segunda-feira, 6 de outubro de 2014

RESENHA: "Poseidon", Anna Banks

Título Original:  Of Poseidon
Autora: Anna Banks
Editora: Novo Conceito
Páginas:
 288

Lançamento : 2014


Sinopse: Além da beleza fora do comum, com seu cabelo quase branco e seus olhos cor de violeta, Emma chama a atenção por ser um pouco desajeitada. Ela não se sente muito à vontade em lugar nenhum... e não sabe que sua misteriosa origem é a fonte dessa sensação. Galen, príncipe dos Syrenas, vasculha a terra procurando uma garota especial, capaz de se comunicar com os peixes — e que poderá salvar seu reino. Quando ele se encontra com Emma, a conexão é imediata: embora não saiba, Emma parece ter o dom que Galen procura. Mas, então, por que ela não conseguiu salvar sua melhor amiga do ataque do tubarão? Cabe ao príncipe convencer a teimosa Emma a enfrentar sua real natureza e aceitar o desafio. E nada pode impedi-lo de alcançar seu objetivo.

Poseidon é um daqueles livros de leitura fácil, em que mais cedo do que se imagina já nos envolve em sua  história e nos deixa impacientes para o final. É claro que como a grande maioria dos romances adolescentes de cenário sobrenatural, trata-se de uma franquia. Ou seja, nenhum desfecho satisfatório neste aqui. O livro termina com um cliffhanger daqueles que me deixariam morrendo de raiva não estivesse eu já acostumada a eles (Olá Cassandra Clare! rs).

Como obra introdutória Poseidon cumpre bem o seu papel, os personagens logo ganham nossa simpatia e é fácil torcer por eles. Apesar de achar que faltou uma explicação um pouco mais concreta sobre o que são os syrenas, o que fazem e qual é a história deles, gostei muito do início. Ele começa bem clichê (mocinha altamente desastrada tropeça no mocinho) mas logo surpreende com um dessenrolar nada típico dos primeiros encontros embaraçosos-porém-felizes tão comuns atualmente.

  Após isso, o enredo gira em torno de Galen  (um ser místico de uma raça muito semelhante às das sereias) tentando compreender a existência de Emma (aparentemente uma syrena perdida em meio aos humanos)e talvez assim ajudar a salvar sua espécie, ao mesmo tempo em que luta contra seus sentimentos por ela.

  A narração segue de duas maneiras: em primeira pessoa quando o ponto de vista é de Emma, e em terceira quando é o Galen.  Apesar de ser muito agradável a perspectiva de acompanhar um romance através dos dois personagens , a mudança de pessoa é irritante. Por vezes tive que reler diálogos por não saber qual dos dois havia dito ou feito alguma coisa (essa confusão na construção das falas pode ser  devido a tradução,mas como não li o original não há como saber).

  Quanto ao título, embora tenha super a ver com a história, como apaixonada por mitologia grega e romana fiquei levemente chateada por o  livro não tratar do assunto de forma alguma.  Ao contrário, há uma desconstrução da imagem de Poseidon como o deus mitológico dos mares (o que pode ser bem chato se você estiver procurando algo ao estilo Percy Jackson por exemplo).

  Falando agora dos personagens, Galen foi o que mais me chamou a atenção.  Ele é encantador e certamente o tipo que faria as garotas suspirarem por ele (como de fato ocorre na escola em que ele se matricula, aliás, são as cenas dele tentando se adaptar aos costumes humanos que eu considerei as mais divertidas do livro!). Ele é um ótimo personagem, nenhum Jace, Percy  ou  Jesse, mas carismático o bastante pra me fazer querer ler o resto da série. 

  Soma-se a isso o fato da narrativa (infelizmente) terminar em seu melhor momento, algo que indica que o melhor da história ainda está por vir, e tem-se  uma espera impaciente pela continuação da obra de Anna Banks, resultado direto da agradável leitura que é Poseidon.

Nenhum comentário:

Postar um comentário