quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Vamos falar de distopias?!

Por Francine Estevão




Nos últimos dias, tenho postado algumas resenhas de DISTOPIAS aqui no blog (“Divergente”, “Delírio”, “A gente ama, a gente sonha”). Isso porque, em janeiro e em fevereiro, esse vai ser o tema dos encontros do Clube do Livro Ribeirão. Então hoje, resolvi falar um pouquinho sobre o gênero. Espero que entendem que o que vou falar é minha opinião e nada muito fundamentado em algo.

Nunca curti muito o gênero e até hoje me criticam por não ter lido nem assistido “Jogos Vorazes” (embora eu tenho prometido que vou tentar, o filme, o livro ainda não tenho certeza). Não sei, acho tudo meio “viajado”, confuso, e não consigo me concentrar muito bem na história e ai acabo não gostando e desistindo da leitura.

“Divergente” mudou completamente esse meu ponto de vista. Amei o livro e acredito que a boa construção dos personagens e da história colaborou para que eu tivesse gostado tanto.
Já “Admirável Mundo Novo” não me levou muito além das primeiras páginas, embora eu ainda queira dar mais uma chance a ele.

Por outro lado, deixando de lado minha implicância com o gênero, acredito que ele também tem seus pontos positivos. Por exemplo, geralmente são livros que fazem críticas e levantam discussões relacionadas à política e aos valores sociais. Além disso, essas histórias nos deixam intrigados – pelo menos a mim. Quando vemos as mudanças pela qual o mundo em que vivemos vem passando e lemos coisas que seriam, supostamente, consequências desse nosso cotidiano cada vez mais doido, acho que ficamos com um pulguinha atrás da orelha: será que estamos mesmo caminhando para isso? Vai saber, né?!

E apesar de o gênero distopia ter voltado à tona mais recentemente, acho que muito por “culpa” de “Jogos Vorazes”, ele não foi criado ontem. Alguns livros bem antigos, como o já citado “Admirável Mundo Novo” e “1984” também se enquadram em distopias.

E ai, já leram muitas distopias? Curtem o gênero? Qual o livro favorito?

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Resenha: "Ser Clara" de Janaina Rico


Por Francine Estevão

Título: Ser Clara
Autor: Janaina Rico
Lançamento: 2012
Páginas: 288
Editora: Underworld
Categoria: Romance, Chick lit

Sinopse: Clara é uma jovem brasiliense, de 27 anos, que está envolvida com os preparativos do casamento de sua melhor amiga, Laura. Durante a festa conhece um médico rico e famoso, o homem dos sonhos de qualquer mulher. Porém, acaba se envolvendo com um colega de adolescência. Mal sabe ela os obstáculos que viverá pela frente, tais como uma sogra desesperada e até mesmo tentativas de assassinato, até que consiga decidir o que quer da vida.
Trata-se de um livro de linguagem simples e atual, que descreve o cotidiano, os sonhos e as aventuras de uma mulher vivendo entre a realização de uma vida independente e o desejo de conhecer e viver um grande amor.
Clara, Laura, João Thomas, Léo são personagens que encontramos em nosso dia a dia, no trabalho, nos bares, nas festas. Um passeio pelos desejos e sonhos do imaginário feminino.


Clara é o tipo de mulher que poucas mulheres gostariam de ter por perto. Linda, gostosa e convencida, a professora de português em uma escola de Brasília sabe como conquistar um homem e não vê problemas nisso. Mas ela já está chegando aos 30 e, enquanto prepara o casamento da melhor amiga, Laura, ela começa a pensar que é hora de ela arrumar alguém com quem passar o resto de seus dias. Mas para ela, é difícil deixar de lado a vida de festeira que tem.

No entanto, no casamento da melhor amiga, ela acaba se envolvendo com o padrinho João Thomas. Depois de uma noite maravilhosa com ele, ela é assaltada e fica sem celular, sua única fonte de contato com ele enquanto Laura e o marido não voltam da lua de mel.

Nos dias seguintes, Clara acaba reencontrando antigos amigos de colégio, entre eles Vitinho e Leo, o amigo companheiro, engraçado e fofo que acaba se mostrando apaixonado por ela.
Em meio a muito rolo e diversas cenas hilárias (chorei de rir com a da dengue), a autora Janaina Rico nos conta uma história sobre a gente. Isso mesmo, ou vai me dizer que nunca teve dúvida sobre nada na sua vida?

Com o tempo, Clara vai ter que tomar decisões sobre coisas que não tem certeza, vai ser ver envolvida em uma loucura enorme envolvendo a família de seu namorado e sua melhor amiga e vai viver situações que ninguém nunca imaginou viver.

Confesso que tive sérios problemas para me entender com a Clara e acabei gostando muito mais da Laura, apesar de ela também não ser muito normal (rs), mas acho que isso é legal na história porque a gente, geralmente, acaba idolatrando os personagens principais, que, na maioria das vezes, são a perfeição em personagem. Mas Clara não é assim. E tenho que confessar que eu torci o tempo todo pra que ela ficasse com o Vitinho e terminasse o livro com o Léo. Como sou conhecida por adorar spoiler, não vou dizer se essas coisas acontecem ou não. Então, leiam e encontrem seus personagens favoritos. Ah, as irmãs da Clara também são muito legais, adorei elas.

O livro é bem comédia no começo, mas lá pro meio acaba envolvendo uns dramas. No entanto, a leitura é super fácil e você acaba o livro rapidinho.

VEM AÍ: Lançamentos de Fevereiro e Março Editora Novo Conceito

Por Francine Estevão

Quem ai quer todos? rs

Confira os livros de fevereiro que vão ser lançados pela editora parceira da Sociedade do Livro, Novo Conceito:

"As Violetas de Março" de Sarah Jio 



Sinopse: Emily Taylor é uma mulher jovem e escritora de sucesso, mas não gosta muito de seu próprio livro. Também tem um casamento que parece ideal, no entanto ele acabará em divórcio.

Sentindo que sua vida perdeu o propósito, Emily decide fazer as malas e passar um tempo em Bainbridge - a ilha onde morou quando menina - para tentar se reorganizar.

Enquanto busca esquecer o ex-marido e, ao mesmo tempo, arrumar material para um novo e mais verdadeiro livro, um antigo colega de escola e o namorado proibido da adolescência tornam-se seus companheiros frequentes.

Entretanto, o melhor parceiro de Emily será um diário da década de 1940, encontrado no fundo de uma gaveta.

Com o diário em mãos, Emily sentirá o estranhamento e a comoção causados pela leitura de uma biografia misteriosa que envolve antigos habitantes da ilha e que tem muito a ver com sua própria história.

Assim como as violetas que desabrocham fora de estação para mostrar que tudo é possível, a vida de Emily Taylor poderá tomar um rumo improvável e cheio de possibilidades.

As Violetas de Março é um romance sobre a força do amor, sobre as peças que o destino prega e sobre como podemos ser felizes mesmo quando tudo parece conspirar contra a felicidade.



"Em Busca de Um Final Feliz" de Katherine Boo




Sinopse: Em Busca de um Final Feliz, de Katherine Boo, é um livro brilhantemente escrito. Através de uma forte narrativa, descobrimos como é o dia a dia dos moradores de Annawadi, uma favela à sombra do elegante Aeroporto Internacional de Mumbai, na Índia.

A história de seus habitantes nos faz rir e chorar, porque o que é celebrado neste livro não é o que poderíamos chamar toscamente de o encanto da lama, mas a riqueza das pessoas que para o bem e para o mal compõem um tronco social que está cada vez mais presente no nosso mundo moderno. (Zeca Camargo, em prefácio a esta edição).

O leitor vai se apaixonar por Sunil Sharma, o menino catador de lixo que quer ficar rico, por Manju, a moça mais bonita da favela, que quer ser professora, e até pela tresloucada Fátima, a Perna Só, que só quer um pouco de atenção.



"Apegados" de Amir Levine e Rachel Reller




Sinopse: Cada vez mais fazemos uso da pesquisa científica para conquistar melhor qualidade de vida. Sabemos o que devemos ou não comer, conhecemos o tipo de exercício que devemos praticar e por quanto tempo devemos fazê-lo, aprendemos alternativas viáveis para conquistar o sono revigorante... No entanto, nossos relacionamentos amorosos, parte importante de nossa vida, não parecem tão avaliados e estudados. Geralmente temos a sensação de que essa coisa de amor é um assunto da sorte. 

Mas será possível que a ciência explique por que algumas relações são produtivas e enriquecedoras, enquanto outras nos deixam perturbados e alienados? Pode a ciência explicar como muitos criam vínculos amáveis sem esforço algum, enquanto outros têm que lutar tanto pelo amor? Para o psiquiatra Amir Levine e a psicóloga Rachel Heller, a resposta é um evidente sim. 

Em "Apegados" livro baseado nas pesquisas da Teoria do Apego, de John Bowlby, os autores revelam como compreender os mecanismos de afeição que se criam entre os adultos, o que certamente nos ajudará a encontrar e a manter o amor. 



"Sonhe Mais" de Jay Pausch




Sinopse: Jay Pausch passou por um trauma: a perda do marido para um câncer de pâncreas. A enfermidade de Randy Pausch também destruiu as verdades e as certezas em que Jay acreditava.

Pega de surpresa pela doença, que avançou rapidamente, Jay Pausch precisou inverter suas prioridades. Acostumada a cuidar da família, percebeu que aquele era, também, o momento de cuidar de si mesma, porque, do contrário caso fraquejasse, sua família não sobreviveria. E, apesar de todas as alterações pelas quais passou, foi capaz de registrar a maior parte de suas experiências, dúvidas e medos. 

Este registro acabou se constituindo num relato vigoroso sobre como a morte muda o relacionamento entre as pessoas e sobre como é possível sobreviver, passo a passo, a essas mudanças.

Sonhe Mais é referência para todos os que estão vivendo uma fase de transição e é leitura obrigatória para aqueles que passaram, ou estão passando, por um momento de dor.







quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Resenha: "Divergente" de Veronica Roth

Por Francine Estevão


Título: Divergente
Título Original: Divergent
Autor: Veronica Roth
Lançamento: 2012 (no Brasil)
Páginas: 504 (em português)
Editora: Rocco (no Brasil)
Categoria: Ficção, distopia

(PS: Coloquei as observações em português e no Brasil porque li em inglês.)

Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.



Como eu disse na resenha de “Delírio”, não sou muito fã de distopias, mas gostei de “Delírio” e simplesmente AMEI “Divergente”.

Os personagens são excelentes e fazem a história ainda melhor do que ela é por si só. Toda essa coisa de tomar decisões que não só podem, como vão mudar a sua vida e o quanto é preciso ser forte para tomar certas decisões, fazem do livro ótimo.

Além disso, não tem toda aquela frescura em torno de um romance meloso e adolescente, apesar de ter um pouquinho de romance também. No entanto, a história é mais sobre pessoas, sobre descobrir quem você é, quem são – realmente – as pessoas em torno de você, sobre família e amizade. Sem contar as várias disputas, lutas, armas e sangue que só deixam a história ainda mais emocionante.

Chicago está dividida em cinco facções – abnegação, amizade, audácia, franqueza e erudição – e Beatrice precisa fazer a sua escolha. 

Um teste de aptidão vai mostrar a qual facção ela realmente pertence. Mas o teste dela apresenta um problema e essa decisão vai caber à própria Beatrice que precisa decidir entre continuar sendo quem sempre “foi” e continuar ao lado da família dela na abnegação ou deixar tudo para trás e enfrentar o desafio de se encaixar entre outros integrantes da audácia. Além disso, dessa escolha crucial, Beatrice está curiosa para saber mais sobre o problema que seus testes apresentaram.

Depois de tomar a decisão, ela vai ter que enfrentar os desafios e consequências da sua escolha.
No caminho que tem pela frente, ela ainda vai encontrar amigos como nunca teve e inimigos como nunca imaginou. E no meio disso tudo, ela ainda tenta desvendar o misterioso Four e entender de que lado ele está. Ela também quer saber onde os treinos da sua nova facção vão levá-la.

Achei a personagem Tris muito bem construída e humana, acima de tudo. Ela não é aquelas meninas surreais e tem uma força interior incrível, apesar de não saber disso. Gosto disso nela, essa imagem de “força”, não necessariamente física, que ela tem. E o Four também é demais! **suspira**

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

E-Books da Editora Novo Conceito com preços exclusivos



Já conhecem a inovação da nossa parceira Editora Novo Conceito?  


Com a finalidade de incentivar a leitura dos eBooks, a Editora Novo Conceito está colocando no mercado, 30% de seu catálogo de best-sellers a preços reduzidos.

Além dos grandes sucessos de vendas da editora, estão disponíveis lançamentos recentes nas áreas de romance, suspense, guias práticos e desenvolvimento pessoal, com opções para todos os públicos e gostos.

Quem ainda não teve acesso aos livros digitais, que foram a grande sensação de vendas no Natal, ou deseja aumentar seu acervo pessoal, pode acessar a página especial da Editora na Amazon clicando aqui. Lá o leitor encontrará a lista com os títulos contemplados e os preços promocionais.

Sorteio de "Sonho de Eva" + "Johnny Depp: Uma Biografia Ilustrada"

A Sociedade do Livro e o TriBooks sortearão um exemplar de "O Sonho de Eva" + "Johnny Depp: Uma Biografia Ilustrada" para apenas um ganhador.




Prêmios:
1 exemplar de "O Sonho de Eva"
1 exemplar de "Johnny Depp: Uma Biografia Ilustrada"


Válido até: 28 de fevereiro de 2013

Para participar preencha corretamente o formulário abaixo:

a Rafflecopter giveaway




ATENÇÃO: Não esqueça de ler os Terms & Conditions (no formulário do rafflecopter, abaixo está escrito Terms & Conditions, clique em cima da frase para abrir o conteúdo) pois contém informações essenciais sobre a participação no sorteio.


Boa Sorte,

Sociedade do Livro e TriBooks


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Sorteio de aniversário - novo ganhador


O sorteio de aniversário de um ano da Sociedade do Livro tem uma nova ganhadora. Isso porque a primeira ganhadora, Monique Dieli Chiarentin, e a segunda, Eliane Ramos, não mandaram e-mail com os dados dentro do prazo que tinham.

Assim, precisamos fazer o sorteio pela terceira vez.

Dessa vez, a ganhadora é a Vanilda Procópio.

A ganhadora tem até o dia 30 de janeiro para mandar um e-mail para sociedadedolivrorp@gmail.com com dados completos (nome e endereço).

Se ela mandar os dados dentro do prazo, vai levar para casa 01 livro "Capitães de Areia" do Jorge Amado, 01 bloquinho de anotações, 10 marcadores de páginas e 03 bottons.




Confira o post do sorteio aqui.

Meg Cabot confirma que série “A Mediadora” vai ganhar sétimo livro


Por Francine Estevão



Os fãs da série “A Mediadora” da Meg Cabot podem comemorar (acreditem, eu estou comemorando muito!). Suzy e Jesse estão de volta!

Depois de seis anos desde o sexto – e até então último – livro ter sido publicado (em 2007), a autora confirmou no twitter que vem novidades por ai.

Um sétimo livro da série vai ser publicado em breve, mas ainda sem data confirmada.

No domingo, 20/01, Meg Cabot tuitou: “Para os fãs de Mediadora que estão perguntando, sim, é verdade, haverá um livro 7. Fui em missão de investigação secreta a Carmel ano passado. No entanto ...vai ser um livro grande, por isso vai demorar um pouco para escrever. Obrigado por todo o seu apoio, paciência e amor! XXXOO Suze e Jesse”



A série “A Mediadora” é composta dos livros: “A Terra das Sombras”, “O Arcano Nove”, “Reunião”, “A Hora Mais Sombria”, “Assombrado” e “Crepúsculo”. 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Resenha: "Frio do Além" de Charlaine Harris

Por Francine Estevão


Título: Frio do Além – Harper Connelly Mysteries
Título Original: An ice cold grave
Autor: Charlaine Harris
Lançamento: 2012
Páginas: 244
Editora: Lua de Papel
Categoria: Ficção

Sinopse: No terceiro volume da série de mistérios de Harper Connelly, o maior caso da vida de Harper e Tolliver. Depois de ser atingida por um raio, Harper Connelly se tornou uma especialista em encontrar cadáveres. Desde que aprendeu a controlar seus novos instintos, ela e seu meio irmão, Tolliver, partem em busca de trabalhos para solucionar casos macabros em diversas cidades.Desta vez, teria de lidar com algo inédito para ela: um assassino em série, que torturava e abusava de suas vítimas. Disposta a deixar a cidade o quanto antes, Harper é atacada por um estranho e se vê forçada a permanecer por mais alguns dias em Doraville. Mais envolvida do que gostaria nessa enigmática investigação, sua vida agora está em risco, e uma tempestade de neve se aproxima da cidade deixando as coisas bem mais complicadas e frias do que ela poderia imaginar.


O que dizer desse livro? Ou melhor, dessa série? AMO! Desde a série “A Mediadora”, da Meg Cabot, eu não me apaixono tanto por uma série, que descobri por acaso e li “sem querer”.

A Harper é demais e nesse terceiro livro da série a história fica ainda mais interessante e envolvente, com uma pitada a mais de investigação.

Seis garotos desaparecem em um período de cinco anos e não há nenhum sinal deles ou de seus corpos. A fama de Harper faz, então, com que ela seja chamada pela polícia local para tentar encontrar os jovens desaparecidos.

O desafio de procurar tantos corpos de uma só vez acaba sendo superado rapidamente por Harper que acredita estar livre para ir embora e dar início a um novo trabalho. Faltando pouco para partir, ela é atacada por alguém que consegue escapar e ela vai parar no hospital.

Nesse meio tempo, novos “ingredientes” começam a surgir e fazem Harper desconfiar que há algo mais por trás do sumiço e morte dos meninos que ela encontrou. E embora queira muito sair dali, ela não consegue afastar uma ideia da cabeça e acaba se envolvendo ainda mais nessa história cheia de investigação, segredos, surpresas e que parece não ter fim.

Um livro excelente, que não nos deixa parar de ler enquanto não terminarmos e que deixa um gostinho de quero mais no final.

(SPOILER DOS LIVROS 1 E 2)

E para quem já leu os dois primeiros livros e fica curioso – assim como eu – para saber o que virou daquele sentimento que a Harper descobriu ter pelo meio irmão Tolliver, só tenho a dizer que Charlaine Harris não nos deixou na mão. Eu, particularmente, achava que essa parte da história só teria um desfecho no quarto livro da série, mas devo dizer que gostei muito dos acontecimentos.

E que venha logo “Grave Secret”!


quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

PROMOÇÃO: Aniversário - Segundo Sorteio - RESULTADO

Por Francine Estevão

O sorteio de aniversário de um ano da Sociedade do Livro tem uma nova ganhadora. Isso porque a primeira ganhadora, Monique Dieli Chiarentin, tinha que ter entrado em contato com a gente até hoje, mas não mandou o e-mail com os dados.

Dessa forma, um novo sorteio foi realizado (de acordo com os termos e condições, postados aqui) e a ganhadora que vai receber 01 livros "Capitães de Areia" do Jorge Amado, 01 bloquinho de anotações, 10 marcadores de páginas e 03 bottons é a Eliane Ramos.



A Eliane tem até o dia 20 deste mês para mandar os dados (nome e endereço completo) para o e-mail sociedadedolivrorp@gmail.com. Depois desse prazo, um terceiro sorteio vai ser realizado caso a ganhadora não entre em contato com a gente.

Confira o post do sorteio aqui.

EVENTO: Encontro Clube do Livro Ribeirão

Por Francine Estevão

No dia 19 de Janeiro, o Clube do Livro Ribeirão faz o primeiro (de muitos) encontro deste ano, às quatro da tarde, na Livraria Paraler. Nesse primeiro bate-papo, o tema é distopia.

A participação é gratuita e estão todos convidados.

Esperamos vocês lá!

Mais informações aqui.

(Só corrigindo o endereço, o correto é Rua Capitão Adelmio Norberto da Silva, 786.)

Banner: Danilo Barbosa


quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Resenha: "Delírio" de Lauren Oliver

Por Francine Estevão

Título: Delírio
Título Original: Delirium
Autor: Lauren Oliver
Lançamento: 2012
Páginas: 336
Editora: Intrínseca
Categoria: Romance, distopia

Sinopse: Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?


Apesar de não ser muito fã de distopias (gosto, mas não é meu estilo preferido), gostei muito de “Delírio” e fiquei super curiosa pela continuação, “Pandemônio”. Embora seja um romance meio adolescente, do meio para o fim, a história dá um up com a parte que envolve a mãe da Lena, o que acaba deixando o livro mais interessante e com gostinho de “quero mais”.

Lena vive em uma Portland controlada e protegida contra o amor, que é na verdade uma doença que precisa ser curada assim que as pessoas chegam aos 18 anos. Nessa idade, então, os adolescentes passam por uma intervenção que os cura desse mal que faz as pessoas cometerem loucuras. Lena conta os dias para chegar a vez dela.

Pouco antes da intervenção, durante a fase de testes de habilidades, os jovens recebem uma lista com quatro nomes de pessoas do sexo oposto e com o mesmo perfil que elas e um daqueles nomes vai ser com quem o jovem em questão vai ser “pareado”.

No seu dia de teste, para saber quais são suas aptidões, Lena está nervosa e se não fosse pela invasão de animais nos laboratórios onde os testes são realizados, ela teria se dado mal. Em meio à confusão de animais e pessoas, Lena nota um garoto escondido em uma área restrita do laboratório e ele chama a atenção dela de um jeito diferente e especial.

Enquanto o dia da sua intervenção não chega, Lena passa os dias ao lado da amiga Hana, que tem uma certa tendência a ser simpatizante – ou seja, não respeitar as regras do sistema. Nesse meio tempo, Lena acaba se envolvendo em situações que nunca se imaginou e começa a perceber que toda aquela ordem instaurada pelo sistema, é na verdade uma mentira. E enquanto ela vai, aos poucos, descobrindo a verdade sobre o mundo onde vive, Lena vai questionando tudo o que sabe e se metendo em algumas encrencas aventuras que podem mudar todo o rumo da história da vida dela.

sábado, 5 de janeiro de 2013

DICA: 12 livros para ler em 2013

Por Francine Estevão

Vi a tag no blog Literalmente Falando e gostei da ideia.



No fim do ano, contabilizei 37 livros na minha estante comprados ou ganhados em 2012 e ainda não lidos. Então, organizei eles em ordem de preferência para não esquecê-los na estante e ler o quanto antes. Porque sempre tem aqueles que a gente tem, mas não está muuuuito a fim de ler. Então, esses 12 da lista abaixo são aqueles que VÃO (obrigatoriamente) ser lidos em 2013. E de preferência, o quanto antes. (PS: me obriguei a colocar na lista só aqueles que já tenho, deixando de fora os que quero ler e ainda não tenho.)

"Frio do Além", Charlaine Harris
"50 Tons de Liberdade", EL James
"Senhor do Amanhã", Vanessa Bosso
"Ser Clara", Janaina Rico
"O Amor dá Uma Segunda Chance", Juliana Ferreira
"Felicidade à parte", Lolly Winston
"O Pacto de Infidelidade", Carrie Karasyoo
"As Esganadas", Jô Soares
"A Dama da Ilha", Patricia Cabot
"Um Porto Seguro", Nicholas Sparks
"Na Escuridão da Noite", Kathryn Smith
"Sexo na Lua", Ben Mezrich


sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Resenha: "A gente ama, a gente sonha", de Fabiane Ribeiro


Por Francine Estevão

Título: A gente ama, a gente sonha
Autor: Fabiane Ribeiro (parceira Sociedade do Livro)
Páginas: 260 (formato digital)
Categoria: Romance

Agradecimento especial à Fabi pelo envio do livro.
  
Sinopse: Num futuro distante, em que a humanidade é completamente diferente daquela que conhecemos, Vanessa depara-se com situações para as quais foi treinada a não se importar: morte, fé, família, amor. Uma mensagem vinda do ano de 2012 é apenas o começo das mudanças em sua vida, que se intensificam quando ela começa a sonhar livremente, o que também era proibido. Em uma narrativa sobre a reinvenção do homem do futuro, dos valores e do mundo, A gente ama, a gente sonha, é um misto de ficção futurista com os dramas atuais da humanidade, que, apesar dos esforços, nunca mudam. As perdas e os sonhos vão levar Vanessa a descobrir um mundo novo e a resgatar sentimentos escondidos em seu peito. Descobrir quem é o rapaz misterioso dos seus sonhos é apenas um de seus problemas, quando, na verdade, amar é o maior crime que ela poderia ter cometido.

Vanessa vive em um "mundo" onde os bebês são criados em máquinas até o nascimento, os sonhos são controlados por máquinas, e muito me surpreendeu que ela e seus amigos também não fossem máquinas. Tudo é controlado por máquinas e robôs que garantem a ordem do sistema. Na cidade

quando tudo ficar escuro e você não conseguir ver nada à sua volta, lembre-se de
que eu guardei as estrelas em um potinho para você. Nenhuma escuridão dura para
sempre, veja...

Vanessa é uma jovem diferente das outras pessoas que a cercam na Cidade que Nunca Dorme. Ela vive com os irmãos em um lugar no futuro onde tudo são máquinas. Os bebês são criados em máquinas até o nascimento, os sonhos são controlados por máquinas, e muito me surpreendeu que ela e seus amigos também não fossem máquinas. Tudo é controlado por máquinas e robôs que garantem a ordem do sistema e que acompanham os passos de cada cidadão para evitar que eles se rebelem e façam coisas proibidas como, por exemplo, sonhar por conta própria ou ter sentimentos. Um lugar, onde as pessoas são divididas por classes sociais de forma extremamente rígida e até mesmo o tempo de vida dessas pessoas tem a ver com a classe a qual pertencem.

No entanto, Vanessa é diferente, para começar por pertencer a uma classe um pouco mais alta. Ela perdeu os pais e cuida dos dois irmãos mais novos. É apaixonada pelos Antigos e vai aos poucos descobrindo a existência de sentimentos que começam a surgir principalmente depois que ela encontra uma garrafa com uma carta dos Antigos. Além disso, Vanessa descobre os sonhos, já que sua máquina de controlar sonhos está meio quebrada. Nesses sonhos, ela descobre um homem sem rosto, misterioso, mas que ela sabe que ama. E passa a procurar por ele na vida real.

Vanessa trabalha na "maternidade" local e certo dia conhece a mãe de um recém-nascido. A mulher morre e o bebê também não vai ter um futuro, por ser diferente. No entanto, Vanessa sentiu tocada pelo desespero e súplica da mãe da criança e resolve interferir antes que o pior aconteça.

Fabiane Ribeiro nos leva a um futuro bem distante numericamente embora não pareça tão distante do que vivemos hoje. Por diversas vezes me pegava pensando “será que esse vai ser o nosso futuro?”. A autora construiu um “mundo” que parece uma consequência real do que passamos atualmente e é desesperador pensar que podemos chegar àquilo que ela demonstra no livro.

Tem sorteio do e-book rolando. Para participar, clique aqui.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

VEM AÍ: Lançamentos de Janeiro Editora Arqueiro

Confira os novos títulos publicados pela Editora Arqueiro e pela Sextante - Parceira Sociedade do Livro - em janeiro:


“Escola: Os piores anos da minha vida”, de James Patterson



Esse é o primeiro livro do autor de uma série infantojuvenil sobre um garoto que bolou um plano mirabolante para sobreviver ao sexto ano do colégio.
É o primeiro dia de aula em sua nova escola, mas Rafa Khatchadorian já sabe que será o pior ano de sua vida. Como se não bastassem seus problemas em casa, agora ele terá que descobrir como sobreviver ao sexto ano. Por sorte, Rafa bolou o melhor plano de todos os tempos: ele se propôs a quebrar todas as regras do colégio, valendo pontos. Porém, professores, pais e valentões não curtiram essa ideia mirabolante. Será que o plano vai passar de mágico a trágico?

 “Lua de mel”, de James Patterson



O thriller traz a história de uma mulher sedutora que desperta o interesse do FBI e vai deixar o agente John O’Hara dividido entre a busca pela verdade e uma atração quase fatal.
Nora Sinclair é linda, rica, sedutora e acaba de se tornar viúva pela segunda vez. Mas sua vida é repleta de acontecimentos misteriosos, que levantam a suspeita do FBI. Para se aproximar de Nora, o agente John O’Hara finge ser um corretor de seguros com uma oferta tentadora: um seguro de vida no valor de 1,9 milhão de dólares. O plano funciona, mas à medida que passa a conhecer a viúva, ele começa a se perguntar se está atrás de justiça ou diante de uma paixão avassaladora.

“Um certo verão”, de David Baldacci



Diagnosticado com uma doença terminal, Jack passa seus últimos dias se despedindo da esposa Lizzie e de seus três filhos. Inesperadamente, uma nova tragédia se abate sobre a família: Lizzie sofre um acidente de carro e morre. Com isso, as crianças são obrigadas a morar com outros parentes. Quando tudo parecia perdido, Jack se cura e reencontra seus filhos. Num verão inesquecível, ele luta para reconstruir a família e reaprende a amar.

“Por que os homens casam com as mulheres poderosas?”, de Sherry Argov

Depois do sucesso de Por que os homens amam as mulheres poderosas?, Sherry Argov resolveu ir mais fundo e entrevistou centenas de homens para descobrir o que os leva a pedir uma mulher em casamento.
Com base em suas pesquisas, ela reuniu ensinamentos úteis para quem deseja transformar relações casuais em compromisso sério. Você vai identificar as atitudes que atrapalham suas relações amorosas e descobrir o que fazer para se tornar mais desejável para o sexo oposto.