segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

RESENHA Enquanto Bela Dormia de Elizabeth Blackwell

 Título: Enquanto Bela Dormia
Título Original: While Beauty Slept
Autora: Elizabeth Blackwell
Editora: Arqueiro
Páginas: 368

Sinopse: Nos salões de um castelo, uma confidente leal guardou por muitos anos os segredos de uma rainha linda e melancólica, uma princesa que só queria ser livre e uma mulher que sonhava com a coroa. Esta é sua história. Ambientada em meio ao luxo e às agruras de um reino medieval, esta releitura de A Bela Adormecida consegue ser fiel ao clássico ao mesmo tempo que constrói uma narrativa recheada de elementos contemporâneos. Nessa mescla, os dramas de seus personagens – um casal infértil, uma jovem que não aceita viver em uma redoma e uma família despedaçada pela inveja – tornam-se atemporais. Quando a rainha Lenore não consegue engravidar, recorre aos supostos poderes mágicos da tia do rei, Millicent. Com sua ajuda, nasce Rosa, uma menina linda e saudável. No entanto, a alegria logo dá lugar às sombras: o rei expulsa de suas terras a tia arrogante, que então jura se vingar. Seu ódio se torna a maldição que ameaça a vida de Rosa. Assim, a menina cresce presa entre os muros do castelo, cercada dos cuidados dos pais e de Flora, a tia bondosa e dedicada do rei que encarna a fada boa do conto original. Mas quando todas as tentativas de proteger Rosa falham, é Elise, a dama de companhia e confidente da princesa, sua única chance de se manter viva. E é pelos olhos dessa narradora improvável que conhecemos todos os personagens, nos surpreendemos com o destino de cada um e descobrimos que, quando se guia pelo amor – a magia mais poderosa do mundo –, qualquer pessoa é capaz de criar o próprio final feliz.

“ A verdade está longe de ser história de criança.”

Sou apaixonada por contos de fadas e mais ainda por suas releituras. Acho o máximo a criatividade das pessoas reescreverem de acordo com suas imaginações. Assim que vi a capa de “Enquanto Bela dormia” eu me apaixonei horrores e quis na hora aquele livro! Comecei a ler e fui pensando que não era bem aquilo que eu esperava, mas quando dei por mim eu já estava dentro daquele castelo junto de Elise.
“Toda grande lenda, no fundo, é uma história de uma grande perda da inocência.”

Um romance diferente de tudo que você já leu, “Enquanto Bela dormia” reconta a história de Bela Adormecida em uma versão diversa é narrada por uma das empregadas do palácio que depois de anos tentando enterrar suas memórias decide contar a uma de suas netas a verdade por trás da história das criança.

"Não sou o tipo de pessoa sobre quem se contam histórias. Os que têm origem humilde sofrem suas mágoas e comemoram seus triunfos sem serem notados pelos bardos e não deixam vestígios nas fábulas de sua época."

Elise nasceu em uma fazenda e leva uma vida que não sonhou. Um dia vai até a cidade com sua mãe e avista o Castelo. Descobre que é filha de outro pai, que seu “verdadeiro pai” não é aquele que estava em sua casa. Então a coitada pensa “está tudo explicado”. Ela quer crescer e ir até o Castelo e viver sua vida de sonhos lá... O que ela mais quer na vida é ir trabalhar no Castelo. A jovem sobrevive a epidemia de doenças e escapa para uma pequena cidade na esperança de conseguir uma posição no castelo. Graças ao passado de sua mãe dentro do castelo como costureira e aos bons modos dados por ela à filha, Elisa é bem-vinda pela mulher no comando das empregadas e começa a trabalhar como uma camareira até tornar-se assistente pessoal da rainha.


“É uma verdadeira benção sermos poupados do conhecimento prévio de nosso futuro e nosso fim.”

A Rainha está desesperada para produzir um herdeiro e procura ajuda da mais perigosa das mulheres: a tia do Rei, senhora Millicent. Uma estranha idosa que sempre se sentiu jogada de lado e menosprezada por todos. Perigosa, invejosa, maléfica... após o nascimento de Rosa, filha dos Reis, Millicent dá um show no castelo e lança uma maldição sobre Rosa e é banida do Castelo. Seria Millicent a Maléfica? Vou deixar surpresa pra vocês. Mas Rosa há de ficar antenada e se aproximar cada vez mais de Rosa e protege-la.

“Eu viria aprender que todo desejo concedido tem um preço”

Eu achei espetacular o estilo de escrita de Elizabeth Blackwell. Uma escrita absolutamente bela e bem pensada. As personagens foram bem desenvolvidas e simpáticas criando conexões imediatas. A história tem todos os elementos de um conto de fadas tradicional: realeza, vassalo/suserano, tragédia, resgate, mas com elementos baseados em uma base da realidade.

“Quando a vida segue o rumo de nossos desejos, é fácil nos deixarmos levar sem refletir.”

A autora te leva para dentro da vida das pessoas como se você fosse uma personagem secundária da história e tivesse vendo e sentindo tudo de perto. As palavras fluem, os sentimentos te pegam e te tocam. Eu queria sair lendo e contando para todo mundo. Fui até a livraria e pedi o livro pro vendedor só pra dizer que eu estava lendo e amando e contar do que se tratava a história. Não aguentei e comprei o livro pra minha cunhada.

“A evolução do amor nunca é suave, e meu caminho viria a se tornar realmente pedregoso.”

Me senti muito próxima de algumas características da minha heroína Elise. Ela é forte, sofrida, mas sabia sempre o que queria e o que precisava ser feito. Inteligente, chorava n o seu canto e seguia com sua vida. Perdeu amores, foi curada, mudou seu destino, lutou com seus medos, perdeu pessoas para ganhar outras posteriormente. Triunfou.

“Alguns estragos são profundos demais para serem consertados.”

O final? Totalmente do que eu achava que ia ser, mas espetacular e agradavelmente surpreendente. Fiquei bem surpresa ao descobrir que a história era nada como eu esperava que fosse. E, embora comece bem parado, ele tem uma tendência de excitação onde a história avança de maneira inesperada e experiente. Mais que recomendado! Mergulhe nesse conto de fadas real. Obrigada, Elizabeth Blackwell!
“Onde o amor se abriu em flor
Sem dúvida há de fenecer
Só a lembrança do seu olor
Persiste sem perecer...”




Mais Quotes, pois eu amei as frases de efeito dessa autora:

“Um riacho corria suavemente pelo centro e desaguava num laguinho liso como espelho...”

 “Onde terei encontrado forças para dar um passo atrás do outro, rumo ao desconhecido, sozinha e desprotegida?”

“Mas as lembranças saber resistir a todas as tentativas de domá-las e escapolem no momento em que pensamos tê-las sob controle.”

“Mas a felicidade, fugaz por natureza, muitas vezes só é saboreada depois que se afasta de nós.”

 “Quando se trata de assuntos do coração, é melhor encontrar a resposta dentro de você.”


“Era eu que tinha de suportar minhas dúvidas não ditas.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário