sábado, 24 de setembro de 2016

RESENHA No seu olhar de Nicholas Sparks

Por Roh Dover

Título: No Seu Olhar
Título Original: See me
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 432

Sinopse: Filha de imigrantes mexicanos, Maria Sanchez é uma advogada inteligente, bonita e bem-sucedida que aprendeu cedo o valor do trabalho duro e de uma rotina regrada. Porém um trauma a faz questionar tudo em que acreditava e voltar para sua cidade natal, a pequena Wilmington. A cidade também é o lugar que Colin Hancock escolheu para se dar uma segunda chance. Apesar de jovem, ele sofreu mais violência e abandono do que a maioria das pessoas. Também cometeu sua parcela de erro e magoou mais gente do que gostaria. Agora está determinado a mudar de vida, tornar-se professor e dar às crianças o carinho e a atenção que ele próprio não teve. Colin e Maria não foram feitos um para o outro, mas um encontro casual durante uma tempestade mudará o rumo de suas histórias. Ao confrontar as diferenças entre os dois, eles questionarão as próprias convicções. E ao enxergar além das aparências, redescobrirão a capacidade de amar. Porém, nessa frágil busca por um recomeço, o relacionamento deles é ameaçado por uma série de incidentes suspeitos que reaviva antigos sofrimentos. E quando um perigo real começa a se impor, Colin e Maria precisam lutar para que o amor sobreviva. Com uma trama madura e repleta de emoções e de suspense, No Seu Olhar mostra que o amor às vezes é forjado em crises que ameaçam nos destruir e que o primeiro passo para a felicidade é acreditar em quem podemos ser.

No romance “No Seu Olhar”, Nicholas Sparks traz à tona personagens diferentes do que os leitores estão acostumados, com problemas reais e uma história com um toque de suspense policial. 

No enredo, temos o olhar de Maria Sanchez e Colin Hancock. Personagens com diferentes visões e características. Maria é uma advogada que trabalha em um escritório bem sucedido, sempre foi a primeira da turma nos estudos e esforçada para conseguir um bom futuro. Colin é desestruturado, um sujeito que viveu se metendo em brigas, adorava violência e conseguiu ser expulso praticamente em todas as escolas das quais seus pais o colocaram. Foi depois que seus pais o expulsaram de novo de casa que Colin começou a refletir, as brigas pararam e começou a traçar seu futuro e se encontrou na faculdade para se tornar professor. Um futuro que muitos não acreditavam que iria se consolidar, visto o passado de Colin, mas aceitando quem ele já foi, conseguiu encontrar meios para tentar ser quem ele queria no futuro. 

É em um dia chuvoso que Maria e Colin se encontram, não há amor a primeira vista, nem talvez na segunda, mas aos poucos, os personagens encontram uma conexão que se torna cada vez mais forte. Maria, apesar de todo sucesso, carrega consigo uma história obscura de um de seus clientes na antiga promotoria onde trabalhava, e isso leva a história em um tom mais puxado para o suspense policial. 
Muitos falaram de se tratar de um thriller, mas não chega a esse ponto. O suspense é levado em terceira questão e o romance entre os personagens ainda toma conta do conteúdo. De todos os romances de Sparks, “Uma Longa Jornada” ainda é meu preferido, mas preciso confessar que Maria e Colin me cativaram e são eles que conseguem levar o leitor até o final da história. 

A tranquilidade da qual toma conta dos personagens enquanto eles começam a se apaixonar é algo que talvez esteja faltando em muitos romances contemporâneos. Hoje em dia, como um reflexo do presente, os personagens se apaixonam com uma troca de olhar e acompanhar o desenvolvimento calmo dos personagens de Sparks me fez rememorar a época em que o amor era descoberto aos poucos, no dia-a-dia, nos anos que se passam enquanto você descobre uma nova surpresa do seu companheiro. Não me surpreende que tenha sido Sparks que conseguiu trazer essa questão ao livro, ele ainda é aquele que consegue descrever em diferentes formas a mesma forma do verbo amar. 

Outra questão que está relacionada aos personagens, é o quão real seus problemas podem ser. Maria é uma mulher comum, com medos e anseios comuns e Colin é um personagem problemático, mas que consegue transmitir carisma. Eu me senti mais perto deles e consegui encontrar a minha conexão como leitora com esses personagens. 

A história tem seus altos e baixos, uma hora ela consegue ser fluída, outra hora é travada, principalmente nos espaços em que a história transporta do romance para o suspense. No meio desses buracos, há os personagens que salvam a história e a transformam em um enredo que sacia o leitor até o final. “Em Seu Olhar” não é a melhor história de Nicholas Sparks, mas é uma que consegue ser memorável. 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Lançamentos de Outubro Novo Conceito


Outubro está chegando e no mês das Crianças, a Novo Conceito vem com tudo para agradar o público jovem com seus lançamentos. A consagrada autora irlandesa Cecelia Ahern chega ao Brasil com seu primeiro YA. Christian Figueiredo, um dos youtubers mais adorados do país, está de volta com seu terceiro livro. E os fãs de aventuras de ficção e tecnologia irão se encantar com a parceria entre o escritor Renan Carvalho e o youtuber Italo Matheus, que transporta o jovem influenciador para dentro da internet em uma batalha contra um programa virtual ameaçador! Muito contente com tudo isso! \o/ 


segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Ex-diretoras da Cosac Naify abrem Editora UBU


A ex-diretora editorial da Cosac Naify,  Florencia Ferrari, junto com a ex-diretora de arte, Elaine Ramos, mais a ex-executiva de fundos de investimento, Gisela Gasparian, se juntaram para fundar uma nova Editora - A Editora Ubu.

A Ubu será uma nova editora brasileira independente com um catálogo bem semelhante ao da Cosac: literatura, ciências humanas, crítica, artes visuais, cinema, livros de referência. 

"Nosso foco são textos e criações artísticas relevantes para o debate contemporâneo. Queremos construir um catálogo múltiplo que possibilita conexões entre diversos campos, como antropologia, filosofia, psicanálise, arquitetura, design, artes plásticas, fotografia e literatura. Nossos livros existem para serem vividos como experiências íntimas e significativas, pautadas pela qualidade editorial e gráfica. Acreditamos que o design desempenha um papel central na relação do leitor com o conteúdo do livro."

Por que o nome Ubu?

Sonoro, visual, curto, estranho, lembra ubuntu, uruca, exótico, palindrômico, sui generis, único, Ubu é tudo isso mas também tem a ver com livros, teatro, vanguarda, experimentação, excentricidade, erotismo, humor, política, arte, absurdo, surrealismo, dadaísmo, futurismo, erotismo e até ciclismo.

Ubu é um dos personagens de várias obras do poeta, romancista e dramaturgo francês Alfred Jarry, entre as quais a peça Ubu-rei é a mais conhecida. Nascido em 1873, Jarry foi referência para as vanguardas artísticas do século XX, além de precursor reconhecido, junto com Guillaume Apollinaire, do Teatro do Absurdo, que reuniria dramaturgos como Eugène Ionesco, Jean Genet e Samuel Beckett.


Mais do que a figura de Pai Ubu, é a Patafísica de Jarry que nos anima, sua “ciência das soluções imaginárias”. Jarry constrói em volta de si um universo cultural e artístico transbordante, um tanto alucinado, multidisciplinar e que transpira liberdade. Associações insuspeitadas, deslocamento formal e um vetor de desejo pulsante são um caldo inspirador para uma nova editora.

Fontes: Folha e UBU

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Resenha: “Calm”, Michael Acton Smith

Por Francine Estevão

Sabe aquele modo automático no qual nós vivemos constantemente, quando a gente faz as coisas de maneira tão rotineira que nem nos damos conta do que fizemos? Seja por pressa ou por hábito de fazer sempre a mesma coisa, a gente deixa de agir consciente de muitos atos cotidianos e vive sempre com a cabeça em outro lugar. A gente nunca está realmente presente, o que nos torna ansiosos, irritados, impacientes, pessimistas…dentre tantas outras coisas que podem fazer mal à nossa saúde mental e física. Mas e se a gente começasse a fazer as coisas com mais tranquilidade, com mais calma?
A proposta do livro “Calm” é exatamente essa. Nos mostrar os benefícios de adotarmos uma postura mais tranquila no nosso dia a dia e nos ensinar como conseguir, com pequenas atitudes, mudar nossos hábitos e estarmos mais presentes em tudo o que fizermos.
"Um dos muitos benefícios da calma é que você desenvolve uma perspectiva mais positiva.”
Dividido em vários temas, como natureza, sono, viagens, relacionamentos, trabalho, crianças, criatividade e alimentação, o livro traz informações e dados com bases em pesquisas que fundamentam a abordagem de uma atitude mais calma, apresenta dicas de como adotar uma postura diferente e traz um guia de meditação para cada tema. Mais do que uma leitura, “Calm” é um livro interativo e para ser apreciado aos poucos. Ao longo das páginas, a gente ainda encontra atividades para desenvolver de acordo com cada assunto abordado.
Como toda mudança de hábito, adotar práticas mais calmas, fazer as coisas com mais atenção e tranquilidade, e consequentemente estar mais presente, pode ser difícil no começo, mas quando os benefícios começam a dar as caras a prática passa a ser satisfatória e se torna natural. Faz até falta quando você, por algum motivo deixa de lado.
keep-calm-and-be-present-61
E não é preciso começar com grandes atitudes. Basta começar observando sua alimentação, comer mais devagar e prestar atenção a cada “garfada”, tomar um banho reparando em cada parte conforme você vai se ensaboando, ou até mesmo enquanto você lava a louça do almoço, prestando atenção a cada item que você tem em mãos. É ser mais consciente das nossas atitudes, deixar o automático de lado e estarmos realmente presentes em tudo o que fizermos.
Quando a gente acalma o corpo e a mente, a gente se sente muito mais em paz, otimista e com muito mais energia. Pra citar apenas alguns dos muitos pontos positivos.
Além do livro, “Calm” tem um aplicativo de meditação guiada e um site com vários artigos interessantes que podem te ajudar na prática.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Novo Trailer de Um gato de Rua Chamado Bob

A Página do Facebook do filme "Um gato de Rua Chamado Bob" (A streetcat named Bob) liberou hoje mais um trailer do filme que estreia em Novembro. Ainnn!!!! Novembro está chegando e minha ansiedade só aumenta para ver este filme que tem um significado muito importante pra mim. Confiram o vídeo:


terça-feira, 13 de setembro de 2016

Votação de capa do livro "A Menina dos Olhos Molhados"

Vamos ajudar a Editora Globo Alt a escolher a capa favorita de "A Menina dos Olhos Molhados" da nossa queria Marina Carvalho?

Qual capa gostaram mais? Clique aqui e vote na sua preferida até quinta-feira (15/09), às 12h.  ;)




segunda-feira, 12 de setembro de 2016

RESENHA Caixa de Pássaros de Josh Malerman

Por Isabela Silva

Título: Caixa de Pássaros
Título Original: Bird Box
Autor: Josh Malerman
Páginas: 272
Editora: Intrínseca

Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Quatro anos depois de tudo ter começado, restaram poucos sobreviventes, incluindo Malorie e seus dois filhos pequenos. Morando numa casa abandonada próxima ao rio, ela sonha há tempos em fugir para um local onde sua família possa ficar em segurança. Mas a jornada que têm pela frente será assustadora: 32 quilômetros rio abaixo em um barco a remo, vendados, contando apenas com a inteligência de Malorie e os ouvidos treinados das crianças. Uma decisão errada e eles morrem. E ainda há alguma coisa os seguindo. Será que é um homem, um animal ou uma criatura desconhecida?

Eu refleti muito sobre esse livro depois que acabei de lê-lo. Fiquei pensando em sua história e seu contexto. É um livro de leitura fácil, mistérios e intrigas. Muitas vezes fico sem palavras para descrever o que ele é e qual o sentimento que eu tive quando li essa obra. 

Medo? Isso é óbvio que senti, principalmente em determinadas partes do texto, me comovi várias vezes com a força de vontade de Malorie em seu plano de salvar seus filhos. Confesso que se fosse eu no lugar dela desistiria no primeiro instante até porquê descer um rio vendada e saber que tem algo te seguindo, e confiar somente na audição aguçada de seus dois filhos de quatro anos de idade, isso não deve ser nada fácil. 

“Caixa de pássaros” conta a história de Malorie que luta bravamente para sobreviver em um mundo totalmente diferente daquele que estava acostumada. Depois de várias mortes misteriosas, incluindo a de seus pais e sua irmã, provocadas por ataques de uma criatura que ninguém sabe o que realmente é, não sabemos se é um homem, um ser de outro planeta, sua fisionomia é mantida em sigilo até o ultimo ponto final do livro, e isso é o mais impressionante.  

Depois da morte da irmã, Malorie que está grávida, se muda para uma casa de sobreviventes ao ataque da criatura. Nesta casa eles são obrigados a viver com dificuldades e com água sendo tiradas do poço no fundo da casa, já que saneamento básico não existia mais ali. Quando eles iam pegar água eram obrigados a colocar uma venda nos olhos, por que? Porque seja o que fosse que estava matando aquelas pessoas, uma das coisas em comum era que as pessoas viram algo antes de morrer. As janelas e frestas da casa eram todas tampadas, para não correr o risco de morte. Os alimentos eram enlatados, estocados no porão da casa, e eles faziam a contagem toda semana. 

Os nomes dos filhos de Malorie só são revelados no final do livro e tem uma explicação para isso - que não irei falar pois vocês vão ler esse livro. 

A história que Josh Malerman cria é incrível e há momentos no livro que você não saberá como reagir, assim como eu, que não sei o que pensar dele até hoje, a única coisa que sei é que esse livro é inexplicável, simplesmente magnifico. 

“Em outras palavras (guarde isto!): O HOMEM É A CRIATURA QUE ELE TEME”

“Hoje você vai ter que abrir os olhos”

terça-feira, 6 de setembro de 2016

RESENHA: "O ano em que te conheci", Cecelia Ahern

Por Francine Estevão

Título: O ano em que te conheci
Autora: Cecelia Ahern
Páginas: 336
Editora: Novo Conceito

Sinopse: Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt. Vizinhos, eles não têm o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato. Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt. Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda. Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles têm muito tempo livre e precisam rever seus conceitos para poder seguir em frente. Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer. Uma história dramática, original e divertida como só Cecelia Ahern é capaz de escrever.


“O ano em que te conheci” é uma história bonita sobre amizade, transformação e paciência.
"Minha mudança não foi instantânea, e muitas vezes o ritmo lento da transformação pode ser doloroso, solitário, confuso, mas, mesmo sem que a gente perceba, acontece.”
Jasmine sempre foi muito ocupada. Tinha pouco tempo para outras atividades além do trabalho e de cuidar da irmã com Síndrome de Down. Até agora, quando ela foi demitida e ainda ficou presa a uma cláusula de que teria que passar um ano sem poder arrumar outro emprego.

A princípio, a falta de compromissos foi ótima para ela fazer coisas que nunca teve a oportunidade antes, mas então o excesso de tempo livre enquanto todas as pessoas se mantinham ocupadas com coisas úteis começou a incomodá-la, principalmente quando ela se deu conta de que estava atenta demais às atividades da vizinhança, especialmente do vizinho Matt, de quem ela não gostava nem um pouco, mesmo que nunca tivesse falado com ele antes.

Aos poucos, com o passar do tempo, que no livro é bem demarcado pelas estações do ano e pelo novo projeto de Jasmine de construir um jardim em frente de casa, ela vai se envolvendo no drama familiar e profissional de Matt, acaba se aproximando dele e dessa amizade pouco provável ela começa a reavaliar sua própria vida percebendo o quanto é apegada a conceitos que talvez a estejam mantendo presa a uma realidade que não faz mais parte do presente. Além disso, ela se dá conta de que nem sempre consegue as coisas que quer na hora que quer. Há um tempo para tudo, assim como em seu novo jardim. É preciso saber plantar e esperar.

Embora esse seja um livro menos denso do que outros da autora – nada de tragédias e choradeiras, aliás há bastante humor nos momentos entre Jasmine e Matt e alguns outros personagens –, como sempre ela nos deixa aquela pulguinha atrás da orelha para repensarmos nossa própria vida.

"Estamos constantemente evoluindo: eu acho que sempre soube disso, mas, porque eu sempre soube disso, eu tinha medo de parar, e é irônico que foi apenas quando parei de vez que mais evoluí.”


segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Liberado mais um curta de "Um gato de Rua Chamado Bob"

A Página do Facebook do filme "Um gato de Rua Chamado Bob" (A streetcat named Bob) liberou hoje um curta do filme que estreia em Novembro. Eu estou louca pra ver este filme, que é baseado no romance lançado pela Novo Conceito aqui no Brasil, e amei de paixão esse featurette. Confiram:






sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Lançamentos de Setembro Editora Arqueiro E Sextante

"Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão onde a gente plantoooou
Juntos outra vez...
Já choramos muito, muitos se perderam no caminhooooo!
Mesmo assim não custa inventar uma nova canção que venha nos trazer...
Sol de primaveraaaa! Abre as janelas do meu peitoooo!" - Sol de Primavera, Catedral.

Ok, ok! Essa é uma pessoa empolgada com a chegada de setembrooooo! Setembro chove? O mês virou e com ele os lançamentos da Editora Arqueiro e Sextante que traz de cara, em dose dupla, novas capas de Nicholas Sparks:



Os Feiticeiros de Terramar, capa linda demais!

Sinopse: Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda. Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários. Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.

Tem também  "À sua espera", livro da saga Rosemary Beach, de Abbi Glines.

Sinopse: Mase sempre preferiu a vida simples em seu rancho no Texas à agitação do mundo do pai em Rosemary Beach. Na verdade, ele quase nunca visita o famoso astro do rock e Nan, sua meia-irmã mimada e egoísta. Mas tudo muda quando conhece uma das empregadas da casa, uma garota linda que, sem saber da presença dele, o desperta com seu canto desafinado. Depois de anos sendo maltratada pela família e pelos colegas por causa de um distúrbio de aprendizagem, Reese conquistou sua liberdade e mora sozinha trabalhando como diarista para as famílias ricas da cidade. No entanto, seu sustento fica ameaçado quando ela causa um acidente na casa de Nan Dillon. Ao ser salva por Mase, um rapaz atencioso e com charme de caubói, Reese fica surpresa pelo gesto dele e, depois, apavorada quando ele demonstra interesse nela. Nunca na vida Reese conheceu um homem em quem pudesse confiar. Será que Mase pode ser diferente? Nessa ardente paixão que nasce entre a doce e batalhadora Reese e o centrado e sexy Mase, Abbi Glines mais uma vez mescla tristezas da vida real com amores de contos de fada e nos faz suspirar até a última página.

Sinopse: Isabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu. Para o pai dela, que só queria se divertir, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou. Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade. Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. 








Ansiedade mode on! Harlan Coben está chegando com "O medo mais profundo"

Sinopse: Na época da faculdade, Myron Bolitar teve seu primeiro relacionamento sério, que terminou de forma dolorosa quando a namorada o trocou por seu maior adversário no basquete. Por isso, a última pessoa no mundo que Myron deseja rever é Emily Downing. Assim, ele tem uma grande surpresa quando, anos depois, ela aparece suplicando ajuda. Seu filho de 13 anos, Jeremy, está morrendo e precisa de um transplante de medula óssea – de um doador que sumiu sem deixar vestígios. E a revelação seguinte é ainda mais impactante: Myron é o pai do garoto. Aturdido com a notícia, Myron dá início a uma busca pelo doador. Encontrá- lo, contudo, significa desvendar um mistério sombrio que envolve uma família inescrupulosa, uma série de sequestros e um jornalista em desgraça. Nesse jogo de verdades dolorosas, Myron terá que descobrir uma forma de não perder o filho com quem sequer teve a chance de conviver.

Meu queridinho do mês pela Sextante - "Muito amor, por favor", que reúne textos sobre o amor do ponto de vista dos escritores: Arthur Aguiar, Fred Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha. 

Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia... e sempre.



Por fim mais livros lindos com capas maravilhosas

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Celebrando autores independentes da Amazon: E-book Fazendo Acontecer

Neste mês a Amazon celebra seus autores independentes e está com preços muito acessíveis de muitos nacionais. O e-book "Fazendo Acontecer" da jornalista e blogueira Francine Estevão está por apenas R$1,99 durante TODO O MÊS DE SETEMBRO!

É uma história de escolhas, sonhos e emoções. Aproveitem clicando AQUI!

"...desistir seria desapontar a si mesma. Ela precisava ao menos tentar. E era isso que ela estava fazendo."

Kate não sabia que tinha um sonho até ele se realizar. Sem saber o que realmente queria da vida, a jovem de 23 anos, recém-formada, deixou o emprego, o país de origem, os pais e tudo o que era certo em sua vida para se encontrar. Ela acreditava que Nova York seria o cenário perfeito para descobrir o que queria e se nada desse certo, ela poderia voltar para casa. O que Kate não esperava era encontrar tanta receptividade na Big Apple. Um lugar para morar, bons amigos e até um emprego que a levaria ao lugar onde ela sempre quis estar, mesmo que ela ainda não soubesse disso. Sem ter certeza do que está fazendo, ela acaba percebendo que esse é o caminho que ela procurava e por obra do acaso, ou do destino, o sonho de Kate está prestes a se realizar. Fazendo Acontecer é uma história sobre sonhos recheada de muita música.