quarta-feira, 9 de outubro de 2013

RESENHA: "Olho por Olho", de Jenny Han e Siobhan Vivian

Por Francine Estevão

Título: Olho por Olho
Título original: Burn for Burn
Autor: Jenny Han e Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2013
Páginas: 320

Sinopse: Alguma vez você já quis realmente se vingar de alguém que a ofendeu? Talvez uma ex-amiga que a apunhalou pelas costas, ou um namorado traidor, ou um estúpido da escola que a humilhou desde que você era pequena… Alguma vez você já sonhou em envergonhá-lo na frente de todos? E, então, alguma vez você se uniu com outras duas pessoas para criar um elaborado esquema de destruição e revanche? A maior parte de nós não pode dizer que sim a todas essas perguntas (felizmente). Mas, certamente, todos nós somos capazes de nos identificar com muitos dos sentimentos de Kat, Lillia e Mary em Olho por Olho… No entanto, de um exercício de malícia, de uma simples brincadeira adolescente, o jogo do “aqui se faz, aqui se paga” poderá assumir proporções trágicas, em que até mesmo as leis da natureza vão se dispor, misteriosamente, a acalmar os corações ofendidos. Deixe-se levar por uma genuína história sobre o certo e o errado, o justo e o injustificável e procure entender — se possível — os verdadeiros motivos que transformaram estas três meninas. Dramático, honesto e fascinante, este é um livro que ultrapassa todas as expectativas! 


Decepção é a palavra que define o que senti ao ler “Olho por Olho”. A sinopse me chamou atenção e essa foi minha primeira escolha entre os lançamentos de agosto da NC (isso mesmo, embora tenha recebido o livro em agosto, só agora consegui terminar de ler...a leitura não fluía). Desde o começo, não conseguia muita sair do lugar com a leitura que era cansativa. Não havia nada que prendia a atenção e a narrativa é tão morna que em momento algum você pensa “agora vai engrenar”. Não. Mas, ainda assim, resolvi ir até o fim do livro, na expectativa de que algo me surpreendesse, nem que fosse na última página. O que não aconteceu.

A única coisa interessante no livro foi a forma escolhida para a narrativa, sendo que cada capítulo mostra o ponto de vista de uma das personagens principais.

O livro conta a história de Lillia, Mary e Kat, três jovens que pertencem a mundos diferentes embora vivam e estudem no mesmo lugar. O que une as três, é a vontade de se vingarem de conhecidos em comum que mudou a vida delas de alguma forma no passado ou no presente. Elas então se unem e bolam planos para acabar com cada uma de suas “vítimas” da melhor maneira possível, atingindo essas pessoas onde mais as marcaria.

Os planos de vingança são ridículos. É tudo muito infantil, mas um infantil bobo, que não interessaria nem mesmo ao público infantil. Os motivos para a vingança, também foram extremamente mal construídos. A história mais incômoda é a de Mary. Primeiro porque ela é a vingança com as razões menos idiotas e segundo porque a história da garota é algo que pode sem dúvida estar acontecendo neste momento em qualquer escola no mundo inteiro. No mais, o resto é extremamente exagerado.

A impressão que tive ao terminar o livro foi de que ele foi construído sem que as autoras tivessem qualquer ideia para desenvolvê-lo, mas tinham que cumprir um prazo. Fiquei com a sensação de que as duas decidiram que fariam um livro sobre vingança e ai começaram a ter ideias nada a ver e ninguém fez nada para impedir. O tema é bom e teria tudo para dar um ótimo livro. Pena que não foi o que aconteceu. O final só comprova o quanto o livro todo é desnecessário. 

Um comentário:

  1. Para quem tem como livro favorito o "O Conde de Monte Cristo" ler uma vingança daquelas doeu na alma mesmo, mas eu sou muito fã da Jenny Han e deu para perceber quando foi ela que escreveu e quando foi a outra autora que escreveu. Mas não achei o livro decepcionante, eu gostei muito do desenvolvimento das personagens, as três conseguiram me conquistar.

    ResponderExcluir