segunda-feira, 30 de junho de 2014

Conto de Tiago Toy é destaque na Amazon

Por Maju Raz

O autor nacional Tiago Toy, autor de Terra Morta, já vendeu, em dois meses, mais de 400 exemplares digitais do seu conto Não Se Preocupe, Mamãe. Ficaremos Bem. O autor disse em seu facebook pessoal que por conta da grande procura do conto "ficou com vontade de estender a história para um romance."

Sinopse: Os irmãos Rebecca e Antony se preparam para passar a noite de sexta assistindo filmes enquanto a mãe solteira, Carmen, é chamada às pressas para cobrir um desfalque na equipe de enfermagem do hospital local. Há algo estranho acontecendo na cidade e ninguém sabe por que as vítimas não param de surgir. Rebecca é incumbida de cuidar do irmão caçula e sabe que não deve abrir a porta para estranhos. Mas e quando os intrusos conseguem encontrar outros meios de entrar? Acompanhe a noite mais assustadora da vida de duas crianças que deverão esquecer a inocência quando a sobrevivência falar mais alto...



Fiquei com muita vontade de ler e vou comprar! Quem tiver interesse também acesse o site da Amazon clicando aqui. 

"Tiago Toy é escritor de ficção e criador da saga Terra Morta, que imagina um incidente zumbi no interior de São Paulo. 
Terra Morta teve início em Agosto de 2008 através do blog http://terra-morta.blogspot.com. Considerado o primeiro romance de zumbis nacional de sucesso, com relevância para o mercado editorial, o livro teve seu lançamento e primeira tarde de autógrafos em dezembro de 2011, angariando ótimas críticas da mídia especializada e leitores. O primeiro livro da série, subintitulado Fuga, dominou o 1º lugar de Mais Vendidos de Horror da Amazon e continua na lista. 
Tiago atualmente trabalha na revisão do segundo volume, com lançamento previsto para o segundo semestre de 2013, na produção do roteiro de uma HQ que contará uma história paralela à trama do livro, e na seleção de contos baseados no universo Terra Morta, escritos por leitores e alguns autores convidados, que farão parte da coletânea Terra Morta - Relatos de Sobreviventes.
Como autor convidado, lançou o conto Ignácia para o livro Fragmentos do Inferno (Editora Estronho), e o conto Heroína para o livro Fantasias Urbanas (Editora Draco), ambos como autor convidado. Hoje Tiago escreve contos exclusivamente para a Amazon, vários deles na lista de Mais Vendidos. 
Como colunista/crítico, Tiago faz parte da equipe do site BOCA DO INFERNO, onde analisa obras referentes ao terror e fantástico, como filmes, séries, HQs e literatura. Com 12 anos de existência, o Boca do Inferno tem, em média, 70.000 visitas diárias, e se tornou fonte de consulta e meio de divulgação do gênero fantástico. Recebemos convites para participar de cabines de imprensa, fazemos promoções em parceria com distribuidoras e já mostramos a cara em revistas como Carta Capital e Set, além de canais de TV como Cultura, Record, Bandeirantes, MTV, ou entrevistas em sites e documentários diversos."

sexta-feira, 27 de junho de 2014

TAG: Livros que gostaria de ver no cinema

Vi esse post no blog da Iris Figueiredo, o Literalmente Falando, e fiquei inspirada pra fazer dele uma TAG. Existem alguns livros que, enquanto os lemos, eles se passam em nossa cabeça como se fossem um filme. E por que não? Então a ideia é essa, uma lista com 5 livros que eu gostaria de ver no cinema.

1- "Senhor do Amanhã", da Vanessa Bosso



Eu adoraria ver também "O Imortal" nos cinemas. Mas vamos deixar ele como um bônus porque "Senhor do Amanhã" precisa ser descoberto por Hollywood. É impossível ler esse livro sem pensar nele como um filme. Enquanto passava as páginas, parece até que eu via algumas cenas de filmes já produzidos adaptadas à história da Vanessa. Ele foi escrito pra virar filme! 

2- Série "A Mediadora", da Meg Cabot



Acho que eles não adaptaram esse filme ainda porque é impossível escolher um ator à altura do Jesse. Afinal, não existe nenhum ser humano tão perfeito quanto esse fantasma lindo de viver! Mas, mesmo assim, tão esperando o que pra colocar a Suzzy nas telonas? (Prometo que não vou colocar mais Meg Cabot nesse post porque, se não, precisaria fazer uma lista com quase todos os livros dela, mas vai dizer que "Garoto encontra garota"/"O garoto da casa ao lado" não têm a cara de comédias românticas de sucesso no estilo "Bridget Jones"? Sem contar "Todo garoto tem", ou a série "A Rainha da Fofoca", ou "Ela foi até o fim"...)

3- "À caça de Harry Winston", da Lauren Weisberger



Lauren Weisberger fez um sucesso estrondoso com "O Diabo Veste Prada", mas apesar do filme ser incrível e um dos que não me canso de rever, "À caça de Harry Winston" é um dos meus livros favoritos dela e precisa ser adaptado. Na verdade, como ela é mais uma das minhas autoras favoritas e não tem um livro dela que eu não adore, acho que todos podiam ser adaptados - "Uma noite no Chateau Marmont" e "Todo mundo que vale a pena conhecer". Mas vamos começar por "À caça...".

4- "Quem sabe um dia", da Lauren Graham



Acho que esse livro foi escrito para ser roteiro de cinema. Além de ser a "praia" da Lauren, a história tem tudo para ser um daqueles filmes que satirizam o próprio meio e mostram um pouquinho mais sobre os bastidores do teatro e do cinema.

5- "O Aliciador", de Donato Carrisi



Claro que eu não podia deixar meu livro favorito no universo de fora. Sinceramente não sei se seria possível adaptá-lo e manter sua grandiosidade, mas não custa tentar. Seria ótimo, mesmo que não fosse uma adaptação perfeita, poder conferir a melhor história investigativa do universo nas telonas.

E a lista de vocês? Quais livros não poderiam deixar de serem adaptados? 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

RESENHA: "Coffeehouse Angel", Suzanne Selfors

Por Francine Estevão

Título: Coffeehouse Angel
Autor: Suzanne Selfors
Lançamento: 2010
Páginas: 304
Editora: Walker & Company


Sinopse: Da autora de "Saving Juliet" vem uma comédia romântica que é boa até a última gota. Quando Katrina vê um mendigo dormindo no beco atrás da loja de café da sua avó, ela decide deixar-lhe uma xícara de café, um saco de feijão com cobertura de chocolate, café e alguns pastéis. Mal sabe ela que esse ato aleatório da bondade está prestes a transformar a sua vida de cabeça para baixo. Porque este vagabundo adorável, Malcolm, é realmente um anjo da guarda em um intervalo entre as missões. E ele não vai sair até que ele possa recompensar a abnegação do Katrina, cumprindo seu desejo mais profundo. Agora, se só ela poderia decidir o que poderia ser.


"How many of us need to be reminded that living has nothing to do with trying to be as good as someone else, or trying to fit into something category, or filling in to the blanks on some stupid checklist. That it has nothing to do with punishing yourself for past mistakes.” Pág 149

“Coffeehouse Angel” é um livro fofo e delicado e engraçado e é sobre anjos, portanto, é impossível você ler e não gostar. Família, amizade e as descobertas pessoas que vão sendo feitas ao longo da nossa vida são alguns dos temas que você vai encontrar nessa história com personagens extremamente cativantes, daqueles que você gostaria de ter por perto de você – incluindo um anjo da guarda como Malcolm – “Coffeehouse Angel” tem uma história deliciosa para ser saboreada enquanto se toma um café quentinho.

Katrina se divide entre a escola e a cafeteria da avó, que passa por uma péssima fase enfrentando a concorrência. Embora não seja sua vida dos sonhos, está tudo bem já que ela ainda não sabe qual sua vocação na vida. Certa manhã, Katrina encontra um garoto, Malcolm, na porta da cafeteria da avó e apesar de ficar com medo do estranho, ela o serve café e comida para que ele vá embora. Ela só não esperava que aquele ato de bondade poderia mudar sua vida.

Malcolm é na verdade um anjo mensageiro e precisa retribuir aquele ato de bondade que Katrina teve com ele dando a ela aquilo que ela mais deseja na vida. Sem botar muita fé na conversa de maluco dele (e na saia escocesa que apesar de ser muito muito estranha fica fofa nele), ela acaba aceitando qualquer coisa para que ele suma, mas depois disso, coisas estranhas começam a acontecer ao redor de Katrina e ela começa a desconfiar que talvez o papo de maluco de Malcolm tenha algum sentido.

No entanto, embora tenham muitas coisas que Katrina queira – como a volta de seus pais que morreram em um acidente, descobrir sua vocação na vida e ajudar a cafeteria de sua avó a voltar a ter clientes e, por tabela, rendimento – ela honestamente não sabe o que é aquilo que ela mais deseja na vida, mas vai acabar descobrindo que nem sempre aquilo que mais se deseja é algo que está dentro de você desde sempre.


segunda-feira, 23 de junho de 2014

LANÇAMENTOS de Julho: Editora Arqueiro




"Manhã de Núpcias" (Os Hathaways - Livro 4), Lisa Kleypas

Sinopse: Irmão mais velho, Leo Hathaway, é completamente irritante. Quando uma discussão termina em um beijo repentino, Cat fica chocada com sua poderosa resposta e ainda mais quando Leo propõe uma ligação perigosa. Leo deve se casar e produzir um herdeiro dentro de um ano para salvar a casa da família. O comportamento respeitável de Catherine esconde um segredo que destruiria totalmente a ela. Mas, para Leo, Cat é intrigante e infernalmente tentadora, até mesmo para um homem resolvido a nunca amar de novo.

"O Resgate", Nicholas Sparks

Sinopse: Taylor McAden é voluntário do corpo de bombeiros da pequena Edenton. Destemido a ponto de parecer imprudente, enfrenta incêndios, participa de salvamentos, desafia a morte sem hesitar. Mas uma coisa ele não tem coragem de fazer: entregar seu coração. Por toda a vida ele se envolveu com mulheres que estavam mais em busca de apoio que de amor – e sempre se afastava delas assim que o relacionamento começava a ficar sério. Numa noite de tempestade, enquanto sinalizava postes de energia caídos, Taylor encontra um carro batido na beira da estrada. Assim que recobra os sentidos, Denise, a motorista, pergunta pelo filho. Mas Kyle, um menino de 4 anos que tem problemas de audição e de fala, não está em sua cadeirinha no banco traseiro. Durante a busca pelo garoto, Denise se surpreende ao ver que está diante de um homem capaz de abrir mão da própria vida para salvar uma criança. E o que Taylor nem imagina é que esse resgate será muito diferente de todos os que já fez, pois exigirá mais do que coragem e força física – e talvez possa levá-lo à própria salvação. O resgate é um livro arrebatador sobre sentimentos que abrem portas fechadas pela tristeza e sobre vidas que são transformadas quando se tem a ousadia de amar. 

"Seis Anos Depois", Harlan Coben

Sinopse: Jake Fisher e Natalie Avery se conheceram no verão. Eles estavam em retiros diferentes, porém próximos um do outro. O dele era para escritores; o dela, para artistas. Eles se apaixonaram e, juntos, viveram os melhores meses de suas vidas. E foi por isso que Jake não entendeu quando Natalie decidiu romper com ele e se casar com Todd, um ex-namorado. No dia do casamento, ela pediu a Jake que os deixasse em paz e nunca mais voltasse a procurá-la. Jake tentou esconder seu coração partido dedicando-se integralmente à carreira de professor universitário e assim manteve sua promessa... durante seis anos. Ao ver o obituário de Todd, Jake não resiste e resolve se reaproximar de Natalie. No enterro, em vez de sua amada, encontra uma viúva diferente e logo descobre que o casamento de Natalie e Todd não passou de uma farsa. Agora ele está decidido a ir atrás dela, esteja onde estiver, mas não imagina os perigos que envolvem procurar uma pessoa que não quer ser encontrada. Em Seis Anos Depois Harlan Coben usa todo o seu talento para criar uma trama sensacional sobre um amor perdido e os segredos que ele esconde.
  
"O Sobrevivente", Gregg Hurwitz

Sinopse: Uma manhã em Los Angeles, Nate Overbay - um ex-soldado divorciado sofre de PTSD e morrendo lentamente de ALS - vai para o décimo primeiro andar de um banco, sai pela janela do banheiro para a borda e se prepara para acabar com tudo. Mas, enquanto ele está se preparando, um grupo de assaltantes irrompe no banco e começa a atirar violentamente em funcionários e clientes. Sem nada a perder, Nate confronta os ladrões, levando-os para fora um por um. O último homem deixa Nate com uma advertência enigmática. Nate logo descobre o que essa mensagem significa. Ele é sequestrado por Pavlo, um mafioso russo selvagem e mentor do assalto que falhou. Incapaz de voltar ao banco para obter o item crítico dentro dele, Pavlo dá um ultimato a Nate - entrar no banco e pegar o que ele precisa ou assistir Pavlo matar lentamente a única coisa que Nate mais ama - sua ex-esposa Janie e sua filha adolescente Cielle - ambos perdidas quando ele voltou do Iraque quebrado e confuso. Agora ele tem uma última chance para proteger as pessoas que ama, mesmo que seja a última coisa que ele é capaz de fazer.

"Nosferatu", Joe Hill

Sinopse: Victoria McQueen tem um dom secreto para encontrar coisas – uma pulseira extraviada, uma fotografia desaparecida, respostas para perguntas sem respostas. Em sua bicicleta Raleigh Tuff Burner, ela faz o seu caminho para uma frágil ponte, que a leva para onde ela precisa ir, seja através de Massachusetts ou em todo o país. Charles Talent Manx tem um jeito com as crianças. Ele gosta de levá-los para passeios em seu Rolls-Royce Wraith 1938, com a placa NOS4A2. Com seu velho carro, ele pode sair do dia-a-dia, e ir para as estradas ocultas que os transportam para um surpreendente – e terrível – parque de diversões que ele chama de Christmasland. Então, um dia, Vic vai à procura de problemas – e encontra Manx. Isso foi há muito tempo. Agora Vic, a única criança que conseguiu escapar de Manx, cresceu e está desesperada para esquecer. Mas Charlie Manx nunca parou de pensar em Victoria McQueen. Ele está na estrada novamente e pegou um novo passageiro – o filho de Vic.  

sexta-feira, 20 de junho de 2014

300 páginas em 40 minutos


A Super Interessante publicou uma matéria sobre um Americano que lê 300 páginas em 40 minutos! Isso mesmo!  Kim Peek lê um livro de 300 páginas em 40 minutos, ou seja, uma página com cada olho:

"Esse americano de 57 anos já leu 9 mil livros, o que dá mais ou menos um a cada dois dias desde a infância. E com uma diferença em relação a você: ele não esquece nada do que leu. Kim sabe de cor a história de todos os países, seus presidentes, quando eles nasceram, quem foram as esposas deles... Recita qualquer trecho da Bíblia, do Alcorão ou da estrutura de um ônibus espacial.E tudo isso é pouco perto do que o britânico Daniel Tammet faz. Ele simplesmente inventou uma matemática particular. Pergunte para Daniel quanto é, digamos, 27 elevado à 5ª potência. Ele vai responder rapidinho que isso dá 10 460 353 203. Só que sem ter feito uma conta nem decorado nada. Os resultados surgem por mágica na cabeça desse inglês tímido de 29 anos. E ele não é incrível só com números. A rede americana de TV PBS o desafiou a aprender islandês, uma língua que até quem nasceu na Islândia acha complicada, em uma semana. Sete dias depois, Daniel estava num talk show em Reykjavik contando que o idioma deles era “mjög fallegur” (“muito bonito”) – era a 11a das línguas que ele aprendia a falar fluentemente."

E você, quantas páginas lê em 40 minutos?

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Vídeo Resenha "Não Se Apega, Não" da autora Isabela Freitas (Por Magia Literária)



Blog Magia Literária compartilhou com a Sociedade uma vídeo resenha do livro "Não Se Apega, Não" da autora Isabela Freitas (Editora Intrínseca). A editora do Blog, Mariana Mortani, nos contou que a partir de agora é uma das colunistas de um Portal, o Pauta Rio. Esse Portal vem com a proposta de disseminar a cultura em suas diversas formas e a cada mês surge com uma nova resenha na coluna nomeada Resenha em Pauta

Confiram as impressões da blogueira sobre "Não Se Apega, Não" de Isabela Freitas:




quarta-feira, 18 de junho de 2014

Carina Rissi divulga capa de seu novo título, "Encontrada"


A autora nacional de "Procura-se um marido", Carina Rissi,  divulga em seu facebook pessoal a capa de sequência do livro "Perdida", "Encontrada": 


"ENCONTRADA - À ESPERA DO FELIZES PARA SEMPRE"

Pois é. ENCONTRADA. Entrei no clima de copa do mundo e mudei o título aos 46 do segundo tempo. As mais atentas entenderão o motivo 

A arte dessa lindeza é do André Tavares (valeu demais, André!) e olha o novo - e lindo - logo da Verus ali no canto!

Meu muito obrigada a Verus Editora e sua equipe maravilhosa, sempre tão cuidadosa com meu trabalho.

"Encontrada" será lançado em agosto e mal posso esperar para que vocês conheçam a nova aventura de #Sofian.

Bjos!



E aí, o que acharam? 

segunda-feira, 16 de junho de 2014

O tempo de cada um de Letícia Wierzchowski

Perambulando pelo blog da intrínseca encontrei uma coluna titulada “O tempo de cada um”. Achei muito interessante e resolvi ler. Me identifiquei muito com o texto e com o estilo de escrita e resolvi compartilhar com vocês.

A autora do texto, Letícia Wierzchowski, é autora de Sal e assina uma coluna no blog da Intrínseca.  

“Nascida em Porto Alegre, Leticia estreou na literatura aos 26 anos e publicou 11 romances e novelas e uma antologia de crônicas, além de cinco livros infantis e infantojuvenis. Um de seus romances mais conhecidos é A casa das sete mulheres, história que inspirou a série homônima produzida pela Rede Globo e exibida em 30 países.”




O tempo de cada um 


"Com um atraso de muitos anos, estou assistindo à série Lost com meu filho adolescente. Sempre que dá, lá estamos nós acompanhando as peripécias dos sobreviventes do voo 815 da Oceanic. Neste momento, a misteriosa ilha de Lost trocou de lugar, e os personagens vêm sofrendo pulos temporais, indo e voltando no tempo da ilha.
Parece estranho, mas a vida é mais ou menos assim: cada um de nós, nesta existência, está numa parte do caminho, em um tempo em que o outro já passou, ou ainda não alcançou. Fiquei pensando nisso na última noite, enquanto um casamento se desenrolava com toda pompa e circunstância no clube lindeiro ao apartamento onde moro: lá estava a noiva entrando pelo caminho iluminado em meio às árvores (posso ver tudo da janela e sou uma janeleira convicta.). Vendo a noiva, pude voltar no meu próprio tempo e, por um instante, revi o meu casamento, quinze anos atrás, e senti aquela emoção, aquela nervosa euforia.
Provavelmente, eu não vou casar outra vez. Mesmo que a vida dê a mais inesperada das reviravoltas, não entrarei novamente de branco num lugar cheio de amigos com um buquê de rosas e o coração leve como naquele setembro quando casei com o meu marido — nunca mais serei como naquela noite, aos vinte e sete anos. Aos quarenta e dois anos, eu não vou mais ter filhos — tive dois, a luz da minha vida —, mas o meu ventre não vai mais acolher nenhuma semente, e o meu peito não alimentará mais ninguém.
Eu não vou fazer muitas das coisas que já fiz, o meu tempo para elas se acabou. Farei outras tantas. Outros caminhos hão de se estender à minha frente, novas experiências me aguardam adiante no tempo à frente dessa estrada, para além dessa noite de junho quente e estrelada no Rio de Janeiro. Da janela, vejo os noivos no altar e sinto saudade daqueles anos que já ficaram para trás, daquela Leticia que eu fui  e que já não sou mais, como outras tantas Leticias que se foram perdendo pelo caminho.
A ilha maluca que nos rege é a nossa própria vida, a vida incerta e cheia de surpresas, de súbitas mudanças e de transformações perenes. Lá fora, no clube, os noivos trocaram as alianças, e a orquestra ataca com uma música romântica. Pelo colorido movimento dos vestidos sob os holofotes, suponho que os convivas estão felicitando o novo casal. A noiva que caminhou pelo tapete vermelho há pouco já não é mais a mesma de antes do sim. Estamos todos mudando constantemente nesta viagem pelo tempo da nossa própria vida."

sexta-feira, 13 de junho de 2014

TAG: Os 10 empoeirados

Sabe aqueles livros que você queria MUITO ler, comprou, e por algum motivos misterioso você foi deixando eles para trás, pegando poeira na prateleira? Então, resolvi dedicar essa TAG a eles, "os empoeirados".

A gente bem sabe que vai mesmo lê-los, no entanto, só Deus sabe quando.

Então, vamos à lista:

1- A metamorfose, Franz Kafka



2- Cem anos de solidão, Gabriel García Márquez





3- O pacto de infidelidade, Carrie Carasyov



4- As esganadas, Jô Soares



5- Festa no Covil, Juan Pablo Villalobos


6- O projeto Rosie, Graeme Simsion


7- A dama da ilha, Patricia Cabot



8- Por quem os sinos dobram, Hernest Hemingway



9- Se vivêssemos em um lugar normal, Juan Pablo Villalobos



10- Na escuridão da noite, Kathryn Smith



E ai, quais os 10 empoeirados de vocês?

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Os 10 livros mais vendidos da semana

John Green e Veronica Roth estão bombando nesta semana nos dez livros mais vendidos, segundo a Revista Veja.
No último sábado eu, minha parceira de blog Francine Estevão e a Roh Dover do Tribooks fomos assistir ao filme baseado no livro "A culpa é das estrelas". Particularmente me acabei de chorar no filme e amei! Saí de lá toda chorosa e pensativa: "será que estamos aproveitando o tempo de verdade?"
E você, já leu alguma coisa de John Green e Veronica Roth? Conta pra gente!

Confiram os dez livros mais vendidos segundo a Revista Veja:


quarta-feira, 11 de junho de 2014

RESENHA: "Primeiro Amor", James Patterson

Por Francine Estevão

Título: Primeiro Amor
Título Original: First Love
Autor: James Patterson e Emily Raymond
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2014
Páginas: 240

Sinopse: Axi Moore é uma garota certinha, estudiosa, bem comportada e boa filha. Mas o que ela mais quer é fugir de tudo isso e deixar para trás as lembranças tristes de um lar despedaçado. A única pessoa em quem ela pode confiar é seu melhor amigo, Robinson. Ele é também o grande amor de sua vida, só que ainda não sabe disso. Quando Axi convida Robinson para fazer uma viagem pelo país, está quebrando as regras pela primeira vez. Uma jornada que parecia prometer apenas diversão e cumplicidade aos poucos transforma a vida dos dois jovens para sempre. De aventureiros, eles se tornam fugitivos. De amigos, se tornam namorados. Cada um deles, em silêncio, sabe que sua primeira viagem pode ser também a última, e Axi precisa aceitar que de certas coisas, como do destino, não há como fugir. Comovente e baseado na própria vida do autor, este livro mostra que, por mais puro e inocente que seja, o primeiro amor pode mudar o resto de nossas vidas.


Foi a primeira história não policial que li do James Patterson (não, eu ainda não li “Diário de Suzana para Nicolas”) e fiquei um pouco decepcionada. Acho que o forte dele são mesmo as histórias desse gênero. Não consegui me sentir envolvida pelos personagens e fiquei surpresa quando reparei no fato de que o livro é baseado na vida do próprio autor. Espero que a história dele tenha sido apenas uma leve inspiração para “Primeiro Amor”.

Axi é a garota toda certinha que de repente decide largar tudo para trás em busca de uma aventura. Para acompanhá-la, Axi convida seu melhor amigo, Robinson. Com plano de pegar um ônibus e seguir um roteiro pré-determinado de lugares para conhecer, ela acaba envolvida pela espontaneidade de Robinson que prefere roubar uma Harley a pegar um ônibus. A viagem segue assim, eles cometendo “pequenos” delitos, enquanto Axi se vê entre seu passado de menina comportada e o presente no qual é má influenciada pelo melhor amigo por quem ela suspeita sentir mais do que apenas amizade.

Em um primeiro momento, o livro aborda principalmente a fuga dos dois de Klamath Falls, suas primeiras viagens, seus primeiros crimes e o reconhecimento do amor que Axi sente por Robinson. Na segunda parte, a história muda um pouco o foco e se volta para a doença de Robinson, que foi o ponto de partida para a amizade entre eles.

Até então eu estava sentindo falta de uma explicação para o passado de Robinson e sobre como eles se conheceram. Mas nesse momento, algumas coisas começam a fazer mais sentido. Mesmo assim, achei que faltou emoção.


Um dos aspectos positivos que sempre destaco nos livros do James Patterson é que eles são pequenos, com capítulos curtos, o que dá agilidade para a leitura. Nesse caso, acho que ele poderia ter se prolongado um pouquinho para dar tempo de fazer o leitor se envolver e se emocionar com toda a história de Axi e Robinson. 

terça-feira, 10 de junho de 2014

RESULTADO DO SORTEIO: “Incendeia-me”, Tahereh Mafi

Chegou ao fim mais um sorteio da Sociedade do Livro.

Obrigada a todos que participaram! E parabéns para a ganhadora!

E quem ganhou o lançamento da Editora Novo Conceito, “Incendeia-me”, da Tahereh Mafi foi.....





Parabéns, Giovanna Territsen!

Conforme os termose condições do sorteio, você terá até o dia 13/06 para responder ao e-mail que te mandamos. Caso não recebamos seu retorno, iremos refazer o sorteio.


segunda-feira, 9 de junho de 2014

{O livro no cinema} A culpa é das estrelas


Sábado fui ao cinema assistir “A culpa é das estrelas”. O filme é lindo. Emocionante, triste e engraçado, tudo ao mesmo tempo.



Para quem passou os últimos meses vivendo na Lua, o filme é baseado no livro homônimo do John Green e conta a história de Hazel e Gus. Hazel tem câncer de pulmão e mesmo já convivendo com a doença há algum tempo, ela está passando por um período de depressão. Para ajudar nessa fase, ela entra para um grupo de apoio para pacientes, onde conhece Gus, que perdeu a perna devido a complicações de um câncer nos ossos. Depois que os dois se conhecem a vida deles, principalmente da Hazel, muda para sempre. Mas não vou entrar em detalhes porque espero que todos vocês vão ao cinema ver o filme, okay?!



Confesso que apesar de ser seduzida diariamente pelas quotes de “A culpa é das estrelas” que pipocam o tempo todo nas redes sociais, não me empolguei para ler o livro, mas estava ansiosa para assistir ao filme. Não me decepcionei, mas ainda não animei para encarar a leitura.

A história é linda e mostra o quanto é importante aproveitarmos o tempo que temos enquanto ainda o temos. Pode parecer clichê, mas John Green soube abordar o clichê de uma forma completamente envolvente. Me fez sair do cinema pensando no quanto é essencial termos ao nosso lado pessoas importantes para fazer do nosso tempo (limitado) nesse mundo ainda melhor.

Todo mundo que leu o livro ou viu ao filme recomenda que você vá ao cinema preparado com lencinhos de sobra. Vou ser a do contra – porque não derramei uma única lágrima embora atrás de mim tivesse um grupo de meninas que não parou de soluçar mesmo quando ainda não fazia nenhum sentido estar chorando. A história tem sim momentos extremamente tocantes que deixam os olhos cheios de água, mas ele tem também tantos momentos alegres que acabaram me fazendo superar os momentos tristes.

Cena favorita!

O “câncer” tem sido um tema recorrente em livros e filmes. A maioria deles tem mais do que apenas a doença em comum. Eles falam sobre aproveitar o tempo e sobre valorização de coisas realmente importantes.


quarta-feira, 4 de junho de 2014

RESENHA: "Todo Dia", David Levithan

Por Francine Estevão

Título: Todo Dia
Título Original: Every Day
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Lançamento: 2013
Páginas: 280


Sinopse: Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.


“É difícil estar no corpo de alguém de quem você não gosta, porque, mesmo assim, você  tem que respeitá-lo.”

“Todo dia” é um livro completamente diferente de qualquer outro que eu já tenha lido. Ele me fez pensar em como seria a minha vida se eu estivesse no lugar de “A”, se eu fosse, a cada dia, uma pessoa diferente. O autor nos convida a refletir um pouco sobre as muitas possibilidades que existem em cada um de nós e nos faz imaginar possíveis respostas aos enigmas apresentados.

“Não sei como isso funciona, nem o porquê. Parei de tentar entender há muito tempo. Nunca vou compreender, não mais do que qualquer pessoa normal entenderá a própria existência. Depois de algum tempo é preciso aceitar o fato de que você simplesmente existe. Não há meio de saber o porquê.”

“A”, o personagem principal, acorda cada dia em um corpo diferente, independente de sexo, opção sexual, religião, raça, ou qualquer outra coisa. Apenas o que se repete é sua idade. E mesmo sem saber porque, como ou até quando, aos 16 anos ele já está bem adaptado à essa rotina de ser algo diferente. Não um homem, não uma mulher, não uma alma, não um espírito, não uma entidade, simplesmente algo diferente com o qual ele aprendeu a lidar.

Depois de tanto tempo nesse “papel”, digamos assim, “A” aprendeu a simplesmente passar pela vida das pessoas de quem ele ocupa os corpos, sem interferir. Ele acessa as memórias de quem ele é no dia, aprende rapidamente a se comportar como o dono original do corpo, e depois, ao fim do dia ele se vai levando apenas algumas poucas memórias sobre a pessoa que ele habitou.

No entanto, tudo muda quando “A” amanhece no corpo de Justin. Não porque Justin seja diferente, mas por causa da sua namorada Rhiannon. Ao se deparar com a jovem, “A” sente que há algo de especial nela, algo que Justin não sabe valorizar, mas que ele sabe. E então toma uma decisão. Pela primeira vez ele vai se arriscar a ir além do que está acostumado a fazer no corpo das outras pessoas. E, inevitavelmente, acaba se apaixonando por Rhiannon. A partir de então, seus dias nunca mais serão os mesmos. “A” passa a se fortalecer como personalidade mesmo que não tenha um corpo próprio e vai tentar encontrar uma maneira de se aproximar de Rhiannon e fazer essa paixão dar certo.


Ao longo das 280 páginas de “Todo Dia” conhecemos inúmeras histórias diferentes. Algumas extremamente tocantes, outras que nos fazem pensar em como aquela pessoa faz da vida um desperdício. Uma falha que senti foi que, mesmo sem ser homem ou mulher, quando “A” se refere a si mesmo, ele usa o masculino, o que me deixou com a impressão de que ele era homem. Achei que o autor podia ter se atentado melhor a usar o artigo sempre de acordo com o corpo que “A” habitava fazendo dele algo ainda mais indefinido. Mas fora isso, a história é toda fofa e uma das mais “quotáveis” que já li! Também adorei o final. Pois, por mais que não obtenhamos algumas das respostas às perguntas que nos fizemos enquanto acompanhávamos a história, o desfecho é positivamente inesperado. Talvez, nem sempre precisemos das respostas, basta sabermos lidar melhor com as perguntas e conviver com elas de forma pacífica.

terça-feira, 3 de junho de 2014

RESENHA "Querida Sue" de Jessica Brockmole

 Por Maju Raz

Título: Querida Sue
Título Original: Letters From Skye
Autora: Jessica Brockmole
Editora: Editora Arqueiro
Páginas: 256

Sinopse: Março de 1912: Elspeth Dunn, uma poetisa de 24 anos, nunca viu o mundo além de sua casa na remota Ilha de Skye, na Escócia. Por isso fica empolgada ao receber a primeira carta de um fã, David Graham, um estudante universitário da distante América.
Os dois começam a trocar correspondências compartilhando os segredos mais íntimos, os maiores desejos e os livros favoritos e fazem florescer uma amizade que, com o passar do tempo, se torna amor. Porém a Primeira Guerra Mundial toma a Europa e David se oferece como voluntário, deixando Elspeth em Skye com nada além de esperanças de que ele sobreviva.
Junho de 1940: É o início da Segunda Guerra Mundial e Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Real. A mãe a adverte sobre os perigos de se entregar ao amor em tempos de guerra, mas a jovem não entende por quê. Então, durante um bombardeio, uma parede de sua casa é destruída e, de dentro dela, surgem cartas amareladas pelo tempo. No dia seguinte, Elspeth parte, deixando para trás apenas uma carta datada de 1915. Com essa única pista em mãos, a jovem decide ir em busca da mãe e, nessa trajetória, também precisará descobrir o que aconteceu à família muitos anos antes.
Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.


Capa original não chega aos pés da nossa!
Assim que me dei conta de que a história era contada em primeira pessoa através de cartas e que envolvia romance com primeira e segunda Guerra Mundial eu pensei: “Bóra ler AGORA esse livro”. Depois dei de cara com a capa e pensei: “O que estou fazendo não lendo esse livro?  QUERO AGORA PRA MIM ESSA CAPA!”

"Tento me deitar cedo, para não ter que pensar e me sentir sozinha, mas simplesmente não consigo adormecer. Confesso que tenho apanhado e relido todas as suas cartas antigas, e às vezes adormeço coberta pelas suas palavras. Isto me dá a sensação de que você está realmente aqui e de que não estou só."




Essa uma daquelas histórias em que percebo revelarem meu lado romântica incurável... Sentei pra ler o livro e quando vi o engoli quase sem pausas. Apenas quando as emoções ficavam muito intensas e eu tinha que disfarçar ser durona eu me distraia com algo...
"Você é a razão de eu franzir o cenho ao nascer do sol e sorrir na hora do poente. Franzir o cenho porque tenho de enfrentar o dia sozinho, se você ao meu lado."
Kit da Editora Arqueiro LINDO!
O livro inteiro é definido durante as duas guerras mundiais e escrito em cartas. Durante a Primeira Guerra Mundial essas cartas são entre uma poetisa que vive na Ilha de Skye e um fã masculino um pouco mais jovem do seu trabalho. Já na Segunda Guerra Mundial as cartas são entre mais de duas pessoas que tentam desenvolver o mistério da primeira.

Às vezes eu acredito um pouco no amor crescente entre pessoas que não se conheciam, ou talvez seja porque eu experimentei a intimidade contida nas cartas, não sei...esse livro me tirou o fôlego.

"Sentiu isto, meu amor?  Não foi um floco de neve em sua face, mas meus lábios sentindo o seu sabor. Não foi um sopro de vento em seu ouvido, mas minha voz sussurrando 'amo você'.

Não vou aprofundar a história pra não sair contando nenhum spoiler, mas a viagem romântica entre Elspeth Dunn, um poeta que vive na Ilha de Skye, e David Graham, um estudante universitário americano vai conquistar você de alguma forma. Cada capítulo te deixa curioso e ansioso, sempre com fome de mais e mais pra encaixar todas as peças juntas.  Acho que a única coisa de que posso reclamar é que eu queria mais. Fiquei tão envolvida nas vidas dessas personagens que acho que um epílogo me daria esse "mais", não sei...

Ao terminar a leitura senti como se tivesse lido vários romances de capa dura que comprei ao longo dos anos, mas na verdade tudo foi só uma linda história que valeu por muitas!

Jessica Brockmole produziu um romance que vai se tornar uma parte memorável da minha lista de autores favoritos.  Isso que “Querida Sue” é seu romance de estreia. Se com esse primeiro livro a autora se mostrou espetacular, imagine com os próximos!








"Existe uma palavra que signifique 'por mais tempo que para sempre'? É esse tempo que eu a amarei."


segunda-feira, 2 de junho de 2014

LANÇAMENTOS de Junho: Editoras Arqueiro e Sextante

“A bandeja”, da série Despertar, de Lycia Barros



"A Bandeja" conta a história de Angelina, jovem de 19 anos, que ao entrar para a universidade, inicia um apaixonado envolvimento amoroso com um de seus professores, Alderico - mais conhecido por Rico. Por conta de toda a avassaladora e descontrolada paixão que envolve esse relacionamento, Angelina começa a viver somente para Rico, colocando seus estudos, seus amigos, sua família, sua religião e até mesmo a si própria em segundo plano. Angelina é evangélica por tradição familiar e não exatamente por convicção religiosa. Porém, inesperadamente, tem um estranho sonho, cujas revelações possuem um forte e marcante significado, que ela somente conseguirá compreenderá mais tarde. Quando a grande verdade é revelada para Angelina no momento certo, ela finalmente compreende o que significa o amor de Deus em sua vida.

“Estranha perfeição”, de Abbi Glines



Della Sloane não é uma garota comum. Ansiando se libertar do seu passado sombrio e traumático, ela planeja uma longa viagem de carro em busca de autoconhecimento e dos prazeres da vida real. Seu plano, no entanto, logo encontra um obstáculo: o automóvel fica sem gasolina em Rosemary, na Flórida, uma cidadezinha praiana no meio do nada. Neste cenário, ela conhece o jovem Woods Kerrington, muito disposto a ajudar uma menina bonita em apuros. O que ela não sabe é que Woods é o herdeiro do country club Kerrington e está de casamento marcado com Angelina Greystone, uma união arranjada que culminará na fusão de suas empresas, garantindo o futuro profissional do rapaz. Uma noite despretensiosa parece a solução perfeita para Della e Woods fugirem por um tempo de tanta pressão. Do passado que ela gostaria de esquecer. Do futuro de que ele tantas vezes tentou escapar. Mas eles não poderiam prever que a atração os levaria a algo mais quando os seus caminhos se reencontrassem. Agora precisam aceitar suas estranhezas para descobrirem a perfeição. Se você é fã da série Sem Limites, vai adorar este delicioso romance ambientado no mesmo universo sedutor criado por Abbi Glines.

“Reconstruindo Amelia", de Kimberly McCreight



Kate Baron, uma bem-sucedida advo­gada, está no meio de uma das reuniões mais importantes de sua carreira quando recebe um telefonema. Sua filha, Amelia, foi suspensa por três dias do Grace Hall, o exclusivo colégio particular onde estuda. Como isso foi acontecer? O que sua sensata e inteligente filha de 15 anos poderia ter feito de errado para merecer a punição? Sua incredulidade, no entanto, vai aos poucos se transformando em pavor ao deparar, no caminho para o colégio, com um carro de bombeiros, uma dúzia de policiais e uma ambulância com as luzes desligadas e portas fechadas. Amelia está morta. Aparentemente incapaz de lidar com a suspensão, a garota subiu no telhado e se jogou. O atraso de Kate para chegar a Grace Hall foi tempo suficiente para o suicídio. Pelo menos essa é a versão do colégio e da polícia. Em choque, Kate tenta compreender por que Amelia decidiu pôr fim à própria vida. Por tantos anos, as duas sempre estiveram unidas para enfrentar qualquer problema. Por que aquele ato impulsivo agora? Suas convicções sobre a tragédia e a pró­pria filha estão prestes a mudar quan­do, pouco tempo depois do funeral, ela recebe uma mensagem de texto no celular: Amelia não pulou. Alternando a história de Kate com registros do blog, e-mails e posts no Fa­cebook da filha, Reconstruindo Amelia é um thriller empolgante que vai surpreender o leitor até a última página.  

“Antes da forca”, Joe Abercrombie (segundo volume da série A primeira lei)



Nesta ardilosa sequência de O poder da espada, o futuro da União está em três frentes de batalha – e nenhuma delas parece nem perto da vitória. Sand dan Glokta se tornou o todo-poderoso de Dagoska e tem de impedir que ela seja tomada pelos inimigos – tarefa difícil em uma cidade com muralhas decadentes e escassez de soldados. Além disso, o ex-torturador também precisa desvendar uma conspiração no conselho governante e salvar a própria pele. Enquanto isso, nas terras congeladas de Angland, o coronel West tem pela frente uma complicada missão: proteger o príncipe herdeiro no campo de batalha e evitar que a inexperiência e a arrogância dele levem todos para a morte. Ao mesmo tempo, Bayaz, o Primeiro dos Magos, lidera uma expedição que cruzará o continente até a borda do Mundo. Passando por terras amaldiçoadas e esquecidas no passado, ele precisa encontrar a Semente – uma relíquia do Tempo Antigo que poderia pôr um fim à guerra, ao exército de comedores que se multiplica no Sul e aos bandos de shankas que atacam no Norte. Nesta trama inteligente e de personagens complexos, antigos segredos são revelados, batalhas sangrentas são travadas, inimigos mortais são perdoados – mas não antes de estarem na forca.

“Vendedor fora de série”, Tony Rutigliano e Brian Brim



Com base em décadas de pesquisas com vendedores, a Gallup chegou à conclusão de que os melhores do ramo não são aqueles com um conjunto específico de atributos, mas os que têm consciência das qualidades que os diferenciam dos demais e sabem tirar proveito disso. Isso acontece porque não há dois vendedores iguais. Talvez você prospere num ambiente competitivo, enquanto um colega se dá bem por ser um solucionador de problemas extremamente racional. Ou talvez você tenha um dom incrível para estabelecer relações, ao passo que seu colega é um estrategista brilhante. O mais importante é conhecer bem a si mesmo e fazer negócios a seu modo. Este livro mostra como se sair bem em cada etapa do processo de vendas usando diferentes estratégias de acordo com o seu perfil. Mas também explica que não basta saber quais são os seus talentos - para se destacar, é preciso transformá-los em pontos fortes, além de associá-los a técnicas, conhecimento e prática.

“Como se libertar das relações tóxicas”, de Lucy Beresford



Há relacionamentos que nos trazem mais angústia do que prazer, mas, mesmo assim, insistimos em mantê-los. Muitas vezes sabotamos essas relações devido aos nossos próprios medos ou nos recusamos a enxergar que algumas delas já estão com a validade vencida. Neste livro, a psicoterapeuta e colunista Lucy Beresford nos ajuda a entender as complexidades dos relacionamentos humanos e explica, com clareza e sabedoria, como repará-los. Usando como ponto de partida as cartas que recebe de seus leitores, ela ensina como construir relações melhores com amigos, filhos, irmãos, sogras, chefes, colegas de trabalho ou o companheiro, mostrando que a boa comunicação depende do respeito não apenas ao outro, mas também a si mesmo. Aqui você encontrará dicas importantes sobre como lidar com diversos tipos de relacionamentos potencialmente problemáticos e descobrirá o que fazer para transformá-los em relações mais saudáveis e prazerosas. Além disso, vai aprender - - Como ter voz ativa em sua família; - Como estabelecer limites aos colegas de trabalho; - Como se valorizar perante um amigo explorador; - Como se dar melhor com seu enteado, sua madrasta ou seu padrasto; - Como enfrentar o bullying na internet.

“O Monte Cinco”, de Paulo Coelho



No dia 12 do mês de agosto de 1979, eu fui dormir com uma única certeza: aos 30 anos de idade, eu estava conseguindo chegar ao topo de minha carreira como executivo. Quando acordei, recebi um telefonema do presidente da empresa: acabava de ser despedido, sem maiores explicações. O inevitável aconteceu, justamente no momento em que eu me sentia mais seguro e confiante. Penso que não estou só nesta experiência; o inevitável já tocou a vida de todo ser humano na face da Terra. Alguns se recuperaram, outros cederam ? mas todos nós já experimentamos o roçar de asas da tragédia. Por quê? Para responder a esta pergunta, deixei que Elias me conduzisse pelos dias e noites de Akbar.