quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

RESENHA: "Sleeping Beauty", de Phillip Margolin

Por Francine Estevão

Título: Sleeping Beauty
Autor: Phillip Margolin
Editora: HarperCollins
Lançamento: 2004
Páginas: 452

Sinopse: Estrela da equipe de futebol da sua escola, Ashley Spencer é ainda uma adolescente quando, numa trágica madrugada, um estranho invade a sua casa e mata o seu pai, Norman, e a sua melhor amiga, Tanya Jones. Ashley consegue escapar mas, a partir dessa noite, vive permanentemente assustada e deprimida. Mais tarde a sua mãe, Terri, consegue convencê-la a conhecer uma escola de elite fundada pelo milionário Henry Van Meter, a exclusiva Academia Oregon, cuja diretora, Casey Van Meter, interessada em integrá-la na equipe de futebol, lhe oferece uma bolsa de estudos. Por algum tempo tudo parece voltar à normalidade, mas é então que o assassino volta a atacar. Desta vez o criminoso mata a mãe de Ashley e deixa a diretora do colégio em estado de coma. Tudo parece indicar que o autor dos crimes é o escritor Joshua Maxfield que acaba por ser julgado e condenado à morte. Porém, mesmo com ele preso Ashley não encontra a tranquilidade que esperava e entretanto descobre um segredo que envolve a sua família e que está relacionado com os crimes.


“Sleeping Beauty” (“A morte escreve certo”, em português, lançado pela Rocco) traz surpresas até a última página. Para quem gosta de reviravoltas em histórias policiais investigativas, superindico a leitura que nos prende do início ao fim. Juro, já achava o livro ótimo na primeira página e não mudei de ideia quando cheguei ao fim. No entanto, devo fazer uma observação. O livro é um pouco extenso e seu “miolo” é meio lento, pois traz detalhadamente o julgamento do caso, com depoimentos e tudo mais. Mas a história é tão boa que você se envolve e acaba relevando esse detalhe.

O livro começa com um autor (Miles) em turnê lançando o livro “Sleeping Beauty”, sobre um serial killer (Joshua) que matou os pais e uma amiga de Ashley, e que deixou a irmã de Miles (Casey) em coma por mais de cinco anos. O livro mescla, até o fim, o book tour de Miles com o caso em si, que é contado pela visão de Ashley.

Ashley estava dormindo quando seu pai e sua melhor amiga foram assassinados. Era para ela ter morrido também, mas o assassino resolveu, antes de matá-la, fazer uma pausa para ir até a cozinha e comer um pedaço de torta e tomar um pouco de leite. Isso possibilitou à jovem escapar e sobreviver para contar a história.

Depois de conseguir retomar sua vida ao lado da mãe (Terri), que na noite do crime estava trabalhando e, portanto, também sobreviveu, Ashley é chamada para integrar o time de futebol de uma escola, comandada por Casey. Lá, Ashley e Terri conhecem o famoso escritor Joshua, que convida Terri a participar de suas aulas abertas de escrita. Logo no início do curso, Joshua lê o pedaço de um novo livro que está sendo escrito por alguém que ele não revela o nome e Terri fica apavorada. A história é praticamente tudo o que aconteceu na sua casa quando seu marido morreu.

Ao pedir ajuda para Casey, por desconfiar de Joshua, Terri acaba sendo assassinada e Casey sobrevive, mas entra em coma. No entanto, Ashley viu Joshua na cena do crime e então começa uma caçada ao professor-escritor-serial killer.

Durante toda a leitura você é embalado por uma sensação de desconfiança ao mesmo tempo em que você e todos na história têm certeza de quem é o verdadeiro culpado. Até o penúltimo capítulo, você fica nesse misto de certeza e dúvida e se surpreende com o final.

“Sleeping Beauty” é mais uma prova de que excelentes livros do gênero só são excelentes por causa dos pequenos detalhes que só gênios da literatura policial são capazes de criar.

Um comentário:

  1. "....excelentes livros do gênero só são excelentes por causa dos pequenos detalhes que só gênios da literatura policial são capazes de criar." Adorei!!! ^^

    Carol W.

    ResponderExcluir