terça-feira, 3 de junho de 2014

RESENHA "Querida Sue" de Jessica Brockmole

 Por Maju Raz

Título: Querida Sue
Título Original: Letters From Skye
Autora: Jessica Brockmole
Editora: Editora Arqueiro
Páginas: 256

Sinopse: Março de 1912: Elspeth Dunn, uma poetisa de 24 anos, nunca viu o mundo além de sua casa na remota Ilha de Skye, na Escócia. Por isso fica empolgada ao receber a primeira carta de um fã, David Graham, um estudante universitário da distante América.
Os dois começam a trocar correspondências compartilhando os segredos mais íntimos, os maiores desejos e os livros favoritos e fazem florescer uma amizade que, com o passar do tempo, se torna amor. Porém a Primeira Guerra Mundial toma a Europa e David se oferece como voluntário, deixando Elspeth em Skye com nada além de esperanças de que ele sobreviva.
Junho de 1940: É o início da Segunda Guerra Mundial e Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Real. A mãe a adverte sobre os perigos de se entregar ao amor em tempos de guerra, mas a jovem não entende por quê. Então, durante um bombardeio, uma parede de sua casa é destruída e, de dentro dela, surgem cartas amareladas pelo tempo. No dia seguinte, Elspeth parte, deixando para trás apenas uma carta datada de 1915. Com essa única pista em mãos, a jovem decide ir em busca da mãe e, nessa trajetória, também precisará descobrir o que aconteceu à família muitos anos antes.
Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.


Capa original não chega aos pés da nossa!
Assim que me dei conta de que a história era contada em primeira pessoa através de cartas e que envolvia romance com primeira e segunda Guerra Mundial eu pensei: “Bóra ler AGORA esse livro”. Depois dei de cara com a capa e pensei: “O que estou fazendo não lendo esse livro?  QUERO AGORA PRA MIM ESSA CAPA!”

"Tento me deitar cedo, para não ter que pensar e me sentir sozinha, mas simplesmente não consigo adormecer. Confesso que tenho apanhado e relido todas as suas cartas antigas, e às vezes adormeço coberta pelas suas palavras. Isto me dá a sensação de que você está realmente aqui e de que não estou só."




Essa uma daquelas histórias em que percebo revelarem meu lado romântica incurável... Sentei pra ler o livro e quando vi o engoli quase sem pausas. Apenas quando as emoções ficavam muito intensas e eu tinha que disfarçar ser durona eu me distraia com algo...
"Você é a razão de eu franzir o cenho ao nascer do sol e sorrir na hora do poente. Franzir o cenho porque tenho de enfrentar o dia sozinho, se você ao meu lado."
Kit da Editora Arqueiro LINDO!
O livro inteiro é definido durante as duas guerras mundiais e escrito em cartas. Durante a Primeira Guerra Mundial essas cartas são entre uma poetisa que vive na Ilha de Skye e um fã masculino um pouco mais jovem do seu trabalho. Já na Segunda Guerra Mundial as cartas são entre mais de duas pessoas que tentam desenvolver o mistério da primeira.

Às vezes eu acredito um pouco no amor crescente entre pessoas que não se conheciam, ou talvez seja porque eu experimentei a intimidade contida nas cartas, não sei...esse livro me tirou o fôlego.

"Sentiu isto, meu amor?  Não foi um floco de neve em sua face, mas meus lábios sentindo o seu sabor. Não foi um sopro de vento em seu ouvido, mas minha voz sussurrando 'amo você'.

Não vou aprofundar a história pra não sair contando nenhum spoiler, mas a viagem romântica entre Elspeth Dunn, um poeta que vive na Ilha de Skye, e David Graham, um estudante universitário americano vai conquistar você de alguma forma. Cada capítulo te deixa curioso e ansioso, sempre com fome de mais e mais pra encaixar todas as peças juntas.  Acho que a única coisa de que posso reclamar é que eu queria mais. Fiquei tão envolvida nas vidas dessas personagens que acho que um epílogo me daria esse "mais", não sei...

Ao terminar a leitura senti como se tivesse lido vários romances de capa dura que comprei ao longo dos anos, mas na verdade tudo foi só uma linda história que valeu por muitas!

Jessica Brockmole produziu um romance que vai se tornar uma parte memorável da minha lista de autores favoritos.  Isso que “Querida Sue” é seu romance de estreia. Se com esse primeiro livro a autora se mostrou espetacular, imagine com os próximos!








"Existe uma palavra que signifique 'por mais tempo que para sempre'? É esse tempo que eu a amarei."


Nenhum comentário:

Postar um comentário