sábado, 24 de setembro de 2016

RESENHA No seu olhar de Nicholas Sparks

Por Roh Dover

Título: No Seu Olhar
Título Original: See me
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 432

Sinopse: Filha de imigrantes mexicanos, Maria Sanchez é uma advogada inteligente, bonita e bem-sucedida que aprendeu cedo o valor do trabalho duro e de uma rotina regrada. Porém um trauma a faz questionar tudo em que acreditava e voltar para sua cidade natal, a pequena Wilmington. A cidade também é o lugar que Colin Hancock escolheu para se dar uma segunda chance. Apesar de jovem, ele sofreu mais violência e abandono do que a maioria das pessoas. Também cometeu sua parcela de erro e magoou mais gente do que gostaria. Agora está determinado a mudar de vida, tornar-se professor e dar às crianças o carinho e a atenção que ele próprio não teve. Colin e Maria não foram feitos um para o outro, mas um encontro casual durante uma tempestade mudará o rumo de suas histórias. Ao confrontar as diferenças entre os dois, eles questionarão as próprias convicções. E ao enxergar além das aparências, redescobrirão a capacidade de amar. Porém, nessa frágil busca por um recomeço, o relacionamento deles é ameaçado por uma série de incidentes suspeitos que reaviva antigos sofrimentos. E quando um perigo real começa a se impor, Colin e Maria precisam lutar para que o amor sobreviva. Com uma trama madura e repleta de emoções e de suspense, No Seu Olhar mostra que o amor às vezes é forjado em crises que ameaçam nos destruir e que o primeiro passo para a felicidade é acreditar em quem podemos ser.

No romance “No Seu Olhar”, Nicholas Sparks traz à tona personagens diferentes do que os leitores estão acostumados, com problemas reais e uma história com um toque de suspense policial. 

No enredo, temos o olhar de Maria Sanchez e Colin Hancock. Personagens com diferentes visões e características. Maria é uma advogada que trabalha em um escritório bem sucedido, sempre foi a primeira da turma nos estudos e esforçada para conseguir um bom futuro. Colin é desestruturado, um sujeito que viveu se metendo em brigas, adorava violência e conseguiu ser expulso praticamente em todas as escolas das quais seus pais o colocaram. Foi depois que seus pais o expulsaram de novo de casa que Colin começou a refletir, as brigas pararam e começou a traçar seu futuro e se encontrou na faculdade para se tornar professor. Um futuro que muitos não acreditavam que iria se consolidar, visto o passado de Colin, mas aceitando quem ele já foi, conseguiu encontrar meios para tentar ser quem ele queria no futuro. 

É em um dia chuvoso que Maria e Colin se encontram, não há amor a primeira vista, nem talvez na segunda, mas aos poucos, os personagens encontram uma conexão que se torna cada vez mais forte. Maria, apesar de todo sucesso, carrega consigo uma história obscura de um de seus clientes na antiga promotoria onde trabalhava, e isso leva a história em um tom mais puxado para o suspense policial. 
Muitos falaram de se tratar de um thriller, mas não chega a esse ponto. O suspense é levado em terceira questão e o romance entre os personagens ainda toma conta do conteúdo. De todos os romances de Sparks, “Uma Longa Jornada” ainda é meu preferido, mas preciso confessar que Maria e Colin me cativaram e são eles que conseguem levar o leitor até o final da história. 

A tranquilidade da qual toma conta dos personagens enquanto eles começam a se apaixonar é algo que talvez esteja faltando em muitos romances contemporâneos. Hoje em dia, como um reflexo do presente, os personagens se apaixonam com uma troca de olhar e acompanhar o desenvolvimento calmo dos personagens de Sparks me fez rememorar a época em que o amor era descoberto aos poucos, no dia-a-dia, nos anos que se passam enquanto você descobre uma nova surpresa do seu companheiro. Não me surpreende que tenha sido Sparks que conseguiu trazer essa questão ao livro, ele ainda é aquele que consegue descrever em diferentes formas a mesma forma do verbo amar. 

Outra questão que está relacionada aos personagens, é o quão real seus problemas podem ser. Maria é uma mulher comum, com medos e anseios comuns e Colin é um personagem problemático, mas que consegue transmitir carisma. Eu me senti mais perto deles e consegui encontrar a minha conexão como leitora com esses personagens. 

A história tem seus altos e baixos, uma hora ela consegue ser fluída, outra hora é travada, principalmente nos espaços em que a história transporta do romance para o suspense. No meio desses buracos, há os personagens que salvam a história e a transformam em um enredo que sacia o leitor até o final. “Em Seu Olhar” não é a melhor história de Nicholas Sparks, mas é uma que consegue ser memorável. 

Um comentário:

  1. sério que vc não gostou tanto quanto eu? eu adorei esse livro do Nicholas kkkk' não achei que travou, até agora foi o dele que mais gostei
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir