprendem na escola, e se tornando verdadeiras cientistas — explica Thenório, cujo livro mira principalmente os estudantes do Ensino Fundamental 2, do 6º ao 9º ano. — Esse é o pessoal que vai poder conferir na prática o que aprende na escola."

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

RESENHA: "Para onde ela foi", Gayle Forman

Por Francine Estevão

Título: Para onde ela foi
Título Original: Where she went
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2014
Páginas: 239

Livro enviado pela editora para resenha.

Sinopse: Já faz três anos que o amor de Adam salvou Mia após o acidente que mudou a vida dela. Três anos desde que Mia saiu da vida de Adam para sempre. Vivendo agora em lados opostos do país, Mia é um talento em ascensão na Julliard, a conceituada escola de música, e Adam é o típico astro do rock de Los Angeles, com direito a notícias nos tabloides e uma namorada-celebridade. Quando Adam se vê sozinho em Nova York, o acaso reúne o casal mais uma vez. Por uma noite. Com a mesma força dramática de Se eu ficar, agora pela voz de Adam, Para onde ela foi expõe o desalento da perda, a promessa de esperança e a chama do amor que renasce.

A princípio, quando li “Se eu ficar”, não esperava que houvesse uma continuação. Mas o final do primeiro livro foi tão impactante e eu me envolvi tanto com a história que não via a hora de ler o que viria a seguir. Fiquei bastante decepcionada com o que a autora fez da história. Há menos emoção, menos alegria, menos amor. Há menos de tudo neste segundo livro que mescla o presente, momento em que Adam e Mia se reencontram e passeiam por NY, com flashs do passado recente, desde o acidente de Mia, para contar como foi que chegaram até ali. E talvez por isso o livro tenha se tornado maçante. Com Adam a frente da narrativa, o livro se concentra na parte dele da história. Como ele chegou ali, como ele ficou famoso, os caminhos dele, os sentimentos e sofrimentos dele. Mas eu esperava que a história continuasse com Mia à frente. Eu queria ver tudo o que aconteceu com ela depois do coma. Como ela estava se sentindo sem a família. Como ela conseguiu retomar sua vida normal depois de tudo o que perdeu. Mas a parte dela da história é bastante breve, enquanto ela conta tudo, resumidamente, para Adam. Senti falta da Mia que me cativou tanto no primeiro livro.


Com a mudança de ponto de vista, a autora deixou muito a desejar. A história parece se desconectar de tudo que conhecemos no primeiro livro. Não que haja erros de continuidade, nem falhas desse tipo. Pelo contrário, há inclusive repetições que são extremamente desnecessárias – Hello! Nós lemos o primeiro livro! O problema é que a história ficou um pouco maçante pelo ponto de vista do então namorado de Mia.

Ele, que já não era meu favorito desde o primeiro livro, mas que havia ganhado minha atenção pela forma como se relacionava com Mia e com a família dela, ficou um personagem pesado, sem nada a acrescentar, e ainda assim a história é quase toda sobre ele.

Apesar de tudo isso, “Para onde ela foi” tem seus pontos altos. Quando Adam e Mia se reencontram e passam uma noite/madruga inteira perambulando por Nova York, é possível resgatar um pouquinho daquela paixão que sentimos por eles na primeira parte da história. Consegui ver a mesma Mia de antes nesta Mia de depois, muito mais calejada pela vida. E por isso não concordei com a decisão de Gayle de colocar o livro nas mãos do Adam e naquilo que ele se transformou depois do acidente com a família de Mia. Até parece que tudo aquilo afetou a ele muito mais do que a ela.

“Para onde ela foi” se passa alguns anos depois de Mia acordar do coma. Ela entrou em Julliard e deixou Adam para trás aos poucos, mas sem dar nenhuma satisfação a ele do motivo pelo qual o estava se afastando. E agora ela é uma violoncelista de sucesso. Ele, depois de passar por um momento difícil com o afastamento dela, voltou para sua banda, a Shooting Star, e daí para o sucesso e as muitas mulheres em sua vida foi um pulo rápido. Mas apesar da fama, ele continua passando por uma fase difícil. Toma medicamentos para “sobreviver” dia após dia e lida mal com a fama. Até o dia em que, casualmente, os dois se encontram e algumas verdades e esclarecimentos vêm à tona.


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

RESENHA "Superação" de Nick Vujicic

Por Maju Raz

Título: Superação
Título Original: Limitless
Autor: Nick Vujicic
Editora: NovoConceito
Ano: 2014
Páginas: 160

Sinopse: Nick Vujicic sabe que não existe esperança maior do que confi ar nos planos de Deus para a sua vida. Nascido sem os braços e as pernas, Nick já vivenciou picos de confiança e também já se entregou ao desespero. E ele superou todas as circunstâncias e barreiras físicas ao abraçar sua fé e compreender o amor sem limites e o poder que Deus concede a todas as pessoas. Agora, Nick deseja que você renove a sua esperança. Em 50 reflexões inspiradoras, ele compartilha uma sabedoria eloquente, adquirida da maneira mais penosa, para ajudar você a encarar os obstáculos com serenidade e coragem. 
Encontre a motivação que buscava para vencer as dificuldades em qualquer área da sua vida: dúvidas sobre a sua fé, problemas de relacionamento, dificuldades no campo profissional, questões ligadas à saúde ou à autoestima. A atitude positiva deste palestrante admirado em todo o mundo e o seu encorajamento baseado na Bíblia irão transformar sua vida e mostrar que você pode superar qualquer limitação, porque Deus não conhece limites.



“Não há sentido em ser completo do lado de fora, quando se está quebrado no interior.”



Nicholas James Vujicic nasceu com uma síndrome rara chamada Tetra-amelia e passou por vários perrengues na vida. Já tentou se suicidar e pensou que nada tinha sentido na vida, mas foi um vencedor e superou todas suas dificuldades. Quando completou dezessete anos fundou sua própria organização sem fins lucrativos ao qual deu  o nome de Life Withou Limb (Vida sem membros). Também frequentou a Faculdade e se formou com bidiplomação em contabilidade e planejamento financeiro. Hoje é casado e tem um filho muuuito lindo e fofo e  é palestrante motivacional.

Eu simplesmente achei muito fofo “Superação” de Nick Vujicic. Nos seus outros livros Nick mostra como superou suas provações e dificuldade da vida – com a certeza que nasceu com algum propósito. Nesse livro ele aborda mais a parte religiosa com passagens bíblicas misturadas a reflexões inspiradoras e palavras de superação.



Muitas pessoas criticam esse tipo de leitura, um misto de religiosidade com autoajuda. Eu era uma delas até conhecer Nick. Ele me encantou com seu modo simples de narrar suas histórias e não impor nada a ninguém. Ele faz você se questionar: até onde vale a pena investir em algo que te faz mal? Onde você deposita sua fé? Você é mesmo incompleto só por que é imperfeito? Ele te fisga com uma frase de efeito, uma história de amor e de fé. 

É um daqueles livros que você pode presentear mãe, vó, amigos religiosos e pra aqueles que precisam de apoio em alguma parte da vida. É necessário maturidade para ler este livro e reconhecer o carisma e realidade que o autor nos passa. Um livro maravilhoso e construtivo que vai renovar sua alma e suas esperanças.

Adoro essa música! :)


Leia um trecho do livro aqui.




quinta-feira, 16 de outubro de 2014

RESULTADO DO SORTEIO: "O Retrato", de Charlie Lovett

Mais um sorteio chegando ao fim na Sociedade do Livro. Desta vez, a ganhadora vai receber um exemplar de "O Retrato", de Charlie Lovett, da editora Novo Conceito. 



Confira o post original do sorteio aqui.

E a ganhadora é...



Parabéns, Sabrina Caparros. Você receberá um e-mail da Sociedade do Livro e terá 3 dias corridos para responder com seus dados (conforme os termos e condições do sorteio). Se não recebermos seu retorno no prazo, um novo ganhador será escolhido. 

Obrigada a todos que participaram. Parabéns à ganhadora. E fiquem atentos aos próximos sorteios :)


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

RESENHA: "Primavera Eterna", Paula Abreu

Por Francine Estevão

Título: Primavera Eterna
Autora: Paula Abreu
Editora: Arqueiro
Lançamento: 2014
Páginas: 128


Livro enviado pela editora para resenha.


Sinopse: Maia é uma jovem publicitária bem-sucedida. Tem um emprego estável, um namoro estável, uma vidinha estável. Até demais. Certo dia, tentando imaginar como seria sua vida no futuro, o casamento, os filhos, visualiza duas crianças loirinhas correndo... Loirinhas? Então ela se dá conta de onde vem aquela cor de cabelos: Diogo, o menino por quem se apaixonou à primeira vista aos 12 anos, numa cidadezinha do interior, onde costumava passar os fins de semana com a família. Acontece que ele se mudou para os Estados Unidos há mais de dez anos, e a essa altura da vida, já nem deve se lembrar mais dela. Mesmo assim, num impulso, Maia pede férias na agência, inventa uma viagem de trabalho como desculpa para o namorado e vai para Nova York, atrás do seu primeiro amor. Primavera Eterna é a história de uma jovem cheia de sonhos esquecidos, que ousa arriscar tudo o que tem e acaba encontrando a si mesma.


Li “Primavera eterna” em dois dias (ou melhor, duas sentadas). Além de ser curtinho, a história, com o jeitão de “crônica” daquelas que a gente ama ler todos os dias no jornal, é uma delicinha e a leitura flui rapidamente enquanto passamos apenas um dia na vida de Maia. Um dia muito importante na história da Maia do passado, do presente e do futuro.

"As tragédias gregas sempre se passam no espaço de um dia. É em um dia especial que o herói rememora a sua vida e percebe que tudo aconteceu para que fosse conduzido àquele dia trágico quando, enfim, encontra o seu destino. Mas o livro de Maia não é trágico; ao contrário, tem humor. E o humor é a forma mais generosa de lidar com a tragédia. Quando Maia nos leva ao fundo do seu sofrimento e ao  mesmo tempo o ridiculariza, transforma a vida em picadeiro e lá todos nós já fizemos o nosso número - quem não foi ridículo quando amou?" (p. 120)

Ela e Diogo se conheceram ainda crianças, mas o garoto foi o primeiro amor de Maia, aquele que ela nunca esqueceu mesmo com o passar dos anos e com a distância que se impôs entre os dois depois da mudança dele para Nova York com os pais sem dar tempo de se despedirem.

Nos anos que se passaram, Maia escreveu muitas cartas pra Diogo declarando seu amor por ele. Mas não recebeu nenhuma resposta, nunca. Uma vez, quando ele visitava o Rio, combinaram de se encontrar, mas ele não apareceu e ela ficou esperando sozinha por horas.

Mesmo depois de tudo isso, ao se imaginar mãe de duas crianças loiras e se dar conta de que a cor do cabelo dos futuros filhos tinha tudo a ver com Diogo, a bem comportada publicitária de sucesso, resolveu dar um tempo em tudo e partir para Nova York para reencontrar o rapaz.

Cheia de dúvidas sobre com o que iria se deparar caso Diogo aparecesse no local em que marcaram de se encontrar, revisitamos alguns momentos do passado de Maia, de sua história com o seu primeiro amor, de seus relacionamentos, de sua vida profissional, e de como foi que ela chegou até ali sem se esquecer dele, mesmo que sua imagem já não estivesse mais tão nítida na memória de Maia depois de 15 anos. E criamos, nesse meio tempo, uma ideia de quem é Diogo e do que ela poderá encontrar depois de tanto tempo.

Adorei a forma como a autora, Paula Abreu, conduziu a história. Me pareceu algo tão real que me fez ter a sensação de que ela contava uma história verídica. Além disso, me fez pensar um pouquinho nessa nossa mania de viver presos ao passado e de encontrar esperança nem que seja em uma linha tão fina. E será mesmo que “é o primeiro amor que nos move por toda a vida?”?


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Lançamento de "Pó de Lua" em Ribeirão Preto

Por Francine Estevão



No último sábado, 11/10, a autora Clarice Freire esteve em Ribeirão Preto, na Livraria da Travessa do Ribeirão Shopping, para lançar seu primeiro livro, "Pó de Lua", da Editora Intrínseca.



Dividido entre as quatro fases da lua, o livro traz textos curtos que trabalham bastante com o jogo de palavras e com o visual. Poesia moderna em texto e em desenho. Um livro extremamente fofo no qual acompanhamos o olhar especial de Clarice sobre coisas, situações, sentimentos, objetos e com o qual nos identificamos e refletimos. 



Clarice, que está conquistando leitores de todas as idades por onde passa, chegou à Livraria da Travessa do Ribeirão Shopping atraindo os olhares dos fãs que já aguardavam na fila. A autora inicialmente tímida, foi se soltando aos poucos enquanto batia um papo breve com os primeiros leitores da fila, aos quais foi conquistando com seu jeitinho meigo, simpático e com o forte sotaque pernambucano. 



A autora de traços e versos suaves pediu para que o pessoal desse a volta na mesa e ficasse ao lado dela, porque à frente estava muito longe para abraços e fotos. E enquanto conversava atenciosamente com cada um que se aproximava, mostrava o quão a vontade se sente com uma caneta na mão e uma página em branco, fazendo com que os autógrafos - com nome e diferentes recadinhos para cada leitor - ficassem com cara de que faziam parte do livro.

Autógrafo à esquerda e página original do livro à direita. 


Além da atenção de Clarice Freire com os leitores, chamou a atenção de quem participou do evento os cuidados com os detalhes. Os marcadores de papel e de alumínio e "cartões postais" todos personalizados. Tudo de muito bom gosto complementando o trabalho tão delicado que a editora fez com o livro. 




sexta-feira, 10 de outubro de 2014

[TAG] Taylor Swift Book Tag

Quando estava lendo o post com a TAG no blog da Babi Lorentz começou a tocar Taylor Swift (#Iknowyouretrouble) e então me senti quase que obrigada pelos deuses da coincidência a responder a TAG aqui no blog também.

O objetivo é citar um livro de acordo com cada uma das 12 músicas listadas na TAG.

Então...aqui vamos nós!



1.We Are Never Ever Getting Back Together – Um livro que você amava muito, mas aí ele piorou e você teve que cortar relações com ele: “Não se apega não”, Isabela Freitas – Todo mundo falando bem desse livro, 1001 quotes destacadas por ai e um livro quase sem espaço para novos post its serem adicionados. Como não se interessar? As primeiras páginas foram uma maravilha, mas não demorou muito para eu começar a achar a personagem principal cheia de frescuras, o livro bastante contraditório e completamente sem graça. Não aguentei nem passar da metade.

2.Red – Um livro com uma capa vermelha: “Perdão, Leonard Peacock”, do Matthew Quick. Porque é impossível não apaixonar por essa história e não se tornar fã do autor.

3. The Best Day – Um livro que te faça sentir nostálgico: A série “O Diário da Princesa” com certeza me deixa nostálgica. Marcou minha adolescência e a fase em que eu comecei a pegar gosto de verdade pela leitura.

4. Love Story – Um livro que tenha um amor proibido: “O céu vai ter que esperar”, Cally Taylor, por motivos de tempo-espaço. Leiam! História linda e divertida!

5. I Knew You Were Trouble – Um livro que você não conseguiu evitar de se apaixonar pelo bad boy/vilão:  Don Corleone de "O poderoso Chefão", clássico tanto no cinema como na literatura.

6. Innocent (written b/c of Kanye West) – Um livro que alguém estragou o final dele pra você (spoiler): Não sou muito encanada com spoiler, então não consegui encontrar nenhum livro que tenha tido o final estragado por um. Mas “Cuco”, Julia Crouch, foi um livro com final que eu amei e que algumas amigas odiaram e depois de tanta discussão, acabei ficando na dúvida e por isso estragaram todo o lado bom do final da história.




7. Everything Has Changed – Um personagem de um livro que passou por uma grande mudança: Landon Carter de “Um amor para recordar”, Nicholas Sparks. Como não amar???

8. You Belong With Me – O lançamento mais esperado por você no momento: Pode ser um futuro lançamento? Por que juro que não vejo a hora da Meg Cabot lançar o 7º livro da série “Mediadora” (to esperando por isso desde o dia que li a última palavra do sexto livro. #OMJesse

9. Forever and Always – Um casal favorito de um livro: Pegeen e Edward de “A Rosa do Inverno” da Patricia Cabot. Lindos lindos lindos!!!!

10. Come Back, Be Here – Um livro que você não gosta de emprestar por não querer sentir saudades dele: “Jane Eyre”, da Charlotte Brontë. Comprei o meu exemplar num sebo e ele já é bem velhinho e tem aquela cara de “história além da história”. Não empresto pra ninguém!

11. Teardrops On My Guitar – Um livro que te fez chorar muito: Não sou de chorar lendo, mas “O Presente”, da Cecelia Ahern, me tocou de uma forma sobrenatural que me peguei soluçando em algumas partes.

12. Shake It Off – Um livro que você ama muito e que você não tá nem aí pros haters dele: Essa foi difícil. Pensei, pensei e não cheguei a lugar algum. Então resolvi citar alguns autores. Como sou jornalista e já passei de uma certa idade, muitas pessoas do meio em que vivo, principalmente do meio profissional, julgam algumas das minhas escolhas literárias como Meg Cabot, Nicholas Sparks, e Cia. Haters gonna hate o tanto que quiserem que eu vou continuar lendo todos esses e muitos outros autores do tipo.  

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

RESENHA: "Encontrada", Carina Rissi

Por Francine Estevão

Título: Encontrada – À espera do felizes para sempre
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Lançamento: 2014
Páginas: 476


Sinopse: Sofia está de volta ao século dezenove e mais que animada para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke. No entanto, em meio à loucura dos preparativos para o casamento, ela percebe que se tornar a sra. Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. As confusões encontram a garota antes mesmo de ela chegar ao altar e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento é apenas uma delas. Além disso, coisas estranhas estão acontecendo na vila. Ian parece estar enfrentando alguns problemas que prefere não dividir com a noiva. Decidida, Sofia fará o que estiver ao seu alcance para ajudar o homem que ama. Ela não está disposta a permitir que nada nem ninguém atrapalhe seu futuro. Porém suas ações podem pôr tudo a perder, e Sofia descobre que a única pessoa capaz de destruir seu felizes para sempre é ela própria.


“Encontrada”, continuação de “Perdida”, nos traz mais uma vez as aventuras de Sofia pelo século XIX. Dessa vez, acompanhamos a jovem durante os preparativos para seu casamento, a cerimônia e sua vida como esposa de Ian. Mas se Sofia pensava que se casando com o amor da sua vida ela estaria, finalmente, se vendo livre dos problemas e dos julgamentos a respeito de seu relacionamento com ele, ela está muito enganada.

Neste segundo livro, a jovem, que decidiu abdicar de tudo que tinha no século XXI, se vê, mais uma vez, cercada de problemas principalmente no que diz respeito ao seu comportamento inadequado para a época na qual decidiu se estabelecer. E com isso o leitor vai dar boas risadas com as atrapalhadas dela tentando sobreviver sem sujar a reputação de Ian e de sua irmã, Elisa e enquanto escreve cartas para sua melhor amiga, Nina, tentando encontrar alguma forma de poder enviá-las para o século XXI.

“Encontrada” é um livro mais linear do que “Perdida”. Embora seja uma leitura bastante agradável e rápida, devido à forma como nos envolvemos com a história pelo fato de já estarmos apaixonadas pelo casal #SofIan, passei boa parte do livro sentindo falta de algum clímax mais atrativo. A toda hora eu pensava que algo iria ou poderia acontecer, mas não tinha nada muito forte guardado esperando pelo leitor. Até que no final do livro, Carina Rissi nos lembra que, apesar de tudo que aconteceu até ali com Sofia e Ian, em algum lugar, 200 anos no futuro, havia personagens esperando por nós. E é assim que a autora surpreende o leitor, com um final incrível que me deixou arrepiada e ainda mais apaixonada pelo trabalho da Carina.

Dessa forma, a autora nos prova, mais uma vez, o porquê de ser merecedora de tanto reconhecimento e sucesso com seus livros e, principalmente, com essa série que já deixou milhares de leitores apaixonadas não só no Brasil como também em outros países.



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

RESENHA: "Poseidon", Anna Banks

Título Original:  Of Poseidon
Autora: Anna Banks
Editora: Novo Conceito
Páginas:
 288

Lançamento : 2014


Sinopse: Além da beleza fora do comum, com seu cabelo quase branco e seus olhos cor de violeta, Emma chama a atenção por ser um pouco desajeitada. Ela não se sente muito à vontade em lugar nenhum... e não sabe que sua misteriosa origem é a fonte dessa sensação. Galen, príncipe dos Syrenas, vasculha a terra procurando uma garota especial, capaz de se comunicar com os peixes — e que poderá salvar seu reino. Quando ele se encontra com Emma, a conexão é imediata: embora não saiba, Emma parece ter o dom que Galen procura. Mas, então, por que ela não conseguiu salvar sua melhor amiga do ataque do tubarão? Cabe ao príncipe convencer a teimosa Emma a enfrentar sua real natureza e aceitar o desafio. E nada pode impedi-lo de alcançar seu objetivo.

Poseidon é um daqueles livros de leitura fácil, em que mais cedo do que se imagina já nos envolve em sua  história e nos deixa impacientes para o final. É claro que como a grande maioria dos romances adolescentes de cenário sobrenatural, trata-se de uma franquia. Ou seja, nenhum desfecho satisfatório neste aqui. O livro termina com um cliffhanger daqueles que me deixariam morrendo de raiva não estivesse eu já acostumada a eles (Olá Cassandra Clare! rs).

Como obra introdutória Poseidon cumpre bem o seu papel, os personagens logo ganham nossa simpatia e é fácil torcer por eles. Apesar de achar que faltou uma explicação um pouco mais concreta sobre o que são os syrenas, o que fazem e qual é a história deles, gostei muito do início. Ele começa bem clichê (mocinha altamente desastrada tropeça no mocinho) mas logo surpreende com um dessenrolar nada típico dos primeiros encontros embaraçosos-porém-felizes tão comuns atualmente.

  Após isso, o enredo gira em torno de Galen  (um ser místico de uma raça muito semelhante às das sereias) tentando compreender a existência de Emma (aparentemente uma syrena perdida em meio aos humanos)e talvez assim ajudar a salvar sua espécie, ao mesmo tempo em que luta contra seus sentimentos por ela.

  A narração segue de duas maneiras: em primeira pessoa quando o ponto de vista é de Emma, e em terceira quando é o Galen.  Apesar de ser muito agradável a perspectiva de acompanhar um romance através dos dois personagens , a mudança de pessoa é irritante. Por vezes tive que reler diálogos por não saber qual dos dois havia dito ou feito alguma coisa (essa confusão na construção das falas pode ser  devido a tradução,mas como não li o original não há como saber).

  Quanto ao título, embora tenha super a ver com a história, como apaixonada por mitologia grega e romana fiquei levemente chateada por o  livro não tratar do assunto de forma alguma.  Ao contrário, há uma desconstrução da imagem de Poseidon como o deus mitológico dos mares (o que pode ser bem chato se você estiver procurando algo ao estilo Percy Jackson por exemplo).

  Falando agora dos personagens, Galen foi o que mais me chamou a atenção.  Ele é encantador e certamente o tipo que faria as garotas suspirarem por ele (como de fato ocorre na escola em que ele se matricula, aliás, são as cenas dele tentando se adaptar aos costumes humanos que eu considerei as mais divertidas do livro!). Ele é um ótimo personagem, nenhum Jace, Percy  ou  Jesse, mas carismático o bastante pra me fazer querer ler o resto da série. 

  Soma-se a isso o fato da narrativa (infelizmente) terminar em seu melhor momento, algo que indica que o melhor da história ainda está por vir, e tem-se  uma espera impaciente pela continuação da obra de Anna Banks, resultado direto da agradável leitura que é Poseidon.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

[TAG] 10 autores de quem só li um livro (mas quero ler mais)

Vi a TAG no blog The Librarian Who Doesn't Say Shhh!, adorei e resolvi fazer também.

Consiste em nomear 10 autores de quem você leu apenas um livro, mas que quer ler outros títulos. 

Então vamos aos meus 10: 

1. Lisa Gardner



Autora de livros policiais, li apenas "Esconda-se" dela e amei, mas já tenho outros dois na estante esperando ansiosamente para serem lidos, "Sangue na neve" e "Viva para contar".

2. Nick Hornby



Li "Alta fidelidade" e desde então estava ansiosa por outros livros dele que é uma referência para tantas pessoas que admiro. Surtei quando soube que também era autor de "Um grande garoto", filme que amo, e que já está na lista para próximas leituras.

3. Lindsey Kelk



A Lindsey tem uma série divertidíssima, "I heart" e desde que li "Eu amo Nova York" estava na expectativa pelos outros da série. Já garanti "Eu amo Hollywood" e "Eu amo Paris", mas ainda não li. 

4. Jô Soares



O que falar? Simplesmente me apaixonei quando li "Assassinatos na Academia Brasileira de Letras"e louca pra ler outros títulos dele. O primeiro da fila é "As Esganadas". 

5. Lee Child



Lee Child, pseudônimo de Jim Grant, me deixou fascinada pelo seu personagem principal Jack Reacher. Depois de ganhar, ler e assistir "Um tiro", comprei "Alerta final" que está ali, paradinho na estante esperando sua vez. 

6. Jojo Moyes



Jojo Moyes me deixou apaixonada com seu romance ""A última carta de amor" e desde então tenho colocado seus outros lançamentos na minha listinha para ler. "Como eu era antes de você", que está prestes a ir parar nas telonas, é o primeiro da lista. 

7. Phillip Margolin



O autor me surpreendeu com "Sleeping Beauty", um policial/investigativo incrível e pretendo em breve ler outros livros dele. 

8. Gayle Forman



Gayle Forman me deixou apaixonada com "Se eu ficar" e mal vejo a hora de ler a continuação "Para onde ela foi". Espero também por outros livros da autora. 

9. Cally Taylor



"O céu vai ter que esperar" é daqueles livros nos quais me pego pensando de vez em quando, sentindo falta da história, dos personagens, dos acontecimentos, das "lições". Quero muito ler outras coisas dela. 

10. Keris Stainton



"Jessie Hearts NYC" é um romance adolescente todo fofinho que te deixa apaixonada, te diverte e ainda te leva por um passeio por Nova York. Como não amar e não querer ler mais? Espero que os outros livros dela sejam tão fofos quanto este.

E vocês, quais aqueles autores que vocês leram só um livro, mas que já te conquistaram e te tornaram um leitor fiel?

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Encontro de Leitores: Os Instrumentos Mortais


No último sábado, o Sociedade do Livro participou da comemoração de 1 ano da Livraria Cultura em Ribeirão Preto. Eu mesma ministrei um encontro de leitores da série "Os Instrumentos Mortais" de Cassandra Clare, e vou contar tudo o que rolou aqui para vocês!


O encontro de Caçadores de Sombras foi uma oportunidade incrível para conhecer e interagir com gente tão fã de TMI e com a mesma paixão por livros como eu. Contei com uma excelente companhia : Bruna Ferracini, resenhista do Literatura de Cabeça, Camila do blog Cami Takahashi, Katia Montero do All I Need is a Book e Roh Dover do Tri Books. Além, é claro, da Maju e Fran aqui do Sociedade. O evento ainda foi palco do lançamento do blog Panda Reader's, um novo projeto, super bacana da professora Cintia Simizo e de seus alunos para incentivar a leitura.

Durante o jogo "Mímicas Literárias"


 Partindo agora para as atividades que marcaram o evento. Para mantê-lo divertido optei por jogos que mantivessem a atenção do público e permitissem uma maior interação. Começamos com um quiz que testou o conhecimento de todos sobre os livros da Cassie, jogamos Mímicas Literárias e  Encontre o Livro. Tudo isso valendo brindes como convites para o cinema, bottons e etc. O Sociedade ainda sorteou três kits com livros, brindes e marcadores. Sendo um deles, inclusive uma versão de colecionador de Cidade dos Ossos (1 edição)


Teve fã fazendo cosplay, leitores com runas desenhadas pelo corpo,  e uma disputada muito legal entre os grupos pra ver quem ganhava a brincadeira.




Os kits sorteados pelo Sociedade, lindos não?




As vencedoras dos sorteios com seus prêmios




Para terminar o evento Bruna Ferracini conversou com o público e contou a todos como foi conhecer Cassandra Clare na Bienal (ela foi uma das sortudas que conseguiu um autógrafo da escritora!).

Maju, Fran, eu e Cintia

O Sociedade do Livro marcando presença

Na estante da Sociedade: Setembro

Em setembro, resolvi quitar minha lista de livros desejados (mais ou menos, na verdade, já que quando um sai da lista, muitos outros entram). Fiz uma compra de todos os que pretendia comprar na Bienal do livro, mas que não comprei porque estavam bem mais caros por lá. Com a ajuda da internet (e do buscapé - esse lindo que sempre indica os lugares com os menores preços do universo virtual), economizei uma booooa grana para comprar futuras e ainda fiquei com todos que eu queria na minha estante. 

Sério, gente! Amei essa coisa de pesquisar preço de livro pelo buscapé. Nunca mais faço compras online sem a ajuda dele.

Então, vamos parar de enrolação e vamos aos livros que comprei esse mês:



Nem acreditei quando, assistindo "Um grande garoto" (About a boy) pela milionésima vez, me dei conta de que o filme era uma adaptação de um livro do Nick Hornby. Esperei o filme terminar e fui correndo pra internet comprar o livro (com essa capa linda-maravilhosa-incrivelmente-perfeita do filme!...Aproveitei e já comprei o filme também!). 



Da listinha que levei pra Bienal de São Paulo (e que voltei sem nenhum), comprei "Encontrada", da Carina Rissi; "Pó de lua", da Clarice Freire; "Eu amo Paris", da Lindsey Kelk e "Proposta Inconveniente", da Patricia Cabot



Além deles, a editora Novo Conceito nos enviou neste mês três lançamentos: "Atrás do Espelho", de A.G. Howard; "Louco por você", da Jasinda Wilder e "Aconteceu em Veneza", da Molly Hopkins


quarta-feira, 1 de outubro de 2014

RESENHA: "Café forte", Eliane Quintella

Por Francine Estevão

Título: Café forte
Autora: Eliane Quintella
Lançamento: 2014
Páginas: 384


Sinopse: Miguel vê sua namorada aterrorizada por um demônio. Ele não acredita, acha que há alguém por trás de tudo e resolve descobrir quem é. Nessa jornada, o ceticismo de Miguel é colocado à prova e ele descobre muito mais do que podia imaginar. Um suspense fantástico que vai deixar o leitor faminto por cada dia um pouco mais de história!


Essa vai ser uma resenha diferente. Isso porque já vou começar contando pra vocês que eu não terminei de ler o livro. E também porque, apesar de não ter chegado ao final, eu gostaria de indicar esse livro pra vocês.

Só eu sei o quanto me custou abandonar a leitura de “Café forte” devido a imensa curiosidade para saber o final. Quando a Eliane Quintella entrou em contato comigo sugerindo a parceria, fiz algumas pesquisas sobre o livro e sobre o trabalho dela e fiquei MUITO interessada, por isso aceitei.

“Café forte” tem os ingredientes ideais para atrair minha atenção. Suspense, paixão, mistério e mais pra frente, investigação. No entanto, a intensidade da história foi algo que me pegou um pouco desprevenida. Sabe quando uma história parece tão profunda, tão intensa, até mesmo real, que acaba te incomodando de alguma maneira? Foi isso que aconteceu comigo enquanto lia os primeiros 8 capítulos do livro. Dou créditos positivos à autora por isso, pois nem sempre um escritor é capaz de demonstrar com palavras a intensidade de uma situação narrada a ponto de incomodar o leitor e tirá-lo de sua zona de conforto.

Miguel é completamente apaixonado por Dora, a quem ele chama de anjo. No entanto, algo que está acontecendo com ela tem deixado o rapaz bastante incomodado. Por diversas vezes Dora apareceu machucada sem revelar quem a havia deixado daquele jeito. Até que ela resolve se abrir com Miguel e dizer que suspeita que um demônio é que tem feito os ferimentos e outras coisas assustadoras com ela.

Miguel não consegue acreditar na história. Por mais que ele a ame acima de todas as coisas, ele não acredita que algo do “além” tem alguma coisa a ver com a situação e então se dispõe a investigar a história escondido da namorada. Primeiramente ele desconfia do ex dela, até descobrir que ele está morto. Então ele começa a ir atrás de outras possíveis pistas a fim de desvendar esse mistério.

Outro ponto que me chamou atenção na história foi a linguagem psicológica para avaliar diferentes aspectos do que nos é contado por Eliane. Miguel se vale da ajuda de uma amiga psiquiatra que tem um jeito bastante diferente do dele de encarar os fatos da vida e que poderá ajudá-lo não só com o possível problema que ele acredita que Dora está enfrentando, como também na busca por desvendar o mistério em torno das histórias que ela lhe conta.

Eu tentei voltar para o livro duas vezes, mas era como se aquele demônio que atormenta Dora fosse real demais para mim e me incomodasse de uma forma que não tornou a leitura agradável. Comparei a sensação com a que tive quando fui assistir “Clube da luta”. Me incomodou tanto, que abandonei apesar de todos dizerem que é um excelente filme. Forte demais pro meu estômago.


Inconformada com a minha incapacidade de seguir adiante com “Café forte”, fui ler outras resenhas na internet e fiquei ainda mais intrigada para dar prosseguimento à leitura. Vou tentar de vez em quando, entre outras leituras um pouco mais leves, ler um capítulo ou outro, a fim de chegar ao final e desvendar todos os mistérios narrados por Eliane Quintella. Enquanto isso, gostaria de indicar o livro pra vocês que ficaram intrigados com a sinopse e com um pouquinho do que contei aqui. E quem leu eu ler “Café forte”, compartilha com a gente a opinião e a experiência nos comentários ;)

O livro está a venda na Amazon. 

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Lançamentos de outubro: Editora Arqueiro

“Ligeiramente Casados”, Mary Balogh - Livro 1 da série “Os Bedwyn”

Indicado para leitores de Julia Quinn da série “Os Bridgertons”

Sinopse: À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar! Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.



“Mares de Sangue”, Scott Lynch – Livro 2 da série “Nobres Vigaristas”

Sinopse: Após uma batalha brutal no submundo do crime, o golpista Locke Lamora e seu fiel companheiro, Jean Tannen, fogem de sua cidade natal e desembarcam na exótica Tal Verrar para se recuperar das perdas e feridas. Porém, mesmo no extremo ocidental da civilização, não conseguem descansar por muito tempo e logo estão de volta ao que fazem de melhor: roubar dos ricos e embolsar o dinheiro. Desta vez, eles têm como alvo o maior dos prêmios, a Agulha do Pecado, a mais exclusiva casa de jogos do mundo, onde a regra de ouro é punir com a morte qualquer um que tente trapacear. É o tipo de desafio a que Locke não consegue resistir... só que o crime perfeito terá que esperar. Antigos rivais dos Nobres Vigaristas revelam o plano a Stragos, o ambicioso líder militar verrari, que resolve manipulá-los em favor de seus próprios interesses. Em pouco tempo, a dupla se vê envolvida com o mundo da pirataria, um trabalho inusitado para ladrões que mal sabem diferenciar a proa da popa de um navio. Em Mares de sangue, Locke e Jean terão que se mostrar malabaristas de mentiras, enganando todos ao seu redor sem a mínima falha, para que consigam sair vivos. Mas até mesmo isso pode não ser o bastante...



“Amaldiçoadas”, Jessica Spotswood -  Livro 2 da série “As Crônicas das Irmãs Bruxas”

Sinopse: Cate Cahill tomou a decisão mais difícil de sua vida e resolveu largar tudo para proteger aqueles a quem amava, mas não poderia imaginar os obstáculos que ainda teria pela frente. Agora, vivendo disfarçada entre as outras moças da Irmandade, ela precisa se manter a salvo dos implacáveis caçadores de bruxas e lidar com grandes dilemas pessoais, como a distância de seu grande amor e os conflitos que envolvem suas irmãs Tess, uma menina doce e ingênua que guarda um grande segredo, e Maura, a jovem bela e ambiciosa que pretende fazer de tudo para se tornar o centro das atenções. Será que Cate está pronta para liderar as bruxas de sua geração e ganhar o respeito de uma sociedade que condena a feitiçaria? E seria ela a bruxa da profecia, a mulher mais poderosa já nascida em muitos séculos e capaz de revolucionar a história do mundo? Envolva-se ainda mais na história de Cate e de todas as mulheres fortes que a cercam e segure seu coração para torcer pelo amor de Cate e Finn neste volume que traz revelações imperdíveis antes da conclusão da saga das irmãs Cahill.



“O Desertor”, Daniel Silva – Livro 9 da série “Gabriel Allon”
O quarto da série publicado pela Arqueiro.

Sinopse: Em uma pacata casa na Úmbria, o restaurador de arte Alessio Vianelli trabalha em uma obra de Guido Reni a serviço do Vaticano. O que seus vizinhos não sabem é que aquele misterioso italiano é apenas mais um disfarce para o lendário ex-espião israelense Gabriel Allon. Ainda se recuperando da última missão, ele recebe a visita de seu antigo chefe, Uzi Navot, que lhe traz uma notícia chocante de Londres: Grigori Bulganov, o desertor russo que salvara a vida de Gabriel por duas vezes, sumiu sem deixar rastros. Os serviços secretos britânicos não se importam com o caso, pois suspeitam que Bulganov seja um agente duplo que voltou para sua terra natal. Porém, Gabriel não acredita nessa hipótese e precisa provar que todos estão enganados antes que seu amigo seja morto. Durante a investigação, ele volta a confrontar um antigo inimigo. Um dos homens mais poderosos e letais do mundo aproveita-se de um deslize seu para sequestrar uma das pessoas que o espião mais ama. Transtornado, Gabriel parte numa jornada que atingirá o seu clímax nas congelantes florestas da Rússia. Nessa missão desesperada, ele está disposto a dar a própria vida para se vingar.



“Perdido em Marte”,  Andy Weir

Sinopse: Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.



“O Melhor de Mim”, Nicholas Sparks

Relançamento com a capa do filme.

Sinopse: Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre. Num romance envolvente, Nicholas Sparks mostra toda a sua habilidade de contador de histórias e reafirma que o amor é a força mais poderosa do Universo - e que, quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las.