quarta-feira, 30 de julho de 2014

RESENHA: "A máquina de contar histórias", Mauricio Gomyde

Por Francine Estevão

Título: A máquina de contar histórias
Autor: Mauricio Gomyde
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2014
Páginas: 192

Sinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.


“A Máquina de Contar Histórias” é o primeiro livro do autor Mauricio Gomyde publicado por uma grande editora, a Novo Conceito. Merecido, porque ele sempre escreve histórias muito bem construídas e emocionantes que são capazes de tocar o leitor de forma única. E dessa vez não é diferente.

Nesse livro, Mauricio nos levou para dentro do universo literário de uma maneira diferente. Ele nos colocou ao lado de um autor brasileiro de sucesso mundial e nos apresentou as alegrias e as amarguras da vida desse personagem que é uma verdadeira máquina de contar histórias que viram best-sellers.

Com entrevistas e eventos que não cabem mais na agenda, Vinicius Becker já está “cansado” de responder sempre às mesmas perguntas dos jornalistas, leitores e curiosos. É tudo muito mecânico para ele, mas mesmo assim, o autor sabe que são ossos do ofício e não abre mão de uma viagem atrás da outra para divulgar cada um de seus novos títulos.

“Disciplina para escrever havia sido a maior lição tirada do processo. Encontre seu estilo, faça dele sua religião. Encontre seu público-alvo, faça dele seu rebanho. Encontre um lugar para escrever, faça dele seu santuário. Encontre um horário para escrever, faça nele sua prece. Escreva qualquer coisa, mesmo que não signifique nada. Se a inspiração para algo novo falhar, pesquise, leia, defina, conserte, rearranje, corte. Trace uma meta de palavras por dia. Transforme-se numa máquina de escrever.” (pág.53)

Enquanto o mundo conhece Vinicius e seus emocionantes romances perfeitos, sua família – família V de verdade - o vê cada vez menos comprovando que todas as emoções e experiências que ele diz ter vivido para conseguir relatar em suas histórias, na verdade não passam de técnicas estudadas e decoradas com o objetivo de alcançar um propósito único – vender mais e mais livros.

A ausência finalmente vira um peso em sua vida quando, durante uma viagem de divulgação do seu último título, Vinícius descobre que sua esposa morreu e ninguém conseguiu encontrá-lo a tempo de passar os últimos momentos ao lado da mulher, mesmo que ele soubesse que isso pudesse acontecer a qualquer momento.

Com a perda do maior amor que ele jamais teve, o autor passa a reavaliar sua vida e encontra uma chance de se redimir ao tentar recuperar o amor de suas duas filhas.

É a partir dessa tentativa de reconquista que acabamos embarcando em uma história envolvente que nos ensina a valorizar mais as coisas que temos na vida, a aproveitar melhor os momentos ao lado daqueles que amamos, a buscar viver sempre com emoções sinceras. Sermos menos uma máquina humana e mais um ser humano.
 
“Escrever é muito mais do que uma profissão. É uma atitude de amor, de entrega ao que se quer contar.” (pág. 95)

Além disso, para quem gosta de escrever, “A Máquina de Contar Histórias” é uma lição de como não tornar o processo de escrita algo mecânico e colocar sentimentos verdadeiros no papel.
 
“Na vida real, jamais vou conseguir colocar na boca de alguém as palavras exatas que eu gostaria de ouvir. Já num livro...” (pág. 127)

Um comentário:

  1. Esse livro é simplesmente fantástico foi a primeira vez que li um livro do Maurício mas já virei fã me emocionei demais com a história valeu muito colocar ele na frente da minha interminável fila de leitura.
    Beijos Lilian Freitas
    www.fernandameireles.com

    ResponderExcluir