segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

RESENHA: "O primeiro dia do resto da nossa vida", Kate Eberlen

Por Francine Estevão

Título: O primeiro dia do resto da nossa vida
Autora: Kate Eberlen
Editora: Arqueiro
Páginas: 432

Sinopse: Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem... Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado. Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade... ou será que não? O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

"O primeiro dia do resto da nossa vida" conta, paralelamente, a história de Tess e Gus entre 1997 e 2013. Os caminhos e descaminhos que ambos personagens percorrem em 16 anos de suas vidas repletas de acertos e erros, encontros e desencontros (mais desencontros do que encontros).

Acompanhamos suas vidas de perto nos mais diversificados aspectos que uma vida possa abranger: profissão, família, relacionamentos, amizades, desafios, conquistas, decepções, decisões... E com isso lemos uma história tão possível de ser real, a sua vida ou a minha, que por vezes esquecemos, durante a leitura, que se trata de uma ficção.

Um livro que nos leva a questionar sobre como as circunstâncias interferem em nosso destino (o que será que teria acontecido se...?) e que nos faz refletir sobre as coisas terem um momento certo para acontecerem em nossas vidas (será que teria sido a mesma coisa se tivesse acontecido quando eu achei que deveria?).

Os caminhos de Tess e Gus se cruzaram rapidamente pela primeira vez em 1997, na Itália, durante as férias. Ambos tinham planos ao voltar para casa, mas nem tudo saiu como esperado por motivos que nem sempre estão ao alcance do nosso controle. Afinal, na vida poucas são as coisas que podemos controlar de fato, não é mesmo?

Uma história bastante pé no chão e super gostosa de ler. Um romance com uma boa reflexão sobre a vida real em suas entrelinhas e que nos faz torcer e aguardar por um possível reencontro entre os personagens, que pode chegar a nunca acontecer.



Nenhum comentário:

Postar um comentário