quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

RESENHA O Alquimista de Paulo Coelho

Por Roh Dover


Título: O Alquimista 
Autor: Paulo Coelho
Editora: Sextante
Páginas: 172


Sinopse: O jovem pastor Santiago tem um sonho que se repete. O sonho fala de um tesouro oculto, guardado perto das Pirâmides do Egito. Decidido a seguir seu sonho, o rapaz se depara com os grandes mistérios que acompanham a raça humana desde a sua criação; o Amor, os sinais de Deus, o sonho que cada um de nós precisa seguir na vida.
A peregrinação de Santiago, narrada pelo escritor Paulo Coelho em O alquimista transformou-se num dos maiores fenômenos literários. Caminhando em uma caravana pelo deserto do Saara, ele entra em contato com pessoas e presságios que lhe indicam o caminho a seguir. Entre eles, um misterioso personagem - um Alquimista. É quem irá ensiná-lo a penetrar na Alma do Mundo, e a receber todas as pistas necessárias para chegar até o tesouro.



Quando se fala em Paulo Coelho, algumas pessoas podem ter um pequeno tremelique. Talvez por que ele seja o tipo de autor que ou você ama ou você odeia. Então você ouve a pergunta: 

“Eww, mas... Paulo Coelho?” 

Quantas e quantas vezes não ouvi essa mesma pergunta. 

“Sim, Paulo Coelho. Já leu algum livro dele?”

“Não, mas dizem que ele é péssimo”. 

Quantas e quantas vezes não ouvi essa mesma resposta. Eu, particularmente, não tinha nenhuma opinião formada do autor mais famoso do país. Quando encontrei a oportunidade de ler um livro escrito por ele, não me abstive. 

O Alquimista é uma das obras mais famosas do autor. Com uma escrita que nos faz caminhar pelo nosso imaginário, encontramos Santiago que após sonhar um mesmo sonho três vezes sobre um tesouro escondido, decide entrar em uma jornada atrás do grande prêmio. 

Nessa caminhada, Santiago encontrará personagens e entenderá mais sobre o poder do destino em cada pessoa. E junto com ele, nós leitores presenciamos uma escrita nada menos que mágica. Talvez, seja por isso que Paulo Coelho é chamado de bruxo. 

O encantamento da narrativa é passado do livro para nós, a maneira como os diálogos são realizados, todos os caminhos por qual o personagem passa, a filosofia por traz de todo o enredo. O conjunto da obra é espetacular. Uma história rápida, com conteúdo e que te faz entender e acima de tudo – aceitar – o porquê de um autor nacional ser tão reconhecido.

Falar de Paulo Coelho é difícil, mais difícil ainda é convencer alguém que teima em o odiar a ler um livro do autor. Porém, Paulo Coelho não cresceu no mundo literário e é reconhecido internacionalmente porque tinha escondido uma varinha de condão. Ou talvez até a tenha, em formato de caneta e muitas histórias interessantes que estão esperando os leitores desbravarem. 


2 comentários:

  1. Maju! Falou e disse!
    Eu tenho teima com esse autor, mas nunca o li. Que coisa doida e sem sentido, isso. Eu, que tanto abomino o preconceito, alimento esse sentimento pelo coitado do Coelho, que nada de ruim me fez.
    Preciso conhecê-lo, de fato, pra poder dizer se ele é ruim ou bom escritor. Acho que vou tentar dar uma chance pra ele nesse ano.
    Gostei muito da sua resenha. Sincera e direta.
    Beijo!

    Blog || Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Érica! Simmm!! DÊ uma chance sim! =D

      Obrigada pela visita! Beijão e boa semana!

      Excluir