segunda-feira, 17 de março de 2014

Ler mais ou melhor. Eis a questão

Por Francine Estevão

“Esse é o assunto do momento, pelo jeito...rs”. Esse foi o comentário da minha amiga Carol, ao me mandar um link sobre “Como ler um livro por semana. Além deste texto, já havíamos comentado, um dia antes, sobre a coluna do Danilo Venticinque na Época – “Ler com pressa é pior do que não ler sobre a start up que promete te fazer ler mil palavras por minuto.

O texto do Danilo vem de encontro a tudo o que penso sobre o assunto “ler mais”. Já o texto do Julien Smith me desafiou de uma certa forma a discordar de alguns pontos que ele destacou, muito embora eu tenho adorado o início do seu texto:

“Por que, em nome de Deus, você ia querer fazer isso (ler mais)?
É incrível. Você tem uma quantidade incrível de ideias. Ajuda-o a pensar melhor. É melhor que a TV e até que a internet. Faz você entender melhor o mundo. É um tijolo que ajuda a construir um hábito de conclusão. Eu já disse que é incrível? Não importa, apenas faça.”



Quando eu digo para as pessoas que leio um livro por semana, em média, elas costumam ficar impressionadas. Perguntam onde consigo tempo e duvidam que a minha leitura seja de qualidade. “Um livro em uma semana? Dá tempo de entender a história?” Sim, já ouvi isso. E a minha resposta é sim, dá tempo.

Consigo isso ocupando todos os espaços vagos do meu dia com leitura. Geralmente, fico algum tempo à toa pela manhã entre o acordar e ir trabalhar, me sobram alguns minutos livres no meu horário de almoço e no fim do dia sempre sobram horas a ser preenchidas. Nos finais de semana, a televisão é um porre e a internet só toma parte do meu tempo e do meu tédio. Todos os outros minutos são preenchidos pelos livros, simplesmente porque essa é a maneira de ocupar meu tempo que mais me satisfaz. (Ah, e acreditem, ainda me sobra tempo para ficar com a família e com os amigos e pra sair pra me divertir com eles.)

Mas no meu caso, não é uma questão de metas, como disse Julien Smith, nem tão pouco uma questão de se enganar com livros pequenos, nem de se cobrar por não ter conseguido cumprir o prazo ou por ter abandonado um livro chato, daqueles que não prendem a gente por nada. Ler um livro por semana, para mim, é algo natural. E quando não consigo terminar “em tempo”, não existe culpa nem sacrifícios.

A leitura tem que ser motivada pelo prazer, não pela obrigação. Ela tem que cumprir alguns dos seus objetivos que são te fazer viajar, sonhar, relaxar, te dar ideias, entre os muitos outros propósitos intrínsecos ao ato de ler.

Acho que estabelecer uma meta faz com que a leitura em si saia de foco e dê lugar a uma competição de você com você mesmo, ou com outros leitores, ou sei lá com quem porque simplesmente não vejo sentido em ter pressa. Você não vai ganhar um prêmio ao final do desafio e, muito embora ler mais te possibilite conhecer um maior número de novos mundos em apenas um ano, você tem todo tempo do seu mundo pra isso.

Mas na verdade, acho que tudo isso é algo que você só compreende quando começa a ler muito. Momento mea culpa: eu já fui assim, já me senti uma pessoa péssima por passar duas semanas no mesmo livro. Até que um dia reparei que faltava sentido nessa minha culpa e que a minha pressa prejudicava a qualidade da minha leitura. É por isso que hoje posso afirmar que se leio um livro em uma semana apenas, é porque eu consigo isso com qualidade.

Hoje, gosto de me sentir envolvida pelas palavras de cada livro que pego na estante. Gosto de sentir a história sendo construída a cada página, cenários e personagens se tornando reais mesmo que só na minha cabeça, gosto de sentir que aquele universo – seja ele do gênero que for – é possível. Sou apaixonada por essa viagem que os livros me possibilitam, essa ideia de estar cada dia em um novo lugar, conhecer novas “pessoas” e fazer novos amigos. Porque esse é o melhor prêmio que se ganha ao ler: um universo cheio de possibilidades diferentes a cada dia – sonhos. E não importa quanto tempo você vai levar para chegar ao fim daquele universo e entrar em outro, porque a história vai continuar lá. Seja nas páginas impressas ou digitais (nos casos dos e-books) a história não vai a lugar nenhum. Ela estará esperando por você.

Portanto, não importa quantos livros você vai ler esta semana, este mês ou este ano. O que importa de verdade é o que cada um desses livros fez por você e para isso você precisa ter tido tempo pra sentir a história acontecer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário