terça-feira, 6 de novembro de 2012

RESENHA: "Cinquenta Tons Mais Escuros" de EL James

Por Francine Estevão (2ª Opinião)


Título Original: Fifty Shades Darker
Título Nacional: Cinquenta Tons Mais Escuros
Autor: EL James
Lançamento: 2012
Páginas: 485
Editora: Intrínseca
Categoria: Adulto

Sinopse: Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.

(Contém spoilers de “Cinquenta tons de cinza”)

“Cinquenta tons mais escuros” deixou a desejar no começo, mas acabou me conquistando do meio pro final e confesso que terminei o segundo livro mais curiosa pelo terceiro do que estava pelo segundo quando terminei o primeiro. Como será que vai ser a relação dos dois a partir de agora, que as coisas parecem ter mudado?

Ana continua sendo uma mocinha inocente e irritante, principalmente no começo. Pelo amor de Deus, quem não sabe o que são aplicativos (em um iPad, por exemplo)? (Ainda não me conformo com ela não ter um e-mail no começo de “Cinquenta tons de cinza”!) Além disso, tem todo o drama “eu não te mereço”, “você é bom demais pra mim” que dá vontade de dar um chacoalhão nela. Mas isso passa e mais pra frente ela vai melhorando. Juro que vai.

Grey continua sendo um deus maravilhoso mesmo com todos seus cinquenta tons. No entanto, nesse segundo livro vemos uma “evolução” no comportamento dele. Nosso querido e amado Christian fica um pouco menos obscuro e faz algumas das revelações que estávamos esperando desde o primeiro livro. Após passar por uma dor insuportável depois que Ana o deixa, ele começa a rever quem ele é e todo o lance masoquista. Vale mesmo a pena se ele não pode ter a mulher que ele ama?

O amor entre eles no segundo livro se torna cada vez mais intenso com tudo de bom e de ruim que isso possa trazer para o relacionamento dos dois. Há também, uma aparente inversão dos papeis e a Ana deixa de ser submissa enquanto Grey está mais aos pés da namorada. Mas, resumidamente, “Cinquenta tons mais escuros” é uma continuação mais fofinha e romantizada da história do casal.

Algumas cenas desse livro são arrebatadoras (sério, eu precisei parar para respirar quando li que ele COMPROU a empresa onde a Ana trabalha ou então ele ajoelhado em casa na hora de certas revelações) e outras extremamente engraçadas (ele carregando ela no meio da rua).

“Cinquenta tons mais escuros” traz ainda novos personagens que dão uma agitada na história que ainda tem como ponto forte, na minha opinião, a Deusa Interior da Ana (que infelizmente aparece bem menos agora).

Confira também a resenha deste livro feita pela Juliana Garzon, aqui

2 comentários:

  1. Fraaan!
    Eu ainda não li essa trilogia, mas ainda lerei! (Apesar de já saber tudo que acontece, hahaha #apressadinha)
    Vou no encontro de Novembro, tenho certeza de que será muito divertido! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Esperamos você lá!
      Quanto a ler, acho que vale a pena, mesmo que só por entretenimento.
      Beijos

      Excluir