quinta-feira, 24 de maio de 2012

Resenha - "O Vale das Borboletas" de Amanda Vieira

Por Roh Dover 
Esta resenha também foi publicada no blog TriBooks

Título Original: O Vale das Borboletas
Autor: Amanda Viera
Lançamento: 2011
Páginas: 256
Formato: Impresso 
Categoria:Romance/ Aventura
Editora: Dracaena
Skoob


Sinopse: Quando Heitor se muda para Crisálida, depois de escapar de perseguições enigmáticas em São Paulo, a vida de Maria Luisa também é afetada de forma inesperada. Isa, como ela prefere ser chamada, acaba por se envolver pelo seu misterioso primo que passa a frequentar a mesma escola onde estuda. Um amor de tirar o fôlego, uma aventura impressionante, cercada pelos mistérios do desaparecimento da fortuna de um pintor de borboletas. Ele tenta protegê-la, ela coloca a sua vida em risco, uma perigosa paixão com um final que somente um detetive sagaz poderia imaginar. Isa decide então confrontar o seu perseguidor, sozinha, com o coração na garganta e um tesouro em mãos. Do alto do morro do Vale das Borboletas ninguém poderá escutar o seu grito de socorro. 

O "Vale das Borboletas" de Amanda Viera é um livro fofo com uma história altamente criativa. Um romance com uma aventura engajada em um enredo que vai te levando até um final com todas as respostas para as possíveis perguntas que você venha a ter.
Heitor anda sofrendo perseguições em São Paulo – BR, e é quando ele se muda para Crisálida, uma cidade no interior de Minas Gerais – BR, que acaba se encontrando depois de tantos anos com Isa. Mas ele não sabe que indo para Crisálida achará as respostas que tanto quer, e também seu inimigo. Aos poucos, uma história muito maior do passado de Heitor vai se envolvendo delicadamente no romance que Heitor e Isa vivem, se transformando em algo bem maior que pudessemos esperar.
A história é narrada tanto no ponto de vista de Isa como no de Heitor. A trama da história que envolve um pintor e sua herança perdida é interessantíssima, mas em alguns pontos poderiam ter sido um pouco mais desenvolvidos, como no primeiro clímax do sequestro e no segundo clímax da história. Desenvolvidos que eu digo é como se as palavras voassem para chegar no final do clímax, enquanto poderiam ter sido mais descritos tanto o lugar quanto os momentos. Já o último clímax que responde todas as perguntas isso não acontece, consegui visualizar as cenas, os momentos e os personagens com clareza.
Um ponto que eu amei na história foi a cidade e sua descrição. Crisálida foi descrita como a cidade de interior rodeada de vegetação, cavernas e cachoeiras. Com certeza entrou para minha lista de  cidades fictícias para se viver (A-ham, a primeira é Hogsmeade!) Mas o mais incrível mesmo é o enredo com o pintor. Eu sei...sei que já falei, mas é porque eu achei muito criativo mesmo. Quando o primeiro clímax se fecha o primeiro pensamento que vem é “hum, a autora não conseguiu fechar todas as respostas da história”, mas aí o segundo e o terceiro clímax acontecem e seu queixo cai! Todos os fios soltos acabam se encontrando e nós vão sendo formados, até que todas suas perguntas são respondidas.
Amanda escreve uma história de um romance com uma aventura e um enredo admirável. E eu preciso falar aqui que esse livro é prova de que realmente existe um lugar aqui em Ribeirão Preto - BR que na descida o carro sobe - isso mesmo você leu certo - e que isso não é coisa da minha cabeça. Certo não é? Não é coisa da minha cabeça mesmo não é?

Um comentário:

  1. Olá Roh!
    Passando aqui para agradecer a ótima resenha!!!
    Adorei toda a descrição que você fez do livro.
    Um forte a braço /o\ *---*

    ResponderExcluir