quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

RESENHA DUPLA: "Eu me chamo Antônio" e "Segundo - Eu me chamo Antônio", de Pedro Gabriel

Por Francine Estevão



Títulos: "Eu me chamo Antônio" e "Segundo Eu me chamo Antônio"
Autor: Pedro Gabriel
Editora: Intrínseca
Lançamentos: 2013 e 2014
Páginas: 192
Skoob: Livro 1 | Livro 2 


Dia 11/12, Pedro Gabriel esteve na Livraria da Travessa de Ribeirão Preto lançando "Segundo Eu me chamo Antônio". Em mais de 3h30 de evento (a fila saia da livraria e não importava o quanto andasse, parecia que nunca acabava), ele tirou fotos, autografou cada um de seus dois livros, bateu papos breves com cada leitor presente sem deixar de dar atenção à ninguém, brincou, distribuiu sorrisos, beijos e simpatia, provando que não é à toa que "Eu me chamo Antônio" conquistou milhares de leitores e corações em todos os cantos do país.


Eu já havia falado um pouco do primeiro livro aqui. Mas depois de terminar de ler o segundo e de conhecer o autor, fiquei com vontade de falar um pouquinho mais sobre estes trabalhos apaixonantes de Pedro Gabriel. 


Gosto de pensar que Pedro Gabriel, assim como Clarice Freire, revolucionaram o que chamamos de poesia. Aquela coisa séria, cheia de métrica e de regras que aprendemos na escola deram espaço para uma liberdade não apenas textual, mas também visual, ampliando assim o público deste estilo literário e conquistando desde crianças até a última geração possível com trabalhos delicados que mesclam imagem e poesia gerando identificação em cada um que se dispõe a conhecer seus trabalhos. 


No primeiro livro, "Eu me chamo Antônio", acompanhamos mais de 170 páginas de guardanapos recheados dessa poesia rabiscada de Pedro Gabriel. Já em "Segundo Eu me chamo Antônio", as páginas ganham, além dos guardanapos, poemas mais extensos e mais elaborados, com desenhos do autor. E novamente um sumário com a "legenda" de cada página para quem diz que não consegue ler direito alguns dos guardanapos - embora eu tenha achado que no segundo livro, os "rabiscos" do autor estão bem mais legíveis do que no primeiro. Além de um trabalho primoroso realizado pela Editora Intrínseca no projeto gráfico de ambos. 


Para quem ainda não tem os livros do Pedro Gabriel e quiser conhecer melhor o trabalho dele antes de comprá-los, fiquem à vontade para se apaixonar pelos guardanapos no Facebook e no Instagram do autor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário