sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Editora revela capa de "No Mundo da Luna", de Carina Rissi

Depois dos sucessos de "Perdida", "Encontrada" e "Procura-se um marido", em março de 2015, a nossa querida autora Carina Rissi lançará mais um livro pela Verus Editora **todos comemoram**. Dessa vez, iremos entrar "No mundo da Luna", que teve sua capa revelada hoje, pela editora. 


E aí, o que acharam? Nós amamos e estamos ansiosas pelo lançamento. 
Em breve, serão divulgados o primeiro capítulo e os links de pré-venda do livro, além, claro, das datas da turnê para o lançamento do livro!

Sinopse (retirada do Skoob): A vida de Luna está de cabeça para baixo. O namorado está de caso com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina mecânica que com ela e seu emprego é uma droga. Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas financeiros e o quadro de funcionários acaba sendo reduzido. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai no colo de Luna. Embora não acredite em misticismo, forças ocultas, magia, e não tenha a menor ideia de como criar um mapa astral, ansiosa em dar o primeiro passo para se tornar a jornalista que sempre sonhou, ela aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser? Luna não desconfia das confusões que o futuro lhe reserva. Dentre elas, uma arrebatadora e irresistível paixão que mudará sua vida para sempre. A história de amor perfeita Se não fosse com o homem errado.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

RESENHA "Twittando o amor", Teresa Medeiros

Título: Twittando o amor
Autora: Teresa Medeiros
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2014
Páginas: 202


Sinopse: O Twitter é uma festa que nunca termina onde todo mundo fala ao mesmo tempo e ninguém diz nada... Abigail Donovan é uma escritora de sucesso. Ela quase ganhou o prêmio Pulitzer e até foi elogiada no programa da Oprah. Então, por que ela passa os dias e noites escondida no chiquérrimo condomínio onde mora, na companhia de seus dois gatos, sem conseguir escrever? Quando o seu editor a obriga a entrar no mundo das redes sociais para expandir seus horizontes, Abby imagina que vai ser obrigada a conversar com adolescentes que teclam escondido do porão de casa. Mas ela acaba conhecendo Mark Baynard, um professor britânico sexy, bem-humorado e inteligente que está viajando pelo mundo em busca de aventura. Abby tenta resistir ao seu charme, enquanto Mark começa a quebrar a resistência dela aos pouquinhos... Inclusive a resistência a se comunicar por meio de mensagens curtas. Agora que Abby voltou a escrever e a viver , ela descobre que Mark guarda um segredo que poderá mudar para sempre a vida dos dois.

 Vou falar hoje do mais recente livro que eu ganhei em um sorteio. Twittando o amor veio parar nas minhas mãos no último sábado, em que foi realizado o Clube do Livro Ribeirão. O que basicamente significa que foi uma total surpresa pra mim. Não conhecia o livro e, embora sua narrativa quase que inteiramente escrita por meio de tweets parecesse interessante, a capa e o título me deixavam meio receosa.
  Ele flui me maneira bem rápida (a maioria da obra é composta de diálogos no Twitter, ou seja, 140 caracteres ou menos) é engraçado e tem umas tiradas ótimas. Ele também é recheado (muito mesmo) de referências aos mais variados assuntos. Temos literatura inglesa clássica, seriados de TV de Lost a Golden Girls, sendo o último uma série de comédia que terminou em 1992 e que eu só conheço devido a um material de curso de inglês nem tão atual assim.


 A história acompanha Abby, uma autora com um sério bloqueio criativo, e quase sofrendo de lutando para seguir sua vida depois de ter feito grande sucesso com seu primeiro livro, que havia sido indicado pela Oprah e quase ganhou o prêmio Pulitzer. Mas aí tudo muda quando ela começa a usar o Twitter (ou pelo menos tenta usá-lo). Como Abby se encaixa na lista daqueles que não possuem um iPhone nem um smartphone, e não sabem nem porque precisariam de um, ela tampouco está familiarizada a hashtags, DM, ou qualquer coisa envolvendo a rede social. E acaba contando com a ajuda de um estranho para  ajudá-la a entrar nesse universo.

 Confesso que no início achei bem Abby bem tediosa, ela praticamente nem sai de casa (a não sei para conseguir sua dose de Starbucks diária), não consegue passar do capítulo 5 de seu novo livro, só tem uma única amiga, e está tão travada em sua própria vida que só conseguia sentir pena e tédio. Quando Mark Baynard (o tal que vai ajudá-la) aparece pelo menos uma dose de humor é acrescentada. As mensagens que eles trocam são divertidas e daí saem tiradas ótimas, o que dá um novo ar à obra. Fiquei impressionada com a conversa que eles mantinham, tão cheia de referências e pegadinhas que ficou claro desde o início para mim que eles tinham tudo a ver um com o outro. Só que eu assisti tudo isso à distância, pois não entendia um terço do que eles diziam.

 Eu sei que com a tradução, quando há situações em que uma determinada frase ou expressão tem sentido apenas em um determinado país ou cultura, existem duas soluções: ou coloca-se uma nota de rodapé explicando o caso ou se adapta a frase em questão para algo que seja facilmente compreendido dentro do novo contexto. Quando se trata de referências à séries de TV, filmes e músicas o jeito seria ir com a nota de rodapé. Só que o livro inteiro tem apenas três delas. E eu não sei vocês, mas eu não tenho o costume de ler um livro com o computador ligado e o Google me esperando para descobrir quem são Gilligan, Skipper ou Thrurston Howell III*. 

 Entendo que também não daria para para lotar um livro com notas de rodapé pois elas dão um triste ar de livro didático e quebram o ritmo de leitura, que neste caso seria lamentável pois tiraria a rapidez e a fluidez proporcionadas pela forma de narração em forma de tweets. Mas não dava mesmo para achar um meio termo? Fazer um leitor se sentir perdido não é a melhor forma de conquistá-lo. E esse incomôdo apenas deu mais destaque as outras coisas que tinham me irritado: a capa e o título.




Capas americanas, que sinceramente me pareceram bem mais bonitas e apelativas.
 Primeiramente a capa me desagradou devido a sua aparência meio...caricata. Realmente acho que não precisava dos pássaros azuis se apaixonando, das nuvenzinhas ao fundo e do título na mesma fonte da rede social. Até a lombada me pareceu exagerada. Poxa, a menção ao twitter não podia estar presente de forma mais discreta? Um pouco mais elegante quem sabe. Sim, o livro é leve e divertido, graças principalmente ao meio de comunicação que a autora escolhe para contar a sua história, mas não é tudo sobre o twitter. O que eu mais encanta na obra é o enredo, então porque não ressaltar o conteúdo em vez da plataforma utilizada? 

 Mas o que mais prejudica a impressão inicial do livro é o título. Quando percebi que o nome original "Goodnight Tweetheart" havia sido substituído por algo tão genérico quanto "Twittando o amor" fiquei decepcionada. Especialmente porque "Boa noite tweetheart" é a maneira que Mark se despede de Abby toda vez que eles conversam, sendo algo fofo e marcante. Custava mantê-lo? Boa noite Tweetheart me parece uma opção viável e certamente mais encantadora.


 Somando todos esses problemas é claro que não deu para simplesmente ignorar uma erro gramatical aqui uma desatenção na tradução ali. Se numa página os personagens combinam de se encontrar às 3 da manhã, não é possível que na outra o horário apareça como 15h00. Principalmente quando algumas frases extrapolam o limite de 140 caracteres. Sim, eu testei. Essa foi a gota d'agua, um romance não pode rolar via Twitter se a regra principal do mesmo é quebrada, frases longas demais nessa plataforma não existem. Ou pelo menos, não devia existir. Resumindo? #traduçãoFAIL.

Ao final de contas, eu só consegui curtir mesmo o livro depois do segredo de Mark ter sido revelado, sim ele pode ser considerado clichê (existe uma quantidade limitadas de segredos capazes de mudar vidas), no entanto, foi o primeiro momento em que consegui superar os problemas de tradução e me senti próxima dos personagens. Torci por eles. Uma pena, tivesse havido um cuidado maior ao traduzi-lo o livro não teria tantas contra-indicações.

Concluindo, se você for um maníaco por televisão americana, ou um americano que assiste muita TV, este é o seu livro. Umas duas ou três referências que eu peguei realmente me fizeram rir muito e exclamar em voz alta "Genial". Imagino o impressionante que seria se alguém entendesse todas elas. Porém se você se irritar tanto com erros em uma obra quanto eu, bem...melhor ler outro livro.



* personagens de A Ilha dos Birutas (Gilligan's Island), transmitida entre 1964 a 1967. Série reconhecida em seu país como um ícone da cultura popular americana.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

RESENHA DUPLA: "Eu me chamo Antônio" e "Segundo - Eu me chamo Antônio", de Pedro Gabriel

Por Francine Estevão



Títulos: "Eu me chamo Antônio" e "Segundo Eu me chamo Antônio"
Autor: Pedro Gabriel
Editora: Intrínseca
Lançamentos: 2013 e 2014
Páginas: 192
Skoob: Livro 1 | Livro 2 


Dia 11/12, Pedro Gabriel esteve na Livraria da Travessa de Ribeirão Preto lançando "Segundo Eu me chamo Antônio". Em mais de 3h30 de evento (a fila saia da livraria e não importava o quanto andasse, parecia que nunca acabava), ele tirou fotos, autografou cada um de seus dois livros, bateu papos breves com cada leitor presente sem deixar de dar atenção à ninguém, brincou, distribuiu sorrisos, beijos e simpatia, provando que não é à toa que "Eu me chamo Antônio" conquistou milhares de leitores e corações em todos os cantos do país.


Eu já havia falado um pouco do primeiro livro aqui. Mas depois de terminar de ler o segundo e de conhecer o autor, fiquei com vontade de falar um pouquinho mais sobre estes trabalhos apaixonantes de Pedro Gabriel. 


Gosto de pensar que Pedro Gabriel, assim como Clarice Freire, revolucionaram o que chamamos de poesia. Aquela coisa séria, cheia de métrica e de regras que aprendemos na escola deram espaço para uma liberdade não apenas textual, mas também visual, ampliando assim o público deste estilo literário e conquistando desde crianças até a última geração possível com trabalhos delicados que mesclam imagem e poesia gerando identificação em cada um que se dispõe a conhecer seus trabalhos. 


No primeiro livro, "Eu me chamo Antônio", acompanhamos mais de 170 páginas de guardanapos recheados dessa poesia rabiscada de Pedro Gabriel. Já em "Segundo Eu me chamo Antônio", as páginas ganham, além dos guardanapos, poemas mais extensos e mais elaborados, com desenhos do autor. E novamente um sumário com a "legenda" de cada página para quem diz que não consegue ler direito alguns dos guardanapos - embora eu tenha achado que no segundo livro, os "rabiscos" do autor estão bem mais legíveis do que no primeiro. Além de um trabalho primoroso realizado pela Editora Intrínseca no projeto gráfico de ambos. 


Para quem ainda não tem os livros do Pedro Gabriel e quiser conhecer melhor o trabalho dele antes de comprá-los, fiquem à vontade para se apaixonar pelos guardanapos no Facebook e no Instagram do autor. 

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

SORTEIO ESPECIAL DE NATAL NA SOCIEDADE DO LIVRO

Neste Natal, nós planejamos um sorteio especial de fim de ano. E o prêmio será 01 exemplar de "Outlander - A viajante do tempo", da autora Diana Gabaldon, lançado neste ano pela Editora Arqueiro.



Para participar, vocês já sabem, né! É só ir preenchendo os requisitos no formulário abaixo e cruzar os dedos.

E como o Natal já está batendo à porta, vamos dar uma colher de chá para vocês. O sorteio vai se estender até a meia-noite do dia 10 de janeiro.

Boa sorte a todos e boas festas! 



a Rafflecopter giveaway


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

RESENHA: "Proposta Inconveniente", Patricia Cabot

Por Francine Estevão

Título: Proposta Inconveniente
Título Original: An Improper Proposal
Autora: Patricia Cabot
Editora: Record
Páginas: 350
Lançamento: 2014

Sinopse: Apaixonada pelo capitão Connor Drake, Payton sonha em ser capitã de seu próprio navio. Ela cresceu desejando essa profissão exclusivamente masculina, mas agora deve abdicar disso tudon para conseguir um bom marido. O problema é que Connor só percebe seus sentimentos por Payton na véspera de seu casamento com outra. Quando o barco dos noivos parte rumo às Bahamas, ele é atacado e resta a Payton se infiltrar num navio pirata para salvar a vida do seu amado. A coragem une os dois, e o resgate pode gerar mais frutos do que ela imaginou.


“Proposta Inconveniente” é mais um romance histórico da nossa querida Meg Cabot sob o pseudônimo de Patricia Cabot. Com personagens únicos e apaixonantes, ela cria um enredo bastante diferente de todos os outros livros dela que já li, seja como Meg ou como Patricia.

Dessa vez, somos convidados a embarcar num romance à lá Jack Sparrow, com direito a piratas, tiros de canhões, navios afundando, prisão e ilha deserta.

Prestes a completar 19 anos, Payton – a única mulher da família composta por 3 irmãos e pelo pai, donos de uma empresa de navegação – é uma mulher atípica para a sociedade da época. Afinal, no início do século XIX não era típico de uma dama usar calça e camisa, ter cabelo curto e navegar pelo mundo ao lado de homens, sem a companhia de nenhuma mulher, muito menos falar palavrões, que dirá se manifestar publicamente contra o casamento do homem que ama secretamente.

Na véspera do casamento do melhor amigo de seus irmãos, seu amor secreto, o perfeito Capitão Connor Drake, Payton, influenciada pela cunhada, surge com um vestido decotado e acaba chamando atenção de todos os homens ao redor, inclusive do noivo que não se conforma por ter passado tanto tempo ao lado de Payton no mar e nunca ter reparado no quão feminina ela era – e no quanto ela mexe com a cabeça dele.

Após a manifestação da moça contra a união, Drake embarca no Constant, o navio que irá comandar a partir de agora, a fim de se casar longe de Londres. No entanto, seus inimigos no mar não permitirão que as coisas aconteçam como o planejado e armam uma cilada para Drake que acaba sendo aprisionado no navio inimigo, correndo risco de morrer.


O que ele não espera é que Payton, contra todas as probabilidades, será sua única e improvável chance de sair vivo dessa emboscada, garantindo aos leitores uma aventura engraçada e cheia de momentos românticos típicos de Patricia Cabot.


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

EVENTOS: Pedro Gabriel, Edney Silvestre e Caio Novaes em Ribeirão Preto

Nesta semana, a Livraria da Travessa receberá três autores para sessões de autógrafos em Ribeirão Preto. 

Começando no dia 11/12, quinta-feira, às 19h30, Pedro Gabriel lançará "Segundo Eu Me Chamo Antônio". 



Edney Silvestre autografará "Boa noite a todos" no dia 13/12, sábado, às 18h.



E no domingo, Caio Novaes de "As famosas receitas de Ana Maria Brogui" encerra a programação da semana às 15h30.



As sessões de autógrafos são gratuitas e a Livraria da Travessa fica no Ribeirão Shopping ( Avenida Coronel Fernando Ferreira Leite, 1540 - Jardim Califórnia. Telefone (16) 3623-6828).


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

RESENHA: "O melhor de mim" de Nicholas Sparks

Por Maju Raz
 
Título: O Melhor de Mim
Título Original: The Best Of Me
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 272

Sinopse: Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre. Num romance envolvente, Nicholas Sparks mostra toda a sua habilidade de contador de histórias e reafirma que o amor é a força mais poderosa do Universo - e que, quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las.

“Se aprendi algo nessa vida é que, quando as pessoas sofrem, nem sempre conseguem ver as coisas com a clareza que deviam.”

Amanda Collier, uma linda garota adolescente de família tradicional e rica, se apaixona por Dawson Cole, um garoto de uma família repleta de drogados e criminosos. Infelizmente, a sua relação está desaprovada pois todos seus familiares censuram o romance do jovem casal. Mas o amor desses dois era tão intenso e lindo que nenhum deles poderia esquecer um do outro. Vinte e quatro anos mais tarde, após a morte de seu amigo em comum, o senhor Tuck, o destino “os une” novamente...



“O amor é a força mais poderosa do Universo, e quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las.”

A história é contada a partir de diferentes pontos de vista. Este é um dispositivo eficaz  para deixar o leitor  intimamente familiarizado com todas as personagens. Muita gente vai dizer que esta é mais uma história clichê de Nicholas, mas eu acho que ele está sempre se superando.

O livro está bem escrito, a capa da segunda edição da Editora Arqueiro está perfeitíssima e é a capa do filme que está com uma fotografia de encher os olhos e os  atores estão muito bem em seus papéis. O roteiro foi muito bem ancorado e conseguimos ver o passado e presente e perceber onde tudo se encaixa como no livro. A trilha sonora é muito fofa! Tenho uma música que vou deixar aqui pra vocês curtirem comigo:



O filme estreou dia 30 de outubro e lá estava eu no cinema. Não estava preparada psicologicamente para esse filme – acho que nunca estarei para nenhum filme de Nicholas Sparks. Dei risadas, mas sofri muito com algumas partes e chorei em muitos momentos. Nem preciso falar que recomendo uma passadinha no cinema após ler o livro né? Ou leiam o livro após verem o filme? Não sei...achei os dois bastante parecidos e muito profundos e reveladores. Uma história que aborda sentimentos fortíssimos que não podem ser abalados por nada - riqueza, pobreza, beleza. Uma história sobre segundas chances que a vida sempre insiste em nos dar, mas a gente sempre insiste em fazer merda caquinha e desperdiçar. É maravilhoso! Amei!

"Eu lhe dei o melhor de mim..."

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Promoção 3 anos de Magia Literária!




Dezembro é mês do aniversário de três anos do blog da nossa parceira Mariana Mortani do Magia Literária! Estamos participando com ela e proporcionando a vocês MUUUUITOS LIVROS! =D
Ah, mas não vai ter sorteio de Natal? Vai sim, também! Fiquem ligados!

Nesse sorteio teremos 8 livros e 2 ganhadores: o primeiro sorteado escolherá os quatro livros que deseja e o segundo sorteado ficará com os outros livros que restarem.

 Para participar basta:
> Seguir o Magia Literária pelo Google +
> Siga o Books and Much More pelo Google Friend Connect
> Seguir o Sociedade do Livro através do Google Friend Connect
> Siga o I Love My Books pelo Google Friend Connect
> Seguir o Ler Para Divertir pelo Google Friens Connect
> Curta a Fanpage do Apenas Um Vício
> Curtir a Fanpage do Viajante Literário 
> Seguir o Fantasiando Com os Livros pelo Google Friend Connect
> Seguir o Cia do Leitor pelo Google Friend Connect
> Preencher o formulário abaixo corretamente

Acesse aqui o blog Magia Literária e participe de outras diversas promos que também estão rolando nas redes sociais. São mais de 40 livros!

Boa sorte a todos!

INFORMAÇÕES:

> A promoção se inicia hoje, 04 de dezembro de 2014, e termina no dia 27 de Janeiro de 2015;
> O resultado será postado aqui no Magia Literária e aqui também no dia 29 de Janeiro.
> Os prêmios podem chegar em dias diferentes pois cada blog enviará seu livro, além das Editoras;
> O prazo de envio dos prêmios é de 60 dias;
> Nenhum dos blogs se responsabiliza pelo extravio de prêmios;
> Se você não receber algum dos prêmios em até 2 meses, entre em contato;
> O ganhador tem 48h para entrar em contato com seus dados através da aba "Contato" do blog Magia Literária;
> As regras obrigatórias são as que farão você participar oficialmente do sorteio e as chances extras te dará vantagens.


quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

RESENHA: "Simplesmente Acontece", Cecelia Ahern

Por Francine Estevão

Título: Simplesmente Acontece
Título Original: Where rainbows end
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Lançamento: 2014

Sinopse: O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas? Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.


Eu sempre adorei os livros da Cecelia Ahern (e é por isso que eu simplesmente finjo que “O livro do amanhã” não foi escrito por ela – PÉSSIMO!). Entre os meus favoritos estão “Se você me visse agora” e “Opresente”.  E com “Simplesmente Acontece” ela acertou mais uma vez com uma história apaixonante sobre amor e amizade, contada num dos formatos narrativos que eu mais gosto: cartas, bilhetes, e-mails e conversas de bate-papo.

Rosie e Alex se conheceram ainda crianças, na escola, e a amizade deles supera tudo, inclusive a distância e o tempo. Aos 18, ele se muda de Dublin para Boston e ela engravida de um dos caras da escola que os dois não gostavam. Enquanto ela precisa deixar de lado muitos dos seus sonhos – entre eles estudar e trabalhar em um hotel – para cuidar de uma criança sem ainda nem mesmo ter deixado ela mesma de ser uma, ele se forma em medicina e continua vivendo sua vida maravilhosamente bem.

Ao longo do tempo, acompanhamos a história, conquistas e derrotas, amores e desventuras amorosas de cada um deles enquanto seguem suas vidas dando todo apoio do mundo um para o outro, mesmo que de longe. E acompanhamos também alguns outros personagens que têm papeis importantes na história, como os pais de Rosie, sua filha, seus irmãos e pessoas ligadas à vida de Alex.

Rosie é aquela personagem que está sempre esperando pelo pote de ouro no fim do arco-íris mesmo que não faça nada para conseguir chegar até lá. E o livro tem um pouquinho dessa lição de moral. Ou você vai e faz alguma coisa para conquistar o que deseja, ou fica esperando e pensando no que poderia ter sido até que se realize ou não.

Eu simplesmente amei toda a história e me identifiquei muito com a Rosie (claro, exceto pela parte de ter uma filha na adolescência). Mas a personalidade dela, o jeito de levar a vida e tudo mais fizeram com que eu pensasse um pouco mais no meu jeito de levar a vida.


Agora, antes de concluir, deem um minuto para minha indignação falar. POR QUÊ MUDARAM O NOME DO LIVRO? Ele já havia sido publicado no Brasil como “Onde terminam os arco-íris” há muuuito tempo, traduzido do original, o que tem tudo a ver com a história. O filme vai chamar “Love, Rosie” (estreia prevista para 08 de janeiro no Brasil), o que também faz algum sentido, embora não seja meu favorito. Mas “Simplesmente Acontece” é o pior título que poderiam ter colocado. Não combina. Ponto.

Mesmo assim, leiam o livro! Ele é lindo e vocês vão se apaixonar.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Na Estante da Sociedade: Novembro

Novembro foi um mês cheio de lançamentos lindos que entraram para a estante da Sociedade.

Da editora Novo Conceito, teve "Apenas Um Dia", da Gayle Forman; "Projeto Angel", do James Patterson e "Vermelho como o sangue", da Salla Simukka.





"O Grande Ivan", da Katherine Applegate, veio com um marcador lindo que é a cara do livro.



Teve ainda "Minta que me ama", da Maria Duffy...



...E "Uma chance para recomeçar", Lisa Kleypas.





Por fim, da querida amiga e parceira do Sociedade do Livro, Maju Raz, ganhei "Se só me restasse uma hora de vida", de Roger-Pol Droit, da editora Bertrand Brasil, que além de ser um texto incrível tem essa capa maravilhosa. 


E ai, quais foram as compras e presentes de vocês esse mês? :)

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Lançamentos de Dezembro: Editora Novo Conceito


Dezembro chegou e com ele mais lançamentos para nossa alegria! Normalmente a NC não faz lançamentos em dezembro, mas neste ano inovou, como sempre, e saímos ganhando.

Temos dois títulos novos pelo selo Novo Conceito e um título pelo selo #irado que vem fazendo bastante sucesso com a moçada. Confiram:


Uma Chance Para Recomeçar – Lisa Kleypas

Victoria morreu em um trágico acidente, deixando sua filha Holly sob a responsabilidade do seu irmão, o solteiro convicto Mark. O tio Mark não se sentia muito preparado para cuidar da menina, mas assumiu o compromisso de devolver o sorriso aos seus lábios. No entanto, ele descon fia de que não esteja fazendo um bom trabalho, uma vez que Holly nunca mais falou desde que ficou órfã. Uma cartinha para o Papai Noel revela um desejo que pode ser a chave da felicidade de Holly: ela só quer ter uma mãe.
Maggie perdeu o marido em uma batalha contra o câncer e não quer jamais – passar por tudo isso de novo. Por isso, ela fechou seu coração e prometeu a si mesma dedicar-se somente a sua nova loja de brinquedos em Friday Harbor, que permite às crianças viajar um pouco nas asas da imaginação. A amizade entre Maggie e Holly (que até passou a acreditar em fadas!) ao mesmo tempo comove e preocupa o tio Mark. Ele tem certeza de que a nova amiga fará bem a sua sobrinha, mas precisa decidir se a deixará entrar em sua própria vida…
Nós também torcemos, do fundo do coração, para que Holly tenha uma linda noite de Natal.


Minta Que me Ama – Maria Duffy

O inverno é a estação mais aconchegante do ano, mas Jenny Breslin não se sente nada confortável. Tudo na sua vida a total ausência de romance, o emprego chatíssimo no banco foi tocado pela mágica das festas de fim de ano. A simples ideia de passar por mais um Natal com a sua mãe extravagante e Harry, o novo namorado dela, a enche de pavor. Mas isso é na vida real…
No Twitter, as coisas não poderiam estar mais interessantes. Nele, Jenny tem uma carreira em ascensão, uma vida amorosa sensacional e uma agenda superconcorrida. Então, em uma noite de bebedeira, Jenny está tuitando com suas amigas Zahra, Fiona e Kerry. E de repente ela as convida para passar alguns dias em sua casa em Dublin. À medida que a sua vida virtual entra em rota de colisão com a sua verdadeira rotina, Jenny não sabe para onde correr. Tudo parece contribuir para mostrar que a existência das suas companheiras de Twitter é um milhão de vezes mais interessante do que a sua. O fim de semana chega, e segredos são compartilhados. Jenny começa a perceber que, enquanto ela sonhava, as coisas acontecem bem depressa.
Será que é muito tarde para que ela volte a assumir o controle da sua própria e verdadeira vida?


O Grande Ivan – Katherine Applegate

Meu nome é Ivan.
Eu sou um gorila.
Não é tão fácil quanto parece…
Ivan mora dentro de um shopping e nunca tinha pensado em voltar para a natureza até o dia em que a pequena Ruby, um filhote de elefante, foi comprada pelo dono do circo.
Baseado em fatos reais, O GRANDE IVAN é uma história deliciosa, cheia de humor, ao mesmo tempo doce e inteligente, sobre os direitos dos animais e sobre a força da amizade.
Não importa quantos anos você tem… Você deveria ler este livro hoje, agora mesmo. Aliás, o que você está esperando para começar?


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

RESENHA: "About a boy", Nick Hornby

Por Francine Estevão

Título: About a boy
Autor: Nick Hornby
Editora: Penguin Books
Lançamento: 1998
Páginas: 278

Sinopse: Will tem 36 anos, mas age como um adolescente. Ele lê as revistas certas, vai aos lugares certos e sabe quais os tênis certos para se calçar. Ele também descobriu um jeito incrível de ganhar pontos com as mulheres – em um grupo de pais solteiros, cheio de mães disponíveis, todas esperando pelo “Senhor Incrível”. É assim que ele conhece Marcus, o mais velho jovem de 12 anos no mundo. Marcus é um pouco estranho: ouve Mozart, cuida da mãe e nunca teve um par de tênis. Talvez, se Will conseguir ensinar a Marcus como ser um menino, Marcus pode ensinar Will a “crescer”.


Minha paixão por “Um grande garoto” é inexplicável. Adoro os personagens, a relação que surge entre eles e a mudança que essa relação provoca em cada um. Sempre que vejo o filme passando na TV, faço qualquer esforço necessário pra assistir (ok, agora comprei o DVD posso ver quando quiser). E embora já o tenha assistido ao menos uma dezena de vezes, nunca havia reparado, até a última vez, que ele era baseado em um livro e ainda por cima escrito por Nick Hornby. Em parte, estava explicado o porquê da história ser tão incrível. Desde que li “Alta Fidelidade”, adorei a escrita dele e estava ansiosa por ler outro livro do mesmo autor.

O filme é bastante fiel ao livro, no entanto, além daqueles detalhes que todo livro tem a mais do que sua adaptação, o final de “About a Boy” é a principal mudança. Gostei muito da versão escrita – tanto é que o livro se tornou um dos meus favoritos do ano, mas ver o Hugh Grant cantando e tocando “Killing me Softly With His Song” é uma das minhas cenas favoritas do filme – e que não tem no livro.

Apesar desse final “alternativo”, li cada diálogo, cada pensamento, cada situação, imaginando os atores do filme interpretando-os e isso deixou o livro ainda mais fácil de apreciar, pois gosto muito dos nomes que dão vida à história, acho que combinam muito bem com seus personagens.

Will é um solteirão convicto, rico e um eterno desempregado que tem leva uma vida dos sonhos e não tem nada a reclamar. Um adulto criança. Marcus é um adolescente totalmente fora dos padrões e, por isso, sofre bullying. Uma criança adulta. É quando seus caminhos se cruzam que surge uma relação inesperada que vai mudar a vida de ambos.


Cada personagem tem uma personalidade bastante única e que tem tudo a ver com a vida que levam e com o que enfrentam em suas rotinas. O jeito infantilizado de Will e a maturidade de Marcus se complementam e fazem com que o leitor/telespectador se apaixone ainda mais por cada um deles, juntos ou separados.


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

RESENHA: "Perdido em Marte", Andy Weir

Por Francine Estevão

Título: Perdido em Marte
Título Original: The Martian
Autor: Andy Weir
Editora: Arqueiro
Lançamento: 2014
Páginas: 336


Livro enviado pela editora para resenha.  

Sinopse: Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Quando vi os lançamentos de outubro da Arqueiro, fiquei interessada de cara em “Perdido em Marte”. Adoro a temática e estava ansiosa para ler, pois em 2015, a história estará nos cinemas estrelada por Matt Damon e dirigida por Ridley Scott.

Tudo que assisto ou leio que se passa fora da Terra me deixa cm uma sensação estranha de sufoco. Enquanto acompanho estas histórias, sinto que vai me faltando o ar. E embora eu adorasse ser uma astronauta, sinceramente acho que não daria conta de estar no lugar deles. Principalmente no lugar de Mark Watney, o protagonista de “Perdido em Marte”.

As missões Ares levam muito tempo para serem preparadas e são planejadas para que nada dê errado e para que seus tripulantes saiam de lá com vida e para contar a experiência a todos. No entanto, durante uma “tempestade”, Mark é atingido por uma antena e considerado morto pelos colegas que estavam com ele em Marte. Mas o imprevisto acontece e na verdade, apesar do incidente, Mark está vivo e sozinho em Marte. Não bastasse isso, ele tem bastante consciência da sua situação “lá em cima”. E então começa a planejar meios de sobreviver até que Ares 4 chegue no espaço e possa levá-lo de volta para a Terra.

Imagina a situação! Não bastava ficar sozinho no espaço você ainda sabe que vai morrer caso não consiga arrumar comida, água e oxigênio suficientes. E quais são as probabilidades de isso acontecer em Marte? Diz ai se não é sufocante só de imaginar?

Mas Mark não está só ciente da sua situação como também sabe algumas formas de tentar criar aquilo que precisará para sobreviver, como por exemplo, como plantar batatas no espaço a fim de ter alimento suficiente para não morrer de fome e desnutrido. E é essa sua saga pela sobrevivência que acompanhamos durante a história, que é contada como se estivéssemos lendo o diário que ele resolveu escrever com a esperança de que se o encontrassem morto, pelo menos encontrassem sua história. E quase sempre, ao final dos dias, para amenizar um pouco a sua luta pela sobrevivência, Mark se distraia com as músicas ou com os seriados deixados para trás pelos demais tripulantes da missão que voltaram para a Terra.

O livro também mostra um pouquinho da equipe de suporte das missões na Terra quando se dão conta de que Mark não está morto, mas de que poderá estar muito em breve caso ninguém faça nada para resgatá-lo. Sem nenhuma possibilidade de se comunicarem com ele, ninguém sabe o que ele tem feito para tentar sair dessa vivo.


A história é muito interessante, mas muito minuciosa, o que acredito ser essencial para tornar tudo aquilo um pouco mais “real” aos olhos do leitor. No entanto, para alguém não tão fissurado em detalhes de ficção científica, química, física, etc, (eu!) esses pormenores acabaram tornando a leitura um pouco maçante. Eu não conseguia ler muito por dia porque os detalhes pesavam na minha cabeça. Também senti falta de uma visão mais pessoal, psicológica. Imagina ficar incontáveis dias sozinho no espaço! como isso não mexe com a cabeça da pessoa.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

RESULTADO DO SORTEIO: Magisterium, de Cassandra Clare e Holly Black

Mais um sorteio chegando ao fim na Sociedade do Livro. Desta vez, a ganhadora vai receber um exemplar de "O Desafio de Ferro", da série Magisterium, de Cassandra Clare e Holly Black , da editora Novo Conceito. 



Confira o post original do sorteio aqui.

E a ganhadora é...



Parabéns, Andressa Ferreira. Você receberá um e-mail da Sociedade do Livro e terá 3 dias corridos para responder com seus dados (conforme os termos e condições do sorteio). Se não recebermos seu retorno no prazo, um novo ganhador será escolhido. 

Obrigada a todos que participaram. Parabéns à ganhadora. E fiquem atentos aos próximos sorteios :)

RESENHA : "Sábado à Noite 3 - Com Amor e Música", Babi Dewet

Título: Sábado à Noite 3 - Com Amor e Música
Autora: Babi Dewet
Editora: Generale
Lançamento: 2014
Páginas: 302


Sinopse: Esse pode ser o fim da trilogia, mas “Sábado à Noite 3 – Com amor e música” é apenas o começo da vida de Daniel Marques, o famoso vocalista e guitarrista da Scotty. Alta Granada não é mais o palco principal, agora, a banda formada por ele, Caio, Rafael e Bruno toca em shows lotados no país inteiro. Os músicos já não são mascarados amadores, são reconhecidos e estão aproveitando o máximo no melhor estilo rockstar, sem precisarem esconder os rostos, estampados nas capas de revistas, jornais e nos noticiários. Amanda, por outro lado, deverá decidir entre viver o sonho de sua vida ao lado de quem ama ou continuar na segurança da cidade pequena de sempre. Será que ela pode ser muito mais do que os outros pensam? Jogar tudo para o alto e lutar pelo amor nascido nas praias do interior e nos bailes de sábado à noite do colégio valerá a pena? Junto a seus melhores amigos, Daniel e Amanda enfrentarão a maior decisão de suas vidas no desfecho tão esperado dessa história. Junte-se a eles e mergulhe nas páginas recheadas de música, dramas e amizade do último volume de SAN.

 Este é o esperado desfecho da trilogia da Babi Dewet que começou como fanfic e cativou tanta gente, especialmente os apaixonados por música (a resenha do primeiro livro você pode ler aqui). Sou mega fã da autora. Eu já a conhecia do evento de SAN que ocorreu aqui em Ribeirão em fevereiro do ano passado e adorei reencontrá-la na Bienal em SP este ano. Aproveitei e comprei os dois últimos livros da série que faltavam e garanti o autógrafo. A Babi foi simpática como sempre e foi uma delícia ver o sucesso que ela anda fazendo e ver a fila de gente que se formou só para vê-la.


A fofa Babi Dewet e seu livro Sábado à Noite.

 O livro começa bem onde ele parou no livro anterior, Sábado à Noite 2 - Dos Bailes para a Fama (Skoob neste link). Nós ainda temos, antes, um breve epílogo que nos dá um pouco mais de detalhes sobre como foi a época em que Amanda estava em Alta Granada seguindo uma vida normal e Daniel estava como seus amigos em São Paulo, tentando fazer a banda estourar. Isso até chegarmos ao capítulo 1 em que ocorre o casamento de um dos personagens, o evento que marca o reencontro dos dois e que nos havia deixado com o coração na mão pois se tratava da última cena de SAN 2. 

 Pois é, dessa vez Daniel está de volta e parece determinado a reconquistar a sua amada, ele até tem um anel! Mas as coisas nunca são fáceis e até os amigos deles estão receosos com o reaproximamento do casal, tudo porque Daniel, iludido com a fama, e basicamente se sentindo perdido, não parece ter limites nem ter amadurecido. Amanda pode ser toda a ajuda que ele precisa para sair desse torpor mas ela terá que aceitar todos os problemas e confusões que vem inclusos. 
 Este livro de fato tem uma abordagem um pouco mais adulta, afinal os personagens não são mais estudantes do ensino médio e tem empregos e responsabilidades maiores. Fred e Guiga estão prestem a ter um filho (!) e os garotos da Scotty agora tem que lidar com todos os efeitos colaterais de serem uma banda famosa. Só que tudo isso não afeta em nada o que eu mais gosto nos livros, que é a juventude e energia que transbordam das páginas. É uma leitura que faz com tenhamos aquela vontade louca de vivermos as mesmas experiências que os personagens, de podermos contar com amigos tão fieis quanto Caio, Rafael, Bruno, Anna, Guiga, Maya, Kevin, Carol, Fred, Daniel e Amanda. E, é claro, de noites de Sábado tão inesquecíveis como aquelas em que a trilogia teve seu início.


 O grande número de personagens pode ser um problema nas cenas em que eles estão todos juntos e falando. Dá pra ficar bem confuso e confesso que me perdi várias vezes sem saber quem tinha dito exatamente o quê. Mas acho isso bem compreensível, afinal de contas eles são um bando de jovens com uma vida bem atípica, cheios de emoções e que não são nada comportados. Realmente não dá pra esperar diálogos bem esclarecidos rs. Agora, uma coisa definitivamente positiva é o grande número de citações que temos. Impossível não se identificar em nada que é abordado no livro, as referências vão de Dawnson's Creek a  The Beatles, de Doctor Who a k-pop. Além de McFly, óbvio!

 Gostei muito de como a Babi termina a história dos personagens. Achei digno. Especialmente o "detalhe" que faz com que a trama pareça não tenha um final, mas sim que é apenas uma volta a onde tudo começou. Não serei mais específica porque não quero estragar o final pra ninguém, mas se você já leu o livro sabe do que estou falando. 

 Uma última coisa? Até a Babi participa da história! Apenas uma participação especial, nem o nome dela é citado, mas se quem acompanha a autora consegue pegar os detalhes e perceber a "intromissão". Só uma sutileza pra deixar este livro, cheio de amor e música, ainda mais fofo.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Lançamento: "Corações em Fase Terminal", da Fabiane Ribeiro, pela Universo dos Livros



A autora Fabiane Ribeiro lança hoje, seu segundo livro pela editora Universo dos Livros.

Depois de “JogandoXadrez com os Anjos”, é a vez de “Corações em Fase Terminal” conquistar os leitores. Eu li o livro quando ela o publicou de forma independe, em PDF, e tenho certeza de que ela vai conquistar e tocar ainda mais leitores com esse lançamento. 

E tem mais! Ano que vem, conheceremos uma nova história escrita por ela. Também pela Universo dos Livros, seremos apresentados ao inédito “A menina feita de espinhos”.

A Fabi é uma autora muito querida que conheci logo que comecei a mexer com o Sociedade do Livro. E depois que li “Xadrez”, virei fã da escrita dela, uma escrita delicada, cheia de sentimentos que mexem com a gente de uma maneira bastante profunda.

Ela comentou as novidades no Facebook:
"Notícia maravilhosa chegando pra vocês!!! Com muita alegria, informo que meu segundo livro lançado pela editora Universo dos Livros tem lançamento previsto para quinta-feira, dia 13/11. Como muitos de vcs sabem, eu estou nos EUA, então não teremos um lançamento oficial com sessão de autógrafos, mas vocês já podem adquirir um exemplar na Livraria Travessa ( bit.ly/coracoesemfaseterm), e em breve mais links de venda estarão disponíveis. Lembrando que o livro também estará nos catálogos Avon a partir do comecinho de 2015.
E as novidades não param por aí... meu terceiro livro, aquele que prometi a vocês há um tempinho, "A menina feita de espinhos", também será lançado pela Universo dos Livros em 2015.
Sempre que lerem qualquer um de meus trabalhos, não deixem de me procurar e dividir suas opiniões comigo, adoro manter contato com meus leitores. Obrigada por todo carinho que tiveram comigo, com minha carreira e com meu primeiro livro, Jogando Xadrez com os Anjos, até o momento. Espero que os próximos lançamentos também estejam em breve em suas estantes.
Que alegria dividir uma nova história com vocês!
#‎Radiante ‪#‎Agradecida ‪#‎Emocionada"



“Corações em Fase Terminal”

Sinopse: Eles têm uma última chance de salvar suas vidas... Cátia, após quase acabar com a própria existência, mergulhada em uma vida de vícios e erros, acorda em um local misterioso, em uma caixa dourada presa aum espelho repugnante. Em meio a uma cidade estranhamente maravilhosa e conhecendo um amor mais forte que a própria vida, ela tem a última chance de encontrar a cura para o seu coração manchado e aprender a amar incondicionalmente. Descubra o que é o Santuário, o clarão dourado e o templo onde a rosa flutua... Corações em Fase Terminal é uma história fascinante, da busca pela magia da vida e pela cura das feridas do passado.

Compre o livro na Livraria da Travessa 

Adicione o livro no Skoob