quarta-feira, 26 de novembro de 2014

RESENHA: "About a boy", Nick Hornby

Por Francine Estevão

Título: About a boy
Autor: Nick Hornby
Editora: Penguin Books
Lançamento: 1998
Páginas: 278

Sinopse: Will tem 36 anos, mas age como um adolescente. Ele lê as revistas certas, vai aos lugares certos e sabe quais os tênis certos para se calçar. Ele também descobriu um jeito incrível de ganhar pontos com as mulheres – em um grupo de pais solteiros, cheio de mães disponíveis, todas esperando pelo “Senhor Incrível”. É assim que ele conhece Marcus, o mais velho jovem de 12 anos no mundo. Marcus é um pouco estranho: ouve Mozart, cuida da mãe e nunca teve um par de tênis. Talvez, se Will conseguir ensinar a Marcus como ser um menino, Marcus pode ensinar Will a “crescer”.


Minha paixão por “Um grande garoto” é inexplicável. Adoro os personagens, a relação que surge entre eles e a mudança que essa relação provoca em cada um. Sempre que vejo o filme passando na TV, faço qualquer esforço necessário pra assistir (ok, agora comprei o DVD posso ver quando quiser). E embora já o tenha assistido ao menos uma dezena de vezes, nunca havia reparado, até a última vez, que ele era baseado em um livro e ainda por cima escrito por Nick Hornby. Em parte, estava explicado o porquê da história ser tão incrível. Desde que li “Alta Fidelidade”, adorei a escrita dele e estava ansiosa por ler outro livro do mesmo autor.

O filme é bastante fiel ao livro, no entanto, além daqueles detalhes que todo livro tem a mais do que sua adaptação, o final de “About a Boy” é a principal mudança. Gostei muito da versão escrita – tanto é que o livro se tornou um dos meus favoritos do ano, mas ver o Hugh Grant cantando e tocando “Killing me Softly With His Song” é uma das minhas cenas favoritas do filme – e que não tem no livro.

Apesar desse final “alternativo”, li cada diálogo, cada pensamento, cada situação, imaginando os atores do filme interpretando-os e isso deixou o livro ainda mais fácil de apreciar, pois gosto muito dos nomes que dão vida à história, acho que combinam muito bem com seus personagens.

Will é um solteirão convicto, rico e um eterno desempregado que tem leva uma vida dos sonhos e não tem nada a reclamar. Um adulto criança. Marcus é um adolescente totalmente fora dos padrões e, por isso, sofre bullying. Uma criança adulta. É quando seus caminhos se cruzam que surge uma relação inesperada que vai mudar a vida de ambos.


Cada personagem tem uma personalidade bastante única e que tem tudo a ver com a vida que levam e com o que enfrentam em suas rotinas. O jeito infantilizado de Will e a maturidade de Marcus se complementam e fazem com que o leitor/telespectador se apaixone ainda mais por cada um deles, juntos ou separados.


Um comentário:

  1. ja me encantei só pela sinopse e claro que vou querer assistir!
    essas histórias me conquistam tão rapidamente
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir