terça-feira, 5 de março de 2013

Apocalipse Literário

Por Maju Raz

Não. Isso não é mais um post sobre zumbis. Por enquanto muaaa! ). Ano passado participei da “Mostra de Arte e Juventude” do SESC e pela primeira vez uma foto minha foi aprovada. Fiz uma coleção de cinco fotos abordando o “fim da literatura” e a literatura brasileira sendo deixada de lado. Uma dessas fotos com o título de “Apocalipse literário” foi aprovada. Antes dela ser selecionada tive que defendê-la com um texto que resolvi compartilhar com vocês: 

O leitor está abandonando cada vez mais a leitura e os livros, e essa desinteresse pela leitura, futuramente, poderá trazer um “apocalipse literário”. O hábito de ler, o ler por prazer de sonhar e imaginar, o ler por prazer de aprender e a literatura estão diminuindo gradativamente. As pessoas tem preguiça de ler, os jovens mais preguiça ainda. Tudo por que os livros objetos estão sendo gradativamente “trocados” por e-books, pela internet, pela T.V., pelos videogames, celulares e “pelo tudo pronto”, enlatado. Você quer um resumo, uma resenha, sinopse de qualquer coisa basta “dar um Google” e tudo já vem pronto.  

A ideia do desaparecimento do objeto livro que conhecemos causa certo medo.  A maioria das pessoas enxerga um cenário apocalíptico literário que se apresenta decisivo, mas o sumiço do formato livro objeto, impresso em papel, com cheiro, com forma, com cor, com sinestesias, parece estar longe e confesso que, às vezes, me parece distante.

O mundo mudou.  As pessoas preferem os filmes e não veem que nos livros o leitor é o produtor e “constrói” o próprio cenário, figurino, elenco. As pessoas preferem eletrônicos e esquecem de como é sentar-se num banco da praça e ler um bom romance. Como é a sensação de ansiedade pelo segundo livro de uma série que está por lançar; como é bom ir a uma livraria e passar horas lá dentro escolhendo um livro; que percepção única é poder cheirar o livro novo; como é julgar um livro só pela capa e ao lê-lo surpreender-se...

O livro bem cuidado dura muito tempo e veicula histórias de estações passadas para um futuro. Nossas preocupações devem voltar-se para perigo deles (livros) desaparecerem um dia, mas a preocupação maior é que sumam antes dos livros de papel, o único perigo que ameaça a permanência dos livros pros próximos séculos, o único perigo que pode levar a um apocalipse literário: o sumiço dos leitores. Estes sim estão cada vez mais extintos.

As fotos que mandei:
A foto selecionada: Apocalipse literário


"O livro sozinho, abandonado ao cair da noite,
sujo, surrado, consumido pelo tempo,
que fábula narrará?
Que poema terá?
Que história descreverá?

Páginas com abstinência de serem folheadas,
perdidas num canto qualquer.
O livro caído, esquecido,trocado...

Mas o livro está lá.
Aberto, jogado,
aguardando ser lido,
ser devorado,
ser compreendido,
resgatado,
resenhado e espera até,
um dia quem sabe,
de ser pelo menos tocado
num mundo alienado
e perdido no caos total,
no apocalipse literário."
Corredor do desprezo

Academia Brasileira dos esquecidos

Entulho Literário
Os Alfarrábios

E você o que acha  da literatura brasileira? 
O que acha dos leitores brasileiros?


Nenhum comentário:

Postar um comentário