quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

DICA: Que livro você é?

Por Francine Estevão


Se você estivesse em uma prateleira, biblioteca, livraria...que livro você seria?

A página do movimento Educar para Crescer, do grupo Abril te deixa fazer o teste para saber qual livro nacional você seria. Basta responder 10 perguntinhas rápidas.

Se você fosse um livro nacional, qual livro seria? Um best-seller ultrapopular ou um relato intimista? Faça o teste e descubra. 

Acessem e descubram: http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/testes/livro-nacional.shtml


O meu resultado foi "A paixão segundo GH", de Clarice Lispector.

Deixe um comentário com a sua resposta!

DICA: Como cuidar dos seus livros

Por Francine Estevão

Muita gente tem um carinho especial pelos livros que guarda e toma o maior cuidado enquanto os lê.
Então segue algumas dicas da assistente administrativa de biblioteca, Nagila Guedin Abdenur, de como cuidar dos seus livros:

- Deixe os livros em algum lugar onde não peguem sol, um lugar arejado e sem umidade
- Ao manuseá-los, pegue-os com cuidado, evite segurar pela capa
- Enquanto estiver lendo, evite usar clips para marcar as páginas
- Também prefira não usar os marcadores da própria capa para não amassar o livro
- Os livros mais velhos devem ficar guardados deitados

E no caso de algo acontecer com seu livro, segue algumas dicas da assistente de restauração documental, Selma Leepkaln Dasside, para você fazer a "reparação":

- Em caso de rasgar alguma página, tente emendar com um pedaço de papel
- Quando uma folha cair, tente uni-la com as outras com um filete de folha
- No caso do livro molhar, o ideal é deixá-lo secar fechado e com algum peso em cima


Hugo Cabret ganha nova tiragem

Por Francine Estevão


Assim como o filme que ficou famoso pelas indicações ao Oscar deste ano, o livro também conta a história do órfão Hugo Cabret, um menino de 12 anos que vive escondido em uma estação de trem na Paris dos anos 30, onde cuida da manutenção de gigantescos relógios

O filme "A invenção de Hugo Cabret" recebeu cinco estatuetas no Oscar de 2012: Melhor Fotografia, Direção de Arte, Mixagem, Edição de Som e Efeitos Visuais.

O livro homônimo de Brian Selznick, publicado pela Edições SM, que inspirou a versão cinematográfica de Martin Scorsese, vai ganhar uma nova tiragem aqui no Brasil em parceria com a Editora Lafonte.

Originalmente, o livro foi escrito em inglês e traduzido para 20 idiomas.

O tradutor da versão em português é professor e autor Marcos Bagno, que obteve – pelo trabalho – o prêmio de Melhor Tradução Jovem da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e Certificado de Honra, categoria tradução, do International Board on Books for Young People (IBBY).



Primeiro pôster de On the Road é divulgado

Por Juliana Garzon

Os atores Garrett Hedlund, Kristen Stewart e Sam Riley aparecem refletidos em retrovisor de carro 

O filme On the Road, adaptação do romance de mesmo nome do escritor Jack Kerouac, ganhou o seu primeiro pôster nesta quarta, 29. Na imagem, os atores Garrett Hedlund (Dean Moriarty), Kristen Stewart (Marylou) e Sam Riley (Sal Paradise) aparecem refletidos no retrovisor de um carro, com uma estrada deserta ao fundo.

Com direção do brasileiro Walter Salles, a adaptação do livro de 1957 é baseada em fatos reais e conta a história de como o escritor Sal (Kerouac, na vida real) conhece Dean (Neal Cassady) e sua mulher, Marylou (LuAnne Henderson). Juntos, eles viajam pelas estradas de leste a oeste dos Estados Unidos. "Foi tudo da forma como eu queria que fosse", afirmou Kristen em 2010, ao site da MTV. "Superou todas as expectativas. Foi divertido e selvagem. Não sabíamos o que nos aguardava a cada dia."

Também fazem parte do elenco de On the Road os atores Viggo Mortensen, Kirsten Dunst, Alice Braga, Steve Buscemi, Amy Adams e Tom Sturridge, entre outros. Segundo o blog The Playlist, a previsão é que o filme chegue aos cinemas ao final do primeiro semestre deste ano, mas ainda não há nada confirmado.

Fonte.


Lembrando que quem ainda não teve a chance de ler o livro pode participar do "Projeto Cultural On The Road" e depois escrever para o "On The Road For Kerouac". 

O filme também tem páginas oficiais nas redes sociais: Facebook e Twitter.

Resenha - "It´s Not Summer Without You" de Jenny Han

Por Roh Dover
Esta resenha também foi publicada no blog TriBooks

#2 série Summer

Título Original: It´s Not Summer Without You
Autor: Jenny Han
Lançamento: 2010
Páginas: 288
Formato: Impresso
Categoria: Romance
Editora: Simon & Schuster

Lançamento previsto para Setembro pela Editora Galera Record no Brasil. 

Onde Comprar: Book Depository
Sinopse: No ano passado, todos os sonhos de Belly se tornaram realidade e o pensamento de um verão sem a praia de Cousins ​​era inconcebível. Mas, como a ascensão e queda da maré do oceano, as coisas podem mudar - desse mesmo jeito. De repente, o tempo que ela sempre esperava é o que ela mais teme agora. E quando Jeremiah liga para dizer que Conrad desapareceu, Belly deve decidir como ela vai passar este verão perseguindo o rapaz que ela ama, ou, finalmente, deixá-lo ir.


Esta resenha contem spoiler para quem não leu “O Verão Que Mudou Minha Vida”.
Se em “O Verão que Mudou Minha Vida”, primeiro livro da trilogia Summer de Jenny Han, nos apaixonamos por todos os personagens, em “It´s Not Summer Without You”, os defeitos de cada um são colocados a prova.
Depois do final super fofo do primeiro livro da trilogia, encontramos no primeiro capítulo de “It´s Not Summer Without You” algo que nos faz prender a respiração, fechar o livro e dizer “eu não acredito nisso!”. Porque assim como Belly, você também quer fugir e não acreditar no que aconteceu com aquela família, ou com aquele verão perfeito, assim como Laurel, a mãe de Belly, nos fechamos em nossa casa de cristal e tentamos sonhar com algo diferente, e nas próximas páginas é isso que a gente tenta fazer, um faz de conta que aquelas palavras não foram escritas.
Aquilo que nós fãs da série não queríamos ler, aconteceu de fato, e nós assim como Belly, não sabemos como continuar. Belly está perdida, a dor que ela sente nós sentimos também. Esse verão não tem Cousins, praia, e muito menos a casa de veraneio, depois das péssimas palavras que Belly usou contra Conrad no momento que ele certamente precisava, ele será a última pessoa a falar sobre verão e Belly na mesma frase. Mas tudo muda quando Jeremiah diz que Conrad desapareceu, e de alguma maneira, Belly se vê sozinha com os dois em Cousins, na praia e na casa de veraneio.
O livro vem com uma surpresa, nesse também veremos alguns pensamentos sobre os verões passados, mas agora na visão de Jeremiah, e provavelmente será o único personagem que não nos deixaremos de apaixonar, e agora que vemos os pensamentos dentro daqueles olhos vibrantes dele, enxergamos um cara fofo, o tipo de cara fofo que nunca diz “não” para ninguém por que não consegue sentir a cara desanimo da pessoa, o tipo de cara que podemos encontrar aqui, neste mundo.
Os defeitos de cada personagem são colocados como as taças de cristais limpas que acabaram de ser colocadas na cristaleira, e apesar do defeito de cada um, continuamos a defender-los. Defendemos Belly como nossa melhor amiga, me vi dando conselhos para ela enquanto lia o livro e ao mesmo tempo em que falamos “é burra demais essa menina”, também nos vemos dizendo “Belly, por favor, não, você vai se machucar”.  Esses sentimentos dúbios são tão diferentes do que sentimos nesse mundo concreto em que vivemos? Não, sentimos por esses personagens o mesmo que sentimos pelo garoto que estamos apaixonadas, por nossas melhores amigas e por nossa família. E dentro desse mundo de Belly, que nesse livro está com um verão igual ao quando vamos a praia ficar apenas três dias e todos os dias chovem, os próprios personagens têm sentimentos tão reais, tão emocionantes que me via abraçando o livro como se conseguisse transmitir minhas emoções para dentro daquelas páginas, e depois entendi que era ao contrário, elas me passavam todas as emoções que eu sentia.  
Se em “O Verão que Mudou Minha Vida” Jenny Han conseguiu passar o mundo mágico do verão para as páginas, em “It´s Not Summer Without You” ela conseguiu transmitir como a vida é quando precisamos encarar nossas responsabilidades, quando encaramos o concreto como obstáculo, e após derrubarmos a parede, encaramos que nunca, nada será mais perfeito que antes, que sempre existirá os cacos que sobraram do concreto e precisamos conviver com isso e transformar o presente, o melhor perfeito possível, e Belly e os meninos entendem isso e muito mais em “It´s Not Summer Without You”.
O segundo volume da trilogia Summer é para aqueles que sabem como é viver todos os verões em uma praia, em uma casa de veraneio, com os amigos de verão, crescer com os pés descalços na areia, e de um dia para o outro, tudo na sua vida crescer e amadurecer, e assim como Belly, ter de abrir os olhos para tudo que está ao seu redor.

Leia a resenha de "O Verão Que Mudou minha Vida", clique aqui.

Trailer da segunda temporada de "Guerra dos Tronos" é liberado

Por Roh Dover
Esta matéria também foi publicada no blog TriBooks

HBO, produtora da série, libera trailer da segunda temporada de "Guerra dos Tronos", adaptação da saga "As Crônicas de Gelo e Fogo" de Martin. A segunda temporada narra os acontecimentos do segundo livro da saga "Fúria dos Reis" com alguns momentos presenciados no terceiro livro "Tormenta de Espadas". A saga é publicada no Brasil pela editora LeYa e o quarto volume "Festim dos Corvos" foi lançado em fevereiro de 2012, o quinto volume "A Dança dos Dragões" será lançado no segundo semestre de 2012. No trailer podemos dar uma boa olhada em Jon Snow, o bastardo de Winterfell, que agora está em uma missão para além da Muralha, podemos ver também como as coisas andam dificieis na capital com Cercei, o Duende e o terrivel Rei Joffrey, vislumbramos o menino Arry, a Arya de Winterfell e damos uma primeira olhada nos dragões bebês de Dany. A segunda temporada estréia no Brasil dia primeiro de abril e vai ao ar no canal HBO.

Editora LeYa confirma que capa do quinto livro de George R. R. Martin será feita pelo artista Marc Simonetti

Por Roh Dover
Esta matéria também foi publicada no blog TriBooks


Editora LeYa divulga em sua página no facebook que o quinto livro, "Dança dos Dragões" da saga "As Crônicas de Gelo e Fogo" de George R. R. Martin será feita pelo Marc Simonetti, artista que produziu as capas francesas que são as mesmas publicadas no Brasil. Essa divulgação aconteceu porque a LeYa a partir do quinto livro se desligará das traduções da saga em Portugal, tendo exclusividade das traduções e capas publicadas diretamente aqui no Brasil. Outra divulgação feita pela página do facebook da editora é o lançamento do quinto livro, que está previsto para setembro de 2012. 


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

BOOK TOUR "Pra Vida Toda" - Inscrições Encerradas



Primeiramente gostaria de agradecer a todos interessados na Book Tour de “Pra Vida Toda” da escritora Nanda Meireles.

Completamos os 20 blogs participantes rapidinho e teve muito interessado que ficou de fora. A esses, pedimos desculpas, mas temos que obedecer as regras.

Logo, você que conseguiram se inscrever vão receber nosso e-mail confirmando os dados e passando as orientações para que a Book Tour finalmente se inicie.

Enquanto isso, confiram a resenha de “Um Sonho a Mais” e acessem o site da Nanda.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Resenha – “Surpresa do Além” de Charlaine Harris


Por Francine Estevão


Título Original: Grave Surprise
Título Nacional: Surpresa do Além
Autor:
 Charlaine Harris
Ano de Lançamento:
 2012
Número de Páginas:
 254
Categoria:
 Ficção/Policial
Editora:
 Lua de Papel
(Parceira)


#2 Série Harper Connelly Mysteries

Agradecimento Lua de Papel

Sinopse: Convidados pelo professor de antropologia Clyde Nunley, Harper Connely e seu meio-irmão Tolliver viajam até Memphis para demonstrar, num antigo cemitério, seu estranho talento: localizar o corpo de pessoas mortas e descobrir a causa do falecimento. No entanto, Nunley se matem cético, mesmo depois de Harper encontrar e anunciar dois corpos num mesmo túmulo bem abaixo de seus pés. O primeiro, de um homem morto há séculos. O outro, de uma jovem falecida há pouco tempo. Assim, o que seria uma simples demonstração do trabalho de Harper revela outro mistério: o corpo encontrado era da filha desaparecida de uma mulher que meses antes contratara seus serviços paranormais. Parecia uma nova oportunidade de concluir um de seus raros casos sem solução, mas a investigação sobre o crime guardava mais uma surpresa: na manhã seguinte, um terceiro corpo é descoberto - na mesma cova...



“Surpresa do Além” é o segundo livro da série Harper Connelly Mysteries e mesmo sem ter lido o primeiro (ainda), devo dizer que não vejo a hora do terceiro e do quarto livro da série serem lançados no Brasil.

E mesmo sem ter lido o primeiro, os personagens são tão bem construídos que você entende toda a história.

“Surpresa do Além” é um misto de dois dos meus livros favoritos. Um pouco do sobrenatural de “A Mediadora” e um pouco do lado investigativo de “O Aliciador”, que resultam em uma investigação sobre uma descoberta feita por meio de um dom sobrenatural.

Eu explico.

Harper foi atingida por um raio quando era mais nova e desde então ela consegue descobrir a causa da morte das pessoas. Com isso, ela é contratada por diversas famílias para encontrar parentes desaparecidos e ao encontrar o corpo, ela o toca e fica sabendo como foram os últimos minutos do falecido.

Sempre acompanha pelo meio irmão Tolliver, Harper é convidada a participar de uma aula em uma universidade em Memphis para ser desafiada pelo professor descrente.

Harper é levada até um cemitério antigo para “ler” a morte de todos enterrados no local. O que ela não esperava era encontrar dois corpos na mesma sepultura. Tão inesperado quanto dois corpos juntos, é o fato de que o mais recente é o corpo de uma menina de 11 anos que ela mesmo não havia encontrado ao ser contratada pela família da jovem, mais de um ano atrás, em outra cidade.

É então que começa a saga investigativa para descobrir o responsável pela morte da menina e claro o dedo acusador aponta para todos.

Outro aspecto extremamente positivo do livro: você sai acusando todo mundo, o tempo todo durante todo o livro, mas em momento algum você tem certeza de quem é o responsável pelo crime, que você só vai descobrir lá no fim.

Uma história extremamente envolvente com ação, investigação, mistérios e até com muito humor em alguns momentos.

(PS: Virei fã da Harper!)

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Promoção livros Fabiane Ribeiro

A nossa parceira Fabiane Ribeiro está fazendo uma superprodução de seus dois livros “Xadrez” e “Corações em Fase Terminal”.

Confiram:

O valor promocional de qualquer um dos livros (versão impressa) é de 29,90 e o frete é grátis para qualquer lugar do Brasil (e o preço diminui mais ainda para quem adquirir os dois livros)! Mas corram, são pouquíssimos exemplares disponíveis para a promoção!


Como comprar?

Você deve enviar um e-mail para assessoriaxadrez@gmail.com
Então, receberá a conta e deverá fazer o depósito e enviar o comprovante para o mesmo e-mail.
Todos os livros serão enviados autografados e, você receberá o código de rastreamento para acompanhar seu pedido. Diga no e-mail qual será seu item de compra. Os valores são:

Livro “Xadrez”: 29,90
Livro “Corações em Fase Terminal”: 29,90
Pacotão de dois livros: “Xadrez” + “Corações em Fase Terminal”: 55,00

Informações:

Livro 1: Título: Xadrez
Subtítulo: Seu coração está onde estão aqueles que você ama
Autora: Fabiane Ribeiro
Editora: Multifoco
Gênero: Romance (drama)
Ano de Lançamento: 2011
Páginas: 384











Livro 2: Título: Corações em Fase Terminal
Subtítulo: Eles têm uma última chance para salvar suas vidas
Autora: Fabiane Ribeiro
Gênero: Romance, Ficção
Ano de Lançamento: 2011
Páginas: 117
Obs: Versão com capa dura e ilustrações no conteúdo











Resenhas:


Mais informações - CONTATO:

Fabiane Ribeiro

Extras de “A Visita Cruel do Tempo”

Por Francine Estevão

Para alguns, o livro “A Visita Cruel do Tempo” é o melhor livro dos últimos tempos. Para outros, o livro é confuso.


Jennifer Egan (que vai estar no Brasil para a Flip) fez uma introdução para dirigir os leitores do livro. Uma prévia apresentando suas diretrizes enquanto escrevia a obra: 1) Cada capítulo deve ser sobre um personagem diferente. 2) Cada capítulo deve ter seu próprio humor, tom e conceito. 3) Cada capítulo deve ser autossuficiente.

Para ficar ainda mais visível a “confusão” do livro, um mapa (http://www.filosophy.org/projects/goonsquad/) sinaliza a página com cada encontro entre os personagens e as conexões causadas por esse momento.

Quem quiser se aprofundar mais nesse extra de “A Visita Cruel do Tempo”, o Guia de Leitura (http://issuu.com/intrinseca/docs/guialeitura_visitacruel_issuu__2_) destaca os tópicos centrais do romance e dá até sugestões de novas leituras.



Lançamentos Março

Por Francine Estevão



“Nunca Diga Adeus” de Doug Magee
Editora Arqueiro (Parceira)

Sinopse: Com apenas 9 anos, Sarah está prestes a viver uma grande aventura: vai viajar sem os pais pela primeira vez na vida. A viagem tinha tudo para ser feliz e inesquecível, mas logo se transforma num terrível pesadelo.
Sem o marido para ajudá-la, Lena, mãe de Sarah, confere e assina os documentos autorizando a ida da filha. David saiu de casa cedo dizendo que recebera uma ligação do trabalho. Mais uma desculpa esfarrapada que ela não engoliu. O casamento está em crise, mas ela acredita que os dois vão conseguir se acertar no período em que a menina estiver fora.
Já pensando nos momentos a sós com o marido, Lena entra em pânico quando uma segunda van chega para buscar Sarah. Pouco depois, ela descobre que o primeiro motorista não faz parte da equipe do acampamento e que sua filha e outras três crianças foram sequestradas.
Após algumas horas, os criminosos enviam um e-mal exigindo 1 milhão de dólares para libertar as vítimas. Mas as condições para a entrega do dinheiro lançam suspeitas sobre alguns dos pais, e os casais começam a se voltar uns contra os outros, expondo seus segredos e relacionamentos já desgastados.
Neste suspense de tirar o fôlego, o desespero e a ganância levam algumas pessoas a tomar decisões impensáveis. Mas a fé e a intuição sempre podem superar as dificuldades.




“Dias de chuva e tempestade” de Nancy Pickard
Editora Arqueiro (Parceira)


Sinopse: A professora Jody Linder acaba de receber uma terrível notícia: o homem condenado pelo assassinato de seu pai está sendo solto e voltará para a cidade.
Há 23 anos um crime abalou a pacata Rose, uma cidadezinha no interior do Kansas. Hugh-Jay Linder, filho de um rico fazendeiro, foi encontrado morto em casa e sua esposa, Laurie, desapareceu, levantando a suspeita de que ela também teria sido assassinada.
Ex-empregado da família, o vaqueiro Billy Crosby foi imediatamente detido e logo condenado: um vestido sujo com o sangue de Laurie estava dentro da sua picape e o chapéu dele foi encontrado na cena do crime.
Agora o jovem advogado Collin Crosby quer provar que o pai é inocente e que as evidências foram manipuladas por influência da família Linder.
Enquanto Collin espera um novo julgamento para fazer justiça ao pai, Jody precisa confrontar seus tios e avós para descobrir o que realmente aconteceu naquela terrível noite. Para isso, ela sera obrigada a remexer em velhos segredos de família e a lidar com consequências imprevisíveis.
Um suspense com pinceladas de poesia e lirismo, Dias de chuva e tempestade captura a essência das pequenas cidades americanas e demonstra a habilidade de Nancy Pickard em criar personagens incrivelmente reais e profundos.

 Leia um trecho do livro aqui.


“Circo da Noite” de Erin Morgenstern
Editora Intrínseca (Parceira)

Sinopse: O circo chega sem aviso.
Nenhum anúncio o precede, nenhum cartaz em postes ou outdoor, nenhuma menção ou propaganda nos jornais locais. Simplesmente está lá, quando ontem não estava.
Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar.
Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá.
À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam.
Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.



“Delírio” de Lauren Oliver
Editora Intrínseca (Parceira)

Sinopse: Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?


“Hunger Games- A filosofia por trás dos Jogos Vorazes” de Lois H. Gresh
Editora Lua de Papel (Parceira)

Sinopse: O guia não oficial da série Hanger Games vai ser lançado no mesmo mês em que o filme vai chegar aos cinemas.
Para todos aqueles que adoram Katniss e Peeta, e não estão satisfeitos, este guia complementar para a popular série de jogos de fome é uma leitura obrigatória e um presente fantástico.
Detalhar o mundo pós-apocalíptico criado por Suzanne Collins do que você nunca pensou possível – uma alternativa futura onde meninos e meninas são escolhidas de doze distritos para competir no “The Hunger Games“, uma televisiva luta-para-a-morte. Quando Katniss, de dezesseis anos, descobre que sua irmã foi escolhida, se voluntaria a lutar em seu lugar – e os jogos começam. Este guia não autorizado leva o leitor por trás do palco.
O Hunger Games Companion inclui fatos fascinantes de fundo sobre a ação em todos os três livros, uma biografia reveladora da autora e surpreendentes insights sobre temas principais da série e recursos–a natureza do mal, armamento e rebeliões, para sobreviver ao fim do mundo. É tudo o que os fãs têm estado famintos desde o primeiro livro!




“Extras” de Scott Westerfeld (Da série “Feios”)
Editora Galera

Sinopse: A Era da Perfeição ficou no passado. A libertação promovida graças aos esforços de Tally Youngblood deu fim a uma cultura onde a beleza e as modificações cerebrais, que transformavam todos em avoados, eram a base do sistema. Nesse novo mundo onde Aya Fuse — não apenas uma Feia de 15 anos, mas uma Extra — tenta sobreviver, existe uma coisa muito mais importante e poderosa do que a beleza: a fama.













quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Blitz contra pirataria chega a sites de e-books

Por Francine Estevão

Dois sites de downloads gratuitos de e-books (library.nu e o ifile.it), com sede na Irlanda, saem do ar depois que as empresas receberam ordens da Aliança Global de Editoras Association of American Publishers.

As ordens foram emitidas há sete meses, mas só agora os sites encerraram as atividades, depois de milhares de downloads ilegais.

A estimativa é de que o serviço movimentava 7 milhões de libras por ano (19 milhões de reais) com anúncios, contas Premium e doações.

Só o library.nu mantinha mais de 400 mil e-books para download gratuito.

Fonte: Observatório da Imprensa

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Resenha - "A Visita Cruel do Tempo" de Jennifer Egan

Por Roh Dover

Título Original: A Visit From the Goon Squad
Autor: Jennifer Egan
Lançamento: 2012
Páginas: 335
Formato: Impresso
Categoria: Ficção/ Drama
Editora: Intrínseca
Cortesia 

Sinopse: Bennie Salazar é um executivo da indústria musical. Ex-integrante de uma banda de punk, ele foi o responsável pela descoberta e pelo sucesso dos Conduits, cujo guitarrista, Bosco, fazia com que Iggy Pop parecesse tranquilo no palco. Jules Jones é um repórter de celebridades preso por atacar uma atriz durante uma entrevista e vê na última — e suicida — turnê de Bosco a oportunidade de reerguer a própria carreira. Jules é irmão de Stephanie, casada com Bennie, que teve como mentor Lou, um produtor musical viciado em cocaína e em garotinhas. Sasha é a assistente cleptomaníaca de Bennie, e seu passado desregrado e seu futuro estruturado parecem tão desconexos quanto as tramas dos muitos personagens que compõem esta história sobre música, sobrevivência e a suscetibilidade humana sob as garras do tempo.

“A Visita Cruel do Tempo” de Jennifer Egan ganhou o Pulitzer de melhor ficção em 2011, fazendo com certeza o livro receber uma tiragem bem maior pela curiosidade humana sobre se o livro é tão bom quanto o prêmio que recebeu. Essa curiosidade chegou até a porta de minha casa, e ainda me deixou um bilhetinho “deixe o pré-conceito de lado”. Sim, pois quando o livro chega a minhas mãos com tamanho apelo da mídia como “O melhor livro que você terá nas mãos” do Los Angeles Times, faz automaticamente que eu abane as mãos, ande para trás e diga, não sou a pessoa certa para ler! Já que não gosto de sentir esse gosto de expectativa.
O bilhete da curiosidade venceu, e fui tomada por completo por uma euforia em ler o livro que todos estavam falando. Porém, meu sexto sentido disse-me algo, não dei ouvidos e comecei a ler as páginas da “A Visita Cruel do Tempo”. Acabei por não me sentir confortável com a leitura, que não segue um parâmetro cronológico e se torna confuso ao decorrer de suas primeiras páginas. Assim como no primeiro capítulo conhecemos Sasha, no segundo conhecemos Bennie e no terceiro, lá para por final do capítulo, descobrimos que aquele Bennie que Rhea estava falando é o mesmo homem do segundo capítulo, só que narrado por sua amiga, quando eles não passavam de dezoito anos. Não entendeu? Bem-vindo a “A Visita Cruel do Tempo”, sentem-se na sala e apreciem o filme.  
Apesar de não me “sentir em casa” lendo o livro ganhador do Pulitzer, Jennifer faz um apelo ao Senhor Tempo, que nenhum outro livro foi capaz de fazer, nosso coração se aperta e nos vemos pensando sobre nós, nossa vida e se ela percorrerá os mesmos caminhos daqueles personagens. Personagens estes que não são principais, nem Sasha a secretária cleptomaníaca, nem Bennie o executivo chefe de Sasha, nem aqueles que um dia se intercalaram nas vidas desses dois personagens, o estrelato é todo do Senhor Tempo, o cara de dupla personalidade, que as vezes brinca de ser vilão outra de ser herói.
Depois que Egan nos introduz na vida de Sasha e Bennie no presente, ela intercala os passados dos amigos e conhecidos desses dois personagens, o que mais chamou atenção foi como ela conseguiu passar o sentimento que todos nós temos em relação ao crescimento, como se o relógio do Senhor Tempo estivesse programado para começar a cronometrar assim que saíssemos do colegial, e sem que ninguém nos avise, temos nas mãos um fio vermelho chamado responsabilidade, e sem mais tempo nenhum, precisamos aprender a desarmar a bomba do tempo antes que o cronometro chegue ao zero.
Apesar do livro ser narrado sobre pessoas comuns e suas vidas comuns, um ricos e outros pobres, uns que tiveram sorte na vida, outros que batalharam pela sorte e aqueles ainda que esperam pescando no rio da cidade a sorte surgir, Jennifer, e toda sua confusão cronológica que ninguém vai conseguir se acostumar mesmo chegando perto do fim do livro, consegue narrar e transmitir a sensação do tempo passado com tamanha realidade que quando paramos para pensar, conseguimos escutar o relógio tic, tac, tic, tac, tic, tac, passando sem nenhum obstáculo pela linha do tempo.
A questão do tempo na narração de Egan também pode ser vista passando pela geração digital que estamos agora, como se essa geração fosse apenas mais uma em comparação com tantas outras que tiveram, de forma discreta ela narra sobre a questão pessoal e privativa, e quem tem algo pessoal nos dias da era digital? Uma questão levantada no livro foi sobre os bancos de dados das redes sociais, que armazenam todos nossos dados e juram nunca usá-los, e sem saber, pertencemos a inúmeras redes sociais.
O livro avança para além de todas essas questões, o tempo vai passando, e em se tratando de um livro que fala sobre o Senhor Tempo, uma jogada criativa da escritora foi se utilizar de um diário em formato de slides e gráficos do PowerPoint, para transcrever uma passagem de tempo que se utiliza de 100 páginas do livro.
A questão do seis graus de separação pode ter sido utilizada de forma discreta, assim como a teoria do caos, nos personagens do livro, sobre como nossa vida, mesmo aquela mais ínfima e simples possível, pode atingir alguém que nos é conhecido e que conhece outro alguém. Todos os caminhos vividos pelos personagens alguma vez se cruzou com outros personagens que narram a história, todos eles caminhando descalços sob o relógio do Senhor Tempo, pisando em obstáculos.
Talvez se Egan colocasse apenas o ano em que cada capítulo se desenvolve, estaríamos mais preparados para ler sobre seus personagens, sem a base da confusão cronológica em que o livro se desenvolve. “A Visita Cruel do Tempo” é um relato sobre a vida de todos nós seres humanos que habitamos o planeta Terra e que, talvez por coincidência, todos nós habitantes desse mesmo mundo, caminhamos pelo relógio do Senhor Tempo, queira nossas linhas se cruzem ou não, um dia ficaremos velhos e nossas vidas serão relembradas por flashs de momentos apenas do passado, sem nem ao menos um suspiro do futuro.

Resenha – “Um Sonho a Mais” de Nanda Meireles

Por Francine Estevão

Título Original: Um Sonho a Mais
Editora: Multifoco
Ano de Lançamento: 2011
Número de Páginas: 148 (formato e-book)
Categoria: Romance

Sinopse: Fabiana Andrade é uma jovem estudante de 17 anos com um único objetivo, passar no vestibular. Criada pela mãe costureira e abandonada pelo pai ainda muito pequena sentiu na pele as dificuldades de uma vida sem planejamento. Determinada, tem um sonho: fazer uma boa faculdade, abrir sua própria rede nacional de papelarias e dar a sua batalhadora mãe um bom descanso e uma digna recompensa por todo amor e cuidados dados a sua única filha. Um relacionamento era tudo o que ela não precisava, mas o destino lhe prega uma peça. Um antigo e apaixonado amigo é forçado a deixá-la. Uma nova e forte amizade se inicia. E um inesperado e arrebatador amor a encontra. Muita coisa acontece antes de Fabi entender a força e veracidade daquele amor. Confusões, intrigas, ciúmes, surpresas e decepções fazem de “Um sonho a mais” uma leitura divertida e viciante.


Em “Um Sonho a Mais” tudo o que Fabi queria era passar na faculdade.

“Eu tinha um sonho e toda minha vida planejada de forma a não falhar. Tinha um bom amigo que entendia minhas necessidades e nunca havia me decepcionado. Até que conheci alguém, apaixonei-me por esse alguém e acreditei firmemente em tudo o que dizia. Decepcionei-me.”

Morando sozinha com a mãe, ela não tem muitos amigos na escola, aliás, ela tem um amigo só, Dinho. O garoto grandão, com quase dois metros de altura, que bota medo em todo mundo também só tem Fabi. Os dois são tão unidos que provocam em todo o colégio a impressão de que são um casal de namorados. O que não é uma má ideia para Dinho, embora isso não faça parte dos planos de Fabi.

No fim do primeiro semestre do último ano, o jovem se envolve em uma confusão e acaba deixando a escola. Quando volta das férias para a última etapa antes de entrar em uma faculdade, Fabi conhece Mel, aluna nova, e Dane, irmão atraente, lindo e sedutor, de Mel.

O rapaz, que também está no último ano se muda para o colégio da irmã e acaba se envolvendo com Fabi, mais do que ela planejava durante o período pré-vestibular.

A vida dela então passa por várias reviravoltas e ela vai descobrindo aos poucos que nem tudo era o que ela pensava ser nem mesmo como ela planejava que fosse.

Embora a história seja simples, a escritora Nana Meireles conquista o leitor com algumas cenas bem descritas e envolventes, como o momento em que Fabi e Dane dão o primeiro beijo.

Além disso, as reviravoltas na vida de Fabi e o final - não esperado, também são pontos positivos de “Um Sonho a Mais”, que conta uma história que poderia muito bem ser real.

Participe da Book Tour de “Pra Vida Toda”, continuação de “Um Sonho a Mais” clicando aqui.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Resenha: “Em Busca do Guardião da Luz” de Camila Prietto

Por Juliana Garzon

Título Original: Em Busca do Guardião da Luz
Ano de Lançamento: 2010
Número de Páginas:
355
Categoria:
Ficção/Juvenil


Sinopse: Clara, uma menina de treze anos que adora “encher o mundo de pontos de interrogação” com sua curiosidade e perspicácia, se descobre pertencente a uma antiga tradição de Mestres que se ocupam em manter o equilíbrio entre os mundos. Isso mesmo, existem nove mundos paralelos ao nosso que nos influenciam, e a espevitada menina se descobre percorrendo estes mundos, no LIVRO I - EM BUSCA DO GUARDIAO DA LUZ. A Série Mestres da Luz traz em si, as estórias de Clara e todos os ensinamentos, conhecimentos, historias e mistérios da mais antiga e intrigante sociedade secreta de todos os tempos. Em meio a Pedras da Luz, Anjos da Morte, Guardiões, Sombras e Safiras acessaremos todos os conhecimentos da Sociedade da Luz e seus Mestres.

Já li/vi muitos livros e filmes de fantasia no estilo "As Crônicas de Nárnia", "Coração de Tinta", "Eragon", "A Bússola de Ouro" e por aí vai. O que eles têm em comum? Uma criança, de repente, se vê em um mundo que nunca pensou que fosse real, conhece criaturas estranhíssimas e, ainda para ajudar, tem que salvar todo o mundo delas das forças do mal. Em “Em Busca do Guardião da Luz” não é muito diferente, só que a missão da protagonista também o nosso mundo real, já que ele é “estabilizado” por 10 dimensões, que estão ameaçadas pelas Sombras.

Clara, que odeia e não entende matemática (yay! Ponto positivo pra ela!), a princípio não quer balancear a equação, mas acontece que a responsabilidade está enraizada na família dela.

Acho que, em comparação com algumas literaturas do mesmo estilo, “Em Busca do Guardião da Luz” tem um apelo bem mais infantil. A escrita é detalhada, às vezes até demais. Apesar de os lugares serem fáceis de serem imaginados, a narrativa por vezes se confunde entre passado e presente num mesmo período, o que pode desestimular o leitor e tirar o dinamismo da leitura. A autora frequentemente refere-se a Clara como “a menina” o que, na minha perspectiva de leitora, a distancia de toda a história, como se ela fosse qualquer pirralhinha e não “ela, A Clara, A protagonista”.

Sobre a clássica temática do bem contra o mal, Camila Prietto, assim como os outros, coloca o peso da espada e do escudo nas costas de uma criança; mas também mostra justamente essa dualidade da personalidade humana.

Resenha - "Parque dos Dinossauros" de Michael Crichton

Por Roh Dover
Esta resenha também foi publicada no blog TriBooks


Título Original: Jurassic Park
Autor: Michael Crichton
Lançamento: 1991
Páginas: 448
Formato: Impresso
Categoria: Aventura/ Ficção
Editora: L&PMPocket 

Sinopse: Numa remota ilha da Costa Rica, a multinacional de engenharia genética InGen prepara-se para assombrar o mundo com o mais fantástico parque turístico que a humanidade já conheceu. Recorrendo a avançadissimas técnicas de reconstituíção de DNA, sua equipe de cientistas conseguiu nada mais, nada meno9s do que produzir... dinossauros vivos! No entando, quando o paleontólogo Alan Grant chega a Isla Nublar, encontra evidências de que o projeto não é tão perfeito quanto se imaginava. Há algo de muito estranho acontecendo com as gigantescas criaturas pré históricas... Tudo indica que estão prestes a se tornar uma ameaça que nem mesmo os supercomputadores da InGen conseguirão evitar!


“O Parque dos Dinossauros” de Michael Crichton ficou mundialmente conhecido pela trilogia do famoso diretor Steven Spielberg, com o filme de mesmo nome. A narrativa sobre um parque de animais pré-históricos em uma ilha pertencente a Costa Rica ficou tão famosa que mesmo uma criança de nove anos hoje conhece, e idolátra, o melhor ator do filme: o tiranossauro rex.
Crichton perdeu alguns pontos muito interessantes de sua história devido a famosidade que Spielberg proporcionou ao filme. No caso, as primeiras cem páginas do livro são designadas ao suspense de que a empresa falida In-Gen está comprando materiais excêntricos e mandando para a ilha Nublar na Costa Rica. E bom, todos nós sabemos que é porque o excêntrico do Dr. Hammond quer montar um Parque dos Dinossauros por lá. Só que cem páginas de suspense, hoje em dia, vira “sem” páginas, ou seja, pura enrolação. Não que o trabalho de Crichton seja ruim. O trabalho e sua pesquisa para montar um livro que até hoje ninguém ousou fazer algo parecido, foi excepcional. Porém, os filmes ficaram tão famosos, que a magia do livro acaba se perdendo.  
Após o mistério ser resolvido e o Dr. Grant junto com Ellie e o irônico matemático Malcom chegarem ao esplêndido Parque dos Dinossauros, o leitor acaba por relembrar cenas exclusivas dos filmes, e se apaixonar pelo livro por relembrar delas. As crianças também estão por lá, Alex e Timmy, os netos do dono do maior e melhor parque temático do mundo. Cenas que fizeram do filme um ícone da época, estão presentes no livro, como o spray de barbear que na verdade era um contêiner para o DNA dos animais, que fez com que um homem cortasse a energia do parque para fugir e ganhar seus dez mil dólares para a empresa concorrente da in-gen. Os jipes parando de funcionar com os paleontólogos, o matemático, o advogado e as crianças dentro. O tiranossauro rex fazendo sua primeira aparição arrancando as cercas elétricas. Tudo está presente no livro, e como uma fã dos filmes, foi muito bom repassar tudo novamente em minha imaginação.  
As crianças merecem um pouco de atenção aqui: no livro Timmy é mais velho que Alex, diferente do filme, e Alex que é uma menina insuportável no filme, que só sabe gritar e chorar, é uma criança corajosa, engraçada e alegre. Timmy ainda é aquele garoto fascinado por dinossauros, mas que se importa com a irmã e faz de tudo para a sobrevivência dos dois.
Conforme nós vamos avançando na leitura, alguns pontos são tão conhecidos pelos filmes que chegamos a apontar no livro e falar “eu lembro disso! É aquela parte!”, outros pontos nem tanto, o que dá uma forma um pouco independente ao livro, que mesmo tão ligado ao famoso filme, ainda se mantém com algumas cartas na manga. Uma das partes é que o personagem favorito de todos, o T-Rex no livro é um grande boboca que dorme, ronca, baba e come. E mesmo quando está na parte “comer” ativa, os personagens do livro já percebem que ele é tão burro que nem medo mais sentem dele. O personagem principal do livro é outro, os velociraptores, animais inteligentíssimos e com um poder de estratégia maravilhoso.
Para aqueles que não desanimaram no começo do livro, Crichton se torna fantástico no decorrer das páginas, e não apenas pela história surpreendente sobre um parque que definitivamente nunca seria aberto, pois, um parque sobre animais extintos, exímios caçadores, controlados por humanos egoístas, que pensam em dinheiro e detenção de poder, o que no livro chama-se de “o efeito Malcom”: um erro humano desencadeia uma hélice infinita de erros e defeitos, pelo simples fato que no começo de tudo, foi produzido por outro humano. O livro também torna-se fantástico pelo que existe por trás de uma história de ficção que virou filme blockbuster, ou seja, aqueles filmes que possuem apenas o objetivo de ganhar dinheiro e sustentar a indústria cinematográfica, Crichton assume e divulga o egoísmo humano, a burocracia e a política por trás das empresas farmacêuticas que não liberam remédios que curam doenças por dois fatos: quem vai sair com o dinheiro e quem vai sair com a fama. E que para se entender o que deu errado no “Parque dos Dinossauros” ele se encarrega de argumentar com o sustento de palavras verdadeiras sobre os seres humanos. Apesar do livro ter originado um filme blockbuster, apesar de todos nós já sabermos sobre seus principais momentos, o livro tem sua base e sua crítica que merece ser lida e divulgada.