quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

RESENHA: "Casamento Duplo", de Patricia Scanlan

Por Francine Estevão

Título: Casamento Duplo
Título Original: Double Wedding
Autora: Patricia Scanlan
Editora: Essência
Páginas: 332
Lançamento: 2011

Sinopse: O que você faria se sua melhor amiga sugerisse que fizessem um casamento duplo? Acharia o máximo ou ia preferir que ela se "contentasse" com o papel de madrinha? Jessica e Carol, amigas de infância, estão noivas, de casamento marcado. Mas, desconfiada de que seu noivo vai desistir a qualquer momento, Carol tem uma "grande" ideia: fazer um casamento duplo. Assim Gary não assumiria um compromisso só com ela, mas com o casal de amigos também... Jessica fica horrorizada com a perspectiva: ela não quer dividir o dia mais feliz de sua vida com Carol. Sim, elas são amigas. Sim, é uma amizade sincera. E é por isso mesmo que ela sabe que só está sendo usada pela amiga numa tentativa desesperada de prender o namorado, que é um mulherengo. O problema é que Jessica tem um coração mole e é incapaz de dizer não. Mesmo contrariada, aceita fazer um casamento duplo. Mas, durante os preparativos, tudo desanda e parece que elas estão a caminho de uma guerra, e não do altar. O que será que vai falar mais alto - a amizade ou o amor?


Comprei "Casamento Duplo" no final de 2012 em uma das muitas promoções da Fnac, quando os livros não custam mais de R$ 9,99. Achei que ele tinha um enredo meio parecido com o do filme "Noivas em Guerra" e, como gosto do filme, resolvi comprar.

Ele foi ficando encostado na prateleira até que, nesse fim de ano, procurando uma leitura mais "Sessão da Tarde", resolvi dar uma chance.

Confesso que fiquei bastante desapontada.

Jessica e Mike têm o relacionamento perfeito e não têm a menor dúvida do que sentem um pelo outro e por isso estão decididos: vão se casar.

Carol e Gary têm um relacionamento conturbado com muito mais amor dela por ele do que o contrário. Por isso, Carol não tem dúvida: vai fazer Gary se casar com ela. Mas como? Bem, há apenas uma forma de fazer Gary se comprometer sem chances de se esquivar: um casamento duplo com Jessica e Mike.

O que seria o dia dos sonhos de Jessica se transformou em um pesadelo desde que ela, por pena, "concordou" com a ideia da amiga. Afinal de contas, Carol é uma pessoa com um passado conturbado e sem muito apoio da mãe alcoólatra, do pai que as abandonou e da irmã problema. Como ela poderia recusar a ideia mesmo sabendo que essa é a forma que Carol encontrou para não deixar Gary escapar?

A história até que poderia ser legal, mas a sensação que tive é de que a autora tinha se comprometido a escrever um livro com mais de 300 páginas mesmo sem ter história para tudo isso. Então ela resolveu ficar repetindo e repetindo e repetindo o caos dos meses que antecederam o casamento duplo das amigas até que ela chegasse no tanto de páginas que tinha prometido escrever. Por diversas vezes eu pensava "mas eu já li isso".

Então, é isso. O livro é extremamente cansativo. Você já não aguenta mais ler sobre a insegurança de Carol em relação ao que Gary sente por ela, não aguenta ver o quanto Gary é um idiota e não aguenta mais Jessica se lamentando por ter aceitado o casamento duplo sem coragem de fazer algo para interromper os planos da amiga.

No fim, tudo acontece tão de repente que fica um vácuo entre o que estava acontecendo e o que veio a seguir.

Confesso que se o livro tivesse a metade das páginas que tem, ele até que seria legalzinho, porque o desfecho não é dos piores. Mas até chegar lá, você fica com raiva de tanta enrolação.



Nenhum comentário:

Postar um comentário