quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

“Cinquenta tons de moda”

Por Maju Raz


Moda. Do latim Modus: Maneira; costume, uso geral. Uso, que depende do capricho. Fantasia.

Fantasia? É aí mesmo que eu queria chegar. Fantasia “erótcheca” benhê! Essa é a moda literária de uns tempos pra cá desde que “Cinquenta Tons” “resolveu” acalentar las mujeres. Claro que a literatura erótica sempre existiu, mas o gênero era um pouco disfarçado, escondido, “proibido”. Hoje esse tipo de obra tem uma aceitação maior. O assunto sexo já não é mais um tabu e daí essa “febre erótica literária”.

“Cinquenta Tons de cinza”, primeiro livro da escritora britânica E. L. James, já alcançou a marca de 200.000 exemplares vendidos SÓ NO BRASIL e 20 milhões de cópias nos Estados Unidos. Perante esse fenômeno, o comércio já foi rapidinho investir no gênero. Resultado: origem de outros romances do mesmo tipo:
   
 





 Em meio às derivações não oficiais da obra de E. L. estão acessórios como pulseiras em forma de algema, colar com pingente de gravata e até esmaltes:

Foto Boutique de Luxo

Foto Modait 

Foto Boutique de Luxo


E vai além! Segundo o vírgula do UOL uma professora de ginástica criou exercícios baseados em “50 tons de cinza”. Tem até o vídeo aqui (AI MEU DEUS). 

Agora, o mais engraçado mesmo são as releituras um tanto curiosas e peculiares que vieram a surgir baseadas na história de E. L. James. Cada título é mais bizarro que outro e uns até usam imagens semióticas. Vejam:

Começando por uma capa tranquila e para quem gosta de animais aí vai o “50 tons para o Grey – Uma coleção de história para aquecer o coração para levantar dinheiro para animais resgatados”.



Tem também o “Cinquenta Tons de Cabelos Grisalhos e Meias”. Acho que só as vós entendem esse.



Quem curte culinária vai gostar de “Cinquenta tons de Galinha” e “Cinquenta tons de...COUVE?”, é...




Tem também “Cinquenta tons de Gay” e para os tímidos “Cinquenta tons de vergonha” com direito a book trailer bizarrésimo!




Da série “suspense” podemos apreciar “Cinquenta tons de cinza e zumbis” e “Cinquenta tons de matéria cinzenta” ecaaaa! Entendi nada!



Agora que entendi menos ainda -  “Cinquenta galpões de cinza”? Mangueira? Só peguei a semiótica e mais nada...



E por último a capa mais bizarra e cheia de semiótica para sempre de todas: “Cinquenta tons de Alice no País das Maravilhas”. Ahm....não né?



E aí, deu vontade de ler algum desses livros?
Comédia esses títulos né?

Fonte: Heiime


2 comentários:

  1. virou modinha fazer livros com 50 tons? affs, eu não gostei da série, li só o primeiro livro, e detestei o/
    acervo-de-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Sério? Muita gente gosta do primeiro e depois acha que "desanda". Eu até que gostei do primeiro. Agora esses outros tirando sarro eu acho que deve ser meio estranho =/

    ResponderExcluir