quarta-feira, 22 de outubro de 2014

RESENHA: "Para onde ela foi", Gayle Forman

Por Francine Estevão

Título: Para onde ela foi
Título Original: Where she went
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2014
Páginas: 239

Livro enviado pela editora para resenha.

Sinopse: Já faz três anos que o amor de Adam salvou Mia após o acidente que mudou a vida dela. Três anos desde que Mia saiu da vida de Adam para sempre. Vivendo agora em lados opostos do país, Mia é um talento em ascensão na Julliard, a conceituada escola de música, e Adam é o típico astro do rock de Los Angeles, com direito a notícias nos tabloides e uma namorada-celebridade. Quando Adam se vê sozinho em Nova York, o acaso reúne o casal mais uma vez. Por uma noite. Com a mesma força dramática de Se eu ficar, agora pela voz de Adam, Para onde ela foi expõe o desalento da perda, a promessa de esperança e a chama do amor que renasce.

A princípio, quando li “Se eu ficar”, não esperava que houvesse uma continuação. Mas o final do primeiro livro foi tão impactante e eu me envolvi tanto com a história que não via a hora de ler o que viria a seguir. Fiquei bastante decepcionada com o que a autora fez da história. Há menos emoção, menos alegria, menos amor. Há menos de tudo neste segundo livro que mescla o presente, momento em que Adam e Mia se reencontram e passeiam por NY, com flashs do passado recente, desde o acidente de Mia, para contar como foi que chegaram até ali. E talvez por isso o livro tenha se tornado maçante. Com Adam a frente da narrativa, o livro se concentra na parte dele da história. Como ele chegou ali, como ele ficou famoso, os caminhos dele, os sentimentos e sofrimentos dele. Mas eu esperava que a história continuasse com Mia à frente. Eu queria ver tudo o que aconteceu com ela depois do coma. Como ela estava se sentindo sem a família. Como ela conseguiu retomar sua vida normal depois de tudo o que perdeu. Mas a parte dela da história é bastante breve, enquanto ela conta tudo, resumidamente, para Adam. Senti falta da Mia que me cativou tanto no primeiro livro.


Com a mudança de ponto de vista, a autora deixou muito a desejar. A história parece se desconectar de tudo que conhecemos no primeiro livro. Não que haja erros de continuidade, nem falhas desse tipo. Pelo contrário, há inclusive repetições que são extremamente desnecessárias – Hello! Nós lemos o primeiro livro! O problema é que a história ficou um pouco maçante pelo ponto de vista do então namorado de Mia.

Ele, que já não era meu favorito desde o primeiro livro, mas que havia ganhado minha atenção pela forma como se relacionava com Mia e com a família dela, ficou um personagem pesado, sem nada a acrescentar, e ainda assim a história é quase toda sobre ele.

Apesar de tudo isso, “Para onde ela foi” tem seus pontos altos. Quando Adam e Mia se reencontram e passam uma noite/madruga inteira perambulando por Nova York, é possível resgatar um pouquinho daquela paixão que sentimos por eles na primeira parte da história. Consegui ver a mesma Mia de antes nesta Mia de depois, muito mais calejada pela vida. E por isso não concordei com a decisão de Gayle de colocar o livro nas mãos do Adam e naquilo que ele se transformou depois do acidente com a família de Mia. Até parece que tudo aquilo afetou a ele muito mais do que a ela.

“Para onde ela foi” se passa alguns anos depois de Mia acordar do coma. Ela entrou em Julliard e deixou Adam para trás aos poucos, mas sem dar nenhuma satisfação a ele do motivo pelo qual o estava se afastando. E agora ela é uma violoncelista de sucesso. Ele, depois de passar por um momento difícil com o afastamento dela, voltou para sua banda, a Shooting Star, e daí para o sucesso e as muitas mulheres em sua vida foi um pulo rápido. Mas apesar da fama, ele continua passando por uma fase difícil. Toma medicamentos para “sobreviver” dia após dia e lida mal com a fama. Até o dia em que, casualmente, os dois se encontram e algumas verdades e esclarecimentos vêm à tona.


Nenhum comentário:

Postar um comentário