quarta-feira, 15 de junho de 2016

FEIRA DO LIVRO Poeta e cronista Fabrício Carpinejar fala de vida e poesia


Nesse ano a Feira do livro de Ribeirão Preto reservou uma sessão especial para os escritores consagrados com o prêmio Jabuti, o maior prêmio da literatura brasileira. Ontem eu tive a oportunidade de ouvir Fabrício Carpinejar falar de carreira, poesia, literatura, alegrias e tristezas. Fabrício é um escritor moderno que sabe como escrever e se expressar em contos e poemas. Com seu jeito peculiar e simples encantou a todos com suas palavras a divagar sobre amor, vida e sexo: "A poesia é o enfrentamento mais essencial da realidade".

Fabrício Carpi Nejar (Caxias do Sul, 23 de outubro de 1972), ou Fabricio Carpinejar, como passou a assinar a partir de 1998, é um poeta, cronista e jornalista brasileiro.
É filho dos poetas Maria Carpi e Carlos Nejar. Após a separação dos pais, em 1981, passou a ser criado pela mãe. Ingressou em 1990 no curso de jornalismo, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde formou-se em 1995. Pela mesma instituição tornou-se mestre em Literatura Brasileira, em 2002. Lançou As solas do sol, em 1998. A partir desse momento une seus sobrenomes e passa a assinar: Carpinejar. Em 2003 publicou, pela editora Companhia das Letras, a antologia Caixa de sapatos, que lhe conferiu notoriedade nacional. Mantém o blog Consultório Poético no portal Globo.com. Em 6 de março de 2012, estreou como apresentador do programa A Máquina, na TV Gazeta; Desde maio de 2011 mantém a coluna que antes era ocupada por Moacyr Scliar no jornal Zero Hora.

Sociedade do Livro gravou algumas partes muito legais desse evento ministrado pela coordenadora da atividade na Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, Iara Fonseca, e resolveu compartilhar com vocês, confiram:




Nenhum comentário:

Postar um comentário