terça-feira, 3 de novembro de 2015

RESENHA A menina da neve de Eowyn Ivey

Título: A Menina da Neve
Título Original: The Snow Child
Autora: Eowyn Ivey
Editora: Novo Conceito
Páginas: 348

Sinopse: "Alasca, 1920: um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando cada vez mais um do outro. Em um dos raros momentos juntos, durante a primeira nevasca da temporada, eles constroem uma criança feita de neve. Na manhã seguinte, a criança de neve some. Dias depois, eles avistam uma criança loira correndo por entre as árvores. Uma menina que parece não ser de verdade, acompanhada de uma raposa vermelha e que, de alguma formam consegue sobreviver sozinha no frio e rigoroso inverno do Alasca. Enquanto Jack e Mabel se esforçam para entender esta criança que parece saída das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se fosse sua própria filha. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam, e o que eles aprenderão sobre essa misteriosa menina irá transformar a vida de todos."

"- Sempre em frente!"

Esta é uma história sobre anos de dor, tristeza e saudade intensa por algo que a natureza se recusou a dar apesar de desejos desesperados...a começar pela capa o livro é espetacular!
Mabel e Jack são um casal de idosos que têm tentado escapar de suas realidades de vida anterior para o deserto do Alasca, mas não foi tão fácil assim e eles não foram capazes de deixar para trás por completo suas antigas vidas.  Eles lutam para sobreviver com Jack tentando desesperadamente transformar a antiga fazenda onde eles vivem em algo que pode apoiá-los através dos invernos rigorosos.

"Era fantástico e impossível, mas Mabel sabia que era real - ela e Jack tinham feito com neve e galhos e capim congelado. A verdade a impressionou. A criança não apenas era um milagre, como também era criação deles. E ninguém cria vida e a abandona."

Mas eles lutam com algo que é muito mais profundo: a sua esterilidade e à memória do bebê natimorto deformado que Mabel não teve sequer uma chance de dizer adeus e que foi rapidamente levado para um enterro noturno e silencioso. Essa situação atinge e persegue os dois pais. Eu amei a relação entre o casal, a maneira como eles muitas vezes se sentiram distantes um do outro, mas se precisavam ao mesmo tempo. A vida é assim não é mesmo?

"- Ela não entende que a amamos?"

Essa é a primeira parte do livro que é dividido em três partes: a primeira parte mostrando sentimentos profundos das personagens e saber o que tanto os atinge e angustia, a segunda parte a autora faz as coisas acontecerem repentinamente na melancolia generalizada que sobrepõe a paisagem bela, fria e severa que toca a alma e na terceira parte, quando tudo parece ser impossível, a Criança da Neve aparece! Faina –misteriosa, corajosa, estranha e etérea - uma menina que aparece na noite no quinta de Jack e Mabel, uma criança que coberta de neve...

“Ali estava. Uma Imagenzinha em meio ás arvores. Aquilo era uma saia cobrindo pernas?Um cachecol vermelho no pescoço e cabelos brancos caindo nas costas?Pequena. Rápida. Uma menininha. Correndo perto da Floresta. Depois desaparecendo nas Arvores.”

Para Mabel, sua história de vida lembra de uma história de crianças russas sobre uma donzela da neve que entrou na vida de um casal de velhinhos sem filhos. Mas será mesmo que aquela menina existe ou seria ela uma boneca de neve que ganhou vida? Só o epílogo da trama é que desvenda esse mistério...

“Só estou preocupada e com medo dela estar perdida ou algo assim...”

Há algo sobre este romance narrado em terceira pessoa que é mágico...o ambiente é frio, branco e mesmo quando nada triste parece estar acontecendo tudo é triste. Não sei, é intenso, é esquisito. A história parece que tem um tom de congelamento e ambiente isolado que me fez sentir como eu deveria preparar-se para explodir em lágrimas a qualquer momento. Uma angústia louca. Muito legal sentir isso em uma história em um livro! Mostra que a autora é espetacular em suas descrições. Eu não sei se é um livro que te mostra que não importa, não tem como fugir dos problemas. Eles sempre vão atrás....ou se é para mostrar que tudo pode ser sempre pior, mas seu que levei muita coisa pro meu coração dessa história...


Nenhum comentário:

Postar um comentário