segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

RESENHA As cordas mágicas de Mitch Albom

Por Maju Raz

Título: As Cordas Mágicas
Título original: The Magic Strings of Frankie Presto
Autor: Mitch Albom
Editora: Arqueiro
Páginas: 352

Sinopse: Francisco Presto nasceu numa pequena cidade da Espanha em plena guerra civil. Com a infância marcada por tragédias, Frankie se torna pupilo de um professor de música cego, que se dedica a lhe ensinar tudo o que sabe. Ao completar 9 anos, ele foge para os Estados Unidos carregando consigo apenas seus bens mais preciosos: um violão e seis cordas mágicas. Com um talento fora do comum para tocar e cantar, Frankie rapidamente alcança o estrelato e influencia o cenário musical do século XX, apresentando-se ao lado de nomes consagrados como Elvis Presley e Little Richards. No entanto, seu dom se transforma em um terrível fardo quando ele percebe que pode afetar o futuro das pessoas: uma corda de seu violão fica azul cada vez que uma vida é alterada. No auge do sucesso, assombrado por seus erros e por seu estranho poder, Frankie sai de cena por anos, apenas para ressurgir para um espetacular e misterioso adeus.

"Toda perda deixa um vazio no coração."

A música é um dos muitos talentos com que algumas pessoas nascem, outras adquirem durante a vida. A música tem poder curativo, terapêutico e pode até absorver nossas memórias com uma melodia única nos levando de volta ao passado ou a alguma situação específica. A música mudou e muda o mundo e estará conosco do início ao fim da vida. Estou refletindo sobre isso pois é exatamente disso que este livro fala: Música – melhor – A MÚSICA FALA.

"Todo mundo entra numa banda nessa vida. De um jeito ou de outro, a banda se desfaz."

Se você já leu “A menina que roubava livros” e curtiu, tenho certeza que irá amar este livro também. Como eu disse, a história é narrada pela Música e intercalada com entrevistas com músicos famosos de muitas idades e gêneros. É uma história cheia de música que pode ser acompanhada pela playlist no Spotify que fala de amor, sinfonia e como a vida pode ser alegre, triste e linda como uma canção. Mitch Albom compôs uma grande música em forma de livro!

“Sou a Música. E estou aqui pela alma de Frankie Presto. Não toda ela Só a porção muito grande que ele pegou de mim quando veio ao mundo. Por mais bem utilizada que seja, sou um empréstimo, não uma posse. Você me devolve ao partir.”

A Música nos narra a vida de Frankie Presto perdendo a mãe, ainda bebê, no meio da Guerra Civil Espanhola e depois sua adoção por um vendedor de sardinhas e sua formação musical como um menino com um professor cego e pra lá de especial (leiam e descubram o motivo <3). Os capítulos são divididos em 5 partes da vida de Frankie: De sua infância até os dias atuais intercalados com pessoas famosas contando as histórias que tiveram com Frankie.

"Todos os humanos são musicais. Por que outro motivo Deus daria a vocês um coração pulsante?"

A narrativa em terceira pessoa é individualizada com a Música contando tudo de uma forma fantástica e mágica, nos deslumbrando com passagens que tocam a alma e o coração fazendo jus ao título do livro.

"Riqueza nunca definiu a música. O que é tocado de coração pode ser tocado em qualquer lugar. Em qualquer coisa."

A Música foi a antítese da vida de Frankie – foi sua luz e sua maldição. Não posso entrar em detalhes profundos senão estrago a mágica que essas 350 páginas tem. Um livro cheio de ritmo que só faz aumentar a riqueza desta obra e torna-o lírico. Leia! Vai mudar seu modo de ver muitas coisas na vida e vai ser uma baita terapia com toda essa musicalidade.

"Talento é um pedaço da sombra de Deus. E, debaixo dessa sombra, as histórias humanas entrecruzam-se."

Mitch Albom é autor de seis livros, entre eles A última grande liçãoAs cinco pessoas que você encontra no céu e Por mais um dia, publicados pela Editora Sextante. Suas obras já foram traduzidas para 42 idiomas e tiveram mais de 28 milhões de exemplares vendidos.
Um dos jornalistas esportivos mais premiados dos Estados Unidos, trabalha como colunista de jornal e apresentador de rádio e de televisão. É também roteirista, músico e colaborador de várias instituições de caridade. Atualmente mora em Detroit com a esposa, Janine.





sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

E-book "Entre Flores e Vagalumes" gratuito na Amazon

De hoje até 29 de janeiro o e-book "Entre Flores e Vagalumes" da autora nacional C. Symmonds está a preço ZERO na Amazon! Estou correndo adquirir o meu pois curti muito a sinopse que vou deixar pra vocês aqui. Acessem aqui e adquiram também!


Você acredita que o amor possa sobreviver a outras vidas? 
Beatrix é ainda criança quando presencia o assassinato de seu melhor amigo, John. Vivendo em meio ao sofrimento ela decide fugir apenas com a roupa do corpo e um urso de pelúcia, e ainda assim consegue superar todas as expectativas cumprindo sua missão nessa vida. Após sua morte encontra a tranquilidade em uma colônia espiritual aonde acaba reencontrando John e descobrindo um sentimento muito maior que aquela antiga amizade separada pelo destino. E agora novamente a vida tentará afastar os dois. Mas dessa vez Beatrix vai lutar com todas suas armas, mesmo que para isso seja necessário nascer e viver mais uma vez.
Sem se lembrar de nada, Beatriz volta para uma nova vida que ela considera sem sentido. No meio do caminho conhece Rose, uma criança a beira da morte, e que é sua nova missão nesse planeta. Com a ajuda de um cãozinho esperto e de alguns amigos espirituais Beatriz aos poucos vai se deixando convencer pelo amor e entendendo a sua razão de viver.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Sarau dos Médicos - Fundação Feira do Livro de Ribeirão Preto

No próximo dia 1º de fevereiro (quarta-feira) acontece o Sarau dos Médicos, na sede da Fundação Feira do Livro, em Ribeirão Preto (SP), às 20h.

Comandado pelo vice-presidente da Fundação, Nelson Jacintho, o encontro reúne médicos e amigos – poetas, cronistas e amantes da literatura e das artes. O grupo existe há quase dez anos e, uma vez por mês, se reúne para a leitura de suas próprias produções literárias e de outros autores. A entrada é aberta e gratuita.


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

"A Rainha de Tearling" em pré-venda


Você gosta de fantasia medieval? E de distopias? De intrigas políticas? De magia? “A rainha de Tearling” é uma mistura incrível de tudo isso! 

Quando completa dezenove anos, Kelsea é levada da cabana isolada onde cresceu de volta à Fortaleza real de Tearling, para assumir seu lugar de direito no trono. Lá ela terá que sobreviver em uma corte cheia de inimigos, aprender a lutar, enfrentar uma feiticeira poderosa do reino vizinho e descobrir segredos que andam escondendo dela há anos.

Tem alguém ansioso aí? Falta pouco! “A rainha de Tearling” chega às livrarias em fevereiro. Mas já está em pré-venda! EU QUEROOOOO!!!!


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

LANÇAMENTOS de Janeiro Novo Conceito

Os livros de Janeiro da Editora Novo Conceito já estão disponíveis para compra nas livrarias! Confiram:

comprei esse aqui e estou muito ansiosa para saber o que acontece :)

Recuperando-se do terror que vivenciou nas mãos da máfia, Lumikki tem a chance de deixar a Finlândia, se livrando das roupas pesadas, das lembranças sombrias... e do perigo. Ela só quer ser uma garota normal, misturar-se à multidão de turistas e aproveitar as férias. Quando Lumikki conhece Zelenka, uma jovem misteriosa que alega ter o mesmo sangue que ela, as coincidências são inquietantes. Rapidamente ela se vê envolvida no mundo triste daquela mulher, descobrindo peças de um mistério que irá conduzi-la a uma seita secreta e aos mais altos escalões do poder corporativo. Para escapar dessa trama asfixiante, Lumikki não poderá fazer tudo sozinha. Não desta vez.



Já tive a oportunidade de comprar esse e-book e devorá-lo! Eu achei a capa muito fofa e a história apaixonante. Confiram nossa resenha AQUI!

Campbell tem 17 anos. Ela não acredita em Deus. Muito menos em milagres. Cam sabe que tem pouco tempo de vida, por isso quer viver intensamente e fazer tudo o que nunca fez, no tempo que lhe resta. Mas a mãe de Cam não aceita o fato de perder a filha, assim, ela a convence a fazer uma viagem com ela e a irmã para Promise um lugar conhecido por seus acontecimentos miraculosos. Em Promise, Cam se depara com eventos inacreditáveis, e, também, com o primeiro amor. Lá encontra, finalmente, o que estava procurando mesmo sem saber. Será que ela mudará de ideia em relação à probabilidade de milagres?  A Menina que não Acredita em Milagres vai fazer você rir, chorar e repensar sua conduta de vida.



 A Fragmentação tornou-se um grande negócio com poderosos interesses políticos e corporativos em jogo. O governo não quer apenas continuar com ela, como também expandi-la. Cam foi feito inteiramente com as melhores partes de fragmentados e, tecnicamente, ele é um garoto que não existe. Um verdadeiro Frankstein do futuro, que luta para encontrar sua identidade e se questiona se um ser como ele pode ter alma. Quando as ações de um sádico caçador de recompensas ameaçam a causa de Connor, Lev e Risa, o destino de um deles é ligado ao de Cam. A aguardada sequência de Fragmentados desafia a suposição de onde começa e termina a vida e o que realmente significa viver.








Alyssa Gardner entrou na toca do coelho para assumir o controle do seu destino. Ela sobreviveu à batalha pelo País das Maravilhas e pelo seu coração. No conto O Menino na Teia, a mãe de Alyssa relembra o período em que viveu no País das Maravilhas e resgatou o homem que se tornaria seu marido e pai de sua filha. No A Mariposa no Espelho, conhecemos as lembranças de Morfeu, de quando ele mergulhou nas memórias de Jeb para descobrir os segredos dele e tentar ganhar, de uma vez por todas, o disputado coração de Alyssa. No Seis Coisas Impossíveis, Alyssa revive os momentos mais preciosos de sua vida após Qualquer outro lugar, e sobre o papel mágico que desempenhou para preservar a felicidade daqueles que ela ama. Neste livro você encontrará três contos de lembranças inéditas e inesquecíveis. Junte-se novamente aos personagens da série O Lado mais Sombrio e embarque no fantástico mundo do País das Maravilhas.




 A festa de Ano-novo terminou com uma tragédia irreparável, e Mary, Kat e Lillia podem não estar preparadas para o que está por vir. Após a morte de Rennie, Kat e Lillia tentam entender os acontecimentos fatais daquela noite. Ambas se culpam pela tragédia. Se Lillia não tivesse se apaixonado por Reevie. Se Kat não tivesse deixado Rennie ter partido sozinha. Se a vingança não tivesse ido longe demais, talvez as coisas seriam como antes. Agora, elas nunca mais serão as mesmas. Apenas Mary sabe a verdade sobre aquela noite. Sobre o que ela realmente é. Também descobriu a verdade sobre Lillia e Reeve terem se apaixonado, sobre Reeve ser feliz quando tudo o que ele merece é o sofrimento, assim como ela ainda sofre. Para Mary, as tentativas infantis de vingança ficaram no passado, ela está fora de controle e pretende sujar suas mãos de sangue, afinal, não tem mais nada a perder.






Por gerações, a família de Finn protegeu Darkmouth das criaturas mágicas ferozes conhecidas como "Legends". Agora, as "Legends" estão planejando um grande ataque, e é a vez de Finn defender sua cidade natal. Fãs de "Como treinar o seu dragão" irão adorar este livro. 

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Suma de Letras divulga prova de "A Rainha de Tearling"

A Editora Suma de Letras divulgou  a prova do livro tão aguardado "A Rainha de Tearling". COnfiram:

"Você gostou de "Jogos Vorazes"? De repente de "Guerra dos tronos"? Ou de "A rainha vermelha"? ENTÃO VEMK, MIGA. "A rainha de Tearling" tem um pouquinho de todos esses livros. Uma rainha muito badass que precisa sobreviver em uma corte cheia de inimigos, aprender a lutar, enfrentar uma feiticeira poderosa do reino vizinho e descobrir os segredos que andam escondendo dela há dezenove anos.  Não é pouca coisa, né? SÓ QUE TEM MAIS.

Os direitos do livro já foram vendidos pro cinema. E sabe quem está escalada para interpretar a rainha Kelsea? EMMA WATSON.
WHAAAAAAAT? POIS É. 


Recebemos aqui hoje a prova de capa do livro. A gente AMOU. Alguém aí está ansioso também? O lançamento é em fevereiro!"

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Quarteto Smythe-Smith de Julia Quinn em pré-venda

Com seu estilo inteligente e divertido, Julia Quinn finalmente apresenta ao público o Quarteto Smythe-Smith, o terrivelmente famoso e adoravelmente desafinado grupo musical que conquistou os leitores antes mesmo que as cortinas se abrissem para ele. Os livros já podem ser comprados em pré-venda no site da Saraiva. Vocês podem optar pelo Box ou comprar os livros separadamente. Essa coleção está de chorar de linda! Confiram:


Os livros de Julia Quinn já atingiram a marca de 10 milhões de exemplares vendidos. Os Bridgertons conhecem as Smythe-Smiths. E você? Há quase vinte anos o sobrenome Smythe-Smith é sinônimo de música desafinada. Ainda assim – talvez por pena, talvez por surdez – a sociedade londrina continua a se reunir anualmente para assistir ao catastrófico concerto das jovens solteiras da família. Pelo seu palco passam as histórias mais cativantes e os casais mais apaixonantes. Honoria e Marcus se reencontram e reavivam sua amizade, que pode ter um quê a mais (além de muitos bolos e tortas). Anne e Daniel sentem uma atração irresistível e precisam lidar com um perigo mortal – e com uma garotinha que ama unicórnios. Sarah e Hugh são assombrados por um evento do passado, mas não a ponto de não poderem trocar (muitos) beijos. Já Iris e sir Richard... bom, Iris não tem a mais pálida ideia do que o levou a pedi-la em casamento – ele só pode estar escondendo um segredo. Não perca este magistral quarteto, digno de muitos aplausos!

O box traz 4 livros da série + brindes: 

• Uma carta exclusiva da autora
• 4 marcadores imantados
• 4 postais da série







Honoria Smythe-Smith sabe que, para ser uma violinista ruim, ainda precisa melhorar muito… Mesmo assim, nunca deixaria de se apresentar no concerto anual das Smythe-Smiths. Ela adora ensaiar com as três primas para manter essa tradição que já dura quase duas décadas entre as jovens solteiras da família. Além disso, de nada adiantaria se lamentar, então Honoria coloca um sorriso no rosto e se exibe no recital mais desafinado da Inglaterra, na esperança de que algum belo cavalheiro na plateia esteja em busca de uma esposa, não de uma musicista. Marcus Holroyd foi encarregado de uma missão… Porém não se sente tão confortável com a tarefa. Ao deixar o país, seu melhor amigo, Daniel, o fez prometer que vigiaria sua irmã Honoria, impedindo que a moça se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que ninguém lhe parece bom o bastante para ela. Aos olhos de Marcus, um marido para Honoria precisaria conhecê-la bem (de preferência, desde a infância, como ele), saber do que ela gosta (doces de todo tipo) e o que a aflige (como a tristeza pelo exílio de Daniel, que ele também sente). Será que o homem ideal para Honoria é justamente o que sempre esteve ao seu lado afastando todo e qualquer pretendente? Com seu estilo inteligente e divertido, Julia Quinn enfim apresenta ao público o Quarteto Smythe-Smith, o terrivelmente famoso e adoravelmente desafinado grupo musical que conquistou os leitores antes mesmo que as cortinas se abrissem para ele.


Anne Wynter pode não ser quem diz que é… Mas está se saindo muito bem como governanta de três jovenzinhas bem-nascidas. Seu trabalho é bastante desafiador: em uma única semana ela precisa se esconder em um depósito de instrumentos musicais, interpretar uma rainha má em uma peça que pode ser uma tragédia ou, talvez, uma comédia – ninguém sabe ao certo – e cuidar dos ferimentos do irresistível conde de Winstead. Após anos se esquivando de avanços masculinos indesejados, ele é o primeiro homem que a deixa verdadeiramente tentada, e está cada vez mais difícil para ela lembrar que uma governanta não tem o direito de flertar com um nobre. Daniel Smythe-Smith pode estar em perigo… Mas isso não impede o jovem conde de se apaixonar. Quando ele vê uma misteriosa mulher no concerto anual na casa de sua família, promete fazer de tudo para conhecê-la melhor, mesmo que isso signifique passar os dias na companhia de uma menina de 10 anos que pensa que é um unicórnio. O problema é que Daniel tem um inimigo que prometeu matá-lo. Mesmo assim, no momento em que vê Anne ser ameaçada, ele não mede esforços para salvá-la e garantir seu final feliz com ela.


Um brilhante matemático pode controlar tudo…A não ser que um dia exagere na bebida a ponto de desafiar o amigo para um duelo. Desde que quebrou essa regra de ouro, Hugh Prentice vive com as consequências daquela noite: uma perna aleijada e os olhares de reprovação de toda a sociedade. Não que ele se importe com o que pensam dele. Ou pelo menos com o que a maioria pensa, porque a bela Sarah Pleinsworth está começando a incomodá-lo. Lady Sarah nunca foi descrita como uma pessoa contida… Na verdade, a palavra que mais usam em relação a ela é “dramática” – seguida de perto por “teimosa”. Mas Sarah faz tudo guiada pelo bom coração. Até mesmo deixar bem claro para Hugh Prentice que ele quase destruiu sua família naquele bendito duelo e que ela jamais poderá perdoá-lo. Mas, ao serem forçados a passar uma semana na companhia um do outro, eles percebem que nem sempre convém confiar em primeiras impressões. E, quando um beijo leva a outro, e mais outro, e ainda outro, o matemático pode perder a conta e a donzela pode, pela primeira vez, ficar sem palavras.




Sir Richard Kenworth tem menos de um mês para encontrar uma esposa… Por isso sabe que não pode ser muito exigente. Mas, quando vê Iris Smythe-Smith ao violoncelo no tradicionalmente desafinado recital de sua família, pensa que o destino trabalhou a seu favor. Ela é o tipo de garota que não atrai muitos olhares, porém algo o faz ter certeza de que é a escolha perfeita. Iris Smythe-Smith já se acostumou a ser subestimada… Com seu cabelo muito claro, a pele alva e o jeito discreto, ela quase sempre passa despercebida, ainda que seja a única do Quarteto Smythe-Smith que realmente sabe tocar um instrumento – não que alguém consiga escutá-la em meio à cacofonia dos concertos. Por isso, quando o charmoso Richard Kenworthy pede para ser apresentado a ela, Iris fica envaidecida, mas também desconfiada. E quando o pedido de casamento dele se transforma numa situação comprometedora, Iris tem a sensação de que ele está escondendo algo… ainda que Richard pareça mesmo apaixonado e que o coração dela esteja implorando para que diga sim.


terça-feira, 3 de janeiro de 2017

RESENHA: "O ano em que disse sim", Shonda Rhimes

Por Francine Estevão


Título: O ano em que disse sim
Título Original: Year of Yes
Autora: Shonda Rhimes
Editora: Best Seller
Páginas: 256

Sinopse: Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva dos sucessos televisivos Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal, e produtora executiva de How to Get Away with Murder. Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida.


Imagina sentar no bar do Joe (alô fãs de Grey's Anatomy!) ao fim do plantão no Grey Sloan Memorial Hospital e bater um papo regado à tequila com ninguém mais ninguém menos do que Shonda Rhimes. É assim que a criadora de Grey’s Anatomy, Scandal, How To Get Away With Murder e Private Practice nos faz sentir quando pegamos seu livro – “O ano em que disse sim” – para ler.

Um bate-papo informal e bastante revelador que ajuda a desmitificar a mulher por trás da Shondaland, a mais criativa fábrica de seriados (na minha humilde opinião). Afinal, apesar de ser uma pessoa brilhante, Shonda nunca saía da sua zona de conforto e procurava se manter dentro dos limites daquilo que a garantia certa segurança, daquilo em que ela sabia que era boa.

Ao longo das 256 páginas, em uma linguagem simples e coloquial, Shonda conta como mudou sua vida depois de ouvir sua irmã dizendo a ela “você nunca diz sim a nada”. Com isso, ela se colocou uma meta: dizer sim às coisas que a assustavam, como, por exemplo, dar entrevistas ao vivo, ir a festas ou até mesmo brincar com suas filhas. Inclusive, como dizer sim ao “não”.

Além de mostrar uma Shonda completamente humana, cheia de medos e fraquezas, o livro é um delicioso passeio pela transformação que ela passou quando começou a dizer sim em sua vida, sem floreios, mostrando os ganhos e as perdas desse processo.

E como não poderia deixar de ser, há também muito dos seus personagens no livro. Ela conta um pouco sobre seu processo criativo e seu encontro com o sucesso e mostra sua relação com suas "criaturas".

“O ano em que disse sim” fala sobre a vida de Shonda Rhimes, mas é um livro inspirador sobre autoconhecimento, autoaceitação, autenticidade e empoderamento e para muitos leitores vai ser inclusive um estímulo para sair da própria zona de conforto e um convite à transformação.