quarta-feira, 23 de abril de 2014

RESENHA: "Quem sabe um dia", de Lauren Graham

Por Francine Estevão

Título: Quem sabe um dia
Título original: Someday, someday, maybe
Autora: Lauren Graham
Editora: Record
Lançamento: 2014
Páginas: 368

Sinopse: Franny Banks é uma atriz lutando em Nova York, com apenas seis meses para o prazo de três anos que deu a si mesma para ser bem sucedida. Mas até agora, tudo o que ela tem para mostrar por seus esforços é uma única linha em um anúncio de camisolas feias de Natal e um emprego de garçonete degradante. Ela vive no Brooklyn, com duas companheiras de quarto, Jane - sua melhor amiga de faculdade, e Dan, um escritor de ficção-científica, que é muito, definitivamente não namorável. E está lutando por seus sentimentos por um cara suspeitamente charmoso de sua aula de atuação, tudo isso enquanto tenta encontrar um shampoo para seus cabelos que realmente funcione. Enquanto isso, ela sonha em fazer um trabalho "importante", mas parece que ela só consegue audições para propagandas de detergente líquido e comerciais de manteiga de amendoim. É díficil dizer o que vai acontecer primeiro: ela vai ficar sem tempo ou sem dinheiro, mas de qualquer forma, o fracasso significaria enfrentar o fato de que ela não tem absolutamente nenhum habilidade para sobreviver no mundo real. Seu pai quer que ela volte para casa e vire professora, seu agente não vai chamá-la de volta, e sua colega de aulas, Penelope, que parece incentivadora, pode só tornar a competição ainda mais difícil. Quem Sabe Um Dia é uma estreia engraçada e encantadora sobre encontrar a si mesmo, um amor e o mais difícil de tudo, encontrar um trabalho como atriz.


Estava vestindo inocentemente uma t-shirt durante que comprei durante uma viagem, quando a Roh Dover, do TriBooks pergunta “é daquele livro?” OI? Minha blusa, comprada inocentemente, só porque achei linda, era a capa de um livro? Google.

Não só era a capa de um livro, como era a capa de um livro da Lauren Graham, que se passa em NY, recomendado pela Meg Cabot. Okay, comprar o livro NOW!



“Quem sabe um dia” é daqueles livros deliciosos de ler para relaxar. Ele diverte, distrai, e você devora a história sem nem perceber o tempo passar.

A autora, Lauren Graham, ficou marcada para sempre em mim como a Lorelai, de Gilmore Girls. Por isso, no começo da leitura de sua estreia literária, foi impossível não imaginar Franny como a própria autora, que também atua em Parenthood. Depois, com o passar da história, a personagem foi criando seus próprios traços e fui criando uma imagem própria para a ela. Ela é bastante real (ou pelo menos tão real quanto eu imagino alguém na situação dela) e acho que isso se deve ao fato de Lauren ter colocado no papel muitas das experiências que teve nos caminhos que percorreu para ser uma atriz famosa e reconhecida.

Franny mora com Jane, uma produtora de filmes, e Dan, um aspirante a roteirista. Ela está na Big Apple para conseguir se tornar uma atriz na Broadway, mas ela tem um prazo autoimposto para que isso aconteça. Caso contrário, ela desistirá desse sonho e trilhará outros caminhos. Isso porque ela não quer se tornar uma daquelas pessoas que insistem para sempre sem nunca chegar a lugar nenhum de fato.

Com o prazo quase se esgotando, ela se divide entre as aulas de teatro, um emprego como garçonete, testes para comerciais, dificuldades financeiras, preguiça, determinações que nunca servem para nada e que nem sempre consegue cumprir, espiar um vizinho com hábitos estranhos e uma secretária eletrônica que é a única do apartamento que dá alguma atenção ao pai de Franny. Aliás, a secretária eletrônica é quase uma personagem da história rs.

Além disso e das reclamações constantes com o peso a mais que ela acha que tem e com o cabelo revoltado que ela quase nunca consegue domar, Franny ainda tenta fazer de tudo para conseguir um agente que lhe ajude a conseguir empregos de verdade como atriz (e não só comerciais), um relacionamento estranho com um ator famoso da sua turma das aulas de teatro e uma queda, ainda que não confessada, pelo seu colega de apartamento.

Fora isso, a autora não deixou que a história se detivesse ao momento presente da personagem. Ela conta o que a motivou a ser atriz, como ela começou a perceber a importância de atuar na sua vida, dando certa profundidade à história.

Cada elemento, cada personagem e cada situação contribuem para que o livro seja excelente. Uma delícia de ler, muito bem escrito e engraçado. Tem também, ainda que de forma extremamente sutil, uma mensagenzinha sobre a importância da autoconfiança e da persistência na conquista pelas coisas que desejamos. A história de Franny mostra que nossas escolhas determinam quase tudo que acontece na nossa vida e que devemos sempre acreditar em segundas chances.


Além da capa MA-RA-VI-LHO-SA, preciso destacar aqui uma das coisas que mais me deixou apaixonada pelo livro: as páginas da agenda de Franny! Sério, gente. Achei tão legal a forma como ela faz as anotações na agenda diária dela que deu vontade de sair desenhando nas páginas da minha agenda também.





Nenhum comentário:

Postar um comentário