segunda-feira, 5 de março de 2012

Ex-diplomata assume a presidência da biblioteca Padre Euclides

Reportagem de Regis Martins

Além de projetos por meio de leis de incentivo, Lauro Moreira quer o apoio de empresários


  
Clarice Lispector foi madrinha de seu primeiro casamento. Por 45 anos, serviu em postos diplomáticos em Buenos Aires, Genebra, Washington, Barcelona e Marrocos. Também chefiou a Divisão de Difusão Cultural e o Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores.

De 2006 a 2010, foi ainda, o primeiro Embaixador do Brasil junto à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em Lisboa. A questão é: o que o embaixador Lauro Moreira, agora aposentado, faz em Ribeirão Preto? "Ribeirão entrou em minha vida quando me casei com uma pessoa daqui", responde, referindo-se à esposa Liana, com quem vive já há 30 anos. "Quando me aposentei, optei por Ribeirão em busca de uma vida mais tranquila", emenda.

Quando chegou, logo foi convidado pela amiga Fatu Antunes, coordenadora da Oficina Cultural Candido Portinari, a assumir a presidência da biblioteca Padre Euclides, instituição de mais de um século que pertence a Sociedade Legião Brasileira de Civismo e Cultura. "Percebo que, só pela longevidade, a biblioteca já é um milagre", ressalta. Nesta nova diretoria, Fatu assume a vice-presidência.

Lauro diz que a biblioteca é uma forma que ele encontrou de colaborar com a vida cultural de uma cidade cheia de contrastes. "O que me impressionou foi o descompasso entre a riqueza econômica de Ribeirão e a pobreza cultural", resume.

Para tanto, quer transformar a Padre Euclides num centro cultural e atrair o público por meio de palestras, cursos, recitais e eventos. O ex-diplomata sonha alto e e quer trazer nomes famosos das artes nacionais para projetos especiais no espaço. "Muitos são amigos que ficavam em casa, quando faziam turnês no exterior", afirma.

Visitas
O ex-diplomata sabe que a biblioteca passa por problemas financeiros. A verba do aluguel de salas do Edifício Padre Euclides e dos associados sequer possibilitam reformas estruturais do imóvel. Para mudar esse cenário, além de leis de incentivo, quer o apoio da sociedade. "A ideia é visitar empresas que possam participar como beneméritos da instituição. Quero fazer um plano em que a contribuição possa ser feita anualmente", comenta.

Diplomata sempre militou em defesa da arte
Nascido em Anápolis, interior de Goiás, Lauro Moreira mudou-se para o Rio de Janeiro ainda adolescente, onde viveu por quase 15 anos. Formado em Direito, investiu na carreira diplomática e viveu em vários países. Nesse meio tempo, também se dedicou às artes cênicas, ao cinema e à fotografia.

Como embaixador, Lauro sempre militou em defesa da arte nacional. Em Barcelona, chegou a criar o grupo Solo Brasil, que apresentou em vários países o espetáculo "Uma Viagem através da Música do Brasil". "Sempre acreditei que a arte é um instrumento de aproximação entre as nações. Ao contrário de temas econômicos e políticos, que muitas vezes dividem, a arte apenas soma", argumenta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário