quarta-feira, 16 de outubro de 2013

RESENHA: “Suíte nº 3”, de Yeda Lins

Por Francine Estevão

Título: “Suíte nº 3”
Autor: Yeda Lins
Editora: Penalux             
Lançamento: 2013
Páginas: 146

Sinopse: Um rapaz trabalha como recreador de hotel e contrai um empréstimo para ajudar o tio doente. A dívida vira uma bola de neve e os agiotas começam a ameaça-lo de morte. Então ele se aproxima de uma moça solitária, rica e muito culta, com a intenção de conseguir o dinheiro. A moça aceita se envolver, dentro do limite estabelecido pelo seu lado racional. Mas o destino reservou outros planos para eles.


“Suíte nº 3” é um livro bastante direto e simples, sem aquela enrolação que nos deixa nervosos pelo que vai acontecer. O enredo é bastante interessante e faz a leitura ser ainda mais rápida, pois aguça nossa curiosidade.  

O livro também leva em consideração muitos aspectos emocionais, como a questão da mulher que se acha feia se sentindo amada pela primeira vez e duvidando dessa capacidade de atrair um homem, e o amor que supera qualquer coisa que seria capaz de acabar com esse sentimento. Nesse ponto, a história nos apresenta reviravoltas que surpreendem o leitor, que está sempre a julgar as atitudes dos personagens. Então você para, pensa e conversa com a personagem: “como pode? eu jamais faria isso! não seja burra!”, como se pudesse abrir os olhos deles. No entanto, ao mesmo tempo que você tem essa sensação de que quer e pode mudar o rumo da história, você acaba se envolvendo e se deixando convencer pelo destino escolhido pela autora. 

Vera é uma mulher rica e extremamente inteligente. No entanto, a falta de beleza a manteve sempre afastada das pessoas, com a cara nos livros. Sergio Luis perdeu o emprego e precisa pagar as despesas do tratamento do tio doente que o criou depois da morte de seus pais. Ele então fica sabendo da morte do pai de Vera e, como uma brincadeira, seu amigo Marcos sugere que ele aproveite da fortuna da família saindo com uma das herdeiras.  

Sem botar muita fé na ideia e sem fazer nenhum esforço para conhecer as filhas do ricaço falecido, o destino o coloca de frente com Vera em uma livraria, durante o lançamento de um livro. No entanto, a história dos dois já nasce com uma desconfiança de ambos os lados. Vera não cai na conversa de Sergio logo no começo e ele também desconfia de ter conseguido tudo tão facilmente. Aos poucos a relação vira uma questão de interesse para os dois lados, ao mesmo tempo que algo sincero começa a nascer entre o casal.

Esse foi um dos aspectos que mais me prendeu à história. O fato de ela nascer de uma relação de confiança e desconfiança entre Vera e sergio e tomar um rumo que só pode ser explicado por uma única palavra: amor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário