terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

O Jardim secreto de Johanna Basford

Título: O Jardim Secreto
Título Original: Secret Garden
Autora: Johanna Basford
Páginas: 96

Sinopse: Bem-vindo ao meu mundo secreto!
Faça um passeio por estes lindos jardins e se aventure em uma caça ao tesouro tão fascinante que todos os seus problemas ficarão para trás. As ilustrações ricas em detalhes estão só esperando por você para ganhar vida.

Divirta-se procurando as diversas criaturas escondidas nestas páginas. Complete os espaços em branco, escolha suas cores preferidas, faça seus próprios esboços e crie um universo deslumbrante onde não há lugar para o estresse.

Jardim secreto é um livro para todas as idades, que nos permite esquecer as adversidades do dia a dia através dos desenhos e que busca trazer à tona o artista que existe em cada um de nós.




Esse livro deu briga aqui em casa. Eu fui até a livraria com minha mãe e mostrei que queria esse livro pra mim. Ela apaixonou na hora e comprou PRA ELA! Perguntei se iria poder pintar e ela disse que só depois que ela começasse a pintar um desenho. Foi até a papelaria comprar lápis de cor e tudo!


Bom....minha mãe começou a pintar e aí o livro estava liberado para mim. Acontece que minha amiga chegou primeiro e acabou pintando antes que eu! 

Sim, o livro é contagiante! As imagens são lindas e fofas demais! Você pode pintar e caçar os objetos e bichinhos que tem ao longo das ilustrações. O MÁXIMO! Todo adulto e criança deveria adquirir o seu. 

É uma terapia e tanto!

Apaixonadíssima! 



segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Wattpad - O Ateliê de Mariana Lucera


Vocês já conhecem o Watpad né? Diversos autores e autoras já estão apostando nos sites de autopublicação online para mostrar seus livros para o mundo. A autora de “O Medalhão Mágico”, Mariana Lucera, nos presenteia com    mais uma história – “O Ateliê” que compartilho aqui com vocês:



A família Holly acabou de herdar uma casa em Lakewood. Depois de uma mudança forçada para tentar vender o imóvel, Olivia e Lauryn, as filhas do casal Holly se vêem às voltas com os mistérios que envolviam a vida da avó Margareth. Tudo o que elas não esperavam é que a casa abrigasse um portal para a travessia dos mortos e que os fantasmas seriam presença constantes em suas vidas na nova casa.

Cliquem AQUI e leiam os capítulos 1,2 e 3.


quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

RESENHA: "Eleanor & Park", Rainbow Rowell

Por Francine Estevão

Título: Eleanor & Park
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Lançamento: 2014
Páginas: 328

Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Park é descendente de coreanos e nunca fez questão de ser popular, apesar de se dar bem com o “pessoal” da escola. Ou melhor, apesar de não ter nenhum atrito com eles. Eleanor é a aluna nova esquisita, que já chega quando todos os grupos estão formados e não se enquadra em lugar nenhum. Ruiva, gordinha, um jeito estranho de se vestir e extremamente tímida, apesar de chamar muita atenção. Os dois se aproximam no ônibus da escola, quando Park, a contra gosto deixa que Eleanor se sente ao seu lado. No silêncio diário da viagem até a escola e depois até suas casas, Park percebe Eleanor lendo suas HQs por sobre seu ombro e é assim que seu interesse pela aluna nova é despertado.

Contra todas as probabilidades, mas de uma forma que só o amor é capaz de justificar, eles vão viver um romance improvável e completamente apaixonante. Adorei a escrita da Rainbow Rowell e me encantei pelos personagens que criou, muito bem trabalhados não só fisicamente, mas principalmente psicologicamente considerando seus contextos históricos e tudo o mais. Ela constrói uma identidade bastante palpável para cada um deles, nos aproximando ainda mais da história e nos deixado ainda mais encantados. Mais do que um romance, a autora nos mostra o que o amor é capaz de provocar nas pessoas e em suas vidas.

Rainbow conta a história de um amor como poucas que vemos, porém profunda, sincera e extremamente rara. Dessas que pouco se vê na vida real, apesar de seus personagens, Eleanor e Park, serem “comuns” no sentido de não serem personagens idealizadas como vemos em muitos romances, e “diferentes” no sentido de que são pessoas únicas, com histórias de vida únicas. E é por isso que é um romance improvável, já que eles formam um casal daqueles que se você visse na rua, você diria “mas eles não tem nada a ver um com o outro”. E o que isso importa? Na verdade, a única coisa que importa nesse caso é o amor que um sente pelo outro e até mesmo o jeito de amar de cada um deles é diferente, tornando a história ainda mais especial.

Eu amei a história, amei os personagens, amei os diálogos, grifei quotes que duram mais de duas páginas, amei o fato de eles terem uma troca constante de literatura e música, mas devo dizer que fiquei bastante desapontada com o final. Não esperava mesmo que terminasse como termina. Ok, sem spoilers. Até porque a história é tão envolvente e apaixonante que vale muito a leitura.


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

RESENHA "Ele não é isso" de Rodrigo Moreira


Sinopse: Em pleno marco zero de São Paulo e escondida entre as paredes do edifício Nazareth, uma história que antes fora de amor, se tornará sofrimento, tortura e medo. Em uma noite tranquila, Matias e sua esposa, Felícia, grávida de 6 meses, são atacados por um cão. Para ele, havia sido apenas um susto. Para ela, uma dolorida, mas curável, ferida na perna. No entanto, a ignorante certeza de que tudo acabará bem, ignorando a necessidade de cuidados médicos, causará sérias consequências. O que tal negligência ocasionará às vidas dessa família? Que destino um acidente simples, revelará para o mundo? Matias, enclausurado em seu apartamento com seu filho, Júnior, viverá momentos tenebrosos e sombrios que mudarão para sempre a sua história e das pessoas à sua volta. Um pai, um filho e um destino amedrontador.

Como se fosse uma série, o livro se inicia contando várias histórias apocalípticas e ficamos refletindo qual seria o vírus que estaria matando os humanos pouco a pouco.

A gravação em forma de escrita contida na primeira narrativa me fez sentir dentro da história e fiquei bastante interessada no que estaria por vir. Depois telejornais e caixa preta de um avião foi dando um friozinho na barriga. Mais gravações, mais realidade e curiosidade.

“Nós não estamos seguros. Não estamos!”

Matias Castro é o personagem principal. O coordenador de call center está sempre correndo apressado e se justificando na vida sofrida. Viúvo, perdeu a mãe atropelada por um caminhoneiro embriagado ainda criança. Deixa seu filho, Júnior, com a vizinha Dona Celina todos os dias para ir trabalhar. Dona Celina é uma senhora de 70 anos, professora aposentada. Conhecemos também outro vizinho de Matias, Romeu Torres Gusmão cuja mãe foi internada em um hospital psiquiátrico e o pai se suicidou após um escândalo de fraude com a Receita Federal. Sua alternativa foi mudar-se para o interior do Mato Grosso e crescer com os tios.  Quando jovem foi morar em São Paulo para cursar a Faculdade de Direito e ganhar a vida.

Conhecemos todas as personagens e a história se desenvolve em um drama da vida real, normal até que....coisas estranhas começam acontecer com Júnior:

“Violentamente desferia inúmeras mordidas em seu próprio braço...”

A princípio seria apenas um perfil patognomônico do garoto, ou seja, um transtorno de conduta, mas não é bem isso que se passa. Seria mais uma história de zumbis clichê? Dei continuidade à leitura e não percebi nada de comum, achei bem interessante como a história se desenvolveu. Não posso contar pra vocês se é um livro sobre vírus, zumbis, coisas sobrenaturais ou mortos-vivos, pois penso que estragaria o suspense da trama.

“Ignorá-la, era um remorso que sua alma para sempre carregaria.”

O livro conta com 252 páginas e dentro de cada capítulo conhecemos o passado das personagens numa narração “vai e volta” e vamos tomando conhecimento de suas características pouco a pouco. Algumas de suas descrições são bem reais e sangrentas. Mais pro fim do livro o palavreado fica pesado, mas necessário pro assunto do livro. Pra quem curte o tema acho muito legal, pois valoriza o cenário. Dá um toque cinematográfico. Me lembrou um pouco do estilo de escrita de Thiago Toy, Alexandre Callari e até um toque de André Vianco.

“...só conseguiam enxergar suas pernas e um de seus braços, separado do corpo e caído dentro de uma poça escura de sangue.”

Soube dosar e descrever essas partes passado x presente e o drama contido na história de Matias como a morte de sua mãe, o passado com sua esposa e criar um filho sozinho foram interessantes e quebram um pouco da narrativa pesada de terror. Nessa parte a gente respira um pouco e toma fôlego pra que possa enfrentar mais suspense. Achei bem legal isso.

O livro vai além do terror contido na trama. Fala de como o humano é podre por dentro, como o homem está tentando sempre passar por cima do outro e levar a melhor se aproveitando da inocência de alguns. Achei isso muito interessante já que não fica só preso a uma história apocalíptica – o mundo morre aos poucos com cada atitude nossa, não é necessário um vírus ou uma catástrofe, damos conta de fazer isso com a podridão de alguns.

“Sob esse olhar, as teorias, provas, explicações, crenças, nada faria sentido diante dos avanços minuciosos da mãe natureza reforçados pela arrogância humana...”

A única coisa que tenho a reclamar do livro é o título que, a meu ver, não chama muita atenção. Penso que o autor poderia ter explorado mais o nome do livro, mas fora isso gostei muito e recomendo.

“É complicado de se abandonar aqueles que mais precisam de você. No fundo, no fundo...eu só sei amar assim.”

Para adquirir o livro basta acessar o site da Amazon clicando aqui. 

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Pré-venda "Supernova - o Encantador de Flechas" de Renan Carvalho

Por Maju Raz


A Editora Novo Conceito está apostando cada vez mais em novos talentos. Este ano traz pra nós, o que foi antes publicado pela Editora Novo Século, “O Encantador de Flechas” – primeiro volume da série Supernova, de Renan Carvalho. É um dos 20 livros nacionais mais vendidos no ano de 2013 e traz uma trama repleta de ação, suspense, conflito entre magos e um governo opressor.

Com uma linda capa nova o livro está previsto para ser lançado em Março, mas JÁ ESTÁ EM PRÉ VENDA NO SITE DA SARAIVA e o preço está bem bacana! Vou correndo agora garantir o meu! 

Para comprar basta clicar aqui.


Imersa em uma ditadura implacável, a isolada cidade de Acigam sofre com a ameaça da guerra civil. De um lado, a Guilda, um grupo que utiliza os ensinamentos da Ciência das Energias para exigir direitos para a população. Do outro, um governo tirano, resguardado por soldados especialistas em aniquilar magos nome vulgar dado aos praticantes da tal ciência. No meio desse conflito vive Leran, que, após ser tragado para a rebelião, tenta aprender mais sobre sua misteriosa habilidade de encantar objetos com a energia dos elementos.

Com uma narrativa envolvente e reviravoltas incríveis, Supernova: O Encantador de Flechas é um livro que vai arrebatar os fãs de fantasia.





Renan Carvalho é formado em Marketing e diz fazer de tudo um pouco. “Hoje escrevo para dar vida à imaginação de moleque, guardada em caixas de papelão durante anos. Se você encontrar referências e críticas no que eu escrevo, saiba que estas estão em sua mente e não em minhas palavras”.

Acesse a Fan Page do livro e fique por dentro de mais novidades!


Classifique no SKOOB.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

SORTEIO: "Quando um homem ama uma mulher", Bella Andre

Aproveitando o clima do dia dos namorados - tá, sei que estamos no Brasil, mas quem precisa de desculpa para celebrar o amor, certo? - vamos sortear o último lançamento da Bella Andre pela editora Novo Conceito. 

"Quando um homem ama uma mulher" é o décimo livro da série "Os Sullivans". Então além de ser uma chance para quem acompanha a série e ainda não tem o lançamento, é também uma oportunidade para quem quer conhecer a família hot de Bella. 

Para participar, já sabem, né? É só preencher o formulário abaixo e boa sorte! 



Sinopse: Quando um homem ama uma mulher - "Os olhos de Jack estavam mais negros, até mesmo mais intensos, do que ela se lembrava conforme ele caminhava em sua direção. Ela se esforçou para suas pernas não tremerem, e para não sair correndo direto para os braços dele." Para Mary Sullivan, reunir-se com os oito filhos, genros, noras e netos no chalé do Lago Tahoe é sempre um motivo de alegria. Cada um dos objetos que decoram a casa traz consigo um turbilhão de lembranças, todas elas guardadas com muito carinho em seu coração. Ao acender a lareira em mais uma noite de inverno, Mary imediatamente volta aos dias do início do seu tórrido romance com Jack, vivenciando novamente o amor que mudaria a sua vida para sempre.


a Rafflecopter giveaway

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Novo Conceito arrebenta em primeiros lugares na Veja

Por Maju Raz

É com muita alegria que partilhamos essa notícia! Nossa querida parceira Novo Conceito está em primeiro, segundo, terceiro e quarto lugar de mais vendidos na revista Veja com os títulos:

1. "Se eu ficar" de Gayle Forman
2. "Eu Fico Loko" de Christian Caldas
3. "Para onde ela Foi" de Gayle Forman
4. " Diário de um adolescente apaixonado" de Rafael Moreira

Parabéns NC! =D

Foto do Gerente de MKT Marcelo Pelegia

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

RESENHA O Primeiro Telefonema do Céu de Mitch Albom

Por Maju Raz

Título: O Primeiro Telefonema do Céu
Título original: The first phone call from heaven
Autor: Mitch Alborn
Editora: Arqueiro
Páginas: 288

Sinopse: Como você se sentiria se um dia recebesse uma ligação de alguém que ama muito e que já se foi? Numa sexta-feira comum, o telefone de Tess Rafferty toca. É sua mãe, Ruth, que morreu quatro anos antes. Em seguida, Jack Sellers e Katherine Yellin recebem ligações semelhantes, do filho e da irmã, também já falecidos. Nas semanas seguintes, outros habitantes de Coldwater afirmam que estão em contato direto com o além, e que seus interlocutores lhes pediram para espalhar a boa-nova ao maior número possível de pessoas. A mensagem é simples: o céu existe, e é um lugar onde todos são iguais. Em pouco tempo, correspondentes de diversos meios de comunicação aportam na cidade para transmitir os desdobramentos do fenômeno que pode ser o maior milagre da atualidade. Visitantes do país inteiro começam a surgir, as vendas de telefone disparam e as igrejas se enchem de fiéis. Apenas uma pessoa desconfia da história: Sully Harding, ex-piloto das Forças Armadas. Após quase morrer num desastre aéreo, perder a mulher e cumprir pena por um crime que não cometeu, ele não acredita num mundo melhor, muito menos após a morte. E quando seu filho pequeno começa a esperar uma ligação da mãe morta, ele decide provar que estão todos sendo enganados.O primeiro telefonema do céu é uma história de mistério e, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre o poder da conexão humana. Em uma narrativa que vai tocar sua alma, Mitch Albom prova mais uma vez por que é um dos autores mais queridos da atualidade. 

"Fé é acreditar sem a necessidade de prova”

O autor deste livro é o mesmo das “Cinco pessoas que você encontra no céu” que eu não li ainda, mas que dizem ser muito bom. Este título escolhi por conta da sinopse, do autor e dessa linda capa que é cem milhões de vezes mais bonita que a original e que chega até brilhar.

Capa original

Quando eu li a sinopse deste livro tudo o que eu conseguia pensar era  “o que faríamos se pudéssemos ir visitar quem amamos no céu?”  Na hora um pensamento forte da minha avó veio e só  de pensar que essa possibilidade seria real já me encheram os olhos de lágrima...


“O que aconteceu depois depende do tamanho da fé de cada um”

“O primeiro telefonema do Céu” conta a história de uma cidade no Lago Michigan a qual chama muita atenção em todo o mundo quando seus cidadãos começam a receber telefonemas de vida após a morte. Seriam milagres ou falcatruas? É aí que entra um pai aflito a descobrir tudo -  Sully Harding.

“E se o fim não for o fim?”


No geral, o livro foi muito bem escrito e soube enlaçar perfeitamente as emoções. Uma história linda e inspiradora que nos recorda de que não precisamos de provas quando o assunto é fé. Eu recomendo este livro para quem aprecia o amor e para quem perdeu alguém, uma vez que essa leitura deliciosa nos dá a impressão de esperança e de paz.

Leia o primeiro capítulo do livro aqui. 


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Parceria com o escritor Rodrigo Moreira

Por Maju Raz

Hoje o Sociedade recebeu e-mail de um autor nacional, Rodrigo Moreira. Ele nos apresentou seu livro e ficamos muito contentes de ter feito uma parceria.  Estamos lendo  “Ele não é isso” e em breve traremos mais novidades sobre o livro.

Conheçam o autor e sua obra:





Rodrigo Morei­ra nasceu em São Paulo. É psicólogo e descobriu, ainda durante a facul­dade, o prazer da escrita. Não lhe bastavam as lei­turas, fossem de grandes teóricos do desenvolvimen­to humano ou de fantásticos escri­tores de literaturas fantásticas. Sentia que era necessá­rio ingressar nesse mundo por meio de suas próprias ideias. É autor de A incrível história dos Pupus: a in­cansável procura. E agora, chega com Ele não é isso, que pretende, nem que seja por alguns ins­tantes, tirar você de “dentro de sua concha”.









Em pleno marco zero de São Paulo e escondida entre as paredes do edifício Nazareth, uma história que antes fora de amor, se tornará sofrimento, tortura e medo. Em uma noite tranquila, Matias e sua esposa, Felícia, grávida de 6 meses, são atacados por um cão. Para ele, havia sido apenas um susto. Para ela, uma dolorida, mas curável, ferida na perna. No entanto, a ignorante certeza de que tudo acabará bem, ignorando a necessidade de cuidados médicos, causará sérias consequências. O que tal negligência ocasionará às vidas dessa família? Que destino um acidente simples, revelará para o mundo? Matias, enclausurado em seu apartamento com seu filho, Júnior, viverá momentos tenebrosos e sombrios que mudarão para sempre a sua história e das pessoas à sua volta. Um pai, um filho e um destino amedrontador.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Lançamento Christian Figueiredo e Rafael Moreira - Travessa Ribeirão Preto

Por Maju Raz 
 

Com mais de 1,2 milhões de assinantes do canal “Eu fico Loko” e com mais de 70 mil seguidores do canal “Me apaixonei”, o jovens Christian Figueiredo (20) e Rafael Moreira (17) lançam seus livros numa noite turbulenta em Ribeirão Preto. Os corredores do Ribeirão Shopping ficaram lotados e a fila era gigantesca e se dissipava em adolescentes aos berros, eufóricos para ver os autores.

Algumas pessoas reclamaram e disseram que a organização da livraria estava péssima. Muita gente ficou sem autógrafo e sem livro. Quando os autores chegaram as garotas urravam “Eu fico loko” e “lindos” e muitas choravam e pulavam loucamente.

Segundo a publishNews, os dois juntos, explodiram na pré-venda. E conforme a Editora Novo Conceito informou pra Publish, os dois juntos somaram 70 mil exemplares vendidos. A Editora fez uma tiragem inicial de 80 mil exemplares do livro de Christian e 30 mil do título de Rafael. 

O vlogueiro Christian Figueiredo  assina o livro “Eu fico loko – as desventuras de um jovem nada convencional”. Em seu canal (a meu ver nada engraçado) o garoto narra as aventuras e inseguranças dos adolescentes. Seu livro é contado através de crônicas e reúne temas dos vídeos.

O eleito “colírio” da revista Capricho e também vlogueiro Rafael Moreira, em "Diário de um adolescente apaixonado" escreve para agradar as garotas apaixonadinhas por moços perfeitos e que se iludem a toa - o canal do youtube também é insosso no meu ponto de vista. Ele faz parte de um movimento chamado “Eu escolhi esperar”, que prega fazer sexo somente após o casamento. O livro fala basicamente isso aí – crônicas sobre amor, sexo, primeiro beijo etc.


O Sociedade do Livro esteva lá para ver os autores de perto e autografar os livros que sortearemos de presente a vocês. Aguardem sorteio em breve!

A Editora divulgou fotos do evento. Vocês podem conferir algumas que tiramos pra vocês e outras aqui. 



video

Foto NC
Eu e o Editor Thiago Mlaker


Equipe da NC chegando com os autores

Travessa Lotada









segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Noite de autógrafos com Chris e Rafa


E hoje tem evento da Novo Conceito aqui em Ribeirão Preto! Os autores Chris e Rafa estarão na Livraria Travessa lançando seus livros "Diário de um adolescente" e "Eu fico Loko".


Lokões e apaixonados de Ribeirão Preto, estão preparados para encontrar o Chris e o Rafa?

Nada melhor do que começar a turnê dos caras na terra da Novo Conceito, não acham? 


É hoje a partir das 19h! Bóra pra lá, galera?

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Readgeek - O Netflix dos livros



Esses dias minha amiga escritora Mariana Lucera, autora de "O Medalhão Mágico", me mostrou uma matéria do Estadão que falava sobre o Readgeek, um site onde você conhece os livros que você gostaria de ler, mas não sabe como encontrá-los. Você não vai depender mais das listas de best-sellers - você encontrará dicas baseadas no que você gosta de ler e ainda encontrar exatamente o título que procurava. É uma espécie de Netflix dos livros. Também é legal pois você faz amizades e troca informações com os apaixonados pela leitura. Infelizmente é inglês, mas dá pra aproveitar bastante!

"O Readgeek foi criado por Uwe Pilz. No site, ele conta que os livros são as maiores leituras que existem e se você escolher o caminho errado, a leitura pode ficar chata e cansativa. É justamente essa situação que o Readgeek quer resolver. A ideia de criar a ferramenta surgiu durante uma viagem ao Himalaia, onde Pilz passou duas semanas com livros que considerou impróprios. Assim, ele pensou em uma forma de evitar essa situação no futuro.

Para fazer parte do Readgeek, o usuário precisa classificar cerca de dez livros. Segundo o site, avaliar livros que não gosta ajuda a obter os melhores resultados. Naturalmente, quanto maior o número de livros avaliados, maiores as chances das previsões darem certo. De acordo com o site da Fast Company, ao invés de fazer sugestões apenas baseadas nas avaliações do usuário, o sistema sugere obras apreciadas por usuários com gostos semelhantes."


terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Clássico da Literatura Brasileira, O Escaravelho do Diabo, ganha adaptação pro Cinema

Por Maju Raz

A coleção de livros infanto-juvenis criada pela editora Ática nos anos 70 , titulada Série Vaga-lume, é um tesouro nacional de livros que contam histórias infanto-juvenis de vários autores.
Quando moça eu fui feliz de poder conhecer algumas obras como "Enigma na Televisão" de Marcos Rey,  "Éramos Seis", "Terror na Festa" de Janaína Amado de Maria José Dupré e  "O Escaravelho do Diabo" de Lúcia Machado de Almeida.
Quarenta e três anos depois este último título ganha uma adaptação para os cinemas. As filmagens de "O Escaravelho do Diabo" começaram já dia 12 de Janeiro e terminam em fevereiro.
Bateu nostalgia, mas tô super contente com essa notícia!

Segundo O Globo para a adaptação, atores e equipe estão desde 12 de janeiro e ficarão até 26 de fevereiro entre os municípios de Amparo, Holambra, Campinas e Jaguariúna, tudo para recriar o clima de mistério da trama em que vítimas ruivas recebem um escaravelho antes de serem assassinadas. A direção é de Carlo Milani, com produção da Dezenove Som e Imagens e coprodução da Globo Filmes.

O elenco é composto, ainda, por Jonas Bloch, Selma Egrei, Lourenço Mutarelli, Augusto Madeira e Thogum Teixeira, entre outros. O roteiro foi escrito por Melanie Dimantas e Ronaldo Santos, a fotografia é de Pedro Farkas e a direção de arte, de Valdy Lopes Jr..

Na última terça-feira, dentro de um casarão de época em Amparo, foi rodada a cena em que Pimentel aborda Alberto com a notícia trágica. “Infelizmente seu irmão não resistiu, eu sinto muito”, disse o delegado para depois se esquecer de que estava tratando com uma criança que acabara de perder um parente e começar a interrogá-lo como se ele fosse suspeito do crime.”



Vítimas ruivas recebem um escaravelho antes de serem assassinadas. Essa é a única pista de que Alberto dispõe para chegar àquele estranho criminoso. Qual a relação entre ruivos e escaravelhos? Quem será o próximo?



Vejam algumas novidades sobre a série vaga-lume  – retirada do blog Homo Literatus:

"1. A série Vaga-Lume foi lançada pela Editora Ática na virada de 1972 para 1973, e é composta de romances voltados ao público infantojuvenil.
"A Ilha Perdida", de Maria José Dupré
“A Ilha Perdida”, de Maria José Dupré
2. A editora não divulga números, mas estima-se que somente a obra A Ilha Perdida, de Maria José Dupré, já ultrapassou a marca de 2,2 milhões de exemplares vendidos.
3. A série ajudou, e muito, a fortalecer e consagrar a Editora Ática, que recentemente informou que pretende relançar a coleção em formato digital.
4. Um dos maiores sucessos da série, O Escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida (1910-2005), foi lançado primeiramente em 1956 como um folhetim da revista O Cruzeiro.
5. Inicialmente, a série se caracterizava pela presença de obras já consagradas, de autores idem. Já na segunda década após seu lançamento, tanto os textos quanto os autores passaram a ser inéditos.
6. Um destes autores inéditos era Marçal Aquino.
7. Quando foi convidado para escrever por Fernando Paixão, editor da série na época, Marçal era repórter do Jornal da Tarde e nunca havia escrito uma linha sequer para o público infantojuvenil.
"O escaravelho do diabo", de Lúcia Machado de Almeida
“O escaravelho do diabo”, de Lúcia Machado de Almeida
8. Em contrapartida, outro escritor da série, Marcelo Duarte, nunca publicou nenhum livro de ficção fora da coleção Vaga-Lume. O jornalista, escritor e dono da Editora Panda Books publicou seus cinco livros de ficção na série, e vendeu mais de 240 mil exemplares.
9. Em 1980, quando foi informado pelos editores responsáveis pela Coleção Vaga-Lume sobre a tiragem pretendida para seu livro, um atordoado escritor de pseudônimo Marcos Rey não acreditou. Os editores da Ática reiteraram: 120 mil exemplares.
10. Marcos Rey, pseudônimo de Edmundo Nonato, era nesta época um escritor já reconhecido de contos e romances adultos, porém estava acostumado com tiragens que não ultrapassavam três mil exemplares.
11. A aposta em Marcos Rey foi alta – e certeira. O Mistério do Cinco Estrelas, de 1981, vendeu mais de 2,5 milhões de exemplares. O autor escreveu o livro em dois meses.
12. Atualmente, porém, os mais de 15 livros lançados por Marcos Rey estão fora da coleção Vaga-Lume.
13. Um dos criadores da série, Jiro Takahashi, hoje editor do selo Prumo, da Editora Rocco, afirma que o sucesso da coleção se deu por conta de uma série de fatores, sendo o principal deles o baixo preço dos livros. Altas tiragens permitiam preços muito baixos, que por sua vez facilitavam a adoção das obras por escolas.
14. Outro ponto importante para a aceitação em sala de aula eram os encartes chamadosSuplementos de Trabalho, que traziam atividades didáticas ligadas ao livro.
"O mistério do cinco estrelas", de Marcos Rey
“O mistério do cinco estrelas”, de Marcos Rey
15. Milton Rodrigues Alves, um dos ilustradores da série, conta que, para ilustrar O Caso da Borboleta Atíria, passou muitas e muitas horas em um Museu de Zoologia. “Não tínhamos internet, e a melhor maneira de saber a forma de um Dynastes Hercules era indo ao Museu”, conta Milton.
16. O Escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida, em breve sairá das estantes diretamente para as telas de cinema. A obra está em fase de pré-produção, e terá direção de Carlos Milani. O filme já tem até um site:www.oescaravelhododiabo.com.br
17. E O Escaravelho do Diabo não é o único. O Mistério do Cinco Estrelas (1981), O Rapto do Garoto de Ouro (1982) e Um Cadáver Ouve Rádio (1983), todos de Marcos Rey, tiveram seus direitos adquiridos pela produtora RT Features, e começam a ser filmados no final de 2013. A previsão de estreia é julho de 2014.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Qual foi o livro publicado no ano em que você nasceu?

Por Maju Raz



O Blog Homo Literatus fez um post falando de livros publicados em vários anos para vermos qual livro foi publicado no ano do nosso nascimento. Achei muito interessante a matéria deles. O blog encontrou essas informações no no site espanhol Que Leer que disponibilizou uma matéria associando os principais livros lançados entre 1911 e 1999 à suas respectivas datas de publicação.

Confiram:

1911- A Árvore da Ciência (Pio Baroja)
1912- A Morte em Veneza (Thomas Mann)
1913- O Jardineiro (Rabindranath Tagore), Filhos e Amantes (D.H. Lawrence), O grande Meaulnes (Alain-Fournier), No Caminho de Swann (Marcel Proust)
1914- Dublinenses (James Joyce), Nevoeiro (Miguel Unamuno), Platero e Eu (Juan Ramón Jimenez), A Taberna Errante(G.K. Chesterton)
1915- A Metamorfose (Franz Kafka)
1916- Retrato do Artista Quando Jovem (James Joyce)
1917- Contos de amor, de loucura e de morte (Horacio Quiroga), Os Frutos da Terra (Knut Hamsun)
1918- Contos da Selva (Horacio Quiroga)
1919- Demian (Hermann Hesse)
1920- A idade da Inocência (Edith Wharton)
1921- A Tia Tula (Miguel Unamuno)
1922- Ulisses/Ulysses (James Joyce), Sidarta (Hermann Hesse), O homem que sabia demais (G.k. Chesterton)
1923- Dersu Uzala (Vladimir Arseniev), As Aventuras do Bom Soldado Švejk (Jaroslav Hasek), Bambi, história de uma vida do bosque (Félix Salten)
1924- A Montanha Mágica (Thomas Mann)
1925- O Processo (Franz Kafka), Mrs Dalloway (Virginia Woolf), O grande Gatsby (Francis Scott Fitzgerald), Seis personagens em busca de um autor (Luigi Pirandello)
1926- O Castelo (Franz Kafka), A dançarina de Izu (Yasunari Kawabata), Tirano Banderas (Valle Inclan), Confusão de Sentimentos(Stefan Zweig), O Assassinato de Roger Ackroyd (Agatha Christie), Dom Segundo Sombras (Ricardo Güiraldes)
1927- O Lobo da Estepe (Hermann Hesse)
1928- Contraponto (Adouls Huxley), O Amante de Lady Chatterley (D.H. Lawrence), Nadja (André Breton)
1929- O Som e a Fúria (William Faulkner), Adeus às Armas (Ernest Hemingway), Os sete loucos (Roberto Arlt), Dona Bárbara (Rómulo Gallegos)
1930- Enquanto Agonizo (William Faulkner), O Homem Sem Qualidades (Robert Musil)
1931- Gog (Giovanni Papini), Os Lança-Chamas (Roberto Arlt), As Lanças Coloradas (Arturo Uslar Pietri)
1932- Admirável Mundo Novo (Aldous Huxley)
1933- O Corcunda (Roberto Arlt), A Condição Humana (André Malraux)
1934- Trópico de Câncer (Henry Miller), Huasipungo (Jorge Icaza)
1935- História Universal da Infâmia (Jorge Luis Borges), Assassinato na Catedral (S.T. Eliot), Canaima (Rómulo Gallegos)
1936- Absalão, absalão! (Willian Faulkner), E o Vento Levou (Margaret Mitchell), Auto-de-Fé (Elias Canetti), Os Paradoxos da Mr. Pond (G.K. Chesterton)
1937- O Hobbit (J.R.R. Tolkien), Ter e Não Ter (Ernest Hemingway), O País das Neves (Yasunari Kawabata)
1938- A Náusea (Jean-Paul Sartre)
1939- Finnicius Revém (James Joyce), As Vinhas da Ira (John Steinbeck), Palmeiras Selvagens (Willian Faulkner), O Sono Eterno (Raymond Chandler),Trópico de Capricórnio (Henry Miller), O Caso dos Dez Negrinhos (Agatha Christie)
1940- Por Quem os Sinos Dobram (Ernest Hemingway), A Invenção de Morel (Adolfo Bioy Casares), O Zero e o Infinito (Arthur Koestler), O Deserto dos Tártaros (Dino Buzzati)
1941- Entre os Atos (Virginia Woolf), Os Filhos de Matusalém (Robert A. Heinlein)
1942- O Estrangeiro (Albert Camus), Viagem ao Fim da Noite (Louis-Ferdinand Céline)
1943- O Jogo das Contas de Vidro (Hermann Hesse)
1944- Ficções (Jorge Luis Borges), O Anão (Pär Lagerkvist)
1945- A Revolução dos Bichos (George Orwell), Viagem à Alcarria (Camilo José Cela)
1946- História de uma Escada (Antonio Buero Vallejo), O Senhor Presidente (Miguel Ángel Asturias)
1947- A Peste (Albert Camus), À Sombra do Vulcão (Malcolm Lowry), A Espuma dos Dias (Boris Vian), O Diário de Anne Frank (Anne Frank)
1948- Confissões de uma Máscara (Yukio Mishima), O Túnel (Ernesto Sábato)
1949- O Aleph (Jorge Luis Borges), 1984 (George Orwell), Homens de Milho (Miguel Ángel Asturias), O Segundo Sexo (Simone de Beauvoir), O Homem que Calculava (Malba Tahan)
1950- Crônicas Marcianas (Ray Bradbury), A Vida Breve (Juan Carlos Onetti), Eu, Robô (Isaac Asimov), Barabbas (Pär Lagerkvist), Nadíe encendia las lampadas (Felisberto Hernández), O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (C.S. Lewis)
1951- Bestiário(Julio Cortázar), O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupéry), O Homem Ilustrado (Ray Bradbury), Molloy (Samuel Beckett), Malone morre (Samuel Beckett), O Apanhador no Campo de Centeio (J.D. Salinger), Memórias de Adriano (Marguerite Yourcenar), Fundação (Isaac Asimov), O Criador de Gorilas (Roberto Arlt), A Colméia (Camilo José Cela)
1952- O Velho e o Mar (Ernest Hemingway), Esperando Godot (Samuel Beckett), Mil Origames (Yasunari Kawabata), Confabulário (Juan José Arreola)
1953- Chão em Chamas (Juan Rulfo), Fahrenheit 451 (Ray Bradbury), O Longo Adeus (Raymond Chandler), O Inominável (Samuel Beckett)
1954- O Senhor dos Anéis (J.R.R. Tolkien), O Senhor das Moscas (William Golding), Uma Fábula (William Faulkner), O Mestre do Go (Yasunari Kawabata), O Som da Montanha (Yasunari Kawabata), Bom Dia, Tristeza (Francoise Sagan)
1955- Pedro Páramo (Juan Rulfo), Lolita (Vladimir Nabokov), O Fim da Eternidade (Isaac Asimov)
1956- Final do Jogo(Julio Cortázar)
1957- Fim de Partida (Samuel Beckett), Pé na Estrada (Jack Kerouac), Doutor Jivago (Boris Pasternak), O Barão nas Árvores (Italo Calvino)
1958- Bonhequinha de Luxo (Truman Capote)
1959- As Armas Scretas (Julio Cortázar), O Tambor (Günter Grass), A Trégua (Mario Benedetti), The Sirens of Titan (Kurt Vonnegut), Tropas Estrelares (Robert A. Heinlein)
1960- O Sol é para Todos (Harper Lee), Um Cântico para Leibowitz (Walter M. Miller)
1961- A Casa das Belas Adormecidas (Yasunari Kawabata), O Estaleiro (Juan Carlos Onetti), Sobre Heróis e Tumbas (Ernesto Sábato), Solaris (Stanisław Lem), Catch-22 (Joseph Heller)
1962- Histórias de Cronópios e de Famas (Julio Cortázar), Laranja Mecânica (Anthony Burgess), Os Funerais da Mamãe Grande (Gabriel Garcia Marquez), O Homem do Castelo Alto (Philip K. Dick), Voando Sobre um Ninho de Cucos (Ken Kesey), A Morte de Artemio Cruz (Carlos Fuentes), Aura (Carlos Fuentes), O Século das Luzes (Alejo Carpentier), O Caderno Dourado (Doris Lessing)
1963- A Cidade e os Cachorros (Mario Vargas Llosa), O Jogo do Mundo (Julio Cortázar),V (Thomas Pynchon)
1964- Beleza e Tristeza (Yasunari Kawabata), Uma Questão Pessoal (Kenzaburo Oe)
1965- Três Tristes Tigres (Guillermo Cabrera Infante), O Lugar Sem Limites (José Donoso)
1966- Paradiso (José Lezama Lima), A Casa Verde (Mario Vargas Llosa), Todos os Fogos o Fogo (Julio Cortázar), A Sangue Frio (Truman Capote), O Leilão do Lote 49 (Thomas Pynchon), Cinco Horas com Mario (Miguel Delibes)
1967- Cem Anos de Solidão (Gabriel García Márquez), A Brincadeira (Milan Kundera), O Mestre e Margarida (Mikhail Bulgakov)
1968- O Caçador de Andróides (Philip K. Dick), 2001: Uma Odisséia no Espaço (Arthur C. Clarke)
1969- Conversa no Catedral (Mario Vargas Llosa), Ubik (Philip K. Dick), O Poderoso Chefão (Mario Puzo), O complexo de Portnoy (Philip Roth), Boquinhas Pintadas (Manuel Puig), Hasta no verte, Jesús mío (Elena Poniatowska)
1970- O Informe de Brodie (Jorge Luis Borges), Juan Salvador Gaviota (Richard Bach), O Olho Mais Azul (Toni Morrison), Ringworld (Larry Niven), Um Mundo para Julius (Alfredo Bryce Echenique)
1971- Nossa Gangue (Philip Roth), Carteiro (Charles Bukowski), Medo e Delírio em Las Vegas (Hunter S. Thompson)
1972- Os Próprios Deuses (Isaac Asimov), Encontro com Rama (Arthur C. Clarke)
1973- Pantaleão E as Visitadoras (Mario Vargas Llosa), Momo (Michael Ende), O Arco-íris da Gravidade (Thomas Pynchon), Café-da-Manhã dos Campeões (Kurt Vonnegut)
1974- Abaddon Destruidor (Ernesto Sabato)
1975- O Outono do Patriarca (Gabriel García Márquez), O Livro de Areia (Jorge Luis Borges), Terra Nostra (Carlos Fuentes)
1976- O Beijo da Mulher Aranha (Manuel Puig)
1977- Tia Júlia e o Escrevinhador (Mario Vargas Llosa), O Iluminado (Stephen King)
1978- Mulheres (Charles Bukowski), A vida: modo de usar (Georges Perec), Casa de Campo(José Donoso)
1979- A História Sem Fim (Michael Ende), A Zona Morta (Stephen King),O Guia do Mochileiro das Galáxias (Douglas Adams), A Escolha de Sofia (William Styron)
1980- A Confederação dos burros (John Kennedy Toole), O Nome da Rosa (Umberto Eco), Gostamos Tanto da Glenda (Julio Cortázar)
1981- Crônica de uma Morte Anunciada (Gabriel García Márquez), A Guerra do Fim do Mundo (Mario Vargas Llosa), Filhos da Meia-Noite (Salman Rushdie), A vida exagerada de Martin Romagna (Alfredo Bryce Echenique)
1982- A Casa dos Espiritos (Isabel Allende), Paisagens Depois da Batalha (Juan Goytisolo)
1983- O Enteado (Juan José Saer), Vida e Época de Michael K. (JM Coetzee)
1984- A Insustentável Leveza do Ser (Milan Kundera), O Amante (Marguerite Duras), Neuromancer (William Gibson)
1985- O Amor nos Tempos do Cólera (Gabriel Garcia Marquez), Cidade de Vidro (Paul auster), Meridiano de sangre (Cormac McCarthy), Ruído Branco (Don DeLillo), O  Perfume (Patrick Süskind), Amada (Toni Morrison), O Jogo do Exterminador (Orson Scott Card)
1986 – A cidade dos Prodígios (Eduardo Mendoza), A Coisa (Stephen King)
1987- Norwegian Wood (Haruki Murakami), Notícias do Império (Fernando del Paso), A Fogueira das Vaidades (Tom Wolfe), Angústia (Stephen King), Red Sorghum (Mo Yan)
Fiquei contente de ter nascido no ano em quem Stephen King lançava mais um de seus importantes romances :)
1988- A Imortalidade (Milan Kundera), O Alquimista (Paulo Coelho)
1989- Palácio da Lua (Paul Auster),Como Água para Chocolate (Laura Esquivel), Os Pilares da Terra (Ken Follett)
1990- Uma Casa no Fim do Mundo (Michael Cunningham), O Cair da Noite (Isaac Asimov), O Dia do Curinga (Jostein Gaarder)
1991- O Evangelho Segundo Jesus Cristo (José Saramago), El Jinete Polaco (Antonio Muñoz Molina), O Mundo de Sofia (Jostein Gaarder)
1992- Doze Contos Peregrinos (Gabriel García Márquez), Leviatã (Paul Auster), Todos os Belos Cavalos (Cormac McCarthy), Um Coração Tão Branco (Javier Marías)
1993- Morte nos Andes (Mario Vargas Llosa),  Quando já não Importa (Juan Carlos Onetti), A Paixão Turca (Antonio Gala), Trainspotting (Irvine Welsh)
1994- Do Amor e Outros Demônios (Gabriel García Márquez), Amanhã, na batalha, pensa em mim (Javier Marías)
1995- Crônica do Passaro de Corda (Haruki Murakami), Santa Evita (Tomás Eloy Martínez), Ensaio Sobre a Cegueira (José Saramago), Não me Espere em Abril (Alfredo Bryce Echenique)
1996- Pulp (Charles Bukowski), Clube da Luta (Chuck Palahniuk), Estrela Distante (Roberto Bolaño), O Capitão Alatriste (Arturo Pérez Reverte)
1997- Pastoral Americana (Philip Roth), Mason e Dixon (Thomas Pynchon), Todos os Nomes (José Saramago)
1998- A Identidade (Milan Kundera), Os Detetives Selvagens (Roberto Bolaño), As Partículas Elementares (Michel Houellebecq), Meu nome é Vermelho (Orhan Pamuk)

1999- Sputnik, meu amor (Haruki Murakami), Desgraça (J.M. Coetzee)