quinta-feira, 19 de abril de 2012

Resenha - "O Senhor do Amanhã" de Vanessa Bosso

Por Roh Dover
Esta resenha também foi publicada no TriBooks

Título: O Senhor do Amanhã
Autor: Vanessa Bosso
Lançamento: 2011
Páginas: 435
Formato: Impresso 
Categoria: Policial/ Conspirações
Editora: Dracaena 


Sinopse: Cuidado! Enquanto lê essa sinopse, eles estão de olho em você. Seus e-mails, telefonemas e até os seus pensamentos estão sendo cuidadosamente vigiados. E arquivados. A Nova Ordem Mundial é uma realidade e a agenda global segue no intuito de eliminar 70% da população terrestre. No mundo atual, nada é o que parece ser. Não acredita? Então leia e descubra o que ninguém quer que você sabia. Descubra quem será o Senhor do Amanhã.  


Chega aquele momento que você pede para que a Luz lhe mande um livro que você não consiga desgrudar das páginas. Aquele livro que te suga para dentro da história, que você entra em dieta sem ao menos perceber, seu ovo de páscoa sobrevive mais uma semana sem ao menos você se dar conta. Algumas vezes precisamos desses livros, durante uma ressaca literária ou depois de ler um livro nada empolgante.
Se foi a Luz ou não, nunca vou saber, mas o moço do correio, ou será o Enviado? Trouxe “O Senhor do Amanhã” de Vanessa Bosso. E o livro que consegue me fazer desistir de assistir um episódio novo de Gossip Girl ou reprisar os episódios da segunda temporada de Guerra dos Tronos, meus amigos, é um livro que definitivamente vocês deveriam ler.
Existem aqueles escritores que tem aquele dom, e não falo aquele dom que a gente consegue ter depois de muita experiência não. Eu digo aquele dom que faz com que cada palavra, cada frase seja viciante e você queira mais. Daquele mesmo jeito que a J. K. Rowling usa para escrever Harry Potter, ninguém sabe o porquê, mas continua lendo, lendo, lendo e lendo. E lê mais, mais, mais e mais.
Você literalmente enfia a cara no livro e não sai dali enquanto não estiver escrito em negrito e maiúsculas: fim, acabou, já era, parte pra outra. E aí você se levanta da poltrona com cara de quem acordou para o mundo e não gostou do que viu, corre pra poltrona de novo, abre o livro de novo, mas é, acabou de verdade.
“O Senhor do Amanhã” tem uma história intrigante, que diferente de “Cilada” de Harlan Coben, não te deixa preso só porque você quer saber que diabos ele quis dizer com aquilo na primeira página e que consequentemente você só vai descobrir na última frase do livro. Não, “O Senhor do Amanhã” te transporta para o mundo de Helena e Jack, da luz e da escuridão, você fica pendurado no livro porque ele é bom como um todo, os personagens, o tema, a trama, e a narração que não te cansa e não enjoa, ela consegue fluir livremente.
Depois do atentado do dia 11 de setembro contra as torres gêmeas, tudo no mundo que Helena e Jack conhecem muda. Depois que descobrem que na verdade o prédio das torres gêmeas foi implodido pelo próprio governo americano, que não caiu nenhum avião no pentágono, e que tudo no futuro já foi altamente combinado por uma agenda global que detem as datas do Tsunami da Indonésia e do furacão em Nova Orleans bem antes de acontecerem, só resta aos poucos e confiáveis amigos de Jack e Helena se juntarem para tentarem combater a Nova Ordem Mundial, um governo que quer extinguir 70% da população mundial.
E eu aviso, não pesquisem no Google as coisas que falam no livro, imagens das torres gêmeas, chips implantados em seres humanos, cobaias, o monumento da Geórgia e tantos outros. Sério, vai dar medo.  Eu avisei.
O mundo de Jack e Helena é o nosso mundo, os eventos que acontecem, acontece bem aqui na nossa frente. A alienação, a futilidade, talvez a gente nem precise de um chip implantado na mão direita para tornar-se um robô, talvez nós já somos agora, neste instante, com a bomba de informações que recebemos.
Não é todo mês que a gente lê um livro assim, e é até por isso que as vezes preciso pedir “Deus, me mande um livro legal, tá” e quando um livro assim cai do céu, eu costumo terminar o livro, fazer o dança do UEBA (pow, como assim não conhece! É só esticar os braços pra frente, rebolar e girar fazendo os movimentos com as mãos, e no final grita UEBA!) e ligar para sua tia, avó, pai, irmã, amigas, e leitores e dizer “vocês TEM que ler esse livro, mas tem MESMO, tipo AGORA!"
Empolgação estilo fangirl a parte, Vanessa Bosso escreve de um jeito que conquista qualquer leitor. A história é muito bem construída e os personagens criados nos fazem torcer e acreditar neles até o final. “O Senhor do Amanhã” é para se dizer no mínimo fantástico, surpreendente e que deixará qualquer leitor um fã da escritora.

4 comentários:

  1. Assim que li essa resenha reconheci a do TriBooks - sinal que eu realmente Li as resenhas. A dancinha do UEBA, rsrs.

    Beijocas.

    www.amorporclassico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAhahaha.. sim sim Millena, é a mesma resenha e a mesma pessoa, também publico minhas resenhas aqui no Sociedade porque também faço parte da coordenação do Clube do Livro XD

      Excluir
  2. Legal ver essa resenha aqui, hein? Precisamos fazer um clube do livro com esse livrinho!!! Topa, Roh? Posso disponibilizar dois exemplares para sorteio e tmb marcadores!!!

    ResponderExcluir