sexta-feira, 4 de abril de 2014

TAG: 10 autores V.I.P.

Por Francine Estevão

“Sabe aqueles autores que a gente compra o livro deles sem nem mesmo olhar capa ou sinopse? Aqueles que a gente indica para o amigo "pode comprar esse lançamento, eu não li mas o autor é muito bom!". A gente sempre tem esses queridos no coração e na estante, não é mesmo?” (TriBooks)

Inspirada na TAG criada pelo TriBooks, resolvi fazer a minha lista dos meus “10 autores V.I.P.”.



Meg Cabot – Meg com certeza foi uma das autoras que me fez apaixonar pelo hábito de ler. Foi com ela que aprendi que leitura não era uma chatice obrigatória de escola, que livros grandes não eram desnecessários, que romances históricos são as melhoras histórias de romance e que séries são muito bem vindas para nos manter apaixonadas pelos mesmos personagens por um bom tempo. Foi uma das primeiras que eu comecei a acumular na prateleira e é uma das poucas de quem eu desejo absolutamente TODOS os livros, seja como Meg, seja como Patricia (embora eu ache difícil conseguir isso tão cedo considerando o número de livros já publicados e os milhares que ela continua escrevendo e publicando – mas eu não estou reclamando. Continue, Meg. Continue!)


Donato Carrisi – Donato Carrisi foi quem me fez descobrir o quanto eu amava histórias investigativas (as bem elaboradas). Foi com ele que aprendi a apreciar boas tramas e a desconfiar do mundo.


Clarice Lispector – Simplesmente porque cada palavra já escrita por essa mulher me toca de uma maneira única e extremamente pessoal e porque ela sempre tem a citação certa para qualquer situação da minha vida ou sentimento que ouso provar. Um reflexo da minha alma.


Matthew Quick – Ainda bem que os livros dele começaram a ser traduzidos recentemente assim consigo acompanhar os lançamentos e garantir todos. Ele tem uma maneira bastante única de abordar assuntos delicados e polêmicos e de criar personagens envolventes e apaixonantes. Amor por tudo que ele escreve.



James Patterson – o cara é bastante eclético e escreve de tudo um pouco, mas seus livros policiais são os meus favoritos e sempre indico de olhos fechados para quem gosta do gênero.



Jane Austen – Romance, crítica, humor e as mulheres com as melhores personalidades de todas as personagens femininas ever.



Federico Moccia – Ele escreve romances fofos e encantadores além de nos levar a viagens incríveis pela Europa e criar personagens loucamente normais. É impossível não lembrar das histórias dele em situações cotidianas e mais impossível ainda não terminar de ler seus livros sem vontade de viver um grande amor e viajar pela Europa.



Pablo Neruda – No poeta chileno encontro sempre os melhores conselhos. Mais um que tem sempre o melhor conforto a me oferecer com uma simples frase ou uma poema enorme.



William Shakespeare – Ele soube enxergar o melhor e o pior do ser humano e fazer as melhores críticas com conteúdo à sociedade, não só da sua época, como suas “broncas” são válidas eternamente.



Lisa Gardner – Acho que ela é a minha descoberta mais recente de toda essa lista. Depois de muito tempo e muitas leituras atrás de um policial/investigativo à altura de Donato Carrisi, foi ao ler um livro da Lisa que eu mais me aproximei da sensação de ser surpreendida. E não parei mais. 

Então, já sabem, se virem algum desses rostinhos por ai, leiam! 
Quais são os seus "10 autores V.I.P.? Respondam nos comentários ou nos envie o link do seu blog com as respostas ;)

Um comentário: