segunda-feira, 22 de julho de 2013

RESULTADO CONCURSO CULTURAL "O Inverno e os Livros"

Por Maria Julia



Olá galera! E como prometido o resultado do Concurso Cultural "Inverno e os livros":

A vencedora do Kit do livro "Jardim de Inverno" ééééé: DENISE BELIATO com seu texto "Palavras que aquecem o coração".

O Kit! (Só não vem com esse Poodle hahahaha)


Parabéns Denise! Entre em contato com a gente para passar seus dados ;)

Adorei o texto!

Confiram:


Palavras que aquecem o coração 

Jade caminhava sobre o frio daquela cidadezinha, seca e sem vida. Angustiada sentia que o clima era um contraste de suas emoções e do tempo. Questionava se havia feito às escolhas certas, pois lá no fundo sabia que era certo, porém o medo de estar enganada e de ter que ceder a cobria com uma densa nuvem cinza de confusão. Queria poder não ter as rédeas de sua vida, queria que fosse uma boneca e que outras pessoas a controlassem para não ser responsável por suas decisões. Enfim, tudo isso era impossível e ela tinha que fazer suas próprias escolhas e seguir em frente para ver no que vai dar.


O frio deste inverno estava mais rigoroso, mas não tanto quanto o seu ex-namorado.

Ao lembrar-se de como ele era ciumento e possessivo teve a certeza que terminar com ele foi bem melhor. Gostava dele? Sim é claro. Não se gasta três anos de sua vida com quem não se gosta, entretanto a dor que ele lhe causa era insuportável e chegou o dia de dar um basta e foi o que fez.

Chegando em casa pode relaxar depois de passar por aquele frio lá fora e dentro de si, foi até a cozinha e preparou sua bebida quente, aquela que é seu único desejo para os dias frios.

Sentando-se no sofá e colocando a caneca com chocolate-quente na mesinha ao lado, contemplou a capa do livro que segurava onde estava escrito O mais puro amor de Augusto Silva. Lendo aquele nome fechou os olhos e se lembrou do jovem rapaz sentado na cafeteria. Não havia um dia que fosse lá e encontrava-o escrevendo.

Augusto era um jovem intelectual acanhado que apesar dos óculos de grau que usava tinha um charme exótico. O rapaz sempre era encontrado escrevendo quando não estava pensando ou observando as pessoas. Por algum tempo ele tinha passado por despercebido por Jade até que um dia ela o viu olhando pra ela. Aquilo intrigou a garota que passou a reparar no notável rapaz que após reparar as pessoas se punha a escrever.

Jade sempre pensava que ele poderia ter escrito sobre ela e Pedro seu namorado, pois muitas das brigas que tivera com ele foram naquele estabelecimento.

Certo dia, enquanto estava sozinha decidiu puxar conversa com ele o que trouxe a certeza que o rapaz era tímido ao extremo, porém com o tempo foi ganhando sua atenção e sua confiança e por fim ele foi se abrindo com ela. Como ele gostava de escrever e ela de ler o assunto geral sempre foi envolta dos livros.

Ele declarou que a maior inspiração dele era as pessoas. Ele dizia que se sentava ali e analisava cada um que passava agora Jade tinha a convicta certeza que ele escreveria sobre ela, mas anulou-se em perguntar. Mais tarde ele se soltou um pouco mais e leu alguns trechos do que havia escrito.

Suas anotações eram sobre o amor e as formas de amar. Não era nenhum tipo de lista de como amar e ser amado, mas eram relatos especifico do que é esse sentimento tão nobre.

Cada palavra tocava profundamente o coração de Jade e apesar de ser meros rabiscos a garota percebeu que de tanto observar Augusto virou mestre no que se refere ao amor.

Ele dizia que o amor é uma plantinha que se for regada e adubada ela dará uma bela flor caso contrario a planta murchará e a beleza da flor nunca será contemplada. O rapaz sabia o que dizia, mas tinha certeza também que na pratica as coisas não eram fácil mais se dedicar um pequeno tempo à plantinha chamada amor ela florescerá.

Jade aprendia um pouco mais sobre o amor com ele e sentiu que seu amor por Pedro era imenso só que ele nunca regou esse amor. Ela dava sua vida por ele, mas ele não faria o menor sacrifício por ela. Seu amor estava murchando e não tinha volta e a solução foi poda-lo pela raiz.

Ainda com os olhos fechados lembrando-se de tudo uma lágrima escorreu dos seus olhos e ela permitiu que ela descesse pelo seu rosto e logo após a secou. Abriu o livro e leu a frase de apresentação “O amor é sempre sofredor mais quem ama não faz o outro sofrer”.

Antes que iniciasse a leitura bebericou um pouco do chocolate e pôs se a ler. As palavras daquele livro eram como um balsamo sobre as feridas do seu coração elas cicatrizavam as marcas que foram deixadas pelo tempo.


Augusto fora embora em busca de divulgar seu livro e Jade sentiu sua falta, pois sabia que acabara ganhando um amigo que ensinou verdades que não conhecia. Seu coração apertava de saudades em pensar quando o veria de volta, mas por outro lado estava feliz por ver que o rapaz estava levando um pouco de calor para os corações que se encontravam em pleno inverno.

Um comentário:

  1. Amei ter participado e feliz por ter ganho. Com o poodle não tem problema eu tenho um parecido com esse ai rsrsr
    Vou mandar meu novo endereço através da página de contato.

    ResponderExcluir