sexta-feira, 21 de agosto de 2015

RESENHA Peter Pan Tem que Morrer de John Verdon

Título: Peter Pan Tem Que Morrer
Título Original: Peter Pan Has to die
Autor: John Verdon
Editora: Arqueiro
Páginas: 400

Sinopse: Peter Pan tem que morrer traz de volta o detetive Dave Gurney, protagonista de Eu sei o que você está pensando, Feche bem os olhos e Não brinque com fogo. “Uma sofisticada trama de suspense que os aficionados por mistério adorarão tentar resolver. Com um enredo tenso, cheio de intrigas inimagináveis, Peter Pan tem que morrer desafia a inteligência do leitor até sua dramática e espantosa conclusão.” – Library Journal.No mais tortuoso romance policial escrito por John Verdon, o especialista em mistérios David Gurney dedica sua mente brilhante à análise de um assassinato terrível que não pode ter sido cometido da forma como os investigadores responsáveis pelo caso afirmam que foi. Detetive aposentado do Departamento de Polícia de Nova York, ele precisa cumprir uma espinhosa tarefa: determinar a culpa ou a inocência de uma mulher condenada pela morte do próprio marido.


"Há uma coisa interessante com os olhos, pensou Gurney. Eles contêm e refletem, mesmo com o esforço de esconder, o resumo emocional de tudo o que já viram."

Nunca havia lido nada de John Verdon, mas as capas de seus livros sempre me chamaram a atenção. Achei muito interessante a experiência de conhecer o autor. Em Peter Pan tem que Morrer a história é dividida em 4 partes de capítulos curtos e ritmo acelerado: Um Assassinato Impossível, Peter Pan, Todo o Mal do Mundo e Justiça Perfeita.

Dave Gurney é um famoso detetive aposentado de homicídios de Nova Iorque. Ele se muda para uma casa no campo no interior da cidade de NY com sua mulher, Madeleine, que tem aceitado bem as mudanças, mas Dave é convidado por Hardwick, um ex-policial do Departamento de Investigações Criminais da polícia do Estado,  a se juntar a ele num antigo caso insolúvel. O Kay Spalter, que foi condenada pelo assassinado do próprio marido Carl Spalter, um político podre de rico. Gurney não consegue dizer não pois quer descobrir a verdade real deste caso e pensa que Kay é inocente, mesmo sem saber do perigo que esse caso pode trazer a sua vida...

"– Não pretendo perder tempo nenhum.
– Como quiser, Sherlock"

Assim que os detetives começam a cavar partes da investigação acabam se deparando com coisas estranhas... Gurney e Hardwick descobrem o provável suspeito é um assassino profissional que atende pelo nome de Peter Pan e que opera globalmente. Sua especialidade é fazer o impossível. Neste caso, parece que Carl Spalter não poderia ter sido morto na forma que a polícia e perícia sugerem.


Conforme a história se desenrola, a dinâmica mantém o ritmo e o leitor acaba num estado maravilhoso de estar envolvido no clímax da perseguição. Quem contratou o assassino? O porquê de tudo isso? Verdon sabe muito bem como manter uma escrita que chama nossa atenção e faz Peter Pan ter que morrer ser um livro de ritmo rápido e atraente.

“Sem ver, sem ouvir, sem falar. Não ver o mal, não ouvir o mal, não falar o mal.”

Um comentário:

  1. Eu Conheci o autor quando experimentei Ler "Eu sei o que você está pensando". è simplesmente fantástico, e ja quero ler todas as obras dele. Estou lendo agora "Não brinque com fogo", que é maravilho também. Esse aí é o próximo da minha lista.

    www,caroldelmiro.com.br

    ResponderExcluir