terça-feira, 28 de julho de 2015

RESENHA Eu Estive Aqui de Gayle Forman

 
Título: Eu Estive Aqui
Título Original: I Was Here
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 240

Sinopse:  Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo… Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo… e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.


“Sinto informar que precisei dar fim a minha própria vida. Estou adiando essa decisão  há muito tempo, e ela é minha e de mais ninguém. Sei que isso lhe causara sofrimento, e lamento que seja assim, mas saiba que eu precisava acabar com a minha dor. Não tem nada a ver com você, mas tudo a ver comigo. Não é culpa sua.” - Meg.

E se sua melhor amiga, do nada, se suicidasse? Foi o que aconteceu com Cody nessa história. Sua melhor amiga, Meg, comete suicídio tomando um frasco de veneno a La Romeu e Julieta. Claro que a coitada da Cody vai se sentir culpada. Como ela não percebeu isso antes? Ela falhou com sua amiga...

Capa Original
“Como você pode não saber uma coisa dessas sobre a sua melhor amiga? Mesmo que ela não lhe conte, como você pode não saber? Como pude acreditar que alguém é a pessoa mais bonita, incrível e simplesmente a criatura mais mágica que já conheci, quando, no fim das contas, ela estava sofrendo tanto que precisou beber um veneno que rouba o oxigênio das células até o coração não ter outra escolha senão parar de bater? Então , por favor, não me perguntem sobre Meg. Porque eu não sei merda nenhuma sobre ela.”

Cody então começa sua busca por respostas e acaba encontrando um arquivo criptografado no computador de Meg. Com uma ajudinha ela consegue codificar o arquivo e acaba descobrindo  que Meg tem participado de usuários propensos a suicídio. Cody se torna obcecada com um usuário em particular e acha que eles podem conter as respostas para a morte de sua amiga.



“Queria não ter feito isso. Porque, quando o olho pela última vez, ele exibe um esgar que é uma mistura de raiva e culpa. Conheço muito bem essa expressão: eu a vejo todos os dias no espelho.” 

Este livro é um soco no estômago. Muitas vezes me imaginei na situação de Cody e passei muito mal. Forman escreve suas personagens com uma realidade incrível! Essa é uma autora extraordinária no meu ponto de vista. Consegue abordar diversos assuntos temidos por nós com uma profundidade absurda. 

Achei muito legal as partes que falam de Colegial e Faculdade, me senti de volta naqueles tempos. O que achei interessante nesse romance é que a vida nem sempre acaba como esperamos, mas o importante é abraçar as mudanças e aceitar o nosso caminho ou fazer por nós mesmos – é um tema muito proposto pela autora na história.  Como sempre, mais que recomendada essa linda história de Gayle Forman.


Kit Lindo da Querida Editora Arqueiro

“A vida pode ser difícil, bonita e caótica, mas, com um pouco de sorte, a sua será longa. Se for, você verá que é também imprevisível e que há momentos de escuridão. Mas eles passam, às vezes graças a muito apoio externo, e o túnel se alarga, permitindo que os raios de sol entrem. Se você estiver na escuridão, pode parecer que vai continuar nela para sempre. Tateando às cegas. Sozinho. Mas não vai – e não está sozinho.”

Um comentário:

  1. eu ja li, mas sabe aquela história que te marca que você não consegue expressar bem em palavras?
    a autora tem o poder de tratar de questões tão forte com um jeito singelo, ao mesmo tempo que trabalha sentimentos em seus personagens, desperta reações no leitor!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir