quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

RESENHA: “Sócios no Crime” de Agatha Christie


Por Francine Estevão

Título Original: Partners in Crime
Título Nacional: Sócios no Crime
Autor: Agatha Christie
Tradução: José Carlos Volcato
Ano de Lançamento: 2010
Número de Páginas:
288
Categoria:
Ficção Policial

Editora: L&PM Pocket
Sinopse: Em Sócios no Crime, Tommy e Tuppence, dois jovens aventureiros, donos da Agência Internacional de Detetives, vêem-se envolvidos na mais fantástica série de aventuras. Para cada caso a ser solucionado, usam o estilo de um famoso e grande detetive: as artimanhas do padre Brown, a irônica e bem-humorada inteligência de Sherlock Holmes, a inigualável sutileza do genial Hercule Poirot. São 23 histórias de tirar o fôlego de qualquer leitor, conduzidas pela inconfundível habilidade de Agatha Christie em criar, a partir do banal e corriqueiro, as situações mais extraordinárias.
O livro começa com Tuppence demonstrando sua insatisfação com a monotonia da vida dela e do marido, Tommy, quando são convidados a embarcar em uma aventura prontamente aceita pela então empolgada Tuppence.
Um detetive se envolveu em algo ilegal e então a Scotland Yard tem que descobrir o que está por trás desse mistério e para isso, eles contam com a ajuda do casal que passa a assumir os pequenos casos do escritório dos Detetives Incríveis de Blunt até que o grande caso seja desvendado.
No entanto, os pequenos casos – assim como a investigação central do livro – não são nada empolgantes, o casal é fraquinho, e a história não flui mesmo com as inúmeras citações a outros grandes e famosos detetives de outras histórias - como o incrível Sherlock Holmes - que são utilizados como inspiração para o casal desvendar os mistérios – também fraquinhos – dos casos que caem em suas mãos.

Um comentário:

  1. Esqueci de avisar, se algum download dos links exigir senha digite: 09072015

    ResponderExcluir