sexta-feira, 30 de março de 2012

Resenha - "O que falta ao tempo" de Ángela Becerra

Por Francine Estevão



Título Original: Lo que le falta al tiempo
Título Nacional: O que falta ao tempo
Autor: Ángela Becerra
Lançamento: 2011
Páginas: 380
Categoria: Romance
Editora: Suma de Letras


Sinopse: O livro conta a complicada história de Mazarine, uma jovem estudante de pintura parisiense que vive sozinha numa casa no Quartier Latin. De hábitos excêntricos, Mazarine tem apenas três mudas de roupa, caminha descalça pelas ruas da cidade, levando nos ombros um longo casaco preto que chega até os pés e, no pescoço, um medalhão. Apesar disso, Mezarine consegue levar uma vida aparentemente comum aos olhos dos demais cidadãos de Paris. Mas assim que sua admiração pelo professor do curso chega às raias da idolatria, sua história começa a tomar outra direção. Cádiz, de 60 anos, é um célebre e respeitado pintor cujo prestígio se mantém, mesmo não tendo produzido nenhuma obra relevante nos últimos tempos. Suas esperanças de renascimento artístico estão depositadas no talento natural de Mazarine para a pintura, mas essa ligação entre professor e aluna logo assume os contornos de um caso tórrido. Paralelamente ao desenrolar dessa relação, os integrantes de uma estranha seita começam a rondar e espionar a casa da jovem, em busca de algo que teria sido escondido ali há décadas. Sem ter ideia do que seja, Mazarine se vê repentinamente em perigo.


Se eu não tivesse desejado TANTO esse livro, eu provavelmente não teria terminado de lê-lo.
Quando olhei pra ele pela primeira vez na livraria, me apaixonei pela capa e pelo título. Em seguida, me fascinou a sinopse e eu demorei séculos até conseguir encontrá-lo numa promoção (porque ele era bem carinho pro meu bolso).

A parte bonita termina ai e eu só cheguei ao fim porque como dizem, “a esperança é a última que morre” e eu tinha esperança, até o fim, de que uma reviravolta mudaria minha opinião sobre o livro. Não mudou.

A história é fraca mesmo, quase sem graça. Muita enrolação e coisas que no fim não dão em nada.

Resumindo, “O que falta ao tempo” tem uma ótima sinopse para um livro muito fraco, além de umas ótimas “frases de efeito” que eu marquei.

Mazarine tem uma grande paixão por pintura e uma excentricidade extrema (embora isso não a torne mais atraente para o leitor). Ninguém sabe de onde ela veio, quem é sua família...nada. Ela é um mistério para todos e chama atenção por onde passa por uma particularidade: andar descalça. Além disso, ela esconde em sua casa um segredo. Uma menina morta e não enterrada, como ela mesmo diz: Sienna, a misteriosa santa que acaba sendo o centro de toda a história.

Mazarine pouco sabe sobre aquela santa. Mas mantém conversas constantes com ela, que é considerada a melhor amiga e conselheira da jovem e nunca a revela para ninguém. No entanto, quando começa a usar um medalhão que encontrou com a santa, ela passa a ser perseguida por uma seita, os Arts Amantis, que querem localizar Sienna, que teve um sumiço misterioso.

Enquanto isso, a jovem se apaixona por Cádiz, o pintor com quem ela começa a “trabalhar” e que também acaba se apaixonando por ela embora seja casado com Sara, uma fotografa de sucesso.

Mas então, Mazarine fica noiva de Pascal, um rapaz que conheceu do nada pelas ruas de Paris e a partir daí se desenvolve um triângulo, ou um quarteto, amoroso cheio de mistérios, segredos e complicações.

Enquanto isso, alguns personagens dão as caras em algumas cenas, mas nem sei bem porque estão lá. Se não estivessem, não fariam falta nenhuma.

Apenas no final, mas beeeem no finalzinho mesmo uma coisa bem pequena me surpreendeu. Algo que falei “bem, por essa eu não esperava”, mas logo passou e voltou a ficar tudo sem graça de novo e ai o livro acabou.

terça-feira, 27 de março de 2012

Livros de Harry Potter estão à venda em formato e-book




Os livros best-sellers de J.K. Rowling da série Harry Potter estão disponíveis pela primeira vez no formato e-book no novo site dedicado às aventuras do garoto mágico.

As sete histórias, que venderam estimadas 450 milhões de cópias em todo o mundo e produziram oito filmes bem sucedidos para o cinema, estão a venda nesta terça-feira no site Pottermore, elaborado por Rowling.

A loja online (shop.pottermore.com) é rede varejista exclusiva para os e-books e audiobooks digitais de Harry Potter que foram lançados apenas em inglês. Edições em francês, italiano, alemão e espanhol são esperadas nas próximas semanas e em mais outras línguas na sequência.

O site principal da Pottermore é esperado para funcionar no início de abril, vários meses depois do anunciado anteriormente devido a problemas técnicos. Designers esperam permitir aos leitores explorar elementos do mundo de Harry Potter que não apareceram nos livros e a interagir com as histórias e personagens.

O website gratuito, em parceria com a Sony, é um dos vários empreendimentos lançados por Rowling e seus parceiros comerciais para manter a mágica de Harry Potter viva e a continuidade dos lucros.

Rowling, que recentemente anunciou que se voltará à ficção para adultos, resistiu por muito tempo em transformar as histórias de Harry Potter em formato digital, mas por fim decidiu que o progresso tecnológico não poderia ser impedido.

O lançamento do e-book levanta questões sobre infrações de direitos autorais da propriedade de Potter, apesar de que os organizadores estão usando uma combinação de técnicas de marca d'água para proteção contra cópias ilegais.

Fonte: Terra

segunda-feira, 26 de março de 2012

Teaser de "A Hospedeira"

Por Francine Estevão


Depois do sucesso da adaptação da série Crepúsculo para o cinema, Stephenie Meyer ganha as telonas novamente.

Em março de 2013, chega aos cinemas (nos EUA, ainda sem previsão no Brasil) a adaptação de mais um best-seller da autora, "A Hospedeira".

O filme é dirigido por Andrew Niccol, de "O Show de Truman" e estrelado por Saoirse Ronan, Max Irons, Jake Abel, William Hurt e Diane Kruger.

A história conta a luta de Melanie Stryder, um dos últimos humanos em meio à invasão de aliens que tomou conta do planeta. Os extraterrestres invadem o corpo dos homens e pagam sua personalidade, criando uma fusão entre as espécies.

Quando Melanie é capturada e invadida pelos aliens, algo diferente acontece e o invasor vai ter que lidar com as memórias e emoções da jovem.

Confira o teaser (oficial) do filme que tem rolado na internet:

NOTÍCIA: Clutch-livro, a nova tendência

Por Francine Estevão

As feshionistas e fãs de literatura estão lançando uma nova moda. Os clutches-livro são bolsinhas, de mão, em formato de livro.



Acredita-se que tudo começou com a francesa Olympia Le Tane, com criações feitas à mão.
Mas, com certeza a fama das clutches-livro veio depois que a atriz Natalie Portman apareceu usando uma na première de Cisne Negro, em 2010.



E enquanto os livros, para ler mesmo, são bem acessíveis hoje em dia, as bolsinhas em formato de livros não são nada modestas e costumam custar uma média de MIL E QUATROCENTOS reais.

A maioria das clutches não são feitas em série, ganham no máximo 16 producoes, são feitas à mão e costuma reproduzir capas de clássicos da literatura como “Lolita”, “Drácula”, “O Grande Gatsby”, “A Divina Comédia”, “O Apanhador no Campo de Centeio” entre outros.



Fonte: R7


Resenha - "Tweet Heart" de Elizabeth Rudnick

Por Roh Dover
Esta resenha também foi publicada no TriBooks.

Título Original: Tweet Heart
Autor: Elizabeth Rudnick
Lançamento: 2010
Páginas: 264
Formato: Impresso 
Categoria: Comédia Romantica/ Internet
Editora: Hyperion

Sinopse: Claire é uma novata no twitter. Sua melhor amiga, Lottie, é a gênia do flerte romântico. Bennet só quer tirar sarro de todos no seu blog. No mundo do Twitter, é muito fácil qualquer um se reinventar. É fácil você se passar por uma pessoa que você não é. E bem mais fácil paquerar, ou passar uma cantada. Mas paquerar pode te levar a se apaixonar. E fica difícil quando quem você paquera não é exatamente o mesmo por trás do computador. Tweet Heart é uma comédia romântica juvenil, contada por uma inovada maneira entre tweets, postagens em blogs e troca de e-mails.


 

“Tweet Heart” de Elizabeth Rudnick é o tipo de livro que o adolescente se identifica, que o jovem adulto relembra e que provavelmente os adultos falariam “ouuun, que fofo”.
Mas também é o tipo de livro em que qualquer pessoa, de qualquer idade, pode juntar os três momentos acima e ser todos eles em determinados períodos. Eu, por exemplo. Identifiquei-me completamente com a Claire. Uma menina nerd do último ano do colegial que acaba de entrar no twitter, sonhando que talvez seu príncipe encantado, que você paquera desde o jardim de infância e que nem sabe que você existe apareça no twitter, te siga e por um milagre descobre que você é a garota legal que ele tanto quer, e que procurou em tantas outras garotas com quem esteve.
Claire tem três amigos, sua melhor amiga Lottie, é aquele tipo de amiga que seria você se por acaso perdesse o juízo e o senso racional do romance e saísse você mesmo a caça do príncipe encantado, dando uma propina para o Cupido te ajudar. Bennet é aquele seu amigo filosófico, que fala como se nem ligasse para sua amizade, usa do sarcasmo para esconder o quanto gosta da sua amizade e morreria se você parasse de falar com ele. E tem o Will, o garoto que é apaixonado pela Claire, aquele que entra em todo tipo de curso no colegial só para ficar com você, e claro, você lesada tem a completa certeza que ele é o melhor amigo do mundo!
Eu me identifiquei tanto com a Claire, pois confesso que quando aquele garoto me olhava na faculdade e sabe-se lá por que decidiu sorrir (provavelmente porque seu amigo tonto tava fazendo uma palhaça que lá da escada eu não conseguia ver), a primeira coisa que fazia era entrar no computador e mandar um e-mail detalhando desde quando eu colocava o pé na faculdade (três horas antes do sorriso Colgate), narrava todos os acontecimentos precendentes achando que o destino interviu naquele acontecimento grandioso que parou a Terra por mais de sete segundos, só para fazer o desfecho "grand finale" dizendo que ele sorriu, com um "P.S" embaixo dizendo que na verdade nem sabia se era para mim. E definitivamente terminando o email falando que com certeza nem deveria ter sido para mim.
Claire faz exatamente o mesmo; Essa é minha menina!
O segundo momento, o de relembrar, se deu no desenrolar da história, que é claro que o nerd louco por Star Wars, Bennet teve a grandiosa ideia de que Will se passasse pelo paquera de Claire no twitter e desse um simples “Oi” para ela. Que brincadeira de bobo, eu sei, mas o Will estava enchendo horrores o Bennet no twitter dizendo que a Claire estava toda down e tudo mais, e ele queria fazer ela feliz. (ouuunnn – não, pára, não é agora!) É claro que o Will não pára em um simples “Oi” e acaba entrando em uma enrascada e tanto. Claro que minha história não é tão fofa quanto essa, já que duas amigas minhas da faculdade tiveram a capacidade de bolar um e-mail falso, com um MSN falso, tudo isso para me adicionar e se passar pela minha queda de vinte de metros de altura por um cara apelidado de Zeus. E elas fizeram isso não para me fazer feliz, e sim para sacanear mesmo. Nem tão fofo assim, fala aí!
Entre tweets, e-mails e postagens em blogs, a narração de Elizabeth é divertida e extremamente gostosa de ler. Apesar de ser um bando de adolescentes tentando se comunicar em 140 caracteres em inglês e sobrar para eu ter que decifrar as palavras encurtadas e as siglas (ASAP, G2G, HTH, OTOH, IDK, e muitas outras, vai por mim), nós não ficamos perdidos na história e Elizabeth sempre acha um jeito da gente saber o que aconteceu quando o pessoal estava offline. E, claro, duas coisas que fazem o livro ser perfeito: O Bennet é fanático por Senhor dos Anéis, com direito a tweets em linguagem élfica e tudo. E quando você termina o livro, ao fechá-lo a primeira frase que vem na sua mente é – ouuuun, que coisa MAIS fofa!

Pessoas que leem são mais legais

Thiago Perin para Superinteressante



Pesquisadores da Universidade de Washington e Lee, nos EUA, constataram esse efeito com um teste bem simples: colocaram voluntários para ler uma história bem curtinha, fizeram algumas perguntas para identificar o quanto cada um tinha curtido o que leu e aí derrubaram, sem querer querendo, um monte de canetas no chão. O estudo conta que, quanto mais “transportadas” para dentro da história as pessoas tinham sido, maiores eram as chances de levantarem o bumbum da cadeira para ajudar a recolher as canetas.

A explicação é que quando lemos algo que realmente mexe com a gente, criamos empatia pelos personagens da história — e quanto maior essa empatia, mais propenso a gente fica a ser bacana com os outros na vida real. E você aí, anda lendo muito?
Crédito da foto: flickr.com/ciro

sexta-feira, 23 de março de 2012

Resenha - "A Esperança" de Suzanne Collins

Por Roh Dover
Esta resenha também foi publicada no TriBooks.

Título Original: Mockingjay
Título Nacional: A Esperança
Autor: Suzanne Collins
Lançamento: 2011
Páginas: 421
Formato: Impresso 
Categoria: Ficção/Fantasia
Editora: Arqueiro
#3 série “Jogos Vorazes”


Sinopse: Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais de lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução. A coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo. O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra? Acompanhe Katniss até o fim do thriller, numa jornada ao lado mais obscuro da alma humana, em uma luta contra a opressão e a favor da esperança.

Contêm spoiler para quem não leu “Jogos Vorazes” e “Em Chamas”

O desfecho da trilogia “Jogos Vorazes” de Suzanne Collins tem pouca ação, mas muita explicação.  Depois que Katniss é salva da arena pelos rebeldes do Distrito 13, Suzanne dá a ela a capacidade de enxergar o poder político que será Panem nas mãos da líder da rebelião, e o que ela vê não é nada bom.
Katniss se vê no subterrâneo do distrito 13, um distrito inteiro construído embaixo da terra anos e anos após a última rebelião, que supostamente teria destruído qualquer forma de vida por lá segundo a Capital, e se encontra sufocada, não pelo peso da terra em cima dela, mas pelos kilos de autoritarismo que governam os rebeldes do 13. Porém Katniss é altamente utilizável para os que governam a atual rebelião contra a Capital, ela é o Tordo, o símbolo da rebelião, aquela que por um único significado juntará todos os distritos para combater a Capital e seu reinado maquiavélico.
Nesse livro enxergamos mais o personagem Gale, que por mais que ame Katniss, também ama a causa que serve, a rebelião e a vingança pelos anos vividos sufocado pela pressão da Capital. Peeta ainda está nas mãos do presidente Snow, e Katniss se vê horas imaginando que tipo de tortura ele estará sofrendo.
Entre todo o enredo do terceiro e último livro de Collins, entre juntar os distritos, guerrear com a Capital e perder muitos e muitos personagens a escritora detalha sua personagem Katniss com pequenos cristais que vão se juntando até seu desfecho, mostra uma personagem corajosa, que ama sua família acima de tudo, mas que tem um coração congelado para todos os outros.
Collins continua sua crítica à mídia e a política e todo poder que ela exerce em uma sociedade alienada. Mas em “A Esperança” a autora também descreve a obsessão fanática da sociedade por reality shows, transformando a guerra dos rebeldes contra a capital e mais um show ao vivo para a população assistir, como um exemplo de uma extensão dos Jogos Vorazes que a Capital fazia ano após ano. Agora, o produtor dos Jogos está nas mãos dos rebeldes, e Katniss precisa gravar cenas falsas da guerra para demonstrar a população como os rebeldes são fortes e resistentes, enquanto tantos outros morrem, morrem e morrem. Transformando a morte e algo fútil e distante da realidade da sociedade.
Apesar da autora não saber descrever cenas de mortes importantes, que se deram um pouco confusas na narração, ela ganha milhares de pontos com sua última e maior crítica: a guerra é algo grande, forte, que sai do controle, mata e morre e que ao acabar físicamente, não acaba mentalmente e aqueles que estiveram nela viverão eternamente com o som de bombas em seus ouvidos, com o gosto de cinzas em sua boca, e a mancha de sangue em suas mãos.


Citações:
"Francamente, nossos ancestrais não parecem merecer esse respaldo todo. Enfim, olha o estado em que nos deixaram, com as guerras e o planeta destroçado. Visivelmente não davam a miníma para o que poderia acontecer com as pessoas que viveriam depois deles" página 96

quarta-feira, 21 de março de 2012

Resenha - "Linguagem das Flores" de Vanessa Diffenbaugh

Por Roh Dover
Esta resenha também foi publicada no TriBooks.

Obs: o Blog TriBooks está sorteando um exemplar de Linguagem das Flores, clique aqui para participar!


Título Original: The Language of Flowers
Título Nacional: A Linguagem das Flores
Autor: Vanessa Diffenbaugh
Lançamento: 2011
Páginas: 295
Formato: Impresso 
Categoria: Romance/Drama
Editora: Arqueiro

Sinopse: Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio. 

A expectativa é a decepção do leitor, disse isso na resenha “Cidade dos Ossos” de Cassandra Clare. Após terminá-lo segui para “A Linguagem das Flores” de Vanessa Diffenbaugh sem expectativa nenhuma.
Não fazia ideia do que se tratava o livro, porque não gosto de ler sinopse e ao ler o primeiro capítulo sobre uma menina com problema psicológico, órfã que acabou de ser emancipada do estado após completar 18 anos eu disse “que coisa é essa?!” levantei uma sobrancelha (é eu consigo fazer isso) e fiz careta com a boca.
Também comentei na resenha de “Cidade dos Ossos” que a decepção pode ser a sobrevivência do leitor. Com certeza foi a sobrevivência do livro em minhas mãos. Após acostumar com a história de Victoria, entender seus problemas e libertar-me do pré-conceito da vida que ela tinha, me vi tocada pelo livro, de coração e alma.
Não é fácil imaginar a vida que Victória teve, e muitos de seus problemas psicológicos nos é explicado, como viver em mais de 10 casas diferentes e todas suas supostas mães te devolvendo porque não querem mais você ou você tendo que ir embora porque a mãe adotiva era uma louca desvairada que tentou te matar.
Os problemas psicológicos de Victória vêm a tona nos primeiros capítulos, tão bem narrados e descritos pela autora que o choque que você leva de ler uma personagem estilo da Victoria te faz largar o livro e sair correndo para voltar no mundo mágico e perfeito de “Cidade dos Ossos”.
Após se emancipar e viver os últimos 18 anos entre mães que decidiam que não te queriam, decidiam que você tinha problemas demais para elas aguentarem e entre o orfanato, Victoria não tinha ninguém e sua única casa era a rua e sua única cama o chão.
Entre a emancipação e a vida presente de Victória ela nos conta a última mãe que teve, sua última esperança e tentativa de um lar aos 10 anos. Elisabeth conseguiu quebrar todas as barreiras que Victória construiu ao longo dos lares que passava e era rejeitada. Ela ensinou a Victória sobre o poder das flores e suas mensagens, e Victória colocou tudo a perder.
Se apegando a única lembrança boa que tinha, conseguiu um emprego em uma floricultura e entre as idas ao mercado de flores,  descobre que não é apenas ela que sabe sobre o segredo mágico das mensagens que as flores são capazes de transmitir, aquele homem misterioso da barraca também sabe sobre elas.
É entre a vida problemática de Victória e sua alegria de viver com Elisabeth no passado, que Vanessa nos conta de forma belíssima a história dessa menina que apesar de não ter esperança nenhuma, aos poucos foi encontrando a beleza que existe na vida brutal da realidade deste mundo.
Nós conseguimos ver nitidamente a transformação dela, seu crescimento e o enfrentar dos obstáculos mentais que ela precisa superar. “A Linguagem das Flores” me tocou e me transformou, uma história incrível que até aqueles que esperam uma expectativa não serão levados a decepção, e aqueles que assim como eu não tinham expectativa nenhuma, serão presenteados com uma história simples e ao mesmo tempo complexa, bela e que transformará cada um que a ler. 

5 filmes para quem é fã da série Harper Connelly Mysteries

Por Francine Estevão




Com certeza a série Harper Connelly Mysteries já é famosa no Brasil. (E no que depender de mim vai ser ainda mais, #vireifã).

Levando isso em consideração, a Lua de Papel, que publica os livros “Visão do Além” (resenha em breve), “Surpresa do Além” (resenha aqui) (e em breve o terceiro da série) aqui no país, colocou no site uma lista indicando 5 filmes que os fãs da série podem gostar, todos eles sobre atividades paranormais.

PS: (=O essa eu não sabia) O cineasta Ridley Scott já está trabalhando na adaptação de  ‘Harper Connelly Mysteries’ para a televisão!

Bem, os filmes:

5. O Sexto Sentido (The Sixth Sense, 1999)
O psicólogo infantil Malcolm Crowe (Bruce Willis) abraça com dedicação o caso de Cole Sear (Haley Joel Osment). O garoto, de 8 anos, tem dificuldades de entrosamento no colégio e vive paralisado de medo. Malcolm, por sua vez, busca se recuperar de um trauma sofrido anos antes, quando um de seus pacientes se suicidou na sua frente.

4. Os Outros (The Others, 2001)
Durante a 2ª Guerra Mundial, Grace (Nicole Kidman) decide se mudar, juntamente com seus dois filhos, para uma mansão isolada na ilha de Jersey, a fim de esperar que seu marido retorne da guerra. Como seus filhos possuem uma estranha doença que os impedem de receber diretamente a luz do sol, a casa onde vivem está sempre em total escuridão. Eles vivem sozinhos seguindo religiosamente certas regras, como nunca abrir uma porta sem fechar a anterior, mas quando eles contratam empregados para a casa eles terminam quebrando estas regras, fazendo com que imprevisíveis consequências ocorram.

Sam Wheat (Patrick Swayze) e Molly Jensen (Demi Moore) formam um casal muito apaixonado que tem suas vidas destruídas, pois ao voltarem de uma apresentação de “Hamlet” são atacados e Sam é morto. No entanto, seu espírito não vai para o outro plano e decide ajudar Molly, pois ela corre o risco de ser morta e quem comanda a trama, e o mesmo que tirou sua vida, é quem Sam considerava seu melhor amigo. Para poder se comunicar com Molly ele utiliza Oda Mae Brown (Whoopi Goldberg), uma médium trambiqueira que consegue ouvi-lo, para desta maneira alertar sua esposa do perigo que corre.

2. Desafio do Além (The Haunting, 1963)
O Dr. Markway (Richard Johnson) faz uma pesquisa para provar a existência de fantasmas e, com isso, se interessa pela Hill House, uma mansão com 90 anos localizada na Nova Inglaterra e que tem em sua história mortes, violência e loucura. Junto com ele estão Luke Sanderson (Russ Tamblyn), um cético que está para herdar a casa, a misteriosa e clarividente Theodora (Claire Bloom) e a insegura e carente Eleanor Lance (Julie Harris), cujos dons psíquicos a transformam no instrumento de ligação com os espíritos da velha mansão. Gradativamente fica óbvio que eles encontraram algo muito maior e aterrorizante do que poderiam imaginar

1. Atividade Paranormal (Paranormal Activity, 2007)
Desde criança Katie (Katie Featherston) ouve ruídos estranhos, sussurros e sente sensações inesperadas. Já adulta, ela mora com seu namorado Micah (Micah Sloat), que, meio cético quanto aos depoimentos, resolve usar uma câmera para gravar tudo o que acontece enquanto eles dormem e vivem dentro da casa. O que era para ser apenas uma forma de esclarecer o mistério torna-se uma experiência intrigante e assustadora.

Sinopses: AdoroCinema


Projeto Fnac do Bem

Por Francine Estevão



Neste dia 22 de março, a Fnac de Ribeirão Preto dá início ao Fnac do Bem.

O projeto piloto tem o objetivo de inclusão cultural e vai contar com a colaboração de todo mundo.

Você cliente vai até a loja da Fnac no Ribeirão Shopping, leva um livro que você já leu, entrega na loja e recebe em troca um desconto de 10% na compra de qualquer livro novo (os associados Fnac ganham desconto de 15%).

Os livros doados à Fnac vao ser encaminhados para a ONG de Ribeirão Preto Casa das Mangueiras, que cuida de 100 crianças e jovens de baixa renda, em período escolar e sem acesso à leitura.

Ah, e a Fnac de Ribeirão Preto é a única do Brasil com o projeto.

Uma ótima chance para renovar a sua biblioteca e ainda fazer uma boa ação levando cultura e especificamente leitura à quem não tem acesso aos livros.

Esperamos ver todo mundo lá!



terça-feira, 20 de março de 2012

Vencedora do Prêmio Jabuti de poesia faz palestra em Ribeirão Preto

Por Francine Estevão

No dia 29 de março, a escritora Alice Ruiz, duas vezes vencedora do Prêmio Jabuti de poesia, em 1989 por “Vice Versos” e em 2009 por “Dois Em Um”, vai estar em Ribeirão Preto ministrando uma palestra gratuita na Biblioteca Padre Euclides.

Com o tema “Três Jeitos de Poesia”, ela vai discutir as diferenças e as correspondências entre poesia, letras de música e haicai, gêneros praticados por ela.

Depois da palestra, vai ter uma sessão de autógrafos com a escritora que tem 19 livros publicados.

Dia 29/03, às 19h, no auditório da Biblioteca Padre Euclides (Rua Visconde de Inhaúma, 490, 1º andar, no Centro de Ribeirão Preto). Gratuito. Informações pelo (16) 3625-6161.

Resenha - "Cidade dos Ossos" de Cassandra Clare

Por Roh Dover 
Esta resenha também foi publicada no blog TriBooks.

Título Original: City of Bones

Autor: Cassandra Clare
Lançamento: 2011
Páginas: 459
Formato: Impresso 
Categoria: Ficção/Aventura
Editora: Galera Record
 #1 série Os Instrumentos Mortais


Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria. 
 
Quando se lê muito de um livro, cria-se a expectativa, e quando se tem expectativa, também se tem a decepção. Quem nunca ouviu sobre a série “Os Instrumentos Mortais” de Cassandra Clare não vive no mundo onde nós leitores vivemos. Pega no flagra pela curiosidade me vi debandando para o lado dos que leem “Cidade dos Ossos”, primeiro livro da série de Cassandra Clare.
Clary é uma menina normal que vive com sua mãe em Nova York, Estados Unidos. Tudo muda quando ela é testemunha de algo meramente estranho para os olhos dos humanos, caso estes pudessem ver o que ela viu, dois meninos e uma menina matando um inocente adolescente em uma boate que foi com seu melhor amigo Simon. Clary acaba descobrindo que só ela pode enxergar a cena e tenta impedir sozinha, três adolescentes fortemente armados de assassinar o pobre coitado do menino. Pausa na história para dar minha opinião: descobri que estou ficando muito velha para ler livros assim quando sei que ninguém em sã consciência tentaria ajudar sozinha uma pessoa estranha de morrer na mão de provavelmente três adolescentes psicopatas. Continuando, Clary então, é claro, descobre que os três adolescentes são na verdade Caçadores de Demônios, e que o garoto inocente não tem nada de pobre coitado. E é nessa turbulência que a mãe de Clary desaparece e a partir daí, com a ajuda dos três adolescentes, Jace, Alec, Isabella e também com seu fiel amigo Simon, Clary se aventura no mundo de magia, sombras e descobre que nada foi coincidência e que ela está mais interligada com esse mundo do que gostaria.
Assim que você lê a narração de Clare, já da para descobrir que ela, um dia, foi fanática pela J.K. Rowling e pesquisando você descobre que a autora mantinha uma fanfic, histórias contadas pelos fãs de um dado livro, sobre Draco Malfoy. Está em cada personagem, cada movimento, cada palavra, tudo está impregnado com a magia de Harry Potter. Só que eu posso chegar nos 60 anos e nunca vou usar o termo “estou velha demais para ler isso” no caso do bruxo mais famoso do mundo, caso que aconteceu com “Cidade dos Ossos”. Talvez a expectativa seja a ruína do leitor.
Porém, conforme os capítulos foram passando, eu começava a perceber que estava rindo com o livro, e não aquele riso de deboche, mas aquele riso natural, o livro é divertido, e muito! O sarcasmo de Clare nos envolve, mas não torna a leitura mais fácil. É difícil expressar os sentimentos que o livro me passou sem ter sensações dúbias, o enredo é bom, os detalhes são interessantes, tem coesão na história, tem humor, mas algo de muito importante faltou, apesar de não conseguir expressar o que seja, faltou ao ponto de mesmo sabendo que o livro é bom, não conseguir expressar isso em voz alta sem ter aquela dor por dentro de que algo não está certo.
Apesar desse sentimento estranho, de que o livro é bom, mas faltou algo essencial na construção dele, o final nos deixa com tamanha curiosidade que não tem como não querer ler sua continuação, apesar de saber que deverá ser tão doloroso a virada das páginas quanto foi neste. Tenho a sensação que esse sentimento inexprimível se deve ao fato de que os personagens não me conquistaram, reformulando, Jace não me conquistou e quando o garoto mais sexy do livro não te conquista, nem a trama por mais maravilhosa que seja, consegue.
Mas não desistirei de Cassandra Clare, meu sangue potteriano não me deixa desistir de alguém que um dia ficou famosa pela Trilogia Malfoy, que sabe a estrutura das histórias da escritora mais bem sucedida do mundo e que com certeza faz um final tão bom que mesmo aqueles que sofreram ao ler o livro, serão obrigados a ler o segundo. Dessa vez, sem expectativa nenhuma, talvez a decepção seja a sobrevivência do leitor.

"Percy Jackson" ganhará mais uma adaptação para o cinema

Por Roh Dover (Via TriBooks)

O primeiro livro da série "Percy Jackson e os Olimpianos" de Rick Riordan já foi adaptado para o cinema, mas não foi tão bem visto pelos críticos. Mesmo assim, de acordo com o site Cine Marcado, o longa faturou mais de US$200 milhões e depois de seis anos, ganhará uma continuação. "Percy Jackson e o Mar de Monstros" que será a adaptação do segundo livro da série contará com os mesmos atores para os papéis principais e terá algumas caras novas também. O filme tem previsão de estréia para o ano de 2013.

Fonte: CineMarcado
 
 

Adaptação do livro "Um Homem de Sorte" ganha três comerciais

Por Roh Dover (Via TriBooks)

De acordo com o site CineMarcado, a adaptação do livro de Nicholas Sparks, "Um Homem de Sorte", ganha três novos comerciais. O filme narra a história de um fuzileiro que encontra uma foto de uma mulher no deserto e a imagem acaba se tornando seu amuleto da sorte. Quando vai a procura da mulher da foto, descobre que nada é coincidência e que a mão do destino os uniu. O filme estréia nos cinemas do Brasil no dia 4 de maio. Confira os comerciais clicando aqui.

Editora Universo dos Livros divulga capa do terceiro livro de Jenna Black

Por Roh Dover (Via TriBooks)


A Editora Universo dos Livros divulgou no Twitter a capa de "Siresong", terceiro livro da série Faeriewalker da escritora Jenna Black. A série narra uma história moderna sobre a magia de Avalon e a tecnologia dos humanos, onde Dana se vê entre os dois mundos, em meio a política, corrupção e magia.


Editora Arqueiro publica seu primeiro romance de Nicholas Sparks

Por Roh Dover (Via TriBooks)


O mês de março marca a estréia da Editora Arqueiro na publicação de um livro do famoso romancista mundial, Nicholas Sparks. O livro "O Melhor de Mim" narra a história de dois adolescentes que se apaixonaram, mas que por várias questões foram separados durante 25 anos. Quando voltam a se encontrar, descobrem que os sonhos de cada um fracassaram e que o amor que sentiam um pelo outro ainda pode existir.
 
 

segunda-feira, 19 de março de 2012

Universo dos Livros divulga capítulo de "Amante Libertada"

Por Francine Estevão


A editora Universo dos Livros acaba de divulgar no twitter um capítulo de "Amante Libertada", de J.R. Ward, que deve ser lançado em abril.

O título do nono livro da série Irmandade da Adaga Negra foi escolhido pelos fãs da série, que tem o décimo volume sendo lançado neste mês no exterior.



Sinopse: Payne, irmã gêmea de Vishous, veio da mesma escuridão que seu irmão: uma lutadora por natureza, e uma dissidente quando se trata da tradicional regra das Escolhidas, onde não há lugar para ela do Outro Lado… e nenhum lugar para ela na linha de frente da guerra, também. Quando ela sofre uma lesão que a paraliza, o humano cirurgião Dr. Manuel Manello é chamado para tratá-la e ele logo é sugado para seu secreto e perigoso mundo. Embora ele nunca tenha acreditado em vampiros, ele se vê disposto a ser seduzido pela poderosa mulher que marcou seu corpo e sua alma. Quando os dois encontram muito mais do que uma ligação erótica, ambos os mundos, humano e vampiro, colidem… assim como uma dívida secular alcança Payne e coloca tanto ela quanto seu amor em um perigo mortal.


Leia o segundo capítulo do livro "Amante Libertada" divulgado pela Universo dos Livros: http://issuu.com/moderadorauniversodoslivros/docs/amante-libertada-segundo-capitulo

NOTÍCIA: 10 Recordes literários registrados pelo Guinness Book

Quem ainda não visitou o Listas Literárias deveria fazê-lo agora!

O blog é muito interessante e, às vezes, engraçado.

Sempre que dou notícias sobre recordes "bizarros" na rádio onde trabalho pergunto "pra quê?". Tem de tudo: o maior número de homens se barbeando ao mesmo tempo, o aviãozinho de papel que voa mais longe...e por ai vai. 

Então separei essa lista, de 10 recordes literários do blog Listas Literárias
1 - O livro inédito mais grosso do mundo: O Das Buch des dickste Universums, editado pela Zeitgeist Media GMBH reúne textos e desenhos feitos por crianças num concurso realizado pelo Ministério Federal dos Transportes da Alemanha. A singela lombada do livro mede míseros 4.08 metros. Tem 50,560 páginas e pesa 220 kg, e você pode encomendá-lo em qualquer livraria da Alemanha pela bagatela de 9.999 Euros.
2 - A pessoa mais velha a publicar seu livro pela primeira vez: Quer ser escritor, mas não sabe se é cedo ou tarde para começar? Bertha Wood, uma inglesa, teve seu primeiro livro, ar fresco e diversão: A História de uma Colônia de Férias Blackpool publicado em seu 100 º aniversário em 20 de junho de 2005. O livro são memórias, as quais começou escrever aos 90 anos.
3 - O mais antigo romance do mundoChariton de Chaireas & Callirhoe, se passa em Siracusa, e narra as aventuras de uma noiva chamada Callirhoe, e é estimado ser do primeiro século D.C.
4 - O mais jovem autor de uma série de livros, best-seller: Se vocês estavam pensando em Christopher Paolini, estavam certos. O jovem que publicou o primeiro livro do ciclo da herança aos 15 anos, e que já vendeu mais de 20 milhões de livros, tem seu record oficializado pelo Guinness Book.
5 - O livros mais caro vendido em leilão: Birds of America contem 1.000 ilustrações em tamanho real de 435 aves desenhadas e impressas e foi vendido em um leilão por 7,3 milhões de Euros.
6 - A autora mais traduzida em todo o mundo: Conforme inventário da UNESCO de traduções de livros, a dama do crime Agatha Christie é a autora mais traduzida em todo o mundo, com 6.598 traduções de seus contos, romances e peças teatrais.
7 -O maior título de livro do mundo: O maior título de um livro é composto de 5.633 caracteres (1.086 palavras) e foi escrito pelo Dr. Sreenathachary Vangeepuram (Índia) em 2010, e nem mesmo o site do Guinnes disponibilizou-o no site.
8 - Maior livro do mundo (éééééée do Braaasilll):O recorde para o maior livro publicado é uma edição de 'O Pequeno Príncipe' medindo 2,01 m de altura e 3,08 m de largura quando aberto, e contendo 128 páginas. O recorde foi registrado durante a XIII Bienal do Rio de Janeiro, em 2007.
9 - Maior tempo girando  um livro na ponta dos dedos: 30 minutos 1,08 segundos foi o tempo que Thaneswar Guragai (Nepal) conseguiu ficar girando um livro com o dedo, para delírio de uma plateia formada moradores locais, auditores, e jornalistas ansiosos por uma pauta imperdível.
10 - O mais rápido maratonista fantasiado como um personagem literário: 3 h 02 min 30 seg foi o tempo que David Ross precisou para vencer a maratona de Londres vestido de Dennis, o pimentinha.

10 motivos que tornam um livro inesquecível

Adorei o post do Livros e Afins e como tudo que é bom, acho que vale a pena ser compartilhado.



Por Livros e Afins


Não faço idéia de quantos livros li na minha vida, só sei que é uma lista longa. Diante de alguns títulos, fico até na dúvida se já li ou não. Posso dizer que nesse quesito livros são como pessoas: muitos passarão por nossas vidas, mas poucos ficarão nas nossas lembranças. A questão nem é se o livro – ou a pessoa – é bom ou ruim, e sim como foi a experiência de estar com ele. Vejo que pelo menos um destes fatos torna um livro inesquecível:
  1. Era o livro certo para o momento certo. Se tivesse lido em outra fase, antes ou depois de viver certas coisas, talvez ele não tivesse sido tão marcante.
  2. O autor conseguiu colocar no papel algo que eu acreditava e não conseguia expressar em palavras. Ou que nem tinha consciência que acreditava.
  3. Descobri, com o livro, que uma experiência que eu pensava que era só minha também aconteceu com outra pessoa. No mínimo, com o autor. Ou com as outras pessoas que amam o mesmo livro – um sentimento que parecia único se torna parte de algo maior.
  4. A leitura me fez conhecer um mundo totalmente novo. Esse mundo pode nem existir; ser outro país, outra época ou até mesmo o mundo interior de alguém.
  5. Eu chorei lendo.
  6. Eu gargalhei lendo.
  7. Eu fiquei completamente apaixonada por um personagem. Alguns personagens nos fazem suspirar de paixão e podem até determinar nossas futuras escolhas.
  8. O livro me ajudou a tomar uma decisão importante – pode ter sido pela história inteira ou apenas por uma frase. O importante foi o efeito que causou na minha vida.
  9. Ler aquilo foi um desafio. Nada como duvidar que conseguiria ler uma coisa e terminar.
  10. O livro me decepcionou. Ninguém quer ser lembrado dessa forma, mas existe isso também, do livro não ser nada do que esperávamos.

Biblioteca sentimental é tema de série na tv

Por Francine Estevão


Todo mundo já leu um livro que amou, uma história que marcou...aquele que você sai indicando pra todo mundo e mal se contém para não revelar os detalhes e convencer a pessoa a ler.

O Canal Futura estréia nesse dia 20 (de março), às 22h30, a série "Livros que Amei", de 13 capítulos com leitores famosos comentando sobre seus livros preferidos.

O primeiro episódio é com o compositor e escritor Fausto Fawcett, que vai comentar sobre "O Trópico de Capricórinio", do americano Henry Miller (1891-1980), "Eu e Outras Poesias", do brasileiro Augusto dos Anjos (1884-1914), e "Breviário de Decomposição", do romeno Emil Mihai Cioran (1911-1995).

Alguns dos outros convidados são a cineasta Manaíra Carneiro (27/3), o escritor Sérgio Sant'Anna (3 /4) e a diretora de teatro Juliana Galdino (10/4).

Qual o seu favorito, aquele livro que “mora” na sua biblioteca sentimental?

MARCO RODRIGO ALMEIDA para Folha de S. Paulo

sexta-feira, 16 de março de 2012

CLUBE DO LIVRO FNAC: Encontro Sociedade do Livro: ABRIL

A Sociedade do Livro já está preparando tudo para o próximo encontro do Clube do Livro em Abril, quando a nossa equipe vai se juntar a você para discutir sobre o livro “Cilada” do escritor Harlan Coben.

O encontro está marcado para o dia 17/04, terça-feira, às 19h30 no espaço de eventos da Fnac de Ribeirão Preto, no Ribeirão Shopping.

O livro “Cilada” foi votado pelos participantes do encontro de março para ser o livro debatido em abril.

O encontro é para todo mundo: quem leu o livro, quem ainda não leu (tem até o dia do encontro para ler) e até mesmo para quem não quiser ler o livro, mas que quiser conferir como é o debate gostoso e divertido que a Sociedade do Livro tem promovido mensalmente na Fnac Ribeirão.

Além disso, vamos falar sobre muitos outros livros, vamos conferir o que vocês tem lido, suas sugestões e claro, vamos votar no livro para o próximo encontro, em maio e ainda vão ser feitos muitos SORTEIOS pra você que estiver lá.

Então, aguardem a divulgação da data do encontro de abril e não deixem de anotar na agenda para comparecer no nosso encontro!

Se você quiser sugerir algum livro para a Sociedade (para resenha, para ser dicutido no próximo evento, ou até mesmo para que seja o livro indicado para maio), mande-nos um e-mail para: sociedadedolivrorp@gmail.com.


Sinopse do Livro do Mês: “Cilada” de Harlan Coben



Haley McWaid tem 17 anos. É aluna exemplar, disciplinada, ama esportes e sonha entrar para uma boa faculdade. Por isso, quando certa noite ela não volta para casa e três meses transcorrem sem que se tenha nenhuma notícia dela, todos na cidade começam a imaginar o pior. O assistente social Dan Mercer recebe um estranho telefonema de uma adolescente e vai a seu encontro. Ao chegar ao local, ele é surpreendido pela equipe de um programa de televisão, que o exibe em rede nacional como pedófilo. Inocentado por falta de provas, Dan é morto logo em seguida. Na junção dessas duas histórias está Wendy Tynes, a repórter que armou a cilada para Dan e que se torna a única testemunha de seu assassinato. Wendy sempre confiou apenas nos fatos, mas seu instinto lhe diz que Mercer talvez não fosse culpado. Agora ela precisa descobrir se desmascarou um criminoso ou causou a morte de um inocente. Nas investigações da morte de Dan e do desaparecimento de Haley, verdades inimagináveis são reveladas e a fragilidade de vidas aparentemente normais é posta à prova. Todos têm algo a esconder e os segredos se interligam e se completam em um elaborado mosaico de mistérios. Harlan Coben mais uma vez deixa o leitor sem ar. Cilada fala de culpa, luto e perdão em uma trama repleta de reviravoltas surpreendentes. Nada é o que parece e tudo pode ser desfeito até a última página.


Encontro de Abril da Sociedade do Livro
Data: 17/04/2012 (terça-feira)
Horário: 19h30
Local: Fnac Ribeirão Shopping
Livro do mês: “Cilada” de Harlan Coben

Dúvidas e sugestões pelo sociedadedolivrorp@gmail.com.

Onde comprar: Fnac – R$29,90 

quinta-feira, 15 de março de 2012

CLUBE DO LIVRO FNAC: Terceiro Encontro da Sociedade do Livro no Espaço Eventos da FNAC Ribeirão Preto

Por Sociedade do Livro


Aconteceu na quarta-feira, 14 de março, às 19h30 o terceiro encontro da Sociedade do Livro no espaço eventos da FNAC Ribeirão Preto. O encontro rendeu um debate positivamente intenso sobre o livro “A Resposta” de Kathryn Stocket.

Tanto em sua polêmica, quanto em sua descrição dos eventos que aconteceram em 1960 nos Estados Unidos foram debatidos entre os participantes e nós coordenadoras. A polêmica do livro, sobre o tema central da história em que Stocket narra a vida das empregadas domésticas negras em Jackson, no estado de Mississipi – EUA, foi longa e controvérsia, mas todos nós concordamos que muitos momentos que retratados no livro ainda acontecem com os americanos negros.

Já a descrição dos eventos como a invenção do ar condicionado, do CEP e do controle remoto, esta que rendeu várias risadas ao narrarmos uma cena do livro em que o marido de Minny comenta “esses brancos estão cada vez mais sedentários, nem pra levantar a bunda e apertar um botão conseguem fazer” deixou o encontro com vários comentários dentre os que se lembravam da invenção da televisão a cores e da toca mágica que a personagem Skeeter precisou ficar duas horas até o cabelo alisar. Imprimimos uma cópia de todas as propagandas dos objetos que são descritos no livro e passamos para todos os participantes verem o TAB refrigerante com 0% de açúcar e a gordura Crisco.

Debatemos um pouco sobre a atuação do elenco na adaptação do livro no filme “Histórias Cruzadas”, alguns comentaram a revolta do filme “O Artista” ter ganhado de Melhor Filme no Oscar, mas como também foi merecido a Octavia Spencer ganhar de Melhor Atriz Coadjuvante pela bela atuação da personagem Minny no livro de Stocket.

Comentamos também sobre os livros que apareceram em “A Resposta”: “E O Vento Levou” e “O Sol é para Todos” e também comentamos sobre o fato de que o filme “Os Batutinhas” é de 1962 (=O).

Mais uma vez, passamos horas adoráveis comentando sobre a contextualização e o enredo do livro “A Resposta”, que gerou tanto tempo da discussão que, diferente do segundo encontro, não tivemos tempo para comentarmos sobre outros livros aleatórios. Mas pegamos dicas essências de nossos participantes que comentaram sobre os livros “O Símbolo Perdido” de Dan Brown e “A Ira dos Anjos” de Sidney Sheldon.
Por todos os encontros agradáveis e pelas horas maravilhosas que estamos tendo uma vez ao mês, agradecemos a gerente de comunicação da FNAC Deborah Pereira, a gerente de Livros Fernanda que está nos apoiando na divulgação do Clube do Livro, as editoras parceiras da Sociedade do Livro, que nos mandam livros e brindes maravilhosos para podermos sortear para nossos participantes: Editora Lua de Papel/LeYa, Editora Arqueiro/ Sextante e a Universo dos Livros. Agradecemos também aos participantes: Carla Stechini, Benedito Hercules, Rafaela, Daniela Dover, Carlos Balthazar, Fausto e Jana. Obrigada a todos por acreditarem em nosso trabalho.

Os livros indicados para o mês de abril foram: “Cilada” de Harlan Coben, “Visão do Além” de Charlaine Harris, “A Caminho do Verão” de Sara Dessen e “A Visita Cruel do Tempo” de Jennifer Egan. Por meio da votação dos participantes presentes, o livro que ganhou, e devo dizer que foi de lavada, para o debate principal do encontro de Abril foi “Cilada” de Harlan Coben. Depois das indicações sorteamos os livros “A Visita Cruel do Tempo” e “Por que os Homens preferem as Divas”. 

Confira a foto dos ganhadores:

Ganhadora do livro "A Visita Cruel do Tempo" disponibilizado pela Editora Intrínseca

Ganhador do livro "Porque os Homens preferem as Divas" disponibilizado pela editora Lua de Papel
Ainda não sabemos a data do próximo encontro, assim que definirmos contaremos para vocês aqui no blog, mas com certeza nos veremos de novo em Abril para debatermos sobre “Cilada” de Harlan Coben, também sobre o livro “Linguagem das Flores” e muitos outros. 

Esperamos vocês! 

Confiram algumas fotos do terceiro encontro da Sociedade:




Sorteio do Mês - "Surpresa do Além" de Charlaine Harris

Clique aqui para ler a resenha deste livro.


SinopseConvidados pelo professor de antropologia Clyde Nunley, Harper Connely e seu meio-irmão Tolliver viajam até Memphis para demonstrar, num antigo cemitério, seu estranho talento: localizar o corpo de pessoas mortas e descobrir a causa do falecimento. No entanto, Nunley se matem cético, mesmo depois de Harper encontrar e anunciar dois corpos num mesmo túmulo bem abaixo de seus pés. O primeiro, de um homem morto há séculos. O outro, de uma jovem falecida há pouco tempo. Assim, o que seria uma simples demonstração do trabalho de Harper revela outro mistério: o corpo encontrado era da filha desaparecida de uma mulher que meses antes contratara seus serviços paranormais. Parecia uma nova oportunidade de concluir um de seus raros casos sem solução, mas a investigação sobre o crime guardava mais uma surpresa: na manhã seguinte, um terceiro corpo é descoberto - na mesma cova...


Sorteio válido até 18 DE ABRIL de 2012.

Para participar do sorteio é OBRIGATÓRIO:

1 - Residir no Brasil
2 - Seguir o blog publicamente pelo Google Friend Connect (basta ter uma conta no Gmail, Twitter ou Facebook) – ao fazer isso você deve preencher o formulário como “primeira participação”
3 - Deixar um comentário neste post
4 - Preencher o formulário abaixo




CHANCES EXTRAS:

-seguir a @Sociedade_Livro no twitter (preencher o formulário mais uma vez)

-divulgar no twitter a frase: “Quero ganhar o livro “Surpresa do Além” que a @Sociedade_Livro e a @luadepapel_BRA estão sorteando http://migre.me/8jeYv” (preencher o formulário mais uma vez)

-adicionar a Sociedade do Livro no Facebook (preencher o formulário mais uma vez)


Avisos:
- A primeira participação é OBRIGATORIAMENTE seguir o blog da Sociedade e comentar neste post (não serão aceitos formulários que estiverem marcando as opções extras como primeira participação).

- As pessoas que não seguirem as regras OBRIGATÓRIAS serão DESCLASSIFICADAS caso sejam sorteadas, sendo feito assim um novo sorteio.

- O ganhador vai receber um e-mail da Sociedade do Livro informando que ele ganhou o sorteio. Ele tem até 5 dias para responder o e-mail para a nossa equipe. Se não aparecer dentro deste prazo estabelecido, o sorteio perde o valor e um novo sorteio é realizado.O sorteio vai ser feito pelo site random.org e faremos um print na página, para mostrar o ganhador.