quinta-feira, 28 de julho de 2016

RESENHA Meio Rei de Joe Abercrombie

Tìtulo: Meio Rei – Mar Despedaçado 1
Título Original: Half a King – Shattered Sea 1
Editora: Arqueiro
Autor: Joe Abercrombie
Páginas: 281

Sinopse: Jurei vingar a morte do meu pai. Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro. Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem. Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava. Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo. Joe Abercrombie nos apresenta um protagonista surpreendente, numa história de percalços e amadurecimento que abre a trilogia Mar Despedaçado.

É difícil descrever os sentimentos que se tem ao ler este livro. Ela começa com o treinamento de Ministro do Príncipe Yarvi, o segundo filho do rei de Gettland, um jovem que nasceu com apenas uma das mãos “boas”. Depois que seu irmão e pai morrem, com muita sorte ele se se torna Rei. Mas por conta de ter uma das mãos deformadas o pobre Yarvi é atormentado e considerado muito fraco pela descrença amarga de seu povo e família. Como ser Rei em um mundo que dita leis onde homens precisam ser fortes e frios? Como brandir uma espada com uma só mão?

"– O que foi? – perguntou Yarvi, a garganta apertada de medo.
Seu tio se ajoelhou, apoiando as mãos na palha oleosa. Baixou a cabeça e sussurrou apenas duas palavras, com a voz rouca:
– Meu rei.
E Yarvi soube que seu pai e seu irmão estavam mortos."

Eu gosto bastante desse tema “vingança” e penso que seja por isso, talvez, que tenha curtido bastante Meio Rei.  A jornada de Yarvi é exatamente isso: se vingar da morte do seu pai. Também adoro essa coisa Medieval e cheia de transformações.  No começo o garoto não tem muita personalidade e se deixa levar pelo que sua família e povo pensam, mas se transforma de um pobre coitado em herói aguerrido e amadurecido.

“– Posso até ser meio-homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro.”

Todo o romance é narrado em terceira pessoa e eu o achei muito rápido e cheio de ação. Não sou muito de ler fantasias, mas eu adoro uma boa fantasia bem escrita. Aqui a história vai a lugares inesperados e bem descritos e acaba por ser muito mais do que você pensou ser possível no início, que considerei meio parado, mas que depois andou muito bem.

"Se a vida me ensinou uma coisa é que não existem vilões. Somente as pessoas, fazendo o seu melhor."

Esse não é mais só um livro de fantasia qualquer. Este é um livro diferente que vai pintando um quadro de reinos, escravidão e traições até que você ache que isso é basicamente uma outra fantasia ambientada na zona de conforto do gênero, mas de repente! Bum! A história chega com três grandes "viravoltas" quando você acha que sabe onde a história está indo e o que vai acontecer a seguir e bum de novo! 

Tudo muda e te suga de uma forma gigante quando você menos espera. Quando você termina fica ainda algum tempo digerindo tudo e pensando como Joe Abercrombie arrasou saindo dos clichês de livros fantásticos e por isso eu super recomendo Meio Rei. Uma aventura gostosa de ler, um mundo gostoso de viver e aventuras emocionantes de se sentir!

Gostou da resenha e se interessou pela história? Leia AQUI o primeiro capítulo.

Vou deixar também o booktrailer, foi por ele que me interessei pelo livro:





Nenhum comentário:

Postar um comentário