quinta-feira, 18 de abril de 2013

NOTÍCIA: Escritor Raphael Draccon escreve carta aos fãs da série “Wild Cards”

Por Maju Raz



A editora Leya acaba de publicar em seu Facebook uma carta que o escritor Raphael Dracon  dedicou aos fãs da antologia de super-heróis, que começou como um jogo de RPG “Wild Cards”. Draccon será o dirigente da série “Wild Cards” de R.R. Martin que será publicada pela editora Leya que já divulgou a capa  na semana passada.


Confiram a carta na íntegra:

"Queridos amigos,

Hoje sou conhecido como o responsável pela indicação de "Crônicas de Gelo & Fogo" para a editora Leya Brasil, mas poucos sabem que meu primeiro contato com o trabalho de George R.R. Martin não foi com sua obra mais famosa, e sim com o cenário de super heróis chamado Wild Cards.

Na época, ainda adolescente, não conheci Wild Cards pela série de livros, mas por sua adaptação para um jogo de RPG chamado GURPS Supers. Fui apresentado a uma Nova Iorque contaminada por um vírus alienígena que causador de mutações. 90% das pessoas morreram, 9% das pessoas viraram seres deformados chamados de Jokers, e 1%, os Ases, ganharam super poderes.

George Martin criou pessoalmente este cenário para jogar RPG com amigos, também escritores de fantasia. No começo, a aventura servia apenas para a diversão do grupo. Mas foi virando uma obsessão e, quando viram, estavam todos abrindo mão de suas vidas e deixando de trabalhar e pagar suas contas. Foi aí que chegaram a um consenso: abandonavam aquele mundo ou o transformavam em uma forma de ganhar a vida.
E hoje sabemos qual foi a opção escolhida.

A série Wild Cards foi construída por diversas mentes inteligentes, e organizada por um gênio. Nela, a Terra tem sua história alterada por seres humanos com poderes sobrenaturais. Por exemplo, um Ás consegue parar a bala que mataria Gandhi, que está vivo e pregando seus ideais de pacifismo.

Além disso, cansado de heróis dos quadrinhos americanos, os criadores decidiram que o mundo de Wild Cards estaria em permanente evolução. Assim, acompanhamos personagens salvando o mundo, se apaixonando, tendo filhos, morrendo e permanecendo mortos. E por trás das metáforas e alegorias da ficção, os escritores fazem críticas diretas à política americana da época, envolvendo questões ligadas aos conflitos armados americanos e a herança da geração pós-guerra.

Para aquele adolescente que jogou Wild Cards em sessões de RPG, é empolgante escrever essa carta apresentando a série e participar do processo de lançamento inédito dos livros oficiais que basearam o cenário que me apresentou a George R.R. Martin.
Boa leitura!”

Raphael Draccon


Nenhum comentário:

Postar um comentário