quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

RESENHA O circo mecânico Tresault de Genevieve Valentine

Por Mariana Lucera

Título: O circo mecânico Tresault
Título original: Mechanique:A tale of the circus Tresaulti
Autor: Genevieve Valentine
Editora: Darkside
Número de Páginas: 320

Sinopse: “Respeitável público, sejam bem vindos ao incrível Circo Mêcanico Tresaulti, o lugar para quem acredita no mundo mágico que nos rodeia. Permita-me conduzi-lo por uma viagem única através da luz e das sombras onde descobriremos juntos uma nova forma de ver tudo e a todos. Onde não existe limite entre o picadeiro e a plateia, onde tudo é real e o único limite é a nossa vontade de sonhar.”






O circo mecânico foi o primeiro livro da Darkside que comprei e li. Como eu sou apaixonada pela temática de histórias desenvolvidas em circos, embarquei em uma leitura que seria algo inteiramente diferente das histórias desse tipo. Hoje o livro se encontra esgotado e agradeço por tê-lo comprado assim que vi, pois é único em minha estante.

O circo mecânico, como o nome diz, é mecânico. Os funcionários às vezes precisam ser “consertados” e só isso já me deixou intrigada sobre o tipo de história eu estava lendo. Em dado momento, os trabalhadores passam por uma substituição, seus ossos são trocados por canos e outras coisas esquisitas, é para dar leveza e soar meio macabro.

Esses funcionários são ex-soldados de um mundo localizado em um cenário pós-apocalíptico, ocasionado por alguma grande guerra.

Boss é a chefe desse circo, todos estão sob o comando dela, inclusive a Bird, por quem me apaixonoi. Sabemos que Boss guarda em sua oficina as asas que pertenceram ao Homem Alado, no entanto, essas asas um dia falharam e o homem morreu, o que deixou uma profunda marca em Boss.

Então, nesse meio de apresentações pouco usuais, temos Bird. Ela faz o número do trapézio com o Homem Forte, mas o que ela realmente deseja são as asas na oficina de Boss.

Perto de outros livros que a editora viria a publicar logo em seguida, você percebe qual a marca da editora: trabalhar com textos riquíssimos, com histórias contadas de uma forma totalmente nova e com um conteúdo que é sempre mais do que as palavras dizem.

Você precisa ler nas entrelinhas para entender o livro, precisa entender o cenário que lhe é descrito e as razões para as atitudes dos personagens.

Mas diferente de outras obras da editora, como A Menina Submersa, que é um livro difícil de ser lido, com o Circo Mecânico o leitor não sente estranhamento nenhum e nem confusão.

Está tudo ali, poeticamente espalhado pelas páginas e feito para que você embarque em uma aventura única em sua vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário