sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Resenha - "Amor Fora de Hora" de Katarina Mazetti

Por Roh Dover

Título Original: Grabben I graven bredvid
Título Nacional: Amor Fora de Hora
Autor: Katarina Mazetti
Tradução: Douglas Pompeo
Ano de Lançamento: 2011
Número de Páginas: 174
Categoria:
Romance
Editora: LUA DE PAPEL


Sinopse: Desirée vai regularmente ao túmulo do seu marido, que teve o azar de morrer muito jovem. Bibliotecária e urbana, ela vive em um apartamento elegante, cercada de livros. No cemitério, ela vê frequentemente um rapaz que visita o túmulo ao lado, cuja aparência a irrita tanto quanto a lápide sem charme onde ele coloca flores. Depois da morte da mãe, Benny cuida sozinho da fazenda da família. Ele se vira como pode, com um bom-senso rústico e uma alta dose de sarcasmo. Ele se sente incomodado cada vez que encontra sua vizinha de cemitério, "sempre vestida como se fosse a um evento", com sua pose esnobe, seu chapéu de feltro e um pequeno caderno à mão. Porém, um dia, um sorriso nasce nos lábios dos dois e algo muda entre eles... É o início de uma paixão irrefreável. Com um romantismo agitado e um humor revelador, este livro combina o choque de culturas com uma história de amor terno e espontâneo.

A escrita de Katarina Mazetti é sem dúvida moderna, despojada e incrivelmente estranha. Em “Amor Fora de Hora”, seus personagens principais são pessoas demasiadamente comuns que vivem situações extremamente reais. Cabe ao leitor se identificar com a história narrada pela escritora de origem sueca.
O enredo se concentra nos dois personagens principais, Desirée e Benny, ambos perderam parentes próximos, ela o marido e ele a mãe, e o destino acaba juntando-os em um lugar imprevisível, ou bastante previsível para eles, o cemitério. Desirée é formada e trabalha em uma biblioteca, Benny deixou os estudos para cuidar da fazenda de seus pais. Entre as idas ao cemitério, Desirée e Benny acabaram por se apaixonar, porém, para a escritora, em um mundo altamente real, é impossível os opostos se atraírem, e Desirée e Benny terão que lutar contra suas próprias personalidades se quiserem ficar juntos.
A visão realística da escritora pode causar má impressão para alguns leitores, mas também consegue surpreendê-los pelo mesmo motivo. O enredo em que Desirée e Benny vivem é tão real que o leitor acaba transformando-os em nossos amigos e torcer pelo amor dos dois, porém, assim como os personagens, entende que nosso mundo é muito complexo para um amor no estilo dos contos de fadas acontecer. Seus personagens não são perfeitos e vivem os mesmos problemas que qualquer leitor pode ter, e ao virar as páginas, entendemos os pensamentos e sofrimentos dos personagens. Talvez o estilo diferente da escritora possa virar sua identidade e tê-la transformado na autora internacional que é hoje.
Além dos problemas e dos amores comuns e reais que a escritora narra em sua história, outro ponto chama a atenção, a diferenciação do estilo de narração presente entre os dois personagens. Enquanto Desirée é uma mulher urbana e independente, Benny é um fazendeiro do interior à procura de uma mulher que lhe faça comida e esteja presente em casa enquanto ele cuida de suas vacas. Os estilos diferentes de personalidades estão claramente presentes na escrita, enquanto sentimos os pensamentos cultos de Desirée, também enxergamos o jeito bruto de ser de Benny.
Para aqueles que tirarem a essência da escrita de Katarina, além de sua narração e história, o livro será uma leitura bem-vinda e tranqüila, enquanto para aqueles que procuram no livro um refúgio imediato de todos os problemas que possam ser comparados com o seus, buscando personagens perfeitos com vidas perfeitas, talvez “Amor Fora de Hora” não seja degustado com tanto prazer, do que aqueles que entenderem o ponto de vista narrativo da escritora, que vai muito além do choque cultural vivido entre seus personagens.


Nenhum comentário:

Postar um comentário