quarta-feira, 26 de novembro de 2014

RESENHA: "About a boy", Nick Hornby

Por Francine Estevão

Título: About a boy
Autor: Nick Hornby
Editora: Penguin Books
Lançamento: 1998
Páginas: 278

Sinopse: Will tem 36 anos, mas age como um adolescente. Ele lê as revistas certas, vai aos lugares certos e sabe quais os tênis certos para se calçar. Ele também descobriu um jeito incrível de ganhar pontos com as mulheres – em um grupo de pais solteiros, cheio de mães disponíveis, todas esperando pelo “Senhor Incrível”. É assim que ele conhece Marcus, o mais velho jovem de 12 anos no mundo. Marcus é um pouco estranho: ouve Mozart, cuida da mãe e nunca teve um par de tênis. Talvez, se Will conseguir ensinar a Marcus como ser um menino, Marcus pode ensinar Will a “crescer”.


Minha paixão por “Um grande garoto” é inexplicável. Adoro os personagens, a relação que surge entre eles e a mudança que essa relação provoca em cada um. Sempre que vejo o filme passando na TV, faço qualquer esforço necessário pra assistir (ok, agora comprei o DVD posso ver quando quiser). E embora já o tenha assistido ao menos uma dezena de vezes, nunca havia reparado, até a última vez, que ele era baseado em um livro e ainda por cima escrito por Nick Hornby. Em parte, estava explicado o porquê da história ser tão incrível. Desde que li “Alta Fidelidade”, adorei a escrita dele e estava ansiosa por ler outro livro do mesmo autor.

O filme é bastante fiel ao livro, no entanto, além daqueles detalhes que todo livro tem a mais do que sua adaptação, o final de “About a Boy” é a principal mudança. Gostei muito da versão escrita – tanto é que o livro se tornou um dos meus favoritos do ano, mas ver o Hugh Grant cantando e tocando “Killing me Softly With His Song” é uma das minhas cenas favoritas do filme – e que não tem no livro.

Apesar desse final “alternativo”, li cada diálogo, cada pensamento, cada situação, imaginando os atores do filme interpretando-os e isso deixou o livro ainda mais fácil de apreciar, pois gosto muito dos nomes que dão vida à história, acho que combinam muito bem com seus personagens.

Will é um solteirão convicto, rico e um eterno desempregado que tem leva uma vida dos sonhos e não tem nada a reclamar. Um adulto criança. Marcus é um adolescente totalmente fora dos padrões e, por isso, sofre bullying. Uma criança adulta. É quando seus caminhos se cruzam que surge uma relação inesperada que vai mudar a vida de ambos.


Cada personagem tem uma personalidade bastante única e que tem tudo a ver com a vida que levam e com o que enfrentam em suas rotinas. O jeito infantilizado de Will e a maturidade de Marcus se complementam e fazem com que o leitor/telespectador se apaixone ainda mais por cada um deles, juntos ou separados.


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

RESENHA: "Perdido em Marte", Andy Weir

Por Francine Estevão

Título: Perdido em Marte
Título Original: The Martian
Autor: Andy Weir
Editora: Arqueiro
Lançamento: 2014
Páginas: 336


Livro enviado pela editora para resenha.  

Sinopse: Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Quando vi os lançamentos de outubro da Arqueiro, fiquei interessada de cara em “Perdido em Marte”. Adoro a temática e estava ansiosa para ler, pois em 2015, a história estará nos cinemas estrelada por Matt Damon e dirigida por Ridley Scott.

Tudo que assisto ou leio que se passa fora da Terra me deixa cm uma sensação estranha de sufoco. Enquanto acompanho estas histórias, sinto que vai me faltando o ar. E embora eu adorasse ser uma astronauta, sinceramente acho que não daria conta de estar no lugar deles. Principalmente no lugar de Mark Watney, o protagonista de “Perdido em Marte”.

As missões Ares levam muito tempo para serem preparadas e são planejadas para que nada dê errado e para que seus tripulantes saiam de lá com vida e para contar a experiência a todos. No entanto, durante uma “tempestade”, Mark é atingido por uma antena e considerado morto pelos colegas que estavam com ele em Marte. Mas o imprevisto acontece e na verdade, apesar do incidente, Mark está vivo e sozinho em Marte. Não bastasse isso, ele tem bastante consciência da sua situação “lá em cima”. E então começa a planejar meios de sobreviver até que Ares 4 chegue no espaço e possa levá-lo de volta para a Terra.

Imagina a situação! Não bastava ficar sozinho no espaço você ainda sabe que vai morrer caso não consiga arrumar comida, água e oxigênio suficientes. E quais são as probabilidades de isso acontecer em Marte? Diz ai se não é sufocante só de imaginar?

Mas Mark não está só ciente da sua situação como também sabe algumas formas de tentar criar aquilo que precisará para sobreviver, como por exemplo, como plantar batatas no espaço a fim de ter alimento suficiente para não morrer de fome e desnutrido. E é essa sua saga pela sobrevivência que acompanhamos durante a história, que é contada como se estivéssemos lendo o diário que ele resolveu escrever com a esperança de que se o encontrassem morto, pelo menos encontrassem sua história. E quase sempre, ao final dos dias, para amenizar um pouco a sua luta pela sobrevivência, Mark se distraia com as músicas ou com os seriados deixados para trás pelos demais tripulantes da missão que voltaram para a Terra.

O livro também mostra um pouquinho da equipe de suporte das missões na Terra quando se dão conta de que Mark não está morto, mas de que poderá estar muito em breve caso ninguém faça nada para resgatá-lo. Sem nenhuma possibilidade de se comunicarem com ele, ninguém sabe o que ele tem feito para tentar sair dessa vivo.


A história é muito interessante, mas muito minuciosa, o que acredito ser essencial para tornar tudo aquilo um pouco mais “real” aos olhos do leitor. No entanto, para alguém não tão fissurado em detalhes de ficção científica, química, física, etc, (eu!) esses pormenores acabaram tornando a leitura um pouco maçante. Eu não conseguia ler muito por dia porque os detalhes pesavam na minha cabeça. Também senti falta de uma visão mais pessoal, psicológica. Imagina ficar incontáveis dias sozinho no espaço! como isso não mexe com a cabeça da pessoa.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

RESULTADO DO SORTEIO: Magisterium, de Cassandra Clare e Holly Black

Mais um sorteio chegando ao fim na Sociedade do Livro. Desta vez, a ganhadora vai receber um exemplar de "O Desafio de Ferro", da série Magisterium, de Cassandra Clare e Holly Black , da editora Novo Conceito. 



Confira o post original do sorteio aqui.

E a ganhadora é...



Parabéns, Andressa Ferreira. Você receberá um e-mail da Sociedade do Livro e terá 3 dias corridos para responder com seus dados (conforme os termos e condições do sorteio). Se não recebermos seu retorno no prazo, um novo ganhador será escolhido. 

Obrigada a todos que participaram. Parabéns à ganhadora. E fiquem atentos aos próximos sorteios :)

RESENHA : "Sábado à Noite 3 - Com Amor e Música", Babi Dewet

Título: Sábado à Noite 3 - Com Amor e Música
Autora: Babi Dewet
Editora: Generale
Lançamento: 2014
Páginas: 302


Sinopse: Esse pode ser o fim da trilogia, mas “Sábado à Noite 3 – Com amor e música” é apenas o começo da vida de Daniel Marques, o famoso vocalista e guitarrista da Scotty. Alta Granada não é mais o palco principal, agora, a banda formada por ele, Caio, Rafael e Bruno toca em shows lotados no país inteiro. Os músicos já não são mascarados amadores, são reconhecidos e estão aproveitando o máximo no melhor estilo rockstar, sem precisarem esconder os rostos, estampados nas capas de revistas, jornais e nos noticiários. Amanda, por outro lado, deverá decidir entre viver o sonho de sua vida ao lado de quem ama ou continuar na segurança da cidade pequena de sempre. Será que ela pode ser muito mais do que os outros pensam? Jogar tudo para o alto e lutar pelo amor nascido nas praias do interior e nos bailes de sábado à noite do colégio valerá a pena? Junto a seus melhores amigos, Daniel e Amanda enfrentarão a maior decisão de suas vidas no desfecho tão esperado dessa história. Junte-se a eles e mergulhe nas páginas recheadas de música, dramas e amizade do último volume de SAN.

 Este é o esperado desfecho da trilogia da Babi Dewet que começou como fanfic e cativou tanta gente, especialmente os apaixonados por música (a resenha do primeiro livro você pode ler aqui). Sou mega fã da autora. Eu já a conhecia do evento de SAN que ocorreu aqui em Ribeirão em fevereiro do ano passado e adorei reencontrá-la na Bienal em SP este ano. Aproveitei e comprei os dois últimos livros da série que faltavam e garanti o autógrafo. A Babi foi simpática como sempre e foi uma delícia ver o sucesso que ela anda fazendo e ver a fila de gente que se formou só para vê-la.


A fofa Babi Dewet e seu livro Sábado à Noite.

 O livro começa bem onde ele parou no livro anterior, Sábado à Noite 2 - Dos Bailes para a Fama (Skoob neste link). Nós ainda temos, antes, um breve epílogo que nos dá um pouco mais de detalhes sobre como foi a época em que Amanda estava em Alta Granada seguindo uma vida normal e Daniel estava como seus amigos em São Paulo, tentando fazer a banda estourar. Isso até chegarmos ao capítulo 1 em que ocorre o casamento de um dos personagens, o evento que marca o reencontro dos dois e que nos havia deixado com o coração na mão pois se tratava da última cena de SAN 2. 

 Pois é, dessa vez Daniel está de volta e parece determinado a reconquistar a sua amada, ele até tem um anel! Mas as coisas nunca são fáceis e até os amigos deles estão receosos com o reaproximamento do casal, tudo porque Daniel, iludido com a fama, e basicamente se sentindo perdido, não parece ter limites nem ter amadurecido. Amanda pode ser toda a ajuda que ele precisa para sair desse torpor mas ela terá que aceitar todos os problemas e confusões que vem inclusos. 
 Este livro de fato tem uma abordagem um pouco mais adulta, afinal os personagens não são mais estudantes do ensino médio e tem empregos e responsabilidades maiores. Fred e Guiga estão prestem a ter um filho (!) e os garotos da Scotty agora tem que lidar com todos os efeitos colaterais de serem uma banda famosa. Só que tudo isso não afeta em nada o que eu mais gosto nos livros, que é a juventude e energia que transbordam das páginas. É uma leitura que faz com tenhamos aquela vontade louca de vivermos as mesmas experiências que os personagens, de podermos contar com amigos tão fieis quanto Caio, Rafael, Bruno, Anna, Guiga, Maya, Kevin, Carol, Fred, Daniel e Amanda. E, é claro, de noites de Sábado tão inesquecíveis como aquelas em que a trilogia teve seu início.


 O grande número de personagens pode ser um problema nas cenas em que eles estão todos juntos e falando. Dá pra ficar bem confuso e confesso que me perdi várias vezes sem saber quem tinha dito exatamente o quê. Mas acho isso bem compreensível, afinal de contas eles são um bando de jovens com uma vida bem atípica, cheios de emoções e que não são nada comportados. Realmente não dá pra esperar diálogos bem esclarecidos rs. Agora, uma coisa definitivamente positiva é o grande número de citações que temos. Impossível não se identificar em nada que é abordado no livro, as referências vão de Dawnson's Creek a  The Beatles, de Doctor Who a k-pop. Além de McFly, óbvio!

 Gostei muito de como a Babi termina a história dos personagens. Achei digno. Especialmente o "detalhe" que faz com que a trama pareça não tenha um final, mas sim que é apenas uma volta a onde tudo começou. Não serei mais específica porque não quero estragar o final pra ninguém, mas se você já leu o livro sabe do que estou falando. 

 Uma última coisa? Até a Babi participa da história! Apenas uma participação especial, nem o nome dela é citado, mas se quem acompanha a autora consegue pegar os detalhes e perceber a "intromissão". Só uma sutileza pra deixar este livro, cheio de amor e música, ainda mais fofo.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Lançamento: "Corações em Fase Terminal", da Fabiane Ribeiro, pela Universo dos Livros



A autora Fabiane Ribeiro lança hoje, seu segundo livro pela editora Universo dos Livros.

Depois de “JogandoXadrez com os Anjos”, é a vez de “Corações em Fase Terminal” conquistar os leitores. Eu li o livro quando ela o publicou de forma independe, em PDF, e tenho certeza de que ela vai conquistar e tocar ainda mais leitores com esse lançamento. 

E tem mais! Ano que vem, conheceremos uma nova história escrita por ela. Também pela Universo dos Livros, seremos apresentados ao inédito “A menina feita de espinhos”.

A Fabi é uma autora muito querida que conheci logo que comecei a mexer com o Sociedade do Livro. E depois que li “Xadrez”, virei fã da escrita dela, uma escrita delicada, cheia de sentimentos que mexem com a gente de uma maneira bastante profunda.

Ela comentou as novidades no Facebook:
"Notícia maravilhosa chegando pra vocês!!! Com muita alegria, informo que meu segundo livro lançado pela editora Universo dos Livros tem lançamento previsto para quinta-feira, dia 13/11. Como muitos de vcs sabem, eu estou nos EUA, então não teremos um lançamento oficial com sessão de autógrafos, mas vocês já podem adquirir um exemplar na Livraria Travessa ( bit.ly/coracoesemfaseterm), e em breve mais links de venda estarão disponíveis. Lembrando que o livro também estará nos catálogos Avon a partir do comecinho de 2015.
E as novidades não param por aí... meu terceiro livro, aquele que prometi a vocês há um tempinho, "A menina feita de espinhos", também será lançado pela Universo dos Livros em 2015.
Sempre que lerem qualquer um de meus trabalhos, não deixem de me procurar e dividir suas opiniões comigo, adoro manter contato com meus leitores. Obrigada por todo carinho que tiveram comigo, com minha carreira e com meu primeiro livro, Jogando Xadrez com os Anjos, até o momento. Espero que os próximos lançamentos também estejam em breve em suas estantes.
Que alegria dividir uma nova história com vocês!
#‎Radiante ‪#‎Agradecida ‪#‎Emocionada"



“Corações em Fase Terminal”

Sinopse: Eles têm uma última chance de salvar suas vidas... Cátia, após quase acabar com a própria existência, mergulhada em uma vida de vícios e erros, acorda em um local misterioso, em uma caixa dourada presa aum espelho repugnante. Em meio a uma cidade estranhamente maravilhosa e conhecendo um amor mais forte que a própria vida, ela tem a última chance de encontrar a cura para o seu coração manchado e aprender a amar incondicionalmente. Descubra o que é o Santuário, o clarão dourado e o templo onde a rosa flutua... Corações em Fase Terminal é uma história fascinante, da busca pela magia da vida e pela cura das feridas do passado.

Compre o livro na Livraria da Travessa 

Adicione o livro no Skoob 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

RESENHA: "O Homem Perfeito", Vanessa Bosso

Por Francine Estevão


Título: O Homem Perfeito
Autora: Vanessa Bosso
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2014
Páginas: 222



Sinopse: Melina teve alguns relacionamentos ruins, outros péssimos... Mesmo assim, ela não desiste: um dia ainda vai encontrar alguém que a complete e que entenda algumas manias fofas que ela tem como comprar mais sapatos do que pode guardar ou tomar uma multa ou outra por excesso de velocidade. Ela faz a sua parte escrevendo um pedido ao universo, no qual descreve esse ser incrível nos mínimos detalhes. Agora é só esperar, certo? Melina não imagina, porém, que esse presente dos céus já existe, mas foi parar nos braços de uma mulher in-su-por-tá-vel. O que fazer quando o destino insiste em brincar com a sua paciência?

“O Homem Perfeito” é mais um livro incrível da querida Vanessa Bosso. Mais uma vez somos seduzidos por personagens próximos a nós que acabam nos conduzindo para dentro da história. E isso é uma das coisas que mais gosto nas histórias da Vanessa, sempre tem coisas com as quais nos identificamos, fazendo a história ser ainda mais prazerosa.

Além disso, Vanessa é sempre ótima para transformar enredos clichês em histórias que nos dão um prazer imenso de ler. E dessa vez ela nos arranca suspiros e garante boas gargalhadas com essa comédia romântica, um gênero digamos que pouco explorado pela autora.

Dessa vez, somos apresentados a Melina, uma maluquete de primeira que acaba de perder o emprego, o namorado e, sem fazer a menor ideia do que fazer com a própria vida, decide sair de São Paulo e ir para Paraty, viver e trabalhar na pousada dos avós, onde também mora seu pai.

"E eu, o que sou? Uma tresloucada sem noção, uma mulher que ainda não amadureceu, que não conquistou absolutamente nada na vida. E eu tenho celulite." (p.177)

É lá que o passado, ou melhor, o ex-namorado do passado reaparece em sua vida para assombrá-la (embora assombrar não seja a melhor palavra para um médico lindo de morrer, dos pés a cabeça, inteligente e romântico que atende pelo nome de Bernardo). Assim, acompanhamos as aventuras e desventuras de Mel tentando reconquistar o seu homem perfeito em um cenário paradisíaco e somos levados a uma história de amor que tinha tudo pra dar certo, mas que não deu - ainda.

"O que é seu está guardado e virá no tempo certo, independentemente da velocidade com que você corra. A ansiedade é uma distração inútil, digo isso com propriedade. Desacelere. Acredite em um poder superior. Não estamos sozinhos, alguém olha por nós." (p.16)

Bernardo é realmente o homem perfeito, não importa suas preferências. Tenho certeza de que ele é o cara mais próximo do sonho geral da nação feminina conforme já o descrevi brevemente acima. Então, quem poderia dispensá-lo?

Em defesa da Mel, digamos que ele não era tão perfeito assim quando ela o traiu há alguns anos simplesmente por medo de ser abandonada por ele. Mas desde então, a vida de Mel – principalmente no quesito romance – não tem sido das melhores. Ela só não esperava que ainda o amasse tanto assim depois de tanto tempo e de tantas burradas.

A mudança de Melina para Paraty vai fazer com que muito mais mude em todos os âmbitos de sua vida - familiar, profissional e romântica.


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Camisetas literárias




Com a chegada de novembro, os enfeites de Natal começam a aparecer para todos os lados. Pois é, o ano já está acabando mais uma vez. Tudo isso me faz começar a planejar minha lista de presentes de Natal.

Para nós, leitores viciados, os livros são sempre a primeira opção de presente para outros leitores, sejam eles amigos ou da família. Mas as ideias de presentes para os amantes de livros podem ir além das livrarias e eu queria deixar minha sugestão (e propaganda pessoal) aqui.

Para quem não sabe, eu e minha amiga Carol temos uma loja online de camisetas, a Life Shirts. Entre as muitas opções de estampas (de bandas, seriados, filmes, etc.), temos uma coleção literária especial para gente como a gente.





Tem Sherlock Holmes, A culpa é das estrelas, Se eu ficar, Mário Quintana, entre outras.

Ah, e se você não encontrar nenhuma estampa com a qual queira presentear aquele amigo secreto de Natal amante da literatura, nós podemos fazer seu pedido personalizado. É só mandar uma mensagem para a gente (pelo Facebook ou pelo e-mail lifeshirts8@gmail.com) e nós criamos a estampa que você quiser.


OBS: Nós levamos algum tempinho para criar a estampa personalizada e como a loja é online, temos que considerar ainda o tempo de envio dos Correios após a compra do produto. Então, quem gostou da sugestão, fica a dica para se antecipar e não deixar o presente pra depois! J

Quem quiser conhecer mais sobre a Life Shirts pode encontrar a gente nos links abaixo:





sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Cecília Meireles recebe homenagem em Doodle do Google

Por Maju Raz

Comemorando o 113º da escritora Cecília Meireles, o Google lança hoje um novo “doodle”, uma brincadeira com o logotipo da empresa no site. Nele a autora aparece em uma ilustração escrevendo ao luar.

Cecília Meireles é carioca e nasceu em 1901. Foi criada pela avó materna e concluiu seus curso primário em 1910. Formou-se em 1917 e atuou como professora, pintora, jornalista e escritora. Divulgou e propagou a cultura brasileira para o exterior e morreu em 1964.

"Nasci aqui mesmo no Rio de Janeiro, três meses depois da morte de meu pai, e perdi minha mãe antes dos três anos. Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram muitos contratempos materiais, mas, ao mesmo tempo, me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a Morte que docemente aprendi essas relações entre o Efêmero e o Eterno”


Ela não pertence a nenhum movimento literário, mas algumas de suas publicações - “Espectros” e “Baladas para El-Rei” - despontam pequena ligação com o Simbolismo.

“O Simbolismo  é um movimento que aprofunda e radicaliza os ideais românticos, estendendo suas raízes à literatura, aos palcos teatrais, às artes plásticas. Ele nasceu na França, no final do século XIX, em contraposição ao Realismo e ao Naturalismo. No intenso contato com a cultura, a mentalidade, as artes e a religiosidade orientais, os artistas desta época mergulham nestes valores distintos do pensamento ocidental, mais racional, e espelham em suas criações esta outra visão de mundo.
Os simbolistas adotavam uma visão pessoal e individualista da realidade, sem se ater muito aos princípios estéticos então vigentes. Isto lhes valeu o pejorativo apelido de ‘decadentistas’.

Para os adeptos do Simbolismo, não basta sentir as emoções, mas é necessário levar em conta também a sua dimensão cognitiva. Esta é a real postura poética, segundo seus seguidores. Este movimento se reveste igualmente de um marcante subjetivismo, ou seja, de um teor individualista, em detrimento da visão geral dos fatos. A musicalidade é um de seus atributos que mais se destaca; assim, os simbolistas usam ferramentas como a aliteração e a assonância.” - Fonte

Sua poesia é bastante reflexista e repleta de musicalidade. O mais legal que gosto dela é a questão da fugacidade do tempo, amor x vida, o eu lírico presente e a densa sensibilidade feminina, tudo isso é resultado de uma profunda melancolia.  

Serenata

Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora,
e cantando pus-me a esperar-te.
Permita que agora emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silencio, e a dor é de origem divina.
Permita que eu volte o meu rosto para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho como as estrelas no seu rumo

Sua herança é eterna na literatura brasileira: Em 1964 a poetisa ganhou o Prêmio Jabuti, o mais importante prêmio literário do Brasil, cedido pela Câmara Brasileira do Livro. Também ganhou o Prêmio Machado de Assis - principal prêmio literário brasileiro, oferecido pela Academia Brasileira de Letras escritores brasileiros, pelo conjunto de sua obra, desde 1941.

Em 1989 a autora ganhou uma nota com seu rosto impresso:



Bibliografia:

Espectros
, 1919
Criança, meu amor, 1923
Nunca mais... e Poemas dos Poemas, 1923
Criança meu amor..., 1924
Baladas para El-Rei, 1925
O Espírito Vitorioso, 1929 (ensaio - Portugal)
Saudação à menina de Portugal, 1930
Batuque, Samba e Macumba, 1935 (ensaio - Portugal)
A Festa das Letras, 1937
Viagem, 1939
Vaga Música, 1942
Mar Absoluto, 1945
Rute e Alberto, 1945
Rui — Pequena História de uma Grande Vida, 1949 (biografia de Rui Barbosa para crianças)
Retrato Natural, 1949
Problemas de Literatura Infantil, 1950
Amor em Leonoreta, 1952
Doze Noturnos de Holanda & O Aeronauta, 1952
Romanceiro da Inconfidência, 1953
Batuque, 1953
Pequeno Oratório de Santa Clara, 1955
Pistóia, Cemitério Militar Brasileiro, 1955
Panorama Folclórico de Açores, 1955
Canções, 1956
Giroflê, Giroflá, 1956
Romance de Santa Cecília, 1957
A Bíblia na Literatura Brasileira, 1957
A Rosa, 1957
Obra Poética,1958
Metal Rosicler, 1960
Poemas Escritos na Índia, 1961
Poemas de Israel, 1963
Antologia Poética, 1963
Solombra, 1963
Ou Isto ou Aquilo, 1964
Escolha o Seu Sonho, 1964
Crônica Trovada da Cidade de Sam Sebastiam no Quarto Centenário da sua Fundação Pelo Capitam-Mor  Estácio de Saa, 1965
O Menino Atrasado, 1966
Poésie (versão para o francês de Gisele Slensinger Tydel), 1967
Antologia Poética, 1968
Poemas italianos, 1968
Poesias (Ou isto ou aquilo & inéditos), 1969
Flor de Poemas, 1972
Poesias completas, 1973
Elegias, 1974
Flores e Canções, 1979
Poesia Completa, 1994
Obra em Prosa - 6 Volumes - Rio de Janeiro, 1998
Canção da Tarde no Campo, 2001
Episódio humano, 2007

Teatro:
1947 - O jardim 
1947 - Ás de ouros
Observação: "O vestido de plumas"; "As sombras do Rio"; "Espelho da ilusão"; "A dama de Iguchi" (texto inspirado no teatro Nô, arte tipicamente japonesa), e "O jogo das sombras" constam como sendo da biografada, mas não são conhecidas.





quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Lançamentos de Novembro: Editora Novo Conceito

"Vermelho Como O Sangue", Salla Simukka (Trilogia Branca de Neve - Livro 01)



Sinopse: No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue. Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos. Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios. Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.


"Eve e Adam", Michael Grant e Katherine Applegate



Sinopse: Filha única da poderosa e fria geneticista Terra Spiker, Eve fica entre a vida e a morte depois de sofrer um acidente de carro. O processo de cura no misterioso laboratório Spiker transcorre com uma rapidez impressionante, o que desperta a curiosidade da menina. Antes que Eve estreite os laços com Solo, um rapaz que compartilha segredos com a corporação, a Dra. Spiker lhe propõe um desafio: Eve terá a chance de testar, em primeira mão, um software desenvolvido para manipular gens humanos. Ela poderá criar um namorado sob medida! Mas brincar de Deus tem consequências, e agora Eve vai descobrir até que ponto existe perfeição.


"Projeto Angel", James Patterson (Maximum Ride - Livro 01)



Sinopse: Maximum Ride tem 14 anos. Ela e os seus amigos seriam crianças normais se não tivessem o dom de voar. Para algumas pessoas esse poder seria um sonho, mas, no caso da turma de Max, a vida se transformou em um pesadelo sem fim desde que a perseguição dos Apagadores começou. Seja em cima das árvores do Central Park, em uma jornada escaldante no deserto da Califórnia ou nas entranhas do metrô de Nova York, Max e sua nova família lutam para compreender por que eles são diferentes de todos os outros seres humanos. A maior dúvida é: eles vão salvar a humanidade ou ajudar a destruí-la? Impossível ficar indiferente a Max! Sarcástica, corajosa e meio impaciente, ela é a líder mais poderosa e forte que você já conheceu. Ao mesmo tempo em que luta para se proteger e salvar a vida dos seus amigos, Max tenta entender por que tudo tem que ser tão difícil e diferente para eles. Se você gosta de ação rápida, dinâmica, daquelas de tirar o fôlego, com vilões que você ama odiar... Este é o seu livro! Uma aventura fantástica e imprevisível, que emociona e desperta a imaginação.


"As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender", Leslye Walton



Sinopse: Gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro. Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante.


"Apenas Um Dia", Gayle Forman (Trilogia Apenas Um Dia - Livro 01)



Sinopse: A vida de Allyson Healey é exatamente igual a sua mala de viagem: organizada, planejada, sistematizada. Então, no último dia do seu curso de extensão na Europa, depois de três semanas de dedicação integral, ela conhece Willem. De espírito livre, o ator sem destino certo é tudo o que Allyson não é. Willem a convida para adiar seus próximos compromissos e ir com ele para Paris. E Allyson aceita. Essa decisão inesperada a impulsiona para um dia de riscos, de romance, de liberdade, de intimidade: 24 horas que irão transformar a sua vida. Apenas um Dia fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro... Muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos.


"O Jeito Que Me Olha", Bella Andre (Os Sullivans - Livro 09)



Sinopse: Depois de construir uma sólida carreira como detetive particular - especializado em casos de infidelidade -, Rafe Sullivan perdeu a fé nas relações humanas. As únicas histórias de amor verdadeiro que conhece são a dos seus pais e as dos seus primos, que Vivem na Califórnia. Quando Rafe precisa sair de Seattle para descansar e esfriar a cabeça, sua irmã, Mia, sugere uma temporada na cidadezinha onde a família costumava passar as férias de verão. No cenário de sua infância, Rafe reencontra Brooke Jansen, que, de garotinha doce e inocente, transformou-se em uma mulher de beleza incomum. Nenhum dos dois consegue ignorar o clima de sedução, e é Brooke quem toma a iniciativa: ela propõe a Rafe um caso de verão, sem amarras nem cobranças. Rafe luta para convencê-la de que eles devem continuar sendo apenas amigos... embora ele mesmo não esteja 100% convencido disso.



quarta-feira, 5 de novembro de 2014

RESENHA: "Amy & Roger's Epic Detour", Morgan Matson

Por Francine Estevão

Título: Amy and Roger’s Epic Detour
Autora: Morgan Matson
Editora: Simon and Schuster
Lançamento: 2010
Páginas: 344


Sinopse: Amy Curry acha que sua vida é um saco. Sua mãe decide se mudar da Califórnia para Connecticut para começar de novo - apenas a tempo para o último ano de Amy na escola. Seu pai morreu recentemente em um acidente de carro. Então Amy embarca em uma viagem para escapar de tudo, dirigindo pelo país a partir de sua casa direto para sua nova vida. Quem se junta a Amy na viagem é Roger, o filho de uma velha amiga de sua mãe. Amy não o vê há anos, e ela está menos do que entusiasmada por estar dirigindo pelo país com um cara que ela mal conhece. Então ela é surpreendida ao descobrir que está desenvolvendo uma paixão por ele. Ao mesmo tempo, ela está descobrindo como lidar com a morte do pai e como colocar sua própria vida em ordem após o acidente. A história é contada entre narrativas tradicionais,  bem como em “restos” da estrada – como guardanapos de jantar, recibos de motel, cartões postais . Esta é a história da jornada de uma menina para se encontrar.


É impossível não se apaixonar por uma história de road-tour. Principalmente uma que traz tantos elementos reais como “Amy and Roge’s Epic Detour”. O livro traz inúmeros fragmentos de uma viagem que de fato aconteceu, como se estivéssemos acompanhando Amy e Roger na estrada, como se os personagens realmente tivessem passado por tudo aquilo. São playlists, descrições sobre as cidades, dos estados e de alguns estabelecimentos que visitaram, fotos, notas fiscais de compras feitas e de contas em restaurantes e em hotéis, e muitos outros detalhes que dão vida à história destes dois adolescentes. (A Rose, do blog TriBooks, que foi quem me emprestou o livro, disse que tudo isso são fragmentos da road-trip feita pela autora.)

Amy está prestes a deixar o lugar que sempre conheceu como sua casa, na Califórnia. A mudança tem a ver com a recente morte de seu pai, que ainda é um tema proibido perto de Amy e aos poucos vamos descobrir o motivo desse tabu. Sem conseguir dirigir por causa da morte do pai, em um acidente de carro, e sem estar muito preparada para a mudança, a mãe de Amy arruma um jeito de ela ir até Connecticut sem precisar pegar a direção.

Roger é filho de uma amiga da mãe de Amy e vai passar um tempo na casa do pai, fora da Califórnia. Ela não se lembra dele, mas quando crianças eles costumavam brincar todos juntos. Ainda assim, ela entra no carro com ele e aos poucos o silêncio constrangedor entre os dois, tomado apenas pelas playlists de Roger, vai dando espaço a algumas conversas truncadas até que ambos estejam à vontade um com o outro.

Mas isso não acontece de uma hora pra outra. A mãe de Amy tem tudo planejado para a viagem. Rotas e hotéis reservados. Mas nem Amy nem Roger estão prontos para chegarem aos seus destinos e é então que os dois decidem fazer um pequeno desvio dentro do planejamento. É assim que os dois vão se conhecendo e nós, leitores, vamos conhecendo as histórias de cada um deles enquanto eles mesmos vão se redescobrindo no caminho.


terça-feira, 4 de novembro de 2014

Lançamentos de Novembro: Editora Arqueiro

“Um lugar chamado liberdade”, Ken Follett



Sinopse: Escócia, 1766. Condenado à miséria e à escravidão nas brutais minas de carvão, Mack McAsh inveja os homens livres, mas nunca teve esperança de ser como eles. Até que um dia ele recebe a carta de um advogado londrino que lhe revela a ilegalidade da escravidão dos mineiros e um novo horizonte se abre aos seus olhos. Porém, para realizar seu sonho, Mack precisará enfrentar todo tipo de opressão das autoridades que não estão acostumadas a serem questionadas. Já na idealizada Londres, ele reencontra uma amiga de infância, Lizzie Hallim, agora casada com Jay Jamisson, membro da família que tanto o atormentara na Escócia. Lizzie não se conforma em viver submetida aos caprichos dos homens e constantemente escandaliza a sociedade com seu comportamento e suas ideias não convencionais. Quando Mack é acusado injustamente de um crime, ela quebra protocolos e sai em sua defesa, mas o amigo é deportado para a América. Mack logo descobre que se trata de uma mera mudança de continente, não de ares sociais, pois a colônia também vive momentos de tensão: se na Inglaterra os trabalhadores não desejam mais ser explorados pela elite, ali os colonos preparam o caminho que os levará à independência do jugo inglês. Nesta saga repleta de suspense e paixão, Ken Follett delineia uma época de revoltas contra a injustiça com uma escrita enérgica e sedutora.


“Felizes para sempre”, Nora Roberts (último livro da série Quarteto de Noivas)



Sinopse: Parker Brown tem praticamente tudo o que uma mulher sonha: uma casa maravilhosa, três grandes amigas em quem pode confiar de olhos fechados, uma carreira bem-sucedida, cintura fina e pernas torneadas, além de um closet do tamanho de um apartamento, onde todas as blusas são meticulosamente organizadas por tom e cada sapato tem seu nicho. Parker mantém uma planilha em que controla o lugar exato de todas as peças no seu guarda-roupa. E essa sua mania de organização se reflete na vida pessoal e no trabalho. A moça conhece os gostos de suas amigas melhor do que elas mesmas e cuida sozinha de toda a administração da Votos – a melhor empresa de casamentos do estado. Então o que essa mulher que sempre quer tudo devidamente previsto e ordenado viu no mecânico que presta serviços para sua empresa? Parker e Malcolm não podiam ser mais diferentes: ela com seus sapatos italianos e ele com botas de motoqueiro surradas; ela tomando champanhe e ele, cerveja; ela tocando piano e ele ouvindo rock no último volume. Mas será que eles não têm afinidade em tudo o que realmente importa? Os dois dão valor à família e aos amigos e fazem o que tem que ser feito (doa a quem doer), são generosos e compreensivos e, acima de tudo, sentem falta de um grande amor para completar suas vidas. Juntos, talvez eles descubram que chegou a hora de serem felizes para sempre. 


“O primeiro telefonema do céu”, Mitch Albom



Sinopse: E se o fim não for o fim? Numa sexta-feira comum, o telefone de Tess Rafferty toca. É sua mãe, Ruth, que morreu quatro anos antes. Em seguida, Jack Sellers e Katherine Yellin recebem ligações semelhantes, do filho e da irmã, também já falecidos. Nas semanas seguintes, outros habitantes de Coldwater afirmam que estão em contato direto com o além, e que seus interlocutores lhes pediram para espalhar a boa-nova ao maior número possível de pessoas. A mensagem é simples: o céu existe, e é um lugar onde todos são iguais. Em pouco tempo, correspondentes de diversos meios de comunicação aportam na cidade para transmitir os desdobramentos do fenômeno que pode ser o maior milagre da atualidade. Visitantes do país inteiro começam a surgir, as vendas de telefone disparam e as igrejas se enchem de fiéis. Apenas uma pessoa desconfia da história: Sully Harding, ex-piloto das Forças Armadas. Após quase morrer num desastre aéreo, perder a mulher e cumprir pena por um crime que não cometeu, ele não acredita num mundo melhor, muito menos após a morte. E quando seu filho pequeno começa a esperar uma ligação da mãe morta, ele decide provar que estão todos sendo enganados. O primeiro telefonema do céu é uma história de mistério e, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre o poder da conexão humana. Em uma narrativa que vai tocar sua alma, Mitch Albom prova mais uma vez por que é um dos autores mais queridos da atualidade. 


“Corra, Alex Cross”, James Patterson (livro 20 da série =O)



Sinopse: Um cruel assassinato na escuridão. Dentro de um estacionamento em Georgetown, uma mulher é esfaqueada e trancada no porta-malas do próprio carro. Como assinatura, o criminoso corta os cabelos louros da vítima e os deixa espalhados pelo corpo. Designado para o caso, o detetive Alex Cross nem imagina que esse é apenas o primeiro de uma série de pesadelos. Uma mulher é morta e um bebê desaparece. No mesmo dia, Alex Cross é chamado para uma segunda cena de crime: uma jovem enforcada do lado de fora do sexto andar de um edifício. Assim que a legista responsável descarta a possibilidade de suicídio e informa que a vítima deu à luz recentemente, Cross descobre que não está lidando apenas com um homicídio, mas também com um caso de sequestro. Alex Cross precisa deter três assassinos. Três dias depois, o corpo de um rapaz é descoberto em uma doca, baleado e com meia dúzia de perfurações ao redor da área genital. Quando os rumores de três assassinos em série se alastram pela cidade de Washington e novas vítimas são encontradas a cada dia, a pressão recai nos ombros de Cross. Uma pressão tão forte que pode afetar sua concentração a ponto de ele não conseguir evitar um perigo mortal que se aproxima de sua família.


“Um passo em falso”, Harlan Coben (livro 5 da série Myron Bolitar)



Sinopse: “Myron Bolitar é um dos heróis mais cativantes dos romances policiais. Ainda jovem, Myron Bolitar contou com a ajuda do treinador Horace Slaughter para começar a jogar basquete. O relacionamento dos dois era como o de pai e filho, mas com o tempo eles perderam contato e Myron abandonou o esporte. Dez anos depois de ver Horace pela última vez, Myron conhece Brenda, filha do antigo amigo e uma bela estrela do basquete. Trabalhando como agente de atletas, ele poderá fechar um contrato valioso com a jogadora se descobrir o paradeiro de Horace, que sumiu repentinamente após agredi-la. Desde então, Brenda começou a receber ameaças por telefone e a ser seguida. Myron não acredita na culpa do amigo e resiste a ser guarda-costas da moça, mas acaba cedendo. Determinada a não fazer papel de donzela indefesa, Brenda provoca uma atração irresistível em Myron, que vive um relacionamento amoroso debilitado. Porém, existe entre eles um abismo de corrupção e mentiras, além de segredos pelos quais muitos arriscariam a vida. Mesmo contra o bom senso, Myron segue investigando o caso. Disposto a conquistar o coração de Brenda, ele está ciente de que um passo em falso pode acabar matando os dois.


“A Escolhida", Lois Lowry (livro 2 da série "Quarteto O Doador")



Sinopse: Kira sempre foi rejeitada em seu vilarejo. Nascida com uma perna torta, ela deveria ser levada para o Campo da Partida, onde todas as pessoas que tinham algum tipo de deficiência eram deixadas para morrer. Porém, sua mãe, Katrina, conseguiu salvá-la com a promessa de que a menina não seria um fardo para a comunidade. Anos depois, Kira mostra-se uma ajudante eficiente no galpão de tecelagem, conta histórias para as crianças pequenas e faz lindos bordados. Tudo parece se encaminhar bem, até que Katrina morre de uma doença súbita e, para que outras pessoas não sejam contaminadas, o casebre das duas é queimado. Contudo, o destino reserva uma surpresa para a garota. Kira recebe a responsabilidade de continuar o trabalho da mãe, consertando os bordados de uma túnica que há séculos passa de geração em geração. Abrigada no centenário Edifício do Conselho, ela faz amizade com Thomas, o entalhador responsável por restaurar o cajado usado na Congregação, a maior cerimônia do vilarejo. Os dois vivem juntos em um mundo de conforto e companheirismo, mas que não demora a ser abalado. Eles começam a suspeitar que a grandiosidade de suas tarefas é apenas o disfarce para algo nefasto e, diante da realidade, não poderão ficar impassíveis. Em uma incrível análise de uma sociedade do futuro, Lois Lowry leva o leitor a mais uma jornada de reflexão sobre memória, criatividade e valores que aprendemos a aceitar como naturais.