terça-feira, 1 de maio de 2012

Resenha - "Shadowspell" de Jenna Black

Por Roh Dover
Esta resenha também foi publicada no blog TriBooks

Esta resenha é uma opinião do blog Sociedade do Livro, não reproduzir todo ou parte do conteúdo

Título Original: Shadowspell
Título Nacional: Shadowspell - O Misterioso Reino de Avalon 
Autor: Jenna Black
Lançamento: 2011
Páginas: 280
Formato: Impresso 
Categoria:Ficção/ Fantasia
Editora:Universo dos Livros
Skoob

#2 série Faeriewalker


Sinopse: Magia, ilusão, ameaças... Dana descobrirá o preço da liberdade O reino de Avalon nunca mais será o mesmo. Um grupo de caçadores bárbaros liderados pelo poderoso Erlking está a caminho do reino e promete causar a destruição total do único lugar em que humanos e feéricos convivem em harmonia. Porém, nem tudo está perdido. Dana Hathaway, uma faeriewalker com a capacidade rara de viajar entre os dois mundos e a única pessoa que pode levar magia ao mundo humano e tecnologia ao reino de Faerie, é obrigada a selar um pacto sombrio com o Erlking, que pode colocar a perder todos os seus poderes, deixando-a vulnerável perante um inimigo sedutor. Magia, sedução e muito suspense estarão presentes na vida de Dana, que nunca mais será a mesma.

NÃO contém spoiler para quem não leu "Glimmerglass"

“Shadowspell” de Jenna Black se superou em meu conceito. O segundo livro da série “Faeriewalker” transpassa a escrita rude e travada de “Glimmerglass”, primeiro livro da série, e se transforma em algo que vale a pena ler.
Jenna precisou de auxilio da sobrinha para escrever sua história, passando conceitos antigos e gírias não utilizadas entre jovens para algo que os adolescentes realmente falam hoje em dia, e isso transpareceu no primeiro livro da série, Dana tenta ser o que os adolescentes são na teoria, e isso acontece quando uma escritora não adolescente escreve de um jeito adolescente, ou que acha que seria um comportamento de um adolescente.
Isso fez com que o primeiro livro perdesse o brilho, mas a história de Jenna sustentou a curiosidade até o final de “Glimmerglass”, o governo mágico corrupto, os problemas com os pais e o amor por um cafajeste não é sempre que vemos por aí nas histórias.
Então partimos para o segundo livro, e que surpresa nós temos! Jenna esquece qualquer pensamento que travasse seu ritmo, como “será que é assim que eles falam mesmo?” e pensamento apenas na sua história, consegue dar um gás no enredo e em seus personagens.
Fiquei super confortável lendo a história, a narração fluía incrivelmente, e me senti amiga dos personagens. Dana se mostrou uma menina com uma personalidade bem desenvolvida pela escritora, e a história continua com um enredo interessante e criativo.
Dana consegue sair de sua vida entre pagas as contas e cuidar de sua mãe alcoólatra, mas descobre que estando em Avalon é alvo de uma política corrupta, já que é uma faeriewalker, uma pessoa que consegue transportar magia para o mundo humano e tecnologia para o mundo mágico. Seu pai é um dos poderosos políticos, e Dana mais uma vez se vê pensando se seu pai realmente a ama, ou só a mantem viva por que necessita da filha.
Mas é quando o Erlking, a maior ameaça de Avalon que Dana se mete em uma encrenca que será difícil de arranjar uma saída. Sem ter o que fazer, Dana fecha um acordo com o pior vilão de todos, sem saber que as consequências podem envolver sua vida.
O que mais chama atenção no segundo livro, além do ritmo, narração e personagens que ficou realmente show nessa continuação, foi o acordo de Dana com o Erlking, vale a pena ler só para descobrir qual foi o acordo. Tive que ler umas três vezes a mesma linha para acreditar na proposta do Erlking e Dana aceitando-o. É realmente criativo, eu não esperava.
Jenna Black superou seu medo de aversão dos adolescentes só porque ela não é mais uma, e criou um enlace maior ainda com seu público-alvo. Se desvencilhando de uma escrita que não é típica da autora, conseguiu fluir o enredo, desembrulhar sua história e transformar o que seria um rascunho em obra-prima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário